José Tolentino Mendonça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Tolentino Mendonça
Arcebispo da Igreja Católica
Arquivista dos Arquivos Secretos do Vaticano
Bibliotecário da Biblioteca Apostólica Vaticana
Hierarquia
Papa Francisco
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 26 de junho de 2018
Entrada solene 1 de setembro de 2018
Predecessor Dom Jean-Louis Bruguès, O.P.
Mandato 2018
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 28 de julho de 1990
Machico
por Dom Teodoro de Faria
Nomeação episcopal 26 de junho de 2018
Ordenação episcopal 28 de julho de 2018
Mosteiro dos Jerónimos
por Dom Manuel José Cardeal Clemente
Lema episcopal Considerate lilia agri - Mt 6,28
Brasão arquiepiscopal
Coat of arms of José Tolentino Mendonça.svg
Dados pessoais
Nascimento Machico, Portugal
15 de dezembro de 1965 (52 anos)
Nacionalidade português
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

José Tolentino Calaça de Mendonça ComSEComIH (Machico, 15 de dezembro de 1965[1]) é um arcebispo, teólogo e poeta português. Actualmente é arcebispo titular de Suava. Foi nomeado a 26 de junho de 2018 Arquivista do Arquivo Secreto do Vaticano e Bibliotecário da Biblioteca Apostólica Vaticana, cargos na Cúria Romana, tendo tomado posse a 1 de setembro de 2018.[2] É professor e foi vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa, até a sua nomeação em 26 de junho de 2018. Foi também diretor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Deu início ao estudo de Teologia em 1982. Uma vez ordenado padre, em 28 de julho de 1990, deslocou-se para Roma, onde terminou o seu mestrado em Ciências Bíblicas. Regressado a Portugal, ingressou na Universidade Católica Portuguesa, onde foi capelão e lecionou as disciplinas de Hebraico e Cristianismo e Cultura. Aí se doutorou em teologia bíblica, tornando-se professor auxiliar. Dirigiu até ao ano de 2014 o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, de que foi o primeiro Diretor e a revista Didaskalia, editada pela Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa.

Em dezembro de 2011, foi nomeado consultor do Conselho Pontifício da Cultura[3] para um primeiro mandato, e em 2016 voltou a sê-lo para um segundo. Passou o ano académico de 2011-12 como Straus Fellow na Universidade de Nova Iorque, integrando uma equipa de investigadores convidados, empenhados no estudo do tema “Religião e Espaço Público”. Em 2012, foi designado para um primeiro mandato como vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa, e em 2016 começou um segundo mandato.

Especialista em Estudos Bíblicos, tem abordado os temas e os textos do cânone cristão, mantendo um diálogo com as interrogações do presente. A relação entre o Cristianismo e a Cultura é uma das ideias-chave do seu percurso. Além de ensaísta, tem obra poética. Assina uma crónica semanal no jornal Expresso. Foi autor selecionado nos exames nacionais de Português 2015 (texto retirado do livro “A mística do instante"). O livro “A Mística do Instante” foi galardoado com o Prémio literário Res Magnae 2015, um importante prémio italiano atribuído no campo da ensaística. Foi o primeiro português e o único não italiano, até à data, a receber este prémio. Em 2016, a sua obra de cronista foi distinguida com o prémio APE e a sua obra poética com o Prémio Teixeira de Pascoaes.

A 9 de junho de 2016, foi designado Membro do Conselho das Antigas Ordens Militares.

José Tolentino Mendonça, na Capela do Rato, 22 de julho de 2018

Episcopado[editar | editar código-fonte]

A 26 de junho de 2018 Tolentino Mendonça foi nomeado arcebispo titular de Suava pelo Papa Francisco, depois de entre 18 e 23 de Fevereiro de 2018 ter orientado em Ariccia, nos arredores de Roma, o retiro de Quaresma do Papa e dos membros da Cúria Romana. Como arcebispo, foi nomeado para os cargos de Arquivista e Bibliotecário da Santa Sé, substituindo o arcebispo francês Jean-Louis Brugès. Tomará posse dos cargos na Cúria Romana a 1 de Setembro de 2018.[4]

A Ordenação Episcopal decorreu a 28 de julho de 2018, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, tendo presidido à celebração o Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, e foram concelebrantes principais o Cardeal D. António Marto, Bispo de Leiria-Fátima e D. Teodoro de Faria, Bispo Emérito do Funchal, que em 1990, tinha presidido à ordenação sacerdotal de Dom José Tolentino Mendonça.

Dom José Tolentino Mendonça, perante a imprensa em Belém, 28 de julho de 2018

Obras Seletas[editar | editar código-fonte]

Livros

  • Os Dias Contados, 1990 (poesia)
  • As estratégias do desejo: um discurso bíblico sobre a sexualidade, 1994 / 2ª edição acrescida: 2003 (ensaio)
  • Longe não sabia, 1997 (poesia)
  • A que distância deixaste o coração, 1998 (poesia)
  • Se eu quiser falar com Deus, 1996 (textos pastorais)
  • Baldios, 1999 (poesia)
  • De Igual para Igual, 2000 (poesia)
  • A construção de Jesus: uma leitura narrativa de LC 7,36-50, 2004 (ensaio)
  • A Estrada Branca, 2005 (poesia)
  • Perdoar Helena, 2005 (teatro)
  • A Noite abre os meus Olhos, 2006 (poesia reunida)
  • A leitura infinita. Bíblia e Interpretação, 2008 (ensaio)
  • O Viajante sem Sono, 2009 (poesia)
  • O tesouro escondido, 2011, 8.ª edição (Coleção Poéticas do Viver Crente - série JTM - Paulinas Editora - com edições no Brasil, Alemanha, Itália, Espanha e toda a América Latina, República Checa e países de língua inglesa. Tradução italiana de Manuele Masini, Milano, Paoline, 2011)
  • Pai-nosso que estais na terra, 2011, 9.ª edição (Coleção Poéticas do Viver Crente - série JTM - Paulinas Editora - com edições no Brasil, Alemanha, Itália, Espanha e toda a América Latina, República Checa, EUA, países de língua Francesa, Indonésia, Ingraterra, Irlanda, Austrália, Croácia. Tradução italiana de Manuele Masini, Qiqajon, Bose, 2013)
  • Nenhum caminho será longo, 2012, 7.ª edição (Coleção Poéticas do Viver Crente - série JTM - Paulinas Editora - com edições em Itália, Espanha, República Checa, Brasil e todos os países da América Latina, América do Norte. Tradução italiana de Manuele Masini, Paoline, Milano, 2013)
  • O hipopótamo de Deus, 2013, 4.ª edição (Coleção Poéticas do Viver Crente - série JTM - Paulinas Editora. Livro recomendado pelo PNL, Plano Nacional de Leitura. Com edição em Itália.)
  • A papoila e o monge, 2013 (Poesia) - Assírio & Alvim.
  • A mística do instante, 2014, 2.ª edição (Coleção Poéticas do Viver Crente - série JTM - Paulinas Editora. Com edição em Itália, França, Espanha e Brasil. A revista "Estante", publicada pela FNAC, considera "A Mística do Instante", de José Tolentino Mendonça, um dos 10 livros «imperdíveis» de 2014 na área da não ficção. Autor/livro selecionado nos exames nacionais de Português 2015. Premio Letterario Res Magnae 2015)
  • A leitura infinita, 2014, 2.ª edição (Coleção Poéticas do Viver Crente - série JTM - Paulinas Editora. Com edição no Brasil.)
  • A construção de Jesus, 2015, 2.ª edição (Coleção Poéticas do Viver Crente - série JTM - Paulinas Editora. Com edição em Itália.)

Direção e Coordenação de Coleções

  • Coleção Poéticas do Viver Crente, 2011 (Direção e Coordenação - Paulinas Editora)
  • Coleção Poéticas do Viver Crente - série Linhas de Rumo, 2012 (Direção e Coordenação - Paulinas Editora)
  • Coleção Grandes Diálogos, 2013 (Direção e Coordenação - Paulinas Editora)
  • Coleção Teologias Práticas, 2013 (Direção e Coordenação - Paulinas Editora)
  • Coleção Biblioteca Indispensável, 2014 (Direção e Coordenação - Paulinas Editora)

Artigos

  • Identidade e enigma: a interacção dos personagens na secção galilaica de Lucas, in Didaskalia 35, 1/2 (2005)
  • A função cristológica do espaço em Lc 7,36-50, in Didaskalia 33, 1/2 (2003)
  • Toda a Bíblia é Comunicação, in Bíblica - Série Cientifica, nº 2
  • O Pentecostes, in Bíblica - Série Cientifica, nº 4
  • Jesus Cristo, Palavra definitiva do Pai, in Bíblica - Série Cientifica, nº 5
  • O Espírito Santo: "Senhor que dá a Vida", in Bíblica - Série Cientifica, nº 6

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Foi laureado com o Prémio Cidade de Lisboa de Poesia (1998)
  • Comendador da Ordem do Infante D. Henrique (28 de junho de 2001)[5]
  • Prémio PEN Clube Português (2005)
  • Prémio Literário da Fundação Inês de Castro (2009)
  • Finalista do Prémio Literário Casino da Póvoa (2011)
  • Considerado um dos 100 portugueses mais influentes em 2012, pela REVISTA do Jornal Expresso (2012)
  • Finalista do Prémio Literário Casino da Póvoa (2015)
  • Prémio Literário Res Magnae (2015)
  • Comendador da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada (4 de dezembro de 2015)[5]
  • Grande Prémio APE/CM de Loulé - Crónica e Dispersos Literários (2016)[6]
  • Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes (2016)

Referências

  1. «José Tolentino Mendonça - Artigos de apoio». Infopédia. Consultado em 21 de maio de 2017. 
  2. i
  3. [1]
  4. Renascença. «Papa chama padre Tolentino Mendonça ao Vaticano e eleva-o a arcebispo - Renascença». rr.sapo.pt. Consultado em 26 de junho de 2018. 
  5. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "José Tolentino Calaça de Mendonça". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 18 de dezembro de 2015. 
  6. http://rr.sapo.pt/noticia/52790/que_coisas_sao_as_nuvens_de_tolentino_mendonca_vence_grande_premio_de_literatura_para_cronica