Miss Universo 2011

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Miss Universo 2011
MissUniverse 2011 Small logo.JPG
Data: 12 de setembro de 2011
Apresentadores: Transmissão oficial: NBC
Palco: Natalie Morales e Andy Cohen[3]
Comentários: Jeannie Mai e Shandi Finnessey[4]
Transmissão para o Brasil:
Band: Estúdio Credicard Hall: Adriane Galisteu e Susana Barbosa (comentários)
Estúdio Morumbi: Malcolm Forest e Maria Clara Kneese (tradução simultãnea)
TNT: Estúdio Atlanta: Luiza Brunet (comentários), Reginaldo Alcântara e Sula Simões (tradução simultânea)
Atrações Musicais: Abertura:
Sérgio Mendes, "Mas que nada"
Trajes de Banho:
Cláudia Leite, "Locomotion Batucada"
Trajes de Gala:
Bebel Gilberto,"Close your Eyes"
Local: Credicard Hall, São Paulo, Brasil
Emissora: NBC e Telemundo (transmissão oficial); Band e TNT (transmissão para o Brasil)
Candidatas: 89
Não participaram do concurso: Noruega e Zâmbia
Voltaram a participar do concurso: Chile, Estônia, Ilhas Cayman, Montenegro, Portugal, Santa Lúcia, Turcas e Caicos, Vietnã
Vencedora: Leila Lopes
Representou: Angola Angola

Miss Universo 2011 foi a edição de aniversário dos 60 anos do concurso Miss Universo, realizada no dia 12 de setembro de 2011 no Credicard Hall em São Paulo, Brasil.[5] Ximena Navarrete, Miss Universo 2010, do México, coroou como sua sucessora Leila Lopes, de Angola.

Com um total de 89 candidatas, esta foi a edição com o maior número de participantes na história do concurso, igualada apenas pela edição seguinte em Las Vegas, Estados Unidos. Foi também a primeira vez que uma candidata foi escolhida como semifinalista através do voto popular, através da Internet.

Escolha da cidade-sede[editar | editar código-fonte]

Ao contrário de edições anteriores recentes, a Miss Universe Organization fez o processo de escolha da sede do evento com bastante antecedência, com o anúncio de São Paulo como sede do Miss Universo 2011 feito pessoalmente por Donald Trump em dezembro de 2010, em Nova York, com a data oficial da noite final televisionada como 12 de setembro do ano seguinte. [6] Com o anúncio oficial, esta foi a data mais tardia já adotada em toda a história do concurso de beleza. Até então, as edições mais tardias tinham sido as de 1964 (1º de agosto),[7] 2009 e 2010 (ambas realizadas em 23 de agosto).[8] [9] Foi a primeira vez que o concurso foi realizado no mês de setembro.

No meio tempo entre a apresentação da candidatura e a escolha da cidade-sede, a organização brasileira do concurso precisou contar com apoio logístico da Prefeitura de São Paulo[10] e pela primeira vez na história do evento,ele foi totalmente bancado pela iniciativa privada.assim a Band conseguiu atingir todas as demandas da MUO. Responsável pela logística, a Band formou uma empresa de promoção de eventos, a Enter-Entertainment Experience, para cuidar do processo de preparação da capital paulista para as atividades principais e de outras cidades – Santos e Ilhabela – para atividades secundárias .Além disso,a partir desta edição a emissora seria a dona da licença do Miss Brasil,que passaria a se chamar Miss Universo Brasil.[11] [12] .

Evento[editar | editar código-fonte]

Realizado pela primeira vez no Brasil, o evento começou com uma grande homenagem ao Brasil com todos os clichês do país no palco do Credicard Hall. Um grande documentário foi exibido, mostrando as belezas naturais, costumes e pontos turísticos de São Paulo e do país para todo mundo. Artistas brasileiros como Claudia Leite e Bebel Gilberto também se apresentaram.Em um evento esvaziado,uma falta se notou: no aniversário da 60ª edição do concurso, nenhuma Miss Universo anterior foi convidada a comparecer, nem mesmo as duas brasileiras, Ieda Maria Vargas e Martha Vasconcellos, para participarem da coroação da vencedora.[13]

O Top 16 foi formado por Austrália, Costa Rica, EUA, Ucrânia, China, Filipinas, Países Baixos, Angola, Kosovo, França, Panamá, Colômbia, Venezuela, Porto Rico, Brasil – envolvida em grandes polêmicas desde a sua coroação, e vaiada pelo próprio público durantes as preliminares [14] – e Portugal, que foi a primeira Miss Internet da história. Para os analistas dos grande portais, a grande surpresa foi a não-classificação da Miss Malásia, Deborah Henry, considerada uma das principais favoritas à coroa.[15] Um momento constrangedor foi o desfile de traje de banho da Miss Estados Unidos, Alyssa Campanella que tinha uma figura quase anoréxica e pertubadora.,[13] o Top 10 contou com Austrália, Ucrânia, Angola, Brasil, França, China, Filipinas, Portugal, Panamá e Costa Rica.[16] Pela primeira vez na história do concurso, todas as candidatas presentes do mundo lusófono haviam entrado no Top 10 do Miss Universo.[15]

A partir daí, o público começou a mostrar sua torcida e favoritismo pela Miss Angola, Leila Lopes, em todas as entradas da candidata em traje de noite, criando um enorme clima a seu favor no auditório. Um Top 5 improvável foi anunciado e composto por Miss Ucrânia, Miss China, Miss Filipinas, Miss Angola e Miss Brasil, a dona da casa e única representante das Américas. Ao final, a apresentadora Natalie Morales, filha de mãe brasileira e que em vários momentos apresentou o concurso em português, anunciou o resultado: China em 5º, Filipinas em 4º, Brasil em 3°, Ucrânia em 2º e Leila Lopes como a nova Miss Universo, a quarta da África, a quinta Miss Universo negra e a terceira a falar português, para grande aclamação do público presente.[15]

Credicard Hall, o local do concurso.

A vitória de Leila porém, mal o resultado foi anunciado, trouxa de volta o racismo ao concurso, com postagens na Internet em portais e blogs rascistas brasileiros e internacionais criticando a escolha e insultando a angolana.[17] [18] Miss França, Laury Thilleman, numa entrevista a um jornal francês também criticou Lopes a quem considerava reservada, sem carisma e sem fazer amigas durante o evento, e afirmou que a vitória de Leila surpreendeu a todas as outras candidatas e teria sido muito influenciada pelo fato dele ser no Brasil. A afirmação lhe valeu violentas críticas e acusações de ter uma visão colonialista europeia e falta de fairplay pelo jornal The Washington Post, que rebateu a afirmação do local do concurso ter influenciado o resultado com a pergunta óbvia: "se a questão era o concurso ser realizado no Brasil, porque então eles não elegeram a própria Miss Brasil?". [19]

Leila Lopes teve um grande reinado como porta-voz e relações públicas da Miss Universe Organization e suas causas sociais pelo mundo e quando entregou a coroa à sua sucessora, Olivia Culpo, em dezembro de 2012, tinha se tornado a miss com o mais longo período na função da história do concurso, 1 ano, três meses e uma semana.[20]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Leila Lopes, Miss Universo 2011.
Colocação Candidata País
Miss Universo 2011 Leila Lopes  Angola
2º lugar Olesya Stefanko  Ucrânia
3º lugar Priscila Machado  Brasil
4º lugar Shamcey Supsup Filipinas
5º lugar Zilin Luo  China
Semifinalistas (Top 10): Scherri-Lee Biggs
Johanna Solano
Laury Thilleman
Sheldry Sáez
Laura Gonçalves*
 Austrália
Costa Rica
 França
 Panamá
 Portugal
Semifinalistas (Top 16): Catalina Robayo
Alyssa Campanella
Kelly Weekers
Afërdita Dreshaj
Viviana Ortiz
Vanessa Gonçalves
 Colômbia
 Estados Unidos
 Países Baixos
Kosovo
 Porto Rico
 Venezuela
Premiações especiais
Miss Simpatia Nikolina Lončar  Montenegro
Miss Fotogenia Ronnia Fornstedt  Suécia
Melhor Traje Típico Sheldry Saéz  Panamá
  • Laura Gonçalves foi escolhida pelo voto popular, através dos votos dos internautas no site oficial do concurso.[1]

Jurados [1] [editar | editar código-fonte]

Atrações musicais [21] [editar | editar código-fonte]

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Em negrito, a candidata eleita Miss Universo 2010. Em itálico, as semifinalistas.[16]

Fatos[editar | editar código-fonte]

  • Alejandra Barillas, a Miss Guatemala 2010 eleita originalmente, foi novamente coroada Miss Guatemala 2011 em uma cerimônia especial. Esta foi a primeira vez na história dos concursos de beleza que uma miss eleita em um ano foi reeleita no ano seguinte. Barillas era a representante original da Guatemala no Miss Universo 2010 mas devido a uma lesão em uma das pernas duas semanas antes d concurso ela não pode comparecer, sendo então substituída por Jessica Scheel, a terceira colocada, que se tornou a primeira guatemalteca a conseguir se classificar entre as Top 10 na história do Miss Universo. A organização do Miss Guatemala, resolveu então dar a chance de Barillas, a vencedora original de 2010, de representar o país no Miss Universo 2011, chance que não teve pelo acidente sofrido no ano anterior, coroando-a novamente como Miss Guatemala 2011. O fato se deu porque devido a problemas de organização e patrocínio, o Miss Guatemala 2011 só seria realizado em outubro enquanto o Miss Universo 2011 estava marcado para setembro em São Paulo. Na impossibilidade de mandar novamente Scheel, Barillas recebeu a chance que não teve no ano anterior por causa do acidente. [22]
  • O empresário e apresentador brasileiro Álvaro Garnero deveria compor o júri preliminar – aquele que não aparece na televisão e tem um caráter mais técnico, sendo composto geralmente de profissionais menos conhecidos do público em geral. Ele faz o primeiro corte das candidatas junto com integrantes da Miss Universe Organization até chegar ao Top 15, nos dias anteriores à final do concurso – mas seu nome foi cortado após os organizadores descobrirem que ele mantivera contatos com os organizadores do concurso Miss China, o que é proibido pelas normas da MUO aos jurados preliminares. [23]
  • Esta foi a primeira vez nas 60 edições do concurso que todas as três candidatas do mundo lusófono – Brasil, Portugal e Angola – chegaram ao Top 10.[15]
  • Miss Brasil, Priscila Machado, criticada junto com a organização do Miss Brasil pelos fãs, coordenadores de concursos locais e analistas por ter posado seminua anteriormente contrariando as regras do concurso, fotos estas que se espalharam pela Internet, foi vaiada por seu próprio público durante as preliminares do concurso, fato nunca acontecido num Miss Universo.[13] [14]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Nos Estados Unidos, a audiência média da transmissão pela NBC foi a pior[24] registrada na série histórica da Nielsen Ratings para o concurso, iniciada em 1974[25] para uma emissora de língua inglesa: 5,2 milhões de telespectadores, média de 1,6 ponto e share domiciliar de 4; isso correspondeu a uma queda de 16% em relação ao Miss Universo 2010, realizado em Las Vegas.

Já a transmissão da Telemundo em língua espanhola registrou cenário oposto, mostrando um crescimento de 16% em relação ao ano anterior (1,896 milhão de telespectadores contra 1,636 milhão registrado no Miss Universo 2010). Somadas as audiências de suas emissoras nos Estados Unidos e em Porto Rico, a transmissão do Miss Universo 2011 foi vista por 4 milhões de telespectadores[26] .

No Brasil, a transmissão pela Band registrou a melhor audiência média do concurso na emissora paulista desde 2003.[27] (8,2) e o segundo melhor pico (11 contra 13,5 do Miss Universo 2003). O share domiciliar foi de 13 pontos[28] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Miss Angola vence o Miss Universo Revista QUEM. Visitado em 01/02/2015.
  2. Performances Miss Universe Organizaton. Visitado em 11/02/2015.
  3. Seidman, Robert. Natalie Morales and Andy Cohen to Co-Host the '2011 Miss Universe Pageant' on NBC, Monday, September 12 TVbytheNumbers.(em inglês)
  4. Gorman, Bill. Helio Castroneves, Connie Chung, Isabeli Fontana, Vivica Fox e Amelia Vega serão jurados do Concurso Miss Universo 2011.(em inglês)
  5. Miss Universo 2011 ocorrerá em São Paulo G1 (16-12-2010).
  6. São Paulo será sede do Miss Universo 2011 Folha.com (18-12-2010).
  7. 1964 pageantopolis. Visitado em 11/02/2015.
  8. 2009 pageantopolis. Visitado em 11/02/2015.
  9. 2010 pageantopolis. Visitado em 11/02/2015.
  10. Malacrida, Vilson. Band não pode cometer erros na transmissão do Miss Universo.[ligação inativa]
  11. Grupo Bandeirantes de Comunicação cria empresa especializada em grandes eventos.
  12. Band cria empresa para grandes eventos AdNews (20-12-2010).
  13. a b c Angola wins its first crown Critical Beauty. Visitado em 11/02/2015.
  14. a b Miss Brazil booed by her own people GlobalBeauties. Visitado em 11/02/2015.
  15. a b c d Miss Universe 2011: the final review GlobalBeauties. Visitado em 11/02/2015.
  16. a b 2011 pageantopolis. Visitado em 11/02/2015.
  17. Miss Universo 2011 sofre racismo em site que ostenta suástica nazista G1. Visitado em 11/02/2015.
  18. Racist websites hit new Miss Universe Leila Lopes ReddingNewsReview. Visitado em 11/02/2015.
  19. Leiby, Michele. Miss Universe backlash: Miss France speaks out against Miss Angola The Washington Post. Visitado em 11/02/2015.
  20. THOUGHTS OF MISS UNIVERSE Miss Universe Mania. Visitado em 11/02/2015.
  21. Performances Miss Universe Organizaton. Visitado em 11/02/2015.
  22. Crowned again, and by her 2nd runner-up: Miss Guatemala 2011 is Alejandra Barillas globalbeauties.com. Visitado em 18/08/2011.
  23. Mascaro, Vivi (02-09-2011). Álvaro Garnero não será mais jurado do Miss Universo iG.
  24. A audiência americana da segunda-feira, 12 de setembro de 2011, noite de Miss Universo 13-09-2011.
  25. A audiência americana do Miss Universo de 1974 a 2011 TV em Análise Críticas (14-09-2011).
  26. Gorman, Bill (14-09-2011). 'Miss Universo 2011' (Miss Universe 2011) Watched By More Than 4 Million Viewers On Telemundo, Up By Double Digits Over 2010 In Key Demos TVbytheNumbers.(em inglês)
  27. Histórico de audiência do concurso Miss Universo na Band (2003-2011) TV em Análise Críticas (13-09-2011).
  28. Tolipan, Heloisa (13-09-2011). Band nega insatisfação com a audiência do concurso Miss Universo 2011 Jornal do Brasil.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]