Zonas ocupadas pelos Aliados na Alemanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Besetztes Deutschland
Zonas de ocupação pelos Aliados na Alemanha
Flag of German Reich (1935–1945).svg
1945 – 1949 Flag of Germany (state).svg
 
Flag of East Germany.svg
 
Flag of Saar (1947–1956).svg

Bandeira de Alemanha Ocupada

Bandeira

Localização de Alemanha Ocupada
Território dividido da Alemanha Ocupada, em 1947. Os territórios a leste da Linha Oder-Neisse, sob administração soviética e polaco, são mostrados em branco para que se destaque o Protectorado do Sarre. Berlim é a área multinacional dentro da zona soviética.
Continente Europa
Capital Berlim (de jure)
52° 31' N 13° 23' E
Língua oficial Alemão
Governo Ocupação militar
Governante (1945)
 • Zona britânica Marechal-de-campo Bernard Montgomery
 • Zona francesa General Lattre de Tassigny
 • Zona americana General Dwight D. Eisenhower
 • Zona soviética General Georgy Zhukov
Período histórico Guerra Fria
 • 1945 Resgate
 • 5 de Julho de 1945 Conselho do Controlo Aliado
 • 15 de Dezembro de 1947 Protectorado de Saar
 • 23 de Maio de 1949 República Federal da Alemanha
 • 7 de Outubro de 1949 República Democrática Alemã
 • 1949 Dissolução
 • 12 de Setembro de 1990 Fim¹
Moeda Reichsmark e Rentenmark (1945–1948)
Deutsche Mark (Oeste)
(Trizona e setores ocidentais de Berlim, 1948–1949)
Deutsche Mark (Leste)
(Zona soviética e setor oriental de Berlim, 1948–1949)
Marco do Sarre
(Protectorado do Sarre, 1947–1948)
Franco do Sarre
(Protectorado do Sarre, 1948–1956)
¹ Reunificação da Alemanha em 3 de Outubro de 1990.

Após a derrota da Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial, os vitoriosos Aliados afirmaram a sua autoridade sobre todo o território do Terceiro Reich que ficava a oeste da linha Oder-Neisse, tendo formalmente abolido o governo de Adolf Hitler (ver Declaração de Berlim). As quatro potências dividiram a Alemanha em quatro zonas de ocupação para fins administrativos. Esta divisão foi ratificada na Conferência de Potsdam (17 de julho-2 de agosto 1945).

No outono de 1944, o Estados Unidos, o Reino Unido e a União Soviética tinham acordado as zonas pelo Protocolo de Londres. As potências aprovaram o eventual destacamento de grande parte dos territórios orientais alemães, situados a leste da linha Oder-Neisse; Final Tratado de Paz alemão contemplado iria determinar as linhas de fronteira polaco-alemã e USSR-poloneses para os antigos territórios alemães.

O Tratado de Paz Final alemão resultaria no "deslocamento para o oeste" das fronteiras da Polônia de volta a aproximadamente como eram antes de 1722. Nas semanas finais da luta na Europa, as forças dos Estados Unidos tinha ocuparam além dos limites acordados para as futuras zonas de ocupação, em alguns lugares até 320 km além do estabelecido nas negociações. A chamada "linha de contato" entre as forças soviéticas e estadunidense no fim das hostilidades (a maior parte a leste da fronteira interna alemã estabelecida em julho 1945) era temporária.

Depois de dois meses em que haviam ocupado áreas que tinham sido atribuídas à Zona Soviética, as forças estadunidenses se retiraram nos primeiros dias de julho de 1945.[1] Alguns concluíram que este foi um movimento crucial que convenceu a União Soviética a permitir que as forças britânicas, francesas e estadunidenses entrassem em seus setores designados em Berlim, o que ocorreu mais ou menos na mesma época (julho de 1945), embora a necessidade de coleta de informações (ver Operação Paperclip) também fosse um fator relevante.[2]

História[editar | editar código-fonte]

As forças Aliadas, que derrotaram a Alemanha Nazi na Segunda Guerra Mundial, dividiram o país a oeste do rio Oder em quatro zonas de ocupação para propósitos administrativos durante o período de 1945 a 1949. A linha de demarcação entre as três zonas ocidentais de ocupação e a zona soviética foi estabelecida no protocolo que fixava as zonas de ocupação da Alemanha e a administração de Berlim, acordada pela Comissão Assessora Europeia, estabelecida na Conferência de Teerão de 1943. A linha unia as antigas fronteiras entre os estados e províncias alemãs de Hanôver e da Prússia, Hesse e Anhalt, Hesse e Turíngia, e a Baviera, com alguns ajustes por razões práticas.

Nas últimas semanas de combates na Europa, as forças americanas tinham ultrapassado os limites previamente acordados para o futuro das zonas de ocupação, em alguns lugares ultrapassando as 200 milhas. A linha de contacto entre os soviéticos e as forças americanas no fim das hostilidades foi temporária. Após dois meses em que mantiveram áreas que haviam sido atribuídas para a zona soviética, as forças americanas retiraram-se em Julho de 1945.[3] Alguns concluíram que este foi um movimento crucial para persuadir a União Soviética a fim de permitir americanos, britânicos, franceses e as suas forças nas zonas pré-designadas em Berlim, que ocorreu praticamente ao mesmo tempo (Julho de 1945), embora a necessidade de recolha de informações (ver Operação Paperclip) também pode ter sido um factor.

Esta divisão administrativa deveria durar indefinidamente, mas os Estados Unidos da América, a França e o Reino Unido fundiram as suas zonas prematuramente para deter qualquer influência política, económica ou militar da Zona de ocupação soviética, também conhecida como Alemanha Oriental. O resultado desta fusão foi o estado conhecido como Alemanha Ocidental, e desde 1949 a divisão da Alemanha e da sua capital Berlim converteu-se num ícone da Guerra Fria.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. What Is to Be Done? Time, 9 de julho de 1945
  2. Knowles, Chris (29 de janeiro de 2014). «Germany 1945-1949: a case study in post-conflict reconstruction». History & Policy. Consultado em 19 de julho de 2016. 
  3. What Is to Be Done? Time, 9 de julho de 1945

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.