Eleições estaduais no Espírito Santo em 2002

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 1998 Brasil 2006
Eleições estaduais no  Espírito Santo em 2002
6 de outubro de 2002
(Decisão em primeiro turno)
Paulo Hartung.jpg Sin foto.svg
Candidato Paulo Hartung Max Mauro
Partido PSB PTB
Natural de Guaçuí, ES Vila Velha, ES
Vice Lelo Coimbra Ademar Devens
Votos 820.949 631.326
Porcentagem 53,97% 41,50%


Brasão do Espírito Santo.svg
Governador do Espírito Santo

As eleições estaduais no Espírito Santo em 2002 aconteceram em 6 de outubro como parte das eleições gerais em 26 estados e no Distrito Federal. Foram eleitos o governador Paulo Hartung, o vice-governador Lelo Coimbra, os senadores Magno Malta e Gerson Camata, 10 deputados federais e 30 estaduais. Como o candidato mais votado obteve um total superior à metade mais um dos votos válidos o pleito foi decidido em primeiro turno e conforme a Constituição a posse do governador e de seu vice-governador se daria em 1º de janeiro de 2003 para quatro anos de mandato já sob a égide da reeleição.[1][2][3][4][nota 1]

Militante político desde os tempos em que era filiado ao proscrito PCB, Paulo Hartung nasceu em Guaçuí e foi presidente do Diretório Central dos Estudantes na Universidade Federal do Espírito Santo, onde se formou em economia.[5] Membro do Comitê Brasileiro pela Anistia, fez parte do MDB e a seguir do PMDB e nesta legenda foi eleito deputado estadual em 1982, integrou a delegação capixaba presente no Colégio Eleitoral em 1985 e votou em Tancredo Neves.[6] Reeleito em 1986, rumou para o PSDB e foi eleito deputado federal em 1990.[5] Voto favorável a abertura do processo de impeachment de Fernando Collor em 1992[7], no mesmo ano foi eleito à prefeitura de Vitória. Eleito senador em 1998, trocou de partido e entrou no PSB antes de eleger-se governador do Espírito Santo em 2002.[8]

Nascido em Vitória e formado na Universidade Federal do Espírito Santo, o médico Lelo Coimbra chegou a trabalhar na cidade paulista de Embu-Guaçu antes de voltar para o Espírito Santo, estado onde foi subsecretário de Saúde no governo Max Mauro e secretário municipal de Saúde quando Paulo Hartung era prefeito de Vitória. Eleito deputado estadual pelo PSDB em 1994, não obteve a reeleição no pleito seguinte. Nomeado para comandar a Delegacia Regional do Trabalho, migrou para o PSB e foi eleito vice-governador capixaba à chapa de Paulo Hartung em 2002.[9]

Formado em Teologia em 1981 pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil em Recife, Magno Malta é baiano de Macarani e estreou na política sob a legenda do PTB em 1992 ao eleger-se vereador em Cachoeiro de Itapemirim. Por esta legenda conquistou os mandatos de deputado estadual em 1994 e deputado federal em 1998. Após militar em outros partidos ingressou no PL sendo eleito senador em 2002.[2][10][11]

Para ocupar a outra vaga senatorial foi eleito Gerson Camata. Mesmo sendo um economista nascido em Castelo e graduado na Universidade Federal do Espírito Santo em 1969, destacou-se como jornalista e apresentador do Ronda da Cidade na Rádio Cidade de Vitória, emissora pertencente aos Diários Associados. Eleito vereador na capital capixaba via ARENA em 1966, conquistou os mandatos de deputado estadual em 1970 e deputado federal em 1974 e 1978. Filiado ao PMDB após a revogação do bipartidarismo no governo João Figueiredo,[12] elegeu-se governador do Espírito Santo em 1982 com o amparo de uma facção do PDS liderada por Elcio Alvares.[13][14][15][16] Renunciou ao Palácio Anchieta e foi eleito senador em 1986. Durante o mandato subscreveu Constituição de 1988 e votou pela condenação do presidente no julgamento do processo de impeachment de Fernando Collor em 29 de dezembro de 1992 sendo reeleito senador em 1994 e 2002.[17][18]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Conforme os arquivos da Justiça Eleitoral foram apurados 1.521.251 votos nominais.[1][2]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Paulo Hartung
PSB
Lelo Coimbra
PSB
40
Frente Competência pra Mudar
(PSB, PSD, PSC, PRONA, PTdoB, PV, PAN, PSL, PHS)
820.949
53,97%
Max Mauro
PTB
Ademar Devens
PDT
14
Frente Trabalhista - Movimento Muda Espírito Santo
(PTB, PDT, PCdoB, PL, PT, PMN, PST, PSDC, PRP)
631.326
41,50%
Haroldo Santos
PFL
Rogério Figueiredo
PFL
25
Frente Trabalhista
(PFL, PPS)
31.104
2,04%
Paulo Ruy
PSDB
Leodózio Paste
PMDB
45
Espírito Santo Forte
(PSDB, PMDB, PPB)
22.987
1,51%
Sônia Santos
PCO
Esaú Souza
PCO
29
PCO (sem coligação)
6.099
0,40%
Sílvio Felinto
PSTU
Márcia Regina
PSTU
16
PSTU (sem coligação)
5.648
0,37%
Walter Maciel
PTN
Pedro Paulo
PTN
19
PTN (sem coligação)
3.138
0,21%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Conforme os arquivos da Justiça Eleitoral foram apurados 2.945.532 votos nominais.[1][2]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Magno Malta
PL
Paulo Antenor
PL
Nilis Machado
PL
222
Frente Trabalhista - Movimento Muda Espírito Santo
(PTB, PDT, PCdoB, PL, PT, PMN)
867.434
29,45%
Gerson Camata
PMDB
Luiz Spadeto
PMDB
Elizete Fassarella
PPB
155
Grande Aliança Capixaba
(PSDB, PMDB, PPB)
811.745
27,56%
João Coser
PT
Vicente Cosme
PT
Maria Luiza Bortolini
PT
131
Frente Trabalhista - Movimento Muda Espírito Santo
(PTB, PDT, PCdoB, PL, PT, PMN)
584.666
19,85%
Ricardo Ferraço
PPS
Joaquim Beato
PPS
José Antônio Guidoni
PPS
234
Frente Trabalhista
(PFL, PPS)
582.318
19,77%
Ricardo Conde
PV
Douglas de Oliveira
PV
Cidineia Fontana
PV
433
Frente Competência pra Mudar
(PSB, PSD, PSC, PRONA, PTdoB, PV, PAN, PSL, PHS)
56.379
1,91%
Odmar Nascimento
PSB
Luiz Carlos Ciciliotti
PSB
Carlos Rafael
PSB
400
Frente Competência pra Mudar
(PSB, PSD, PRONA, PTdoB, PV, PAN, PSL, PHS)
23.191
0,79%
Elias Coelho
PCO
Térfiles Pinheiro
PCO
José Antônio Cabral
PCO
290
PCO (sem coligação)
14.590
0,49%
Luiz Carlos Rangel
PFL
Rubens Uabt
PFL
Marly Célia Andrez
PFL
255
Frente Trabalhista
(PFL, PPS)
5.209
0,18%
  Eleito(s)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[19] Ressalte-se que os votos em branco eram incluídos no cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[4]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Nilton Baiano PPB 109.900 Itabuna Bahia Bahia
Marcelino Fraga PMDB 86.094 Muqui  Espírito Santo
José Carlos Elias[nota 2] PTB 73.110 Itapemirim  Espírito Santo
Iriny Lopes PT 70.234 Lavras  Minas Gerais
Renato Casagrande PSB 69.721 Castelo  Espírito Santo
Rose de Freitas PSDB 69.272 Caratinga  Minas Gerais
Marcus Vicente PSDB 65.954 Ibiraçu  Espírito Santo
Carlos Manato PDT 56.219 Alegre  Espírito Santo
Feu Rosa PMDB 44.000 Vitória  Espírito Santo
Neucimar Fraga[nota 3] PL 39.047 Itanhém Bahia Bahia

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Estavam em jogo 30 cadeiras na Assembleia Legislativa do Espírito Santo.[1][2]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Cláudio Vereza PT 37.610 2,27% Aimorés  Minas Gerais
Sueli Vidigal PDT 36.500 2,20% Cachoeiro de Itapemirim  Espírito Santo
Marcelo Coutinho PTB 33.067 1,99% Cariacica  Espírito Santo
Tasso Andrade PTC 27.551 1,66% João Pessoa  Paraíba
Gilson Gomes PFL 25.597 1,54% Afonso Cláudio  Espírito Santo
Luiz Carlos Moreira PMDB 25.583 1,54% Baixo Guandu  Espírito Santo
José Carlos Gratz PFL 24.662 1,49% Ibiraçu  Espírito Santo
Jose Esmeraldo de Freitas PFL 24.555 1,48% Cariacica  Espírito Santo
Robson de Souza Vaillant PL 24.175 1,08% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Reginaldo de Almeida PPB 21.653 1,31% Vitória  Espírito Santo
Fátima Couzi PPB 21.468 1,30% Guaçuí  Espírito Santo
Maria José Vellozo Lucas PSDB 21.163 1,28% Vitória  Espírito Santo
José Ramos Furtado PFL 20.338 1,23% Alegre  Espírito Santo
Gilson Amaro PPB 20.273 1,22% Santa Teresa  Espírito Santo
Elson de Oliveira Batista PDT 20.093 1,21% Vitória  Espírito Santo
Geovani Silva PTB 19.572 1,18% Vitória  Espírito Santo
Heraldo Musso PPB 19.083 1,15% Aracruz  Espírito Santo
Rhudson Carlo de Souza PSDB 19.009 1,15% Itapemirim  Espírito Santo
Brice Bragato PT 18.930 1,14% Conceição do Castelo  Espírito Santo
Anselmo Tose PPS 18.232 1,10% Castelo  Espírito Santo
César Colnago PPS 18.005 1,09% Itarana  Espírito Santo
Cláudio Thiago PL 17.851 1,08% Alegre  Espírito Santo
Helder Salomão PT 16.449 0,99% Governador Lindenberg  Espírito Santo
Sérgio Borges PMDB 16.231 0,98% Vitória  Espírito Santo
Euclério Sampaio Junior PTB 15.090 0,91% Cariacica  Espírito Santo
Paulo Foletto PSB 14.493 0,87% Cariacica  Espírito Santo
Carlos Casteglione PT 14.690 0,89% Itapemirim  Espírito Santo
Janete de Sá PSB 10.934 0,66% Cariacica  Espírito Santo
Edson Vargas Barbosa PMN 10.104 0,61% Afonso Cláudio  Espírito Santo
Délio Parrini Iglesias PSC 7.358 0,44% Vila Velha  Espírito Santo

Notas

  1. A posse dos parlamentares eleitos ocorreria em 1º de fevereiro de 2003.
  2. Renunciou ao mandato em favor de Jair de Oliveira ao ser eleito prefeito de Linhares em 2004.
  3. Renunciou em 21 de agosto de 2006 para evitar a abertura de processo de cassação sendo efetivado Ricardo Santos.

Referências

  1. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 10 de setembro de 2017 
  2. a b c d e «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo». Consultado em 10 de setembro de 2017 
  3. «BRASIL. Presidência da República. Constituição de 1988». Consultado em 10 de setembro de 2017 
  4. a b «BRASIL. Presidência da República. Lei nº. 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 10 de setembro de 2017 
  5. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Paulo Hartung». Consultado em 12 de setembro de 2017 
  6. Sai de São Paulo o voto para a vitória da Aliança (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 16/01/1985. Primeiro caderno, p. 06. Página visitada em 12 de setembro de 2017.
  7. «Governistas tentaram evitar implosão (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 30/09/1992. Brasil, p. 1-8.». Consultado em 9 de setembro de 2017 
  8. «Senado Federal do Brasil: senador Paulo Hartung». Consultado em 12 de setembro de 2017 
  9. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Lelo Coimbra». Consultado em 12 de setembro de 2017 
  10. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Magno Malta». Consultado em 12 de setembro de 2017 
  11. «Senado Federal do Brasil: senador Magno Malta». Consultado em 12 de setembro de 2017 
  12. Sucessor do MDB já tem maioria no ES (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 04/02/1959. Política e Governo, p. 02. Página visitada em 12 de setembro de 2017.
  13. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Gerson Camata». Consultado em 12 de setembro de 2017 
  14. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 6.767 de 20/12/1979». Consultado em 12 de setembro de 2017 
  15. Álvares só ajudará "seus companheiros" (online). O Estado de S. Paulo, 13/06/1982. Página visitada em 12 de setembro de 2013.
  16. PDS não tem esperança de ganhar no Espírito Santo (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 07/11/1982. Primeiro caderno, p. 04. Página visitada em 12 de setembro de 2017.
  17. «Senado Federal do Brasil: senador Gerson Camata». Consultado em 12 de setembro de 2017 
  18. Apenas 8 apoiam Collor (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 30/12/1992. Renúncia, caderno especial, p. 06. Página visitada em 12 de setembro de 2017.
  19. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 10 de setembro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013