Atlas (mitologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Atlas
Atlas na fachada do Palácio de Linderhof
Casado(a) com Pleione
Pais Jápeto e Ásia
Irmão(s) Prometeu, Epimeteu e Menoécio
Filho(s) Plêiades e hespérides

Atlas (em grego: Άτλας), também chamado Atlante, na mitologia grega, é um dos titãs condenado por Zeus a sustentar o mundo para sempre.[1]

Era casado com Pleione, com a qual teve sete filhas conhecidas como Plêiades, bem como sete filhas que eram ninfas, as hespérides.[2]

Embora associado com vários lugares, ele tornou-se comumente identificado com a cordilheira do Atlas, no noroeste da África (atual Marrocos, Argélia e Tunísia).[3]

Atlas era filho do titã Jápeto e da oceânide Ásia[4].[5][nota 1]

Origens[editar | editar código-fonte]

Atlas é filho de Jápeto, filho de Urano e Gaia[8] e irmão de Prometeu, Epimeteu e Menoécio.[9]

Segundo Pseudo-Apolodoro, a sua mãe era Ásia,[9] filha de Oceano e Tétis.[10]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A etimologia do nome Atlas é incerta. Virgílio traduzia a etimologia de nomes gregos, combinando-os com adjetivos que os explicava.: para Atlas, o adjetivo é durus ("duro"),[11] o que sugeriu a to George Doig[12] que Virgílio tinha ciência

que o termo grego τλῆναι significa "endurecer"; Doig oferece a possibilidade adicional que Virgílio conhecesse a citação de Estrabão de que o nome nativo norte-africano da cordilheira do Atlas era Duris. Uma vez que os montes Atlas estão na região habitada pelos berberes, foi sugerido que o nome tenha sido tomado de uma das línguas berberes, especificamente ádrār "mountanha".[13]

Tradicionalmente, linguistas históricos consideram a etimologia da palavra grega Ἄτλας (genitivo: Ἄτλαντος) como a junção de α- e a raiz proto-indo-europeia *telh₂- ("suportar") (também τλῆναι), e que formatado como um nt-stem [14]. Porém Robert Beekes argumenta que não pode esperar-se que esse antigo titã carregue um nome indo-europeu, e que a palavra é de origem pré-grega, e que tais palavras frequentemente terminam em -ant.[14]

O Castigo[editar | editar código-fonte]

Juntando-se a outros titãs, forças do caos e da desordem, pretendiam alcançar o poder supremo e atacaram o Olimpo, combatendo ferozmente Zeus e seus aliados, que eram as energias do espírito, da ordem e do Cosmos. Zeus trinfou e castigou seus inimigos - que eram escravos da matéria e dos sentidos, inimigos da espiritualização, lançando-os ao Tártaro.

Porém para Atlas deu-lhe o castigo de sustentar para sempre nos ombros, o céu. Seu nome passou a significar "portador" ou "sofredor". Assim punido, passou a morar no país das Hespérides, as três ninfas do Poente: Eagle, Eritia, Hesperatetusa.

Nas terras das Hespérides, Ninfas do Poente, estavam plantadas as maçãs de ouro, que tinham sido o presente de casamento, oferecido pela Terra, nas bodas de Zeus e Hera. A deusa as plantara no jardim dos deuses e, para proteger a árvore e os frutos, deixara sob aguarda de um dragão de cem cabeças e das três ninfas do Poente.

Hércules em seus 12 trabalhos fora incumbido de trazer as maçãs de ouro, porém soube que somente Atlas conseguiria colhê-las. Hércules se propôs a segurar o céu enquanto Atlas colhia as maçãs e ele esperava entregar pessoalmente a Eristeu. Porém, Hércules o enganou, pedindo-lhe para voltar a segurar o céu enquanto ele guardava as maçãs, e fugiu. Por esse motivo, foram construídos os pilares de Hércules e Atlas foi libertado do seu fardo. 

Atlas passou a ser o guardião dos Pilares de Hércules, sobre os quais os céus foram colocados, e que também eram a passagem para o lar oceânico de Atlântida - o Estreito de Gibraltar, e por isso toda a cordilheira do norte da África, recebeu o nome de Cordilheira de Atlas. Tornou-se o primeiro rei de Atlântida, e por ser o Senhor das águas distantes, além do Mar Mediterrâneo, seu nome nomeou o oceano Atlântico.

Casou-se com Pleione, tendo sete filhas, as Pleiades: Alcyone, Maia, Electra, Merope, Taigete, Celeno e Sterope. Por conhecer o caminho das terras distantes, na cartografia, passou a representar a coleção de mapas da Terra. E por ter sustentado o céu, deu-se o nome de Atlas à primeira vértebra da coluna cervical - uma referência onde suportava o gigantesco peso a que fora condenado a suportar. 

O mito de Atlas representa o peso das dificuldades cotidianas que pesam sobre nossos ombros e, embora possamos considerar que sejam pesados demais, o que está sobre Atlas, a primeira vértebra da coluna cervical, é apenas a nossa cabeça, que guarda a nossa mente.

O mito está relacionado ao excesso de incumbências, obrigações, tarefas que aceitamos e não obedecemos a um limite, e nem resguardamos um espaço para atividades relaxantes. Cremos que podemos carregar o mundo nas costas, o que pode causar danos físicos e psicológicos. O complexo de Atlas é uma das doenças relacionadas ao stress da vida moderna.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Como irmã de Tétis, Hesíodo lhe chama como Clímene [6] mas a Biblioteca em vez disso lhe dá o nome Ásia,[7] assim como Lycophron (1411). É possível que o nome Ásia tenha se tornado preferido em relação ao Clímene de Hesíodo para evitar confusão como o que deve ser uma outra oceânide chamada Climene, que era mãe de Faetonte por Hélios em alguns relatos.

Referências

  1. «Os Principais Deuses Gregos - Deuses Gregos - Mundo Educação». Mundo Educação. 
  2. William Smith, A Dictionary of Greek and Roman biography and mythology "Atlas"
  3. Smith. «Atlas». Consultado em February 26, 2013. 
  4. Pseudo-Apollodorus, Bibliotheke i.2.3.
  5. Hesíodo (Teogonia 359
  6. Hesíodo (Teogonia 507
  7. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca 1.8
  8. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.1.3 [em linha]
  9. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.2.3
  10. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.2.23
  11. Eneida iv.247: "Atlantis duri" e outros; ver Robert W. Cruttwell, "Virgil, Aeneid, iv. 247: 'Atlantis Duri'" The Classical Review 59.1 (May 1945), p. 11.
  12. George Doig, "Vergil's Art and the Greek Language" The Classical Journal 64.1 (October 1968, pp. 1-6) p. 2.
  13. Estrabão, 17.3;
  14. a b Beekes, Robert; van Beek, Lucien (2010). «Etymological Dictionary of Greek» 1 Brill [S.l.]: 163. 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Atlas (mitologia)