Arte anglo-saxónica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A arte anglo-saxônica (português brasileiro) ou arte anglo-saxónica (português europeu) compreende a produção artística dentro do período Anglo-Saxônico da história da Grã-Bretanha, particularmente da época do Rei Alfredo (871-899), quando ocorreu um revivalismo da cultura inglesa após as invasões do vikings, até o começo do século X, quando a arte românica se tornou o novo movimento. Antes desse período, ocorreu o período da Arte hiberno-saxónica.

A arte anglo-saxônica se manifesta com mais clareza através das iluminuras. Bons exemplos são o Manuscrito de St. Æthelwold, que mistura a arte hibérico-saxônica, com a arte carolíngia e a arte bizantina. Contudo, os manuscritos não são a única expressão de arte anglo-saxônica. Talvez a obra mais conhecida desse período seja a Tapeçaria de Bayeux, que, na verdade, é um bordado de lã em um suporte de pano. Outras obras foram produzidas em afresco, marfim, pedra, metal e vidro.

Ícone de esboço Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arte anglo-saxónica