Metrô de Fortaleza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos S.A.
Tipo Empresa pública
Fundação 1993
Sede Fortaleza
Página oficial http://www.metrofor.ce.gov.br

Metrô de Fortaleza é um sistema metropolitano que atua na cidade de Fortaleza, operado pela empresa de capital social, Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos. A empresa está atualmente trabalhando na construção de metrôs para a substituição do atual sistema de trens urbanos administrado em conjunto com a CBTU que atende à Fortaleza e sua Região Metropolitana.

História[editar | editar código-fonte]

Em 25 de setembro de 1987, iniciou a construção do consórcio do Trem Metropolitano de Fortaleza, através da assinatura do Contrato de Constituição do Consórcio, pela RFFSA, CBTU e Governo do Estado do Ceará com interveniência da União, através do Ministério dos Transportes.[1]

Houve três aditivos de tempo, o primeiro fez o prazo do consórcio ser prorrogado por um ano em 1 de abril de 1993; o segundo, assinado em 29 de março de 1994, também foi prorrogado por mais um ano e o terceiro, em 04 de abril de 1995, prorrogou-se por dois anos, com término previsto para 04 de abril de 1997. Em 3 de abril de 1997 foi lavrada a Ata de Encerramento do Consórcio, tendo sido nomeada a Comissão, com prazo de sessenta dias, para apresentação do relatório de liquidação. Porém, o consórcio do Trem Metropolitano de Fortaleza foi extinto em 30 de maio de 1997.[1]

Com a extinção do consórcio, logo depois foi surgindo ideias para uma companhia de metrôs em Fortaleza. Em 2 de maio de 1997, a companhia, cujo nome é Metrofor, foi criada com o objetivo de assumir e modernizar a operação do transporte dos trens metropolitanos de Fortaleza até então realizada pela CBTU.[1]

Linha Sul[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 1998, foi assinado um contrato para a construção da nova linha de metrôs, que é a primeira fase do projeto, conhecida como Linha Sul. Segundo o presidente da Metrofor, Rômulo dos Santos Fortes, a obra "iniciou em janeiro de 1999, já com restrição orçamentária".[2] Os estudos que demostraram a viabilidade da implementação do Veículo Leve Sobre Trilho (VLT), foram feitos pela empresa da espanhola Eptisa.[3] Em 2002, quando cessaram os repasses de recursos federais, a obra praticamente parou. Os recursos repassados não foram significativos, e apenas serviram para manter os canteiros e a segurança.[4]

Consequentemente a obra foi sendo paralisada, e a situação só veio mudar com a assinatura de um convênio com o Ministério da Fazenda, em setembro de 2005. O presidente da Metrofor relatou que na "época ainda havia dívida com o FMI e foi assinado um convênio que reduzia o escopo, para adaptar a obra aos recursos disponíveis. Cortamos escopo, tiramos a parte subterrânea, e dos dez trens ficaram só quatro, foi um caos. As empresas não aceitaram e a negociação não andou". A obra retornou em 2006.[4]

Houve um desagrado da parte do Ministério das Cidades, pois segundo ele, o Ministério da Fazenda tratou o assunto, priorizando a questão financeira sem se preocupar com a infraestrutura urbana e a mobilidade. Então em 2007, no início do segundo governo Lula, o Ministro Márcio Fortes (Cidades) interveio para trazer de volta os escopos originais, tanto em Fortaleza quanto em outras capitais.[4]

Após 13 anos desde o inicio das obras em 1999, a Linha Sul teve seu primeiro trecho inaugurado por autoridades locais em 15 de junho de 2012.[5] [6] Este tramo teve em operação de testes no qual o serviço era totalmente gratuito e com horários limitados.[5] Últimas estações que estavam em obras como Chico da Silva e José de Alencar foram inauguradas em 18 de julho de 2013, com presença da presidente Dilma Rousseff. Porém, apenas testes estão sendo realizados atualmente,[7] e a operação comercial está prevista para 2014, com cobrança de tarifas e integração ao sistema de bilhete único.[8]

Linha Oeste[editar | editar código-fonte]

A Linha Oeste em Fortaleza, liga o bairro Central da cidade ao bairro central de Caucaia. A linha era administrada inteiramente por CBTU na época em que todo o seu trajeto era feito por trens urbanos. Em 2010, a Metrofor investiu cerca de R$ 125 milhões de reais, com as estações e a reforma de treze trens conhecidos como Pidners: quatro locomotivas foram modernizadas e 31 carros de passageiros receberam nova fuselagem e sistema de climatização.[9]

Além da reforma e aquisição de novos veículos, foram recuperados 17 quilômetros de via permanente e duplicados outros 2,5 quilômetros, reformadas nove estações, e realizado o trabalho de sinalização das passagens de nível. Também foi concluído o viaduto rodoviário Visconde de Cauípe, em Caucaia. Cerca de 13 mil passageiros, que fazem o trajeto Caucaia-Fortaleza diariamente, serão beneficiados a ação.[10]

Com as melhorias, mais passageiros estão utilizando a linha. Em 2011, os trens da linha Oeste transportaram mais de 3,46 milhões de passageiros.[9] Ao todo a Linha Oeste é composta por 46 viagens diárias.[10]

Provavelmente em extensão à Linha Oeste, está em estudo um ramal metroviário até o Terminal Portuário do Pecém, localizado na região metropolitana de Fortaleza.

Linha Parangaba-Mucuripe[editar | editar código-fonte]

Ramal em formato de veículo leve sobre trilhos (VLT) integrando a área portuária de Fortaleza ao epicentro intermodal do Bairro Parangaba, passando por diversos bairros. A obra faz parte da matriz de ações para a Copa do Mundo do Brasil e tem previsão para inauguração para o primeiro semestre de 2014.

Linha Leste[editar | editar código-fonte]

A Linha Leste ainda é apenas um projeto do metrô de Fortaleza, orçado em cerca de R$ 3,5 bilhões. A linha é totalmente subterrânea com traçado de 12,4 quilômetros de extensão. A obra fará a ligação entre o Centro, partindo da estação Chico da Silva, até o Fórum Clovis Bevilaqua, no bairro Edson Queiroz.[11]

As máquinas que vão construir os túneis são chamados de “shield”, ou tuneladoras, também conhecidas no jargão técnico como “tatuzão”. Para conhecer de perto essa tecnologia, o governador do Estado, Cid Gomes, o secretário de Infraestrutura, Adail Fontenele, e o presidente do Metrofor, Rômulo Fortes, visitaram quatro fabricantes desse tipo de equipamento. Eles foram adquiridas pelo Governo do Estado, através da Seinfra, ao preço de R$ 128,2 milhões. Os equipamentos estão sendo fabricados pela empresa norte-americana The Robbins Company, que venceu uma licitação ocorrida em maio de 2012.[12]

Os dois primeiros equipamentos — de um total de quatro — para a construção da linha já estão prontos com os testes em fábrica realizado entre maio e junho de 2013. Logo depois, os equipamentos serão embarcados para o Brasil devendo chegar ao Porto do Pecém no final de julho de 2013.[12] A distancia entre cada estação será de aproximadamente 900 metros. No total são treze estações que compõe a Linha Leste, essas são Chico da Silva, Sé, Luiza Távora, Colégio Militar, Nunes Valente, Leonardo Mota, Papicu, HGF, Cidade 2000, Bárbara de Alencar, CEC, Edson Queiroz. A obra da linha está prevista para ser iniciada ainda em 2013.[11]

Material Rodante[editar | editar código-fonte]

TUE Elettrotreno ETR 200 Metrostar, utilizado na Ferrovia Circumvesuviana de Nápoles e semelhante ao TUE que será utilizado no Metrofor

Para a linha Sul foram adquiridos 20 TUE’s de 3 carros cada Elettrotreno ETR 200 Metrostar, fabricados pela AnsaldoBreda[13] .[14] Os veículos deste sistema possuirão uma velocidade comercial de 50 km/h e uma velocidade máxima de 80 km/h. A bitola será de 1000 milímetros e a alimentação dos trens é feita por catenárias utilizando uma tensão de 3000 VCC. As composições deverão começar a circular em testes em 2010.[15]

Para a Linha Oeste foram adquiridos 6 VLT's diesel de 4 carros da empresa Bom Sinal,sendo o primeiro entregue no início de outubro.[16]

Frota Imagem Linha Ano Fabricante Trens / Carros
ETR 200 - Metrostar Sul 2010 Ansaldo Breda 20/60
VLT Bom Sinal Oeste 2010 Bom Sinal 6/24

Tabela do sistema[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Inauguração Comprimento (km) Estações Duração das viagens (min) Funcionamento
Sul Central – Xico da Silva ↔ Carlito Benevides[17] 2012 24,1 18*(20) 33 Inaugurado, em operação assistida.
Oeste Caucaia ↔ Central – Xico da Silva 2014 19,5 15 --- Ativa como trem urbano.
Leste Central – Xico da Silva ↔ Fórum Clóvis Beviláqua[18] 2019 12 13 --- Em processo licitatório.
Maranguape Jereissati ↔ Maranguape 7,2 2 --- Em estudo.
Mucuripe Parangaba ↔ Mucuripe[19] 2014 12,7 8 --- Em construção.
(*) Estações em Construção

Referências

  1. a b c Metrô de Fortaleza - Histórico. Governo do Ceará. Página visitada em 21 de julho de 2013.
  2. Kézya Diniz (27 de fevereiro de 2012). “Metrô de Fortaleza corre o risco de não ser usado”, afirma especialista. Política com K. Página visitada em 21 de julho de 2013.
  3. Projeto Ramaral - Parangaba/Mucuripe (VLT). Página visitada em 21 de julho de 2013.
  4. a b c História do Metrô de Fortaleza. Rodovias & Vias. Página visitada em 21 de julho de 2013.
  5. a b Inauguração do Metrô de Fortaleza. Governo do Estado do Ceará (15 de junho de 2012). Página visitada em 21 de julho de 2013.
  6. Daniel Aderaldo (16 de junho de 2012). Após 13 anos de obras, metrô de Fortaleza é inaugurado sem fortalezenses. Portal IG. Página visitada em 21 de julho de 2013.
  7. Duas novas estações do metrô de Fortaleza serão inauguradas. Portal G1 (17 de julho de 2013). Página visitada em 21 de julho de 2013.
  8. Operação comercial do metrô de Fortaleza começa em 2014. Mobilize (18 de julho de 2013). Página visitada em 21 de julho de 2013.
  9. a b Mais de 3,4 milhões de pessoas utilizaram a linha Oeste do metrô de Fortaleza em 2011. A linha, de 19,5 km de extensão, liga o centro da Capital ao centro de Caucaia. Metrô de Fortaleza. Página visitada em 21 de julho de 2013.
  10. a b Metrô de Fortaleza: Primeiro VLT da Linha Oeste começa circular. Secretaria da Infraestrutura (13 de junho de 2011). Página visitada em 21 de julho de 2013.
  11. a b A linha Leste terá doze estações e irá transportar 400 mil pessoas por dia. A expectativa é que a linha retire milhares de carros particulares dos principais corredores de Fortaleza.. Metrô de Fortaleza. Página visitada em 21 de julho de 2013.
  12. a b Linha Leste: Licitação das obras civis começa nesta terça-feira (21). Governo do Estado do Ceará (20 de maio de 2013). Página visitada em 21 de julho de 2013.
  13. Ansaldo Breda. Catálogo do Metrô de Fortaleza. Página visitada em 27 de outubro de 2010.
  14. Ansaldo Breda (8 de julho de 2009). AnsaldoBreda sigla un contratto per la Metropolitana di Fortaleza METROFOR (em italiano). Página visitada em 27 de outubro de 2010.
  15. 74% das obras civis do Metrô de Fortaleza estão concluídas página visitada em 23 de fevereiro de 2010.
  16. Intelog (4 de outubro de 2010). Primeiro VLT da linha Oeste chega a Fortaleza. Página visitada em 27 de outubro de 2010.
  17. (Metrofor deve ser concluído até final de 2011)
  18. Diário do Nordeste (Porto e metrô expandidos) matéria publicada em 25 de fevereiro de 2011.
  19. Diário do Nordeste (Ampliação do Metrofor:Duas novas linhas previstas) matéria publicada em 20 de setembro de 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Metrô de Fortaleza