Final Fantasy XV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Simple Game current event.svg
Este artigo ou seção contém informações sobre um jogo que ainda não foi lançado, podendo sofrer alterações substanciais assim que informações se tornarem disponíveis. Por favor não faça especulações sobre o artigo, lembrando-se sempre de citar as suas fontes de publicação junto com as informações.
Final Fantasy XV
Produtora Square Enix
Editora(s) Square Enix
Diretor Tetsuya Nomura Hajime Tabata
Produtor Yoshinori Kitase
Shinji Hashimoto
Escritor(es) Kazushige Nojima
Tetsuya Nomura
Jun Akiyama
Compositor(es) Yoko Shimomura
Artista Tetsuya Nomura
Himuro Takahara
Motor Luminous Studio
Plataforma(s) PlayStation 4, Xbox One
Série Final Fantasy
Fabula Nova Crystallis
Data(s) de lançamento Sem Data Definida
Género(s) RPG Action
Modos de jogo Single player
Média Disco blu-ray
Idioma Japonês
Traduções Inglês

Final Fantasy XV, conhecido anteriormente por Final Fantasy Versus XIII, é um jogo de interpretação de papéis para a PlayStation 4 e Xbox One.[1] [2]

Anteriormente, o jogo tinha sido anunciado como um exclusivo para a PlayStation 3 na E3 de 2006 e como um elemento da colectânea Fabula Nova Crystallis, juntamente com Final Fantasy XIII e Final Fantasy Agito XIII.[3] [4]

Tetsuya Nomura comentou que o enredo do jogo será influenciado pela peça Hamlet, do dramaturgo William Shakespeare, e procurará reflectir o ditado «não existe o bem nem o mal em si mesmos, mas é a mesma mente humana a qual os gera.» Nomura, quer que o tema principal, fale da ambiguidade moral, dando-nos a escolher diferentes caminhos, que dependerão de nossas escolhas, esperando-se que a história seja intrigante e algo mais adulta. Final Fantasy Versus XIII é, de acordo com seus produtores, uma história totalmente independente com personagens diferentes e um design visual diferente, embora seja definido dentro do mesmo universo de Final Fantasy XIII (agora Final Fantasy XV).

Enredo[editar | editar código-fonte]

Muito pouca informação sobre a trama do jogo foi revelado desde a E3 2006, no entanto, os representantes da Square Enix comentaram que o enredo de Versus XIII (agora Final Fantasy XV) pode ser ainda mais escuro do que os outros jogos da série Final Fantasy.

Final Fantasy XV envolve Noctis Lucis Caelum, o último herdeiro de uma nação isolada, que detém o último Cristal protegido por reis. Seu isolamento é devido à resistência da cidade para se proteger contra os hereges invasores. O jogo foi dito para dar início à limpeza "de uma longa guerra fria entre nações beligerantes que girava em torno dos cristais".

O trailer oficial começa com as palavras: "Esta é uma fantasia baseada na realidade." O trailer mostra tecnologia moderna, como carros, estradas, armas automáticas, e ostenta uma impressionante semelhança para o mundo real de hoje.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Noctis Lucis Caelum

(Estas informações foram retiradas do Final Fantasy Vesus XIII, nome dado anteriormente ao jogo; e podem não se coincidir com o produto final do FFXV)

Dotado de uma infância aflita, [5] herdeiro aparente do trono de Lucis, com o poder místico de ver uma luz divina, através da qual ele pode sentir a morte de outros. Noctis rejeita as rígidas convenções reais e age como um tipo de renegado, para o desânimo daqueles que o atendem. Apesar de Noct poder agir de forma impertinente às vezes, ele o faz em defesa daqueles leais a ele.

Ele é membro de uma antiga linhagem de reis, e será o próximo a herdar o trono de sua dinastia. Atualmente é o príncipe da cidade moderna vista nos vídeos, e tem a árdua tarefa de proteger o último cristal existente, o qual está em posse de seu país, das mãos das nações rivais que o querem a qualquer custo. Para tanto, o herói conta com um poderoso arsenal de armas, de espadas a lanças, que podem se materializar no instante que ele quiser, além de possuir poderes telecinéticos. Ele é capaz de se teletransportar e muda a cor de seus olhos em condições especiais; em batalha, seu olho ganha um tom avermelhado (a cor natural dele é azul).

Sua arma principal é uma espada com um motor embutido. Á primeira vista, parece um típico personagem de Nomura, porém o designer garante que o personagem não será sombrio ou anti-social. Noctis é uma pessoa com auto-estima, porém tímido e introvertido no fundo. Um bom exemplo de sua personalidade pôde ser vista em sua primeira conversa com Stella, no “Agreetment´s Party”, onde ele tenta disfarçar sua timidez com um verniz de calma, e agindo de forma "cool".

É difícil definí-lo em palavras, mas Nomura diz que a chave para entender Noctis está nas suas pequenas ações, na sua linguagem corporal. Como nos momentos em que ele tenta escapar da conversa com Stella, e quando tenta falar mais para que ela não perceba sua insegurança. Ele também evita olhar diretamente no olho. Isso tudo porque Noctis fica tímido facilmente. Apesar disso, ele é mais aberto e ri bastante quando está com seus amigos. Por uma razão desconhecida, eventualmente se torna inimigo de Stella, mesmo que contra sua vontade. Seu nome em latim, Noctis Lucis Caelum, significa “Luz do Céu Noturno”, porém na maior parte do game usarão seu apelido “Noct” para se referirem a ele (Como citado acima).

  • Gladiolus Amicitia

Como lorde da nobre Cada Amicitia, Gladiolus continua uma linhagem jurada a proteger a coroa. Gladio compartilha uma amizade com Noctis que transcende nascimento e título, e sua lealdade para seu senhor provém não do dever, mas da irmandade.

  • Ignis Scientia

Sempre a voz firme da razão,[5] Ignis foi criado em um manto de lógica e educação clássica desde a juventude para que ele possa um dia aconselhar o futuro rei, Noctis. Ele aplica sua profunda compreensão e confiança que eles construíram pelo tempo para ajudar a suavizar a brusquidão de Noctis com outros.

  • Prompto Argentum

O endiabrado playboy Prompto fez amizade com Noctis em seus dias de escola. Ele usa um chip em seu ombro como um forasteiro no círculo real, mas se mantém ansioso para fazer tudo o que ele puder pela causa.

  • Cor Leonis

Uma lenda viva nos registros Lucianos, a devoção do Lorde Comandante Cor Leonis à arte da guerra é superada apenas por seu rei. Pouca amizade há entre o infeliz e o séquito de Noctis, e ainda a honra o prende a vigiar o grupo ao mesmo tempo.

  • Stella Nox Fleuret

Stella é a protagonista feminina de Final Fantasy Versus XIII. Como Noctis, ela tem origens nobres, sendo atual membro da família Fleuret, do reino de Tenebuera. Estranho ou não, foi revelado que ela será uma das principais antagonistas, mesmo que forçada. Não foi confirmado se ela será jogável. Nomura afirmou que, diferente das demais personagens femininas da série criadas por ele, Stella será a primeira a ter uma participação especial e com mais destaque no enredo. A personagem possui também o poder de materializar armas, através de uma runa dourada (a de Noctis é azul). Sua arma principal é uma rapier.

A protagonista, segundo Nomura, é uma pessoa muito educada e gentil, que age de acordo com o que acredita. A cena de encontro entre ela e Noctis mostrou a personalidade divergente dos dois. Enquanto o protagonista se mostra agitado por não saber lidar com alguém que não conhece, ela é direta e cuidadosa nas palavras que usa, se portando como uma dama. Com respeito se refere a ele como "Senhor Noctis". Ela também pode ver “The Light from the Dead”, e, ao contrário do protagonista, comenta sobre a luz sem muita reserva.

Provavelmente, haverá uma relação amorosa entre o casal, ou perto disso, já que serão inimigos. Seu nome completo é Stella Nox Fleuret. Em latim, Stella Nox quer dizer "Estrela da Noite", e Fleuret é o nome francês para "foil", referência a sua arma, uma rapier.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

(Estas informações foram retiradas do Final Fantasy Vesus XIII, nome dado anteriormente ao jogo; e podem não se coincidir com o produto final do FFXV) Em Final Fantasy XV nós teremos um mundo livre e vasto; o personagem na maior parte do tempo caminhará entre os cenários, podendo pular de lugares altos para cortar caminho. As áreas serão amplas e interativas, e o jogador poderá explorá-las por completo exceto as montanhas. Nas cidades, será usado o mesmo tipo de controle, e haverá lojas para consulta. Foi confirmado que o game contará com meios de transporte, como um carro, que estará disponível quase sempre para facilitar o percurso. Em batalha, Noctis também poderá dirigir tanques e robôs provisoriamente. A exploração se dará também por meio de um World Map, função ausente na série desde FFIX, na época do PS1, e o jogador poderá usar airships para atravessá-lo. Interessante é que elas servirão como meio de ataque também, mas como é desconhecido.

Uma novidade fantástica é que agora haverá uma passagem de tempo real nos cenários, do dia para noite. A equipe confirmou que estão utilizando cálculos de física para que a transição temporal seja natural e suave. Eles também estão usando o mesmo esquema na movimentação das nuvens, e nas mudanças no seu tom de cor. Esse sistema de ciclos deverá desencadear mudanças significativas, como monstros aparecendo em horários diferentes, ou atividades momentâneas nas cidades. Nós podemos esperar um mundo realmente intenso e crível aos nossos olhos, cheio de recursos inéditos. Apesar de tudo, Nomura acha que Final Fantasy XV não será tão aberto, e define o game como um Final Fantasy 2D com gráficos em HD, numa perspectiva em terceira pessoa. A equipe já revelou em entrevistas como será o controle nas batalhas com o protagonista Noctis. Também, o trailer inicial e uma prévia liberada para o público, que mostrava um pouco do que seria esse novo sistema, indicaram que o personagem poderá selecionar uma variedade de armas, materializadas com a força do cristal através de uma runa azulada que brilhará no protagonista.

No combate, cada arma apresentará um método de ataque diferente, e a câmera irá alternar dependendo da arma que for usada. Um sistema de customização de equipamentos será incluído de alguma forma. Nomura deixou claro que todo esse arsenal não estará disponível no início do game, porém, segundo ele, quem quiser poderá ficar tão forte e ágil como Noctis aparentou ser no trailer. Em contraste com os demais títulos, e para elevar a proposta realista de Final Fantasy XV, será incluído um grau maior de violência, e os inimigos expelirão sangue.

Há um setor da jogabilidade em que a equipe realizou muitos testes, em relação a uma habilidade única de Noctis. Ele poderá desaparecer se teletransportando para o local onde lançar sua espada. No jogo, no momento em que a espada fincar em uma superfície sólida (uma parede, por exemplo), o jogador poderá se teletransportar para ela. Essa mecânica abrirá um leque de possibilidades nos confrontos; os jogadores deverão tirar proveito máximo de todo o ambiente para ser bem-sucedido, utilizando tanto áreas abaixo como acima do personagem. A complexidade e mobilidade serão fantásticas como nos trailers, o que aumentará o nível de estratégia. Já que os ambientes exercerão um papel importante no jogo, a equipe valorizou bastante o level design.

Loadings serão pouquíssimos durante o game, e apenas acontecerão entre a transição de áreas muito grandes. A equipe está tentando reduzir o máximo possível, e querendo programar um tipo de loading que carrega enquanto o jogador estiver assistindo a uma cutscene, tudo isso para que a experiência de jogo seja mais imersiva. As batalhas não sofrerão loadings também e poderão se estender através de diversas áreas, um confronto poderá iniciar numa área x e terminar em y sem nenhuma interrupção. O encontro com os monstros acontecerá diretamente nos cenários, com cada inimigo tendo seu próprio método de aproximação. Até agora, os soldados e o Behemoth do exército foram os únicos inimigos revelados.

Muitos que viram o trailer ficaram em dúvida quando os olhos de Noctis se tornaram vermelho. Segundo Nomura, eles mudarão de cor dependendo dos movimentos e emoções do personagem. Em batalha, o olho do personagem ganhará um tom avermelhado; e também quando Noctis se teletransportar, um flash branco brilhará de leve em seu cabelo. Nomura disse que seus olhos poderão alternar para outras cores, incluindo verde e amarelo. Apesar de podermos deduzir o motivo, ainda é incerto o significado das mudanças.

Até agora só foram reveladas informações de Noctis, mas o jogador terá em disposição mais party members em combate, cada um com seu próprio estilo de luta e habilidades. Todos serão controláveis em batalha; Também já foram confirmadas a presença de magias e summons, e de um sistema de leveis, mas como funcionarão dentro do jogo ainda é um mistério. Outros comandos disponíveis serão as Ex-arts, habilidades especiais.

Mundo[editar | editar código-fonte]

  • Reino da família Caelum

(Estas informações foram retiradas do Final Fantasy Vesus XIII, nome dado anteriormente ao jogo; e podem não se coincidir com o produto final do FFXV)

A nação governada por Noctis da dinastia Caelum [6] , ainda sem nome revelado, avançou tecnologicamente graças ao cristal, e acabou se isolando do restante do mundo. Prédios, avenidas e carros estilosos fazem parte do panorâma da nação. Apesar da modernidade, o país utiliza ainda um sistema monarca, e mantêm costumes e regras passados. A nação também é protegida pela Magic Order, uma espécie de instituição.

O cristal (o último existente) está guardado no palácio real, dentro do pilar central situado atrás do trono do príncipe. Em relação ás áreas, temos nomes de algumas localidades do país: West Insomnia, Nihilsomno (latim para "Harsh Valley"), VallisAcerba (latim para "Sleepless"), e Nigelheim (pode se referir a outro reino também);

A aparência geral da nação e sua arquitetura é contemporânea e têm influência direta da cidade de Tokyo (Japão), mais precisamente em Shinjuku, que é onde o prédio da Square Enix se localiza. Nomura decidiu usar a área como material para FFXV porque gosta muito do local. A avenida exibida nos trailers é uma réplica da rodovia de Tokyo; já o túnel é inspirado em um túnel perto da cidade de Ginza. A equipe de Nomura dirigiu por essa rodovia diversas vezes e conduziu pesquisas para que ele fosse representado o mais fielmente possível no game, sendo os sinais de rua os únicos elementos não inseridos, por serem muito grandes e não se encaixarem no ambiente.

  • Tenebuera

Outra nação do mundo de Versus XIII, esta comandada pela Casa Fleuret, família de Stella. Uma lenda em Tenebuera fala de uma deusa da morte que concebe poderes especiais ás pessoas que veem a "luz". No país de Noctis há uma lenda parecida. Tenebuera é um nome em latim, e significa "escuridão" ou "sombras".

  • Outside World

Devido á destruição dos cristais do mundo exterior, deu-se início a um período de ruína, um estado de decadência, como pode ser visto em algumas áreas exibidas nos trailers. A situação lamentável é consequência da falta dos cristais, o que nos faz entender o porquê das nações rivais quererem desesperadamente o último cristal. Quem possuí-lo não só garantirá uma nação estável como também, nessas circunstâncias, se tornará a maior potência mundial.

As cidades do mundo exterior são destacadas pela arquitetura medieval. Até os soldados usam armaduras que remetem a antiguidade, mesmo que portem metralhadoras modernas e lança-mísseis. Os países de fora começaram a se fortalecer com armas de fogo, provavelmente, com o intuito de roubarem o último cristal, nascendo assim uma guerra fria que pode estar próxima de ter um fim. Uma construção de uma área do mundo exterior foi inspirada na Basilica de São Marcos em Veneza. A equipe se inspirou bastante na Itália para a concepção do mundo.

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Pela primeira vez Yoko Shimomura foi escalada para compor a trilha [6] de um Final Fantasy, o que pode ser considerado um sonho realizado para muitos fãs da série. Extremamente talentosa, Shimomura compôs trilhas famosas como as de Legend of Mana, Kingdom Hearts e Parasite Eve, e a nossa expectativa é de no mínimo um trabalho primoroso na parte sonora de Final Fantasy Versus XIII. Apenas uma faixa do título foi revelada até agora, a canção em latim "Somnus - Sleeping" (「somnus - 眠り -」), tocada no primeiro trailer de FFXV.

Em declaração feita a Famitsu há pouco tempo, a compositora comentou que atualmente estão na fase de testes, onde a direção musical ainda está sendo decidida. A equipe está considerando vários estilos musicais para o jogo. Mas, analisando o histórico de Shimomura, podemos esperar peças clássicas com violino e predominância do piano.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Final Fantasy XV começou a ser desenvolvido pouco tempo antes da E3 2006, onde o game ainda estava em fase de pré-produção. Apesar de Tetsuya Nomura (ex-diretor) ter estado ocupado com outros projetos, Versus XIII está progredindo mais rapidamente com a conclusão de Final Fantasy XIII, já que muitos membros estavam ajudando a equipe de FFXIII para que o game saísse no prazo. Há pouco tempo também, um anúncio requisitou novos integrantes para se unirem a equipe atual de Versus XIII (Agora FinalFantasy XV), no intuito de acelerar ainda mais o desenvolvimento. Mesmo com tanto mistério rondando a produção, pequenas amostras do game foram exibidas ao longo dos anos em eventos como a Tokyo Game Show e Jump Festa. Para quem teve a oportunidade de assistí-los, elogios não faltaram para os gráficos e a iluminação primorosa. Em 2009, um breve demo exibiu um pouco do gameplay de Versus XIII (Agora FinalFantasy XV), onde Noctis corria por uma cidade que sofria transições entre dia e a noite, até chegar num campo aberto repleto de criaturas enormes. Foi apenas um teste do quanto se podia diferenciar cenas passadas a noite, das cenas passadas ao dia, e também do limite do tamanho dos monstros. Até os NPCs que andavam pelas ruas foram emprestados de FFXIII, e o mapa do campo tinha sido elaborado em duas semanas. O behemoth do vídeo e os personagens estavam sem texturas. No mesmo ano, um vídeo de 1 minuto de duração apresentou cenas em tempo real. Nele, Noctis aguardava numa avenida por um carro para depois entrar no veículo. A cena se passava durante o dia, e apresentava iluminações, modelos de personagens, e ambientes. O último clipe exibiu as primeiras cenas de batalha de Noctis, com a inclusão de sangue nas lutas, onde sentimos a sensação de velocidade do sistema de batalha. A equipe também incluiu imagens da produção do game no livro Cloud Message, lançado em 2008.

Possíveis Sequelas[editar | editar código-fonte]

Continuações de Final Fantasy XV foram insinuadas com a linha de "Um mundo do Versus Épico" no trailer da E3 2013. Nomura explicou que o jogo teve um clímax autossuficiente e que era a primeira parte de um épico continuou pretendido. Ele disse que a Square Enix está considerando o uso de elementos on-line e desenvolver títulos independentes mais curtos para manter os jogadores interessados e para evitar longos tempos de espera para eles. Isso foi interpretado como um movimento da empresa para um formato episódico distribuído digitalmente para possíveis sequelas. Nomura mais tarde esclareceu na Japan Expo 2013, que não tem planos para seqüelas tinha sido finalizado


Referências

  1. Branquinho, Ana (11 de Junho de 2013). Square Enix anuncia Final Fantasy XV e Kingdom Hearts III Eurogamer.pt. Visitado em 11 de Junho de 2013.
  2. Loureiro, Jorge (11 de Junho de 2013). Final Fantasy XV e Kingdom Hearts III na Xbox One Eurogamer.pt. Visitado em 11 de Junho de 2013.
  3. Alves, Luís (15 de Julho de 2008). Final Fantasy Versus XIII continua exclusivo PS3 Eurogamer.pt. Visitado em 3/06/2010.
  4. Alves, Luís (10 de Outubro de 2008). Square Enix volta a confirmar exclusividade Final Fantasy Versus XIII na PS3 Eurogamer.pt. Visitado em 3/06/2010.
  5. a b Confira sinopse e dados sobre os protagonistas de Final Fantasy XV baixakijogos.com.br. Visitado em 24/06/2013.
  6. a b Mundo finalfantasy.com.br. Visitado em 12/11/2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.