Brasil Paralelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Brasil Paralelo
Requer pagamento? Parcialmente
Gênero Entretenimento e revisionismo histórico
País de origem Brasil
Idioma(s) Português
Lançamento 2016 (2 anos)
Página oficial brasilparalelo.com.br
Estado atual Ativo

Brasil Paralelo é um sítio eletrônico brasileiro de conteúdo independente, cuja linha editorial é alinhada ao liberalismo econômico.[1] Fundado em 2016, em Porto Alegre, é caracterizado como mídia independente e, juntamente com outros grupos, tem sido referência no ativismo político digital da denominada Nova Direita brasileira, cuja ascensão tem sido apontada pelos estudos da ePoliticSchool (EPS).[1][2]

A entidade produz obras audiovisuais, geralmente no formato filme documentário, com um discurso que foi considerado por alguns acadêmicos como milenarista e conspiracionista.[3]

Dentre os trabalhos do Brasil Paralelo está um filme documentário sobre o impeachment de Dilma Rousseff, ocorrido em 2016. Esse documentário fez parte da série "Congresso Brasil Paralelo", que contou com a participação de políticos, cientistas políticos, analistas políticos, economistas, jornalistas, entre outros formadores de opinião.[4][2][5] Após o Congresso Brasil Paralelo, foi lançada a série "Brasil, a Última Cruzada".

O Brasil Paralelo vendeu milhares de assinaturas para o acesso dos conteúdos por eles produzidos. No início de 2017 eles já somavam uma rede de mais de cinco mil pessoas assinantes do conteúdo exclusivo disponibilizado nos canais da entidade. Segundo informações não confirmadas pelos fundadores, o grupo teria amealhado 1,5 milhão de reais em apenas seis meses de existência.[6]

Histórico[editar | editar código-fonte]

O Brasil Paralelo foi fundado em Porto Alegre em 2016, por uma dupla de empreendedores gaúchos e com financiamento cem por cento privado.[2]

Em fevereiro de 2017, para o sexto episódio da série de filmes documentários, eles colheram 88 depoimentos com formadores de opinião da direita para lançarem um filme sobre o impeachment de Dilma Rousseff, como contraponto à versão homônima produzida com apoio do Partido dos Trabalhadores (PT), focado na narrativa de que o impeachment foi “golpe”. O título do episódio sexto foi "Impeachment - Do apogeu à queda", cujo lançamento oficial ocorreu em 21 de março de 2017 em São Paulo e Porto Alegre.[7] Na capital paulista, ocorreu no Cinemark Metrô Santa Cruz e após a exibição do filme, houve um debate ao vivo com os seguintes convidados com Henrique Viana; Ícaro de Carvalho; Luiz Philippe de Orléans e Bragança; Hélio Beltrão e Joice Hasselmann. Na capital gaúcha, foi no Cinemark Barra Shopping Sul e também após a exibição houve debate com Lucas Ferrugem, Felipe Moura Brasil, Guilherme Macalossi e Diego Casagrande. Esse foi o primeiro evento presencial do Brasil Paralelo.[2] No dia seguinte foi realizado o seminário "O que esperar de 2017", na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, com a presença do jornalista e arquiteto Percival Puggina, do diplomata Paulo Roberto de Almeida e do deputado Marcel van Hattem, no qual foi debatido as atividades do Brasil Paralelo.[8]

Em abril de 2017, o Brasil Paralelo participou da 30.ª edição do tradicional Fórum da Liberdade. O evento é promovido pelo Instituto de Estudos Empresariais (IEE) no Centro de Eventos da PUC/RS, em Porto Alegre, e contou com seis painéis, além de palestras especiais com grandes personalidades da política e da academia, como João Doria Jr., Pedro Malan, Eduardo Giannetti, Luiz Felipe Pondé, entre outros. Nesse evento, os representantes de Brasil Paralelo expuseram no salão Unconference o trabalho da entidade na produção de conteúdo e como alternativa de mídia independente.[1] Lá também apresentaram iniciativas práticas de promoção da liberdade, em que o público participante pôde interagir e contribuir com o conhecimento pessoal, know-how, ideias, recursos financeiros, obter feedbacks, entre outros, em projetos de impacto previamente selecionados de cunho social, associativo, econômico ou político. Na edição anterior, o jornalista Diego Casagrande, membro da organização, foi agraciado com o Prêmio Liberdade de Imprensa do Fórum da Liberdade.[9]

Congresso Brasil Paralelo[editar | editar código-fonte]

O congresso tem seis documentários. São eles:

  • Episódio 1: Panorama Brasil — Um raio-x inconveniente
  • Episódio 2: Terra de Santa Cruz — Uma história não contada
  • Episódio 3: A Raiz do Problema — Como chegamos aqui?
  • Episódio 4: Dividindo Pessoas, Centralizando o Poder
  • Episódio 5: Propostas
  • Episódio 6 (extra): Impeachment — Do apogeu à queda

Depoimentos em vídeo[editar | editar código-fonte]

O congresso conta com mais de 80 entrevistas, dentre elas destacam-se:[10]

Brasil, a Última Cruzada[editar | editar código-fonte]

Com o primeiro episódio lançado no dia 18 de setembro de 2017,[11] o "Brasil, a Última Cruzada" é um documentário com seis episódios no qual se revisa a história antiga do Brasil, buscando resgatá-la. Contando com a participação de mais de 60 especialistas, o documentário é o sucessor do "Congresso Brasil Paralelo". Dando continuidade ao documentário, o segundo episódio foi lançado no dia 9 de outubro de 2017, o terceiro, no dia 12 de novembro, o quarto no dia 20 de dezembro de 2017, o quinto no dia 19 de março de 2018 e o sexto no dia 9 de abril de 2018.

  • Episódio 1: A Cruz e a Espada
  • Episódio 2: A Vila Rica[12]
  • Episódio 3: A Guilhotina da Igualdade[13]
  • Episódio 4: Independência ou Morte[14]
  • Episódio 5: O Último Reinado
  • Episódio 6: Era Vargas: O Crepúsculo de Um Ídolo

O dia depois da eleição[editar | editar código-fonte]

O Dia depois da eleição tem cinco episódios:[15]

  • Episódio 1: O que sobrou do Brasil? - Parte 1
  • Episódio 2: O que Sobrou do Brasil? - Parte 2
  • Episódio 3: Minha primeira grande operação
  • Episódio 4: Os ciclos de poder
  • Episódio 5: Proteja-se independente do resultado

O Teatro das Tesouras[editar | editar código-fonte]

O primeiro episódio estreou dia 21 de agosto de 2018, O Teatro das Tesouras é um documentário que mostra as sete eleições do Brasil após a Ditadura Militar instaurada pelo golpe civil-militar de 1964.[16]

Nesse documentário é mostrado os bastidores das eleições brasileira.[16]

  • Episódio 1: 1989
  • Episódio 2: 1994
  • Episódio 3: 1998
  • Episódio 4: 2002
  • Episódio 5: 2006
  • Episódio 6: 2010
  • Episódio 7: 2014

Críticas e controvérsias[editar | editar código-fonte]

Análise crítica[editar | editar código-fonte]

Uma análise do discurso do conteúdo apresentado no segundo capítulo da série "Brasil, a Última Cruzada" constatou que o website divulga ideias milenaristas e teorias da conspiração, apresentando um conteúdo político-ideológico e revisionista disfarçado de histórico. A análise foi feita em junho de 2018 pelo professor de história Roldão Carvalho Pires e comunicadora social Mara Rovida, da Universidade de Sorocaba.[3]

Fake news[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2018, não muito antes das eleições gerais, o grupo publicou um vídeo no YouTube em que um homem identificado como Hugo Cesar Hoeschl afirmou que “estudos internacionais indicam que a probabilidade de fraude na última eleição presidencial foi de 73,14%”. Essa informação foi considerada notícia falsa. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) emitiu uma nota desmentido o que foi informado no vídeo, onde afirmou que “não há registro [...] de que o autor do vídeo tenha participado de qualquer evento de auditoria e transparência, a exemplo dos testes públicos de segurança realizados pelo TSE e da apresentação dos códigos-fonte".[17]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Brasil Paralelo (2017). «O que é o Congresso Brasil Paralelo?». congressobrasilparalelo.com.br. Consultado em 9 de junho de 2017. 
  2. a b c d Fucs, José (2017). «Política Estadão - A maquina barulhenta da direita na internet». O Estado de S. Paulo. Consultado em 14 de setembro de 2018.. Arquivado do original em 26 de março de 2017. Merece crédito também o site Brasil Paralelo, criado em 2016 por uma dupla de empreendedores de Porto Alegre, para produzir documentários em vídeo e contribuir para a melhoria da educação e da formação em política e história, sem o viés de esquerda que, na opinião deles, predomina nas escolas do País. Já colheram 88 depoimentos com influenciadores da direita e na semana passada lançaram um filme sobre o impeachment, como contraponto à versão produzida com apoio do PT, focado na ideia do “golpe”. 
  3. a b Carvalho, Roldão Pires; Rovida, Mara. «Os Movimentos Milenaristas Modernos–Uma Análise Sobre o Discurso da Propaganda Ideológica» (PDF). XXIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste – Belo Horizonte - MG – 7 a 9/6/2018. Outras características no discurso apontam o milenarismo do movimento. Na realidade proposta pelo Brasil Paralelo é construída a teoria conspiratória de que as mídias e as escolas estão contaminando o imaginário popular. 
  4. YouTube (26 de Abril de 2017). «BRASIL PARALELO CAPÍTULO 1 - COMO CHEGAMOS ATÉ AQUI». Brasil Paralelo. Consultado em 1 de julho de 2018. 
  5. «Meio Desligado – Congresso Brasil Paralelo: a direita acordou». Gazeta do Triângulo. Consultado em 9 de abril de 2017. 
  6. Fucs 2017, Talvez o caso de maior sucesso seja o do pessoal do site Brasil Paralelo, que vendeu milhares de assinaturas do conteúdo que produz. Segundo informações não confirmadas pelos fundadores, a empresa teria amealhado R$ 1,5 milhão em seis meses. É sinal de que, ao menos para alguns, a onda da direita na internet pode ser sustentável.
  7. «Evento apresentou projeções políticas e econômicas para o ano de 2017 - Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul». Consultado em 15 de Abril de 2017. 
  8. Luiza Veber (24 de março de 2017). «Evento apresentou projeções políticas e econômicas para o ano de 2017». Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Consultado em 15 de setembro de 2018. 
  9. Claudio Sanches (12 de abril de 2016). «Repórter recebe Prêmio Liberdade de Imprensa no RS». Associação Brasileira de Imprensa. Consultado em 15 de setembro de 2018. 
  10. «Brasil Paralelo». Brasil Paralelo. Consultado em 10 de abril de 2017. 
  11. «História nas redes sociais – Brasil Paralelo lança nova série sobre A Última Cruzada. Acompanhe e compartilhe - A Voz do Cidadão». www.avozdocidadao.com.br 
  12. «Brasil: A última cruzada». historiaehistoria.com.br. 2 de janeiro de 2018 
  13. «Episódio 3 - A Guilhotina da Igualdade - Série Brasil - A Última Cruzada - Blog do CDPSI». cdpsi.com.br. 19 de fevereiro de 2018 
  14. «História do Brasil – Lançado pelo Brasil Paralelo o quarto episódio da série Brasil, a última cruzada - A Voz do Cidadão». www.avozdocidadao.com.br 
  15. «O dia depois da eleição – O que sobrou do Brasil? (Série Brasil Paralelo)». Revista O Conservador. 3 de julho de 2018 
  16. a b «Educação política – Lançado o primeiro episódio de "O Teatro das Tesouras" do Brasil Paralelo e você pode assistir gratuitamente | A Voz do Cidadão». www.avozdocidadao.com.br. Consultado em 21 de setembro de 2018. 
  17. «Mensagens com conteúdo #FAKE sobre fraude em urnas eletrônicas se espalham nas redes». O Globo. 6 de outubro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]