Eleições estaduais em Minas Gerais em 2002

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 1998 Brasil 2006
Eleições estaduais em  Minas Gerais em 2002
6 de outubro de 2002
(Decisão em primeiro turno)
Aécio Neves em 23 de outubro de 2014-2.jpg Nilmário Miranda.jpg
Candidato Aécio Neves Nilmário Miranda
Partido PSDB PT
Natural de Belo Horizonte, MG Teófilo Otoni, MG
Vice Clésio Andrade Danuza Bias Fortes
Votos 5.282.043 2.813.857
Porcentagem 57,68% 30,72%


Brasão de Minas Gerais.svg
Governador de Minas Gerais

As eleições estaduais em Minas Gerais aconteceram em 6 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal e em 26 estados. Foram escolhidos o governador Aécio Neves, o vice-governador Clésio Andrade, os senadores Eduardo Azeredo e Hélio Costa, 53 deputados federais e 77 estaduais.[1] Como o candidato a governador mais votado superou a metade mais um dos votos válidos, o pleito foi decidido em primeiro turno e conforme a Constituição a posse do governador e do vice-governador se daria em 1º de janeiro de 2003 para quatro anos de mandato já sob a égide da reeleição.[2][3][nota 1]

Natural de Belo Horizonte e diplomado em Economia na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais em 1984, Aécio Neves fora antes oficial de gabinete no Conselho Administrativo de Defesa Econômica durante a gestão de Armando Falcão como ministro da Justiça no Governo Ernesto Geisel.[4] Neto de Tancredo Neves, foi seu secretário particular quando o mesmo governou Minas Gerais e manteve o posto quando o avô foi eleito presidente da República em 1985. Internado na véspera da posse, Tancredo Neves faleceu em 21 de abril daquele ano e José Sarney foi efetivado como presidente. Logo depois, Aécio Neves assumiu o cargo de diretor de Loterias da Caixa Econômica Federal. Filho de Aécio Cunha, foi eleito deputado federal via PMDB em 1986 e participou da Assembleia Nacional Constituinte que elaborou a Constituição de 1988 sendo reeleito pelo PSDB em 1990. Voto favorável ao impeachment de Fernando Collor em 1992,[5] renovou o mandato parlamentar em 1994 e 1998. Eleito presidente da Câmara dos Deputados em 2001, renunciou ao mandato após sua eleição como governador de Minas Gerais em 2002, vinte anos após a vitória de seu avô para o mesmo cargo.[4]

Graduado em Administração na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, o empresário Clésio Andrade nasceu em Juatuba. Presidente do Conselho Fiscal da Cooperativa de Transportes Coletivos de Belo Horizonte entre 1977 e 1978, presidiu o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte por cinco anos a partir de 1983 e foi fundador da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos em 1987 comandando-a por seis anos. Fundador e presidente da Federação das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado de Minas Gerais, preside a Confederação Nacional do Transporte desde 1993. Filiado ao PFL, perdeu a eleição como candidato a vice-governador na chapa de Eduardo Azeredo em 1998, mas foi eleito presidente estadual do partido e elegeu-se vice-governador ao lado de Aécio Neves em 2002.[6]

Natural de Belo Horizonte e graduado em Engenharia Mecânica na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais em 1971 com extensão em Engenharia Econômica pela Fundação Dom Cabral,[7] Eduardo Azeredo cursou Análise de Sistemas na IBM Brasil.[8] Presidente da Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais nos governos Tancredo Neves e Hélio Garcia e também da Associação Brasileira de Empresas Estaduais de Processamento de Dados, assumiu a superintendência da DATAMEC em Minas Gerais. Filho de Renato Azeredo, ingressou no PSDB sendo eleito vice-prefeito da capital mineira na chapa de Pimenta da Veiga em 1988.[9] Presidente da Empresa de Processamento de Dados de Belo Horizonte, assumiu a prefeitura quando o titular renunciou para disputar o governo mineiro em 1990.[8] Eleito governador de Minas Gerais em 1994, foi derrotado por Itamar Franco ao tentar a reeleição em 1998, porém elegeu-se senador em 2002.[10]

Mineiro de Barbacena, o jornalista Hélio Costa iniciou sua carreira na atual Rádio Globo Barbacena AM e a seguir trabalhou em empresas dos Diários Associados como Diário da Tarde, Estado de Minas e TV Itacolomi além de emissoras como a Rádio Itatiaia e a Rádio Inconfidência até que, em 1967, venceu um concurso e foi trabalhar nos Estados Unidos como locutor da Voz da América.[11] Graduado em Ciência e Artes pela Universidade de Maryland com cursos de correspondente internacional e produção de TV na Universidade Católica da América em Washington, D.C.. Contratado pela Rede Globo em setembro de 1972, é lembrado por suas matérias no Fantástico e como apresentador da primeira versão do Linha Direta.[11] Eleito deputado federal pelo PMDB em 1986, assinou a Carta Magna de 1988. Apoiou Fernando Collor na eleição presidencial de 1989 e após filiar-se ao PRN perdeu a eleição para o governo mineiro em 1990 e 1994 quando pertencia ao PP. Reeleito deputado federal via PFL em 1998, voltou ao PMDB e foi eleito senador em 2002, mandato do qual se licenciou em 2005 para exercer, durante cinco anos, o cargo de ministro das Comunicações no Governo Lula.[12][13]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 9.158.182 votos nominais (87,11%), 546.052 votos em branco (5,19%) e 809.848 votos nulos (7,70%) resultando no comparecimento de 10.514.082 eleitores.[1][nota 2]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Aécio Neves
PSDB
Clésio Andrade
PFL
45
Minas Unida
(PSDB, PFL, PPB, PV, PSL, PTN, PAN, PRTB, PHS)
5.282.043
57,68%
Nilmário Miranda
PT
Danuza Bias Fortes
PL
13
Nilmário governador
(PT, PL, PCdoB, PMN, PCB)
2.813.857
30,72%
Newton Cardoso
PMDB
Maria Elvira Ferreira
PMDB
15
PMDB (sem coligação)
612.732
6,69%
Margarida Vieira
PSB
Cláudio Maciel
PSB
40
PSB (sem coligação)
418.803
4,57%
Carlos Filho
PSTU
Vanessa Portugal
PSTU
16
PSTU (sem coligação)
18.265
0,20%
Eustáquio Gomes de Faria
PCO
Gilson Ribeiro
PCO
29
PCO (sem coligação)
10.110
0,11%
Marco Aurélio Carone[nota 3]
PSDC
José Vieira Lima
PSDC
27
PSDC (sem coligação)
2.372
0,03%
Arnaldo José de Oliveira[nota 4]
PSD
Albano Felipe
PSD
41
PSD (sem coligação)
zero
zero
Danilo Simões[nota 4]
PTC
João Virgílio
PTC
36
PTC (sem coligação)
zero
zero
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral houve 5.532.216 votos nominais (52,62%), 1.846.420 votos em branco (17,56%) e 3.135.446 votos nulos (29,82%) resultando no comparecimento de 10.514.082 eleitores.[1][nota 2]

Candidatos a senador da República
Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Eduardo Azeredo
PSDB
Luiz Guaritá Neto
PSDB
Luiz Márcio Santos
PSDB
456
Minas Unida
(PSDB, PFL, PPB, PV, PSL, PTN, PAN, PRTB, PHS)
4.157.721
25,89%
Hélio Costa
PMDB
Wellington Salgado
PMDB
Carlos Fioravanti
PMDB
150
PMDB (sem coligação)
3.569.376
22,23%
Tilden Santiago
PT
Josemar da Silva
PMN
Edson Melgaço
PL
131
Nilmário governador
(PT, PL, PCdoB, PMN, PCB)
3.301.171
20,56%
Zezé Perrella
PFL
Virgílio Galassi
PFL
José Bonifácio Filho
PFL
256
Minas Unida
(PSDB, PFL, PPB, PV, PSL, PTN, PAN, PRTB, PHS)
2.945.103
18,34%
Mário de Oliveira
PST
Antônio Faria de Alcântara
PST
Antônio Augusto de Faria
PST
181
PST (sem coligação)
705.777
4,40%
Sebastião Quintão
PSB
Maria das Dores Manoel
PSB
Antônio Couto de Andrade
PSB
401
PSB (sem coligação)
622.822
3,88%
Israel Pinheiro Filho
PDT
José Barreto Miranda
PTB
Sérgio Ferreira de Castro
PTB
123
Frente Trabalhista
(PPS, PDT, PTB)
287.923
1,79%
Soraya Menezes
PSTU
Joana d’Arc Gomes
PSTU
Mário Lúcio Alves
PSTU
161
PSTU (sem coligação)
157.770
0,98%
Negra Ângela Peres
PCO
Terezinha Alves de Oliveira
PCO
Raimunda Cordeiro
PCO
299
PCO (sem coligação)
154.259
0,96%
Marcos Sant'Anna
PPS
Paulo Heslander
PPS
Mozart Máximo Filho
PPS
233
Frente Trabalhista
(PPS, PDT, PTB)
95.509
0,60%
Amós Lopes
PSTU
José João Silva
PSTU
Horoni Martins Rosa
PSTU
162
PSTU (sem coligação)
35.305
0,22%
Cassiano Ricardo
PTC
Natanael Costa
PTC
Adilson da Silva
PTC
362
PTC (sem coligação)
11.543
0,07%
Tibé Resende
PRP
Ana Maria Coutinho Gomes
PRP
Leonídio Manoel Filho
PRP
441
PRP (sem coligação)
7.234
0,05%
Camilo dos Santos
PSD
Toninho dos Santos
PSD
Basílio Amorim
PSD
413
PSD (sem coligação)
3.920
0,02%
Ângelo Elmo de Melo
PTC
Cecília Regina Bruno Costa
PTC
Maria Heloísa Bruno Costa
PTC
361
PTC (sem coligação)
2.408
0,01%
Rodrigo Paiva[nota 3]
PL
Weder Reis Braz
PL
Leandro Paiva
PL
221
Nilmário governador
(PT, PL, PCdoB, PMN, PCB)
zero
zero
  Eleito(a)

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[14] Ressalte-se que os votos em branco eram considerados válidos para fins de cálculo do quociente eleitoral nas disputas proporcionais até 1997, quando essa anomalia foi banida de nossa legislação.[3]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Patrus Ananias PT 520.046 5,41% Bocaiuva  Minas Gerais
Virgílio Guimarães PT 217.092 2,26% Belo Horizonte  Minas Gerais
Eliseu Resende PFL 212.908 2,22% Oliveira  Minas Gerais
Vittorio Medioli PSDB 197.586 2,06% Parma  Itália
Maria do Carmo Lara PT 167.526 1,74% Esmeraldas  Minas Gerais
Danilo de Castro PSDB 156.840 1,63% Viçosa  Minas Gerais
Carlos Melles PFL 152.106 1,58% São Sebastião do Paraíso  Minas Gerais
Marcio Reinaldo Moreira PPB 147.192 1,53% Sete Lagoas  Minas Gerais
Narcio Rodrigues PSDB 141.469 1,47% Frutal  Minas Gerais
Paulo Delgado PT 132.137 1,38% Lima Duarte  Minas Gerais
Bonifácio de Andrada PSDB 129.811 1,35% Barbacena  Minas Gerais
Eduardo Barbosa PSDB 126.285 1,31% Pará de Minas  Minas Gerais
Lincoln Portela PSL 124.841 1,30% Belo Horizonte  Minas Gerais
Odelmo Leão[nota 5] PPB 123.026 1,28% Uberaba  Minas Gerais
Cabo Júlio PST 116.506 1,21% Belo Horizonte  Minas Gerais
Fernando Diniz PMDB 115.480 1,20% Belo Horizonte  Minas Gerais
Carlos William PST 111.572 1,16% Belo Horizonte  Minas Gerais
Gilmar Machado PT 109.722 1,14% Cascalho Rico  Minas Gerais
Mauro Lopes PMDB 108.193 1,13% Entre Folhas  Minas Gerais
Marcelo Siqueira PMDB 103.354 1,08% Juiz de Fora  Minas Gerais
Anderson Adauto[nota 5] PL 100.838 1,05% Sacramento  Minas Gerais
Rafael Guerra PSDB 100.594 1,05% Belo Horizonte  Minas Gerais
Osmânio Pereira PSDB 100.252 1,04% Pedra Azul  Minas Gerais
João Magno PT 99.976 1,04% São Geraldo da Piedade  Minas Gerais
Jaime Martins Filho PFL 99.685 1,04% Nova Serrana  Minas Gerais
Custódio Mattos PSDB 98.901 1,03% Bicas  Minas Gerais
Roberto Brant PFL 96.769 1,01% Belo Horizonte  Minas Gerais
Ivo José PT 92.673 0,96% Açucena  Minas Gerais
Silas Brasileiro PMDB 89.882 0,94% Patrocínio  Minas Gerais
Lael Varela PFL 87.328 0,91% Muriaé  Minas Gerais
João Magalhães PMDB 84.454 0,88% Matipó  Minas Gerais
Saraiva Felipe PMDB 82.070 0,85% Belo Horizonte  Minas Gerais
Herculano Anghinetti PPB 79.515 0,83% Belo Horizonte  Minas Gerais
José Santana de Vasconcelos PFL 78.588 0,82% Alvinópolis  Minas Gerais
Sérgio Miranda PCdoB 78.287 0,81% Belém Pará Pará
Romeu Queiroz PTB 76.867 0,80% Patrocínio  Minas Gerais
Edmar Moreira PPB 76.092 0,79% São João Nepomuceno  Minas Gerais
Aracely de Paula PFL 74.921 0,78% Ibiá  Minas Gerais
Ronaldo Vasconcelos[nota 5] PL 72.255 0,75% Ponte Nova  Minas Gerais
Mário Assad Júnior PL 72.075 0,75% Manhuaçu  Minas Gerais
João Paulo Gomes da Silva PL 71.197 0,74% Raposos  Minas Gerais
Mário Heringer PDT 68.134 0,71% Manhumirim  Minas Gerais
Isaías Silvestre PSB 68.058 0,71% Belo Horizonte  Minas Gerais
Júlio Delgado PPS 67.681 0,70% Juiz de Fora  Minas Gerais
Reginaldo Lopes PT 64.204 0,67% Bom Sucesso  Minas Gerais
Geraldo Tadeu PPS 61.277 0,64% Jacuí  Minas Gerais
José Militão PTB 58.954 0,61% Ibiraci  Minas Gerais
Francisco Gonçalves PDT 49.652 0,52% Pedro Leopoldo  Minas Gerais
Athos Avelino[nota 5] PPS 44.369 0,46% Montes Claros  Minas Gerais
Odair Cunha PT 34.846 0,36% Piedade  São Paulo
Leonardo Monteiro PT 30.646 0,32% Governador Valadares  Minas Gerais
César Medeiros PT 29.459 0,31% Ressaquinha  Minas Gerais
Leonardo Matos PV 26.173 0,27% Belo Horizonte  Minas Gerais

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Foram escolhidos 77 deputados estaduais para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais.[1][3]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
João Leite PSB 132.954 1,39% Belo Horizonte  Minas Gerais
Durval Andrade PT 89.326 0,93% Baixo Guandu  Espírito Santo
Dimas Fabiano PPB 79.407 0,83% Macaé  Rio de Janeiro
Sargento Rodrigues PDT 78.783 0,82% Medeiros Neto Bahia Bahia
Toninho Andrada PSDB 75.947 0,79% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Roberto Carvalho PT 75.868 0,79% Ubá  Minas Gerais
Rogério Correia PT 75.655 0,79% Belo Horizonte  Minas Gerais
Gil Pereira PPB 74.502 0,78% Montes Claros  Minas Gerais
Ana Maria PSDB 73.431 0,77% Belo Horizonte  Minas Gerais
Djalma Diniz PSDB 72.831 0,76% Linhares  Espírito Santo
Antônio Genaro PSD 71.319 0,75% Guaimbê  São Paulo
José Henrique PMDB 71.032 0,74% Abre Campo  Minas Gerais
Alberto Bejani PFL 69.310 0,72% São Gonçalo  Rio de Janeiro
Weliton Prado PT 69.252 0,72% Uberlândia  Minas Gerais
Pinduca Ferreira PMDB 68.954 0,72% Araçuaí  Minas Gerais
Gilberto Abramo PMDB 68.723 0,72% Porto Ferreira  São Paulo
Arlen Santiago PTB 67.470 0,71% Montes Claros  Minas Gerais
Dinis Pinheiro PL 67.136 0,70% Ibirité  Minas Gerais
Luiz Fernando Faria PPB 65.451 0,68% Santos Dumont  Minas Gerais
Vanessa Lucas PSDB 64.601 0,68%
George Hilton PL 64.512 0,67% Alagoinhas Bahia Bahia
José Bonifácio Mourão PMDB 62.778 0,66% Sabinópolis  Minas Gerais
Olavo Bilac Pinto Neto PFL 61.560 0,64% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Antônio Andrade PMDB 61.546 0,64% Patos de Minas  Minas Gerais
Leonardo Quintão PSB 60.528 0,63% Taguatinga  Distrito Federal
Luiz Humberto Carneiro PSDB 60.019 0,63% Uberlândia  Minas Gerais
Alberto Pinto Coelho PPB 58.333 0,61% Rio Verde  Goiás
Jô Moraes PCdoB 58.153 0,61% Cabedelo  Paraíba
Dalmo Ribeiro Silva PPB 57.739 0,60% Ouro Fino  Minas Gerais
Maria Olívia PSDB 57.042 0,60% Lagoa da Prata  Minas Gerais
André Quintão PT 54.972 0,57% Belo Horizonte  Minas Gerais
Lúcia Pacífico PTB 54.673 0,57% São Gotardo  Minas Gerais
Elbe Brandão PSDB 54.347 0,57% Montes Claros  Minas Gerais
João Bittar[nota 6] PTB 54.229 0,57% Ituiutaba  Minas Gerais
Ermano Batista PSDB 54.090 0,57% Aimorés  Minas Gerais
Agostinho Patrus PTB 52.822 0,55% Belo Horizonte  Minas Gerais
Paulo Piau PFL 52.786 0,55% Patos de Minas  Minas Gerais
Fahim Miguel Sawan PSDB 52.364 0,55% Miguelópolis  São Paulo
Cecília Ferramenta PT 51.715 0,54% Bom Despacho  Minas Gerais
Roberto Ramos PST 51.358 0,54% José Raydan  Minas Gerais
Adelmo Carneiro Leão PT 50.695 0,53% Itapagipe  Minas Gerais
Chico Rafael PSB 50.237 0,53%
Rêmolo Aloise PFL 50.074 0,52% São Sebastião do Paraíso  Minas Gerais
Navarro Vieira Filho PFL 50.073 0,52% Botelhos  Minas Gerais
Sebastião Helvécio PDT 50.008 0,52% Juiz de Fora  Minas Gerais
Mauri Torres PSDB 49.987 0,52% Guararema  São Paulo
João Carlos Siqueira PT 47.243 0,49% Urucânia  Minas Gerais
Carlos Pimenta PDT 46.227 0,48% Belo Horizonte  Minas Gerais
Domingos Sávio PSDB 46.056 0,48% São Tiago  Minas Gerais
Adalclever Lopes PSDB 45.726 0,48% Belo Horizonte  Minas Gerais
Marília Campos PT 45.625 0,48%
Antônio Júlio PMDB 45.152 0,47% Pará de Minas  Minas Gerais
Marcelo Gonçalves PDT 45.022 0,47%
Ivair Nogueira PMDB 44.381 0,46% Betim  Minas Gerais
José Alves Viana PMDB 44.296 0,46% Água Branca  Alagoas
Maria José Haueisen PT 44.093 0,46% Teófilo Otoni  Minas Gerais
Leonardo Moreira PL 42.726 0,45% Juiz de Fora  Minas Gerais
Márcio Passos[nota 7] PDT 42.509 0,44%
José Milton PL 42.337 0,44%
Gabriel dos Santos Rocha PT 42.204 0,44%
Dilzon Melo PTB 41.127 0,43% Capitólio  Minas Gerais
Fábio Avelar PSDB 40.429 0,42% Lagoa Santa  Minas Gerais
Laudelino Azevedo PT 40.429 0,42% Caxambu  Minas Gerais
Jayro Lessa PL 38.313 0,40% Governador Valadares  Minas Gerais
Ricardo Duarte PT 37.957 0,40%
Célio Moreira PL 37.055 0,39% Belo Horizonte  Minas Gerais
Chico Simões PT 36.554 0,38% Dom Joaquim  Minas Gerais
Miguel Martini PSB 36.453 0,38% Colatina  Espírito Santo
Maria Tereza Lara PT 35.647 0,37% Esmeraldas  Minas Gerais
Sidney Antônio de Sousa PL 34.962 0,37%
Gustavo Valadares PRTB 34.186 0,36% Belo Horizonte  Minas Gerais
Leonídio Bouças PST 33.997 0,36% Pompéu  Minas Gerais
Wanderley Ávila PPS 31.988 0,33% Joaquim Felício  Minas Gerais
Neider Moreira PPS 29.705 0,31% Itaúna  Minas Gerais
Irani Barbosa PSD 26.760 0,28% Belo Horizonte  Minas Gerais
Paulo César de Freitas PRTB 26.279 0,27% Nova Serrana  Minas Gerais
Ronaldo João da Silva PV 21.350 0,22% Sete Lagoas  Minas Gerais

Pesquisas[editar | editar código-fonte]

Governador[editar | editar código-fonte]

Data Instituto Aécio Neves
(PSDB)
Nilmário Miranda
(PT)
Newton Cardoso
(PMDB)
Margarida Vieira
(PSB)
Carlos Filho
(PSTU)
Eustáquio Faria
(PCO)
Marco Aurélio Carone
(PSDC)
Arnaldo Oliveira
(PSD)
Danilo Simões
(PTC)
Brancos e Nulos Indecisos
16/08/2002 [a] Datafolha 38% 4% 20% 3% 1% 1% 2% 1% 1% 10% 19%
26/08/2002 [b] Ibope 42% 4% 16% 1% 0% 0% 1% 1% 0% 7% 28%
01/09/2002 [c] Sensus 48,4% 8,1% 16,6% 1,7% 0,6% 0,6% 0,9% 0,8% 0,7% 21,6% -
09/09/2002 [d] Datafolha 50% 10% 15% 3% 0% 0% 1% 1% 1% 6% 13%
15/09/2002 [e] Sensus 53,8% 12,1% 12,9% 1,3% 0,7% 0,5% 0,5% 0,5% 0,5% 17,4% -
22/09/2002 [e] Sensus 54,9% 11,9% 14% 0,2% 0,3% 1,2% 0,4% 0,4% 0,2% 15,9% -
27/09/2002 [f] Datafolha 55% 12% 13% 2% 0% 0% 1% 0% 0% 6% 11%
02/10/2002 [g] Datafolha 55% 15% 11% 3% 1% 1% 1% 0% 1% 4% 9%
05/10/2002 [h] Datafolha 53% 17% 12% 3% 0% 0% 1% 0% 0% 6% 8%
05/10/2002 [i] Datafolha – Votos Válidos 61% 20% 14% 4% 0% 0% 1% 0% 0% - -

Senador[editar | editar código-fonte]

Data Instituto Eduardo Azeredo
(PSDB)
Hélio Costa
(PMDB)
Zezé Perrella
(PFL)
Tilden Santiago
(PT)
Mário de Oliveira
(PST)
Sebastião Quintão
(PSB)
Israel Pinheiro Filho
(PDT)
Brancos e Nulos Indecisos
09/09/2002 [a] Datafolha 39% 40% 14% 4% 4% 3% 4% 5% 18%
15/09/2002 [b] Sensus 44,3% 37,7% 24,7% 15,5% 3,1% 2,5% 4,1% 5% 18%
27/09/2002 [c] Datafolha 39% 40% 28% 17% 4% 3% 3% 14% 30%
02/10/2002 [d] Datafolha 40% 37% 29% 20% 5% 4% 3% 14% 30%
05/10/2002 [e] Datafolha 39% 36% 29% 22% 6% 4% 2% - -

a – Amós Lopes (PSTU), Camilo dos Santos (PSD), Cassiano Ricardo (PTC) e Edwaldo Sérgio (PSDC) pontuaram apenas 1%. Angelo Elmo de Melo (PTC), Negra Ângela (PCO), Rodrigo Paiva (PL), Soraya Menezes (PSTU) e Tibé Resende (PRP) não pontuaram.

b – Rodrigo Paiva (PL) alcançou 2,3%. Edwaldo Sérgio (PSDC) e Negra Ângela (PCO) pontuaram 1,3%. Soraya Menezes (PSTU) pontuou 1%. Amós Lopes (PSTU), Angelo Elmo de Melo (PTC), Camilo dos Santos (PSD), Cassiano Ricardo (PTC) e Tibé Resende (PRP) pontuaram menos de 1%.

c - Negra Ângela (PCO) pontuou 2%. Camilo dos Santos (PSD), Cassiano Ricardo (PTC), Edwaldo Sérgio (PSDC) e Rodrigo Paiva (PL) pontuaram apenas 1%. Amós Lopes (PSTU), Angelo Elmo de Melo (PTC), Soraya Menezes (PSTU) e Tibé Resende (PRP) não pontuaram.

d - Negra Ângela (PCO) pontuou 2%. Camilo dos Santos (PSD), Edwaldo Sérgio (PSDC), Rodrigo Paiva (PL) e Soraya Menezes (PSTU) pontuaram apenas 1%. Amós Lopes (PSTU), Angelo Elmo de Melo (PTC), Cassiano Ricardo (PTC) e Tibé Resende (PRP) não pontuaram.

e - Camilo dos Santos (PSD), Negra Ângela (PCO), Rodrigo Paiva (PL) e Soraya Menezes (PSTU) pontuaram apenas 1%. Amós Lopes (PSTU), Angelo Elmo de Melo (PTC), Cassiano Ricardo (PTC), Edwaldo Sérgio (PSDC) e Tibé Resende (PRP) não pontuaram.

Notas

  1. A posse dos parlamentares eleitos ocorreria em 1º de fevereiro de 2003.
  2. a b Além do comparecimento de 10.514.082 eleitores (82,91%), houve uma abstenção de 2.166.502 eleitores (17,09%) somando 12.680.584 inscritos aptos a votar.
  3. a b Teve sua candidatura impugnada pelo Ministério Público Eleitoral e ao final do processo teve o registro indeferido.
  4. a b O candidato em questão renunciou à sua condição de postulante ao governo estadual ou a uma cadeira de senador.
  5. a b c d Em 2004 Odelmo Leão, Anderson Adauto e Athos Avelino foram eleitos prefeitos em Uberlândia, Uberaba e Montes Claros, respectivamente, enquanto Ronaldo Vasconcelos foi eleito vice-prefeito de Belo Horizonte. A seguir Romel Anízio, Carlos Mota, Ademir Camilo e Vadinho Baião ocuparam as cadeiras parlamentares em aberto.
  6. Homônimo do fotógrafo brasileiro João Bittar.
  7. Homônimo do futebolista brasileiro Márcio Passos.

Referências

  1. a b c d «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 11 de dezembro de 2017 
  2. «BRASIL. Presidência da República. Constituição de 1988». Consultado em 11 de dezembro de 2017 
  3. a b c «BRASIL. Presidência da República. Lei nº. 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 11 de dezembro de 2017 
  4. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Aécio Neves». Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  5. «Governistas tentaram evitar implosão (online). Folha de S. Paulo, São Paulo (SP), 30/09/1992. Brasil, p. 1-8.». Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  6. Vice de Aécio não quer Serra (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 10/10/2002. Política, p. A-5. Página visitada em 12 de dezembro de 2017.
  7. «Biografia de Eduardo Azeredo na página oficial do governo mineiro». Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  8. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Eduardo Azeredo». Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  9. Pimenta afirma que derrotará Newton no voto (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 06/08/1988. Brasil, p. 4. Página visitada em 12 de dezembro de 2017.
  10. «Senado Federal do Brasil: senador Eduardo Azeredo». Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  11. a b «Biografia de Hélio Costa no Memória Globo». Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  12. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Hélio Costa». Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  13. «Senado Federal do Brasil: senador Hélio Costa». Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  14. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 11 de dezembro de 2017