Alfeu (mitologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alfeu perseguindo Aretusa.
Bernard Picart.

Alfeu (em grego: Αλφειός, Alpheios) é um deus-rio da mitologia grega, filho de Oceano e Tétis.[1] [2]

Alfeu apaixonou-se pela ninfa Aretusa e a perseguiu até à Sicília, por dentro da terra, acabando por unir-se a ela, metamorfoseada em uma fonte (Pausânias: v. 7.2),.

No mito de Héracles o heroi grego desvia suas águas com o objetivo de limpar os estábulos do rei Augias, uma de suas doze tarefas.[3]

Numa certa feita Alfeu enamorou-se por Ártemis e, perseguindo-a através da Grécia até que ela, chegando a Letrini, na Élida (ou, segundo alguns, mais distante ainda - na ilha de Ortígia, próximo de Siracusa), pintou seu rosto e o de todas as suas ninfas com um barro branco, de tal forma que ele não pudesse mais distingui-la entre todas elas. Alfeu foi, então, obrigado a se retirar, sob a ruidosa gargalhada daquelas que o enganaram.[4]

Alfeu é o mais notável dos rios gregos, e tem na letra alfa a indicação desta primazia. Seu mito encontra-se ligado, como curso d'água, a vários eventos mitológicos; por exemplo, foi em suas margens que Apolo ensinou a Melampo como profetizar olhando as entranhas dos sacrifícios; ou, ainda, na sua confluência com o afluente Enipeo, por quem se apaixonara a jovem Tiro, foi onde a jovem apaixonada fora violada por Posidão.[4]

Dentre seus filhos encontram-se:

Referências

  1. Fabulae, Prefácio, por Higino
  2. Teogonia, 334, por Hesíodo
  3. Claude Pouzadoux. Contos e lendas da mitologia grega. [S.l.]: Companhia das Letras — São Paulo, 2001. ISBN 85-359-0087-X
  4. a b Robert Graves. Los mitos griegos - vol. I (em espanhol). [S.l.]: Alianza Editorial, S. A., Madrid, 1985. ISBN 84-206-0110-1 (Tomo I)
  5. Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 4.30.2

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.