Diferenças entre edições de "Gilmar Mendes"

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1 653 bytes adicionados ,  23h49min de 31 de maio de 2012
sem resumo de edição
Foi [[Advocacia-Geral da União|Advogado-Geral da União]] no [[Governo Fernando Henrique Cardoso]] (FHC), sendo empossado [[ministro]] do [[Supremo Tribunal Federal]] (STF) em [[20 de junho]] de [[2002]], por indicação de [[FHC]], então [[Presidente da República]] do Brasil. Foi [[presidente]] do STF de [[2008]] a [[2010]].<ref>[http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u381200.shtml Folha - 12/03-2008 (acessado em 23/04/2009)]</ref><ref>[http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL347959-5601,00.html G1 (acessado em 23/04/2009]</ref><ref>{{Citar web|url=http://oglobo.globo.com/pais/mat/2010/04/23/ao-tomar-posse-peluso-defende-que-stf-tome-decisoes-tecnicas-916420702.asp|título=Ao tomar posse, Peluso defende que STF tome decisões técnicas|autor=O Globo Online|coautores=Carolina Brígido, Catarina Alencastro, Demétrio Weber e Isabel Braga|data=23 de abril de 2010|língua2=pt|acessodata=23 de abril de 2010}}</ref> Foi considerado pela ''[[Revista Época]]'' um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009.<ref>{{citar web |url=http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/1,,EMI108920-17445,00.html |titulo=Época - NOTÍCIAS - Os 100 brasileiros mais influentes de 2009 |publicado=revistaepoca.globo.com |acessodata=[[20 de Dezembro]] de [[2009]] }}</ref>
 
Em 2012, o ministro acusou o ex-presidente [[Lula]] de ter tentado chantageá-lo para que adiasse o julgamento do [[mensalão]] e ter relatado como já teria abordado outros ministros pelo mesmo motivo em um encontro no escritório do ex-ministro [[Nelson Jobim]]. A acusação foi negada pelo ex-ministro através de algumas versões contraditórias entre si.<ref>{{Citar web |url=http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=447791&ch=n |título= As muitas versões de Nelson Jobim |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Lula limitou-se a emitir nota através de seu instituto que dizia que esse comportamento não era condizente com sua postura ao longo dos anos, mas não chegou a desmentir nada.<ref>{{Citar web |url=http://www.institutolula.org/2012/05/nota-oficial-sobre-reportagem-da-revista-veja/ |título= Nota oficial sobre reportagem da revista Veja |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> A acusação foi divulgada um mês após a reunião pela [[Revista Veja]]. Além disso, foi comunicada ao presidente do STF, [[Ayres Britto]], ao [[procurador-geral da República]], [[Roberto Gurgel]], e ao [[Advogado-Geral da União]], [[Luís Inácio Adams]]. Mendes admitiu ter voado em jatinhos providenciados pelo senador Demóstenes Torres, desfiliado do DEM para evitar expulsão,<ref>{{Citar web |url=http://oglobo.globo.com/pais/demostenes-torres-se-desfilia-do-dem-para-evitar-expulsao-4481898 |título= Demóstenes Torres se desfilia do DEM para evitar expulsão |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> acompanhando dos ministros [[José Antonio Dias Toffoli]] e [[Nancy Andrighi]] e o próprio ex-ministro [[Nelson Jobim]].
Mendes tornou-se foco de interesse público após ter, por duas vezes, libertado o banqueiro [[Daniel Dantas]] em 2008, envolvendo-se em conflitos com a Polícia e a Justiça Federais.<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc2911200802.htm |título=PF pede a prisão de Dantas à Justiça pela terceira vez |língua= |autor= |obra= |data= 25 de março de 2009 |acessodata=}}</ref> Em 2010, Mendes foi acusado de compactuar com [[José Serra]] durante as eleições presidenciais visando adiar um julgamento de interesse do [[PT]].<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/corrida/cr0310201001.htm |título=O que eles disseram |língua= |autor= |obra= |data= 3 de outubro de 2010 |acessodata=}}</ref> Em 2012, o ministro acusou o ex-presidente [[Lula]] de ter pedido a prorrogação da investigação do [[mensalão]] em um encontro na casa de [[Nelson Jobim]], acusação que foi negada por Lula e pelo ex-ministro.<ref>{{Citar web |url=http://www.cartacapital.com.br/politica/lula-nao-ficou-sozinho-com-gilmar-mendes-diz-jobim/ |título= Lula não ficou sozinho com Gilmar Mendes, diz Jobim|língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> A acusação foi realizada um mês após a suposta reunião e não foi encaminhada à [[Procuradoria]], tendo sido divulgada pela [[Revista Veja]]. Dias depois, o ministro do STF Marco Aurélio Mello afirmou que não haveria nenhuma contravenção legal caso as denúncias de Mendes se provassem verdadeiras.<ref>{{Citar web |url=http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/cpi-cachoeira/noticias/0,,OI5805401-EI20308,00-Lula+opinar+sobre+julgamento+e+legitimo+diz+ministro+do+STF.html |título= Lula opinar sobre julgamento é legítimo, diz ministro do STF |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Ainda esse ano, a [[Polícia Federal]] liberou gravações que indicariam ligações entre Mendes e o contraventor [[Carlinhos Cachoeira]]. Mendes admitiu ter voado em jatinhos do senador Demóstenes Torres, ex-líder do DEM hoje no centro da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga os atos da quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira.<ref>{{Citar web |url=http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,gilmar-mendes-admite-dois-voos-em-avioes-cedidos-por-demostenes,879568,0.htm |título=Gilmar Mendes admite dois voos em aviões cedidos por Demóstenes |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> No dia 31 de maio, o [[PSOL]] protocolou uma representação na Procuradoria Geral da República contra o ministro Gilmar Mendes questionando a conduta do magistrado em relação às denúncias de que teria sofrido pressão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para adiar o julgamento do mensalão.<ref>{{Citar web |url=http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/cpi-cachoeira/noticias/0,,OI5804275-EI20308,00-Psol+protocola+representacao+contra+ministro+Gilmar+Mendes.html |título= Psol protocola representação na PGR contra Gilmar Mendes |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> O ministro também foi acusado de ser "líder da oposição", de estar destruindo o judiciário e de servir a interesses de grandes proprietários.<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc2503200907.htm |título= Presidente do STF diz que não é "o líder da oposição" |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref>
 
== Biografia ==
Gilmar Mendes foi nomeado para o Supremo Tribunal Federal pelo presidente [[Fernando Henrique Cardoso]].
 
Em artigo publicado na [[Folha de S. Paulo]], o [[petista]] e professor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (Largo São Francisco) e ligado ao [[PT]] [[Dalmo Dallari|Dalmo de Abreu Dallari]], declarou:
 
{{quote|''Se essa indicação'' (de Gilmar Mendes) ''vier a ser aprovada pelo Senado, não há exagero em afirmar que estarão correndo sério risco a proteção dos direitos no Brasil, o combate à corrupção e a própria normalidade constitucional. (…) o nome indicado está longe de preencher os requisitos necessários para que alguém seja membro da mais alta corte do país.''<ref name=DEGRADAÇÃO>[http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0805200209.htm '' ''SUBSTITUIÇÃO NO STF: Degradação do Judiciário.'' Opinião, Tendências e Debates, Folha de S. Paulo, 8 de maio de 2002]Só para assinantes [http://www.rubenspoeta.com/visualizar.php?idt=1082717 Alternativo].</ref>|DALLARI, Dalmo de Abreu}}
 
Gilmar Mendes tentou processar criminalmente o jurista ligado ao [[PT]] [[Dalmo Dallari|Dallari]] por esse artigo, mas a Justiça recusou a instauração da [[ação penal]] que o já ministro Mendes pretendia mover contra o advogado Dalmo Dallari: ''"A crítica, como expressão de opinião, é a servidão que há de suportar (…) quem se encontrar catalogado no rol das figuras importantes"'', escreveu o juiz do caso Silvio Rocha, citando uma sentença publicada na Espanha.<ref name=RECUSOU>[http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2210200209.htm BERGAMO, Mônica. ''Importantes.'' ILustrada, Folha de S. Paulo, 22 de outubro de 2002].</ref> Irmão de Dalmo, [[Adilson de Abreu Dallari]], professor titular de Direito Administrativo da PUC/SP, discorda. Ele considera que Gilmar Mendes ''"tem tido uma excelente atuação, com independência e imparcialidade, decidindo de maneira totalmente coerente com seus escritos doutrinários, sem surpresa alguma"''.<ref name= AOMEIO>BERGAMO, Mônica. [http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq0508200807.htm ''Coluna da Mônica Bergamo — Ao Meio'']. Folha de S. Paulo, 05 de Agosto de 2008.</ref>
 
A indicação teve 15 votos contrários à sua efetivação, o triplo do segundo candidato ao posto com maior rejeição, o ministro [[Eros Grau]].<ref name=MOBIL1>[http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u424459.shtml CEOLIN, Adriano. ''Gilmar Mendes precisou de mobilização tucana para ter nome aprovado.''] Brasília: Folha de S. Paulo, 21/07/2008 — 10h22.</ref>
 
Da mesma forma, a Associação de Delegados da Polícia Federal (ADPF) divulgou uma nota à imprensa criticando a decisão do presidente do STF, ministro Mendes, de suspender a [[prisão preventiva]] do banqueiro [[Daniel Dantas (banqueiro)|Daniel Dantas]], como sendo em desacordo com a jurisprudência dominante.<ref name=ADPF1>[http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u421679.shtml ''Delegados da PF protestam contra decisão de soltar Daniel Dantas.''] Folha online, 11 de julho de 2008 — 22h15.</ref> A [[Associação dos Magistrados Brasileiros]] (AMB) juntou-se às demais em apoio ao juiz [[Fausto Martin de Sanctis]].<ref name= AMB>[http://ultimainstancia.uol.com.br/noticia/53356.shtml ''AMB considera inaceitável qualquer tipo de intimidação contra magistrado.''] Última Instância.</ref><ref>{{Citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u421626.shtml|titulo= Mais de cem juízes protestam contra Gilmar Mendes|autor=Folha Online|coautores=Mônica Bergamo|data=11 de julho de 2008 |acessodata=11 de julho de 2008}}</ref><ref>{{Citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u421679.shtml|titulo=Delegados da PF protestam contra decisão de soltar Daniel Dantas|autor=Folha Online|data=11 de julho de 2008|língua2=pt|acessodata=11 de julho de 2008}}</ref>
 
Segundo declarou [[Wálter Fanganiello Maierovitch]], [[desembargador]] aposentado do [[Tribunal de Justiça de São Paulo]], em entrevista concedida à [[Rádio CBN]] no dia 10 de julho, houve flagrante precipitação de Gilmar Mendes na concessão desse [[habeas corpus]], declarando ainda que o ministro Gilmar Mendes, nesse caso, teria "rasgado a jurisprudência do Supremo" — o único precedente seria a soltura de outro banqueiro, [[Salvatore Cacciola]], que fugiu — e que ''"o Supremo é um órgão colegiado e que somente em casos excepcionalíssimos pode um único ministro antecipar a decisão dos dez outros."''<ref name=ALGEMAS>[http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/wma/player_gradio.asp?audio=2008%2Fnoticias%2Fwalter_080710.wma&OAS_sitepage=sgr%2Fsgr%2Fradioclick%2Fradiosam%2Fcbn%2Fhome Wálter Fanganiello Maierovitch ''Entrevista à Rádio CBN'']. 10 de julho de 2008.</ref><ref name=BANQUEIROS>[http://ibgf.org.br/index.php?data[id_secao&#93;=2&data[id_materia&#93;=1695 MAIEROVITCH, Wálter Fanganiello. ''Banqueiros famosos: de Deus, da Máfia e do Opportunity''], Instituto Brasileiro Giovanni Falcone, 9 de julho de 2008.</ref> Em entrevista concedida para o Portal do Terra ao jornalista Diego Salmen, Maierovitch disse que já era hora de pensar num [[impeachment]] do presidente do [[STF|Supremo]]. Para Maierovitch, o novo [[habeas corpus]] concedido pelo presidente do [[Supremo Tribunal Federal]], Gilmar Mendes, ao banqueiro [[Daniel Dantas (banqueiro)|Daniel Dantas]] mostrou que o presidente do STF estaria "extrapolando suas funções".
 
A revista Isto É, na edição de 20 de julho de 2010, sob o título: “Campeões de Audiência”, de autoria dos jornalistas Mino Pedrosa e Luíza Villame<ref>[http://www.istoe.com.br/reportagens/11250_CAMPEOES+DE+AUDIENCIA Campeões de Audiência - ISTOÉ BRASIL - Edição: 2020]</ref>:
 
Na sessão de 6 de novembro de 2008, o Supremo Tribunal Federal, por 9 votos a 1 confirmou as decisões tomadas por Gilmar Mendes e, nos termos do voto do Relator, Ministro Eros Grau, concedeu definitivamente a ordem de habeas corpus para assegurar acesso aos autos de inquérito, tornar sem efeito a ordem de prisão temporária e a ordem da prisão preventiva<ref>[http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI3312367-EI6578,00.html STF mantém habeas corpus para Daniel Dantas]</ref>.
 
A celeuma foi noticiada pela [[BBC|BBC News]], que qualificou alguns episódios de "bizarros".<ref name=BBC>[http://news.bbc.co.uk/2/hi/americas/7503600.stm DUFFY, Gary. ''Brazil's judges in corruption row'']: A major row has broken out among Brazil's judiciary over a corruption probe that has seen a businessman arrested and freed twice in two days.. 12 de julho de 2008.</ref>
 
=== Pedidos de impeachment ===
{{quote| Não tem nenhum cabimento (o ''impeachment''). Eu compreendo que os procuradores fiquem contrariados com a eventual frustração de algum resultado de seu trabalho. Mas isso não justifica nenhuma outra medida. Eu não tenho nenhum medo desse tipo de ameaça e retaliação.|Ministro Gilmar Mendes<ref name= IMPEACHMENT>[PREITE SOBRINHO, Wanderley. ''Gilmar Mendes critica Tarso e diz que não tem medo de impeachment.''] Folha Online, 14 de julho de 2008 — 16h44.</ref>}}
 
O presidente do Senado,senador [[GaribaldiDemóstenes AlvesTorres]] (PMDBDEM-RNGO) acreditouclassificou queesse erammovimento mínimasdos asProcuradores chancesRegionais da República de "ridículo" e disse que o pedidoMinistério Público estava "extrapolando".<ref name="Ridiculo" /> Para o senador de Goiás, a chance de um processo como esse prosperar na Casa "é zero".<ref name=REICHRidiculo>CHAGAS, MARCOS. [http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/07/14/materia.2008-07-14.26707310308068999852/view ''GaribaldiLíderes tambémdizem achaque difícilpossível aberturaimpeachment de processoGilmar deMendes impeachmentnão detem Gilmarchance Mendesno Senado'']. Agência Brasil, 14 de Julho de 2008 — 18h2618h00.</ref>
 
O presidente do Senado, [[Garibaldi Alves]] (PMDB-RN) acreditou que eram mínimas as chances de o pedido prosperar.
A [[Central Única dos Trabalhadores]] (CUT/DF), braço sindical do [[PT]], do Distrito Federal protocolou, dia 18 de julho de 2008, na Secretaria-Geral do Senado, o pedido de [[impeachment]] do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes. O pedido alega que o ministro tomou decisões ''"de modo incompatível com a honra, dignidade e decoro de suas funções, ao agir de forma não esperada por um magistrado"''<ref name=CUTIMPEACH>[http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/07/18/materia.2008-07-18.6936865379/view MAZENOTTI, Priscilla. ''Sindicalistas protocolam no Senado pedido de impeachment de Gilmar Mendes.'' Agência Brasil, 18 de julho de 2008]</ref>
 
Já o líder do [[PSDB]], [[Arthur Virgílio|Arthur Virgílio Neto]] (PSDB-AM), considerado pela [[revista Veja]] como "parte de uma bancada sensível aos interesses do dono do [[Banco Opportunity|Opportunity]]"<ref name=BANCADA>[http://veja.abril.com.br/310506/p_038.html POLICARPO Júnior e CABRAL, Otávio. ''O escudo de Lula.'' Veja Online, Edição 1958. 31 de maio de 2006].</ref> qualificou a atitude do [[Ministério Público]] como "precipitada". Acrescentou que julgar um eventual pedido de [[impeachment]] contra Gilmar Mendes "não é como ir a uma esquina e comprar limão".<ref name=LIMAO>[http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/07/14/materia.2008-07-14.8068999852/view ''CHAGAS,Marcos. ''Líderes dizem que possível impeachment de Gilmar Mendes não tem chance no Senado.''] Agência Brasil, 14 de Julho de 2008 — 18h00.</ref> Em nota à imprensa, o senador Arthur Virgílio também advertiu que "atitudes impensadas" como a dos procuradores pode levar o país a um clima semelhante ao que propiciou "a instalação do [[Terceiro Reich]], na [[Alemanha]]"<ref name=REICH>CHAGAS, MARCOS. [http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/07/14/materia.2008-07-14.2670731030/view ''Garibaldi também acha difícil abertura de processo de impeachment de Gilmar Mendes'']. Agência Brasil, 14 de Julho de 2008 — 18h26.</ref>
 
A [[Central Única dos Trabalhadores]] (CUT/DF), braço sindical do [[PT]], do Distrito Federal protocolou, dia 18 de julho de 2008, na Secretaria-Geral do Senado, o pedido de [[impeachment]] do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes. O pedido alega que o ministro tomou decisões ''"de modo incompatível com a honra, dignidade e decoro de suas funções, ao agir de forma não esperada por um magistrado"''<ref name=CUTIMPEACH>[http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/07/18/materia.2008-07-18.6936865379/view MAZENOTTI, Priscilla. ''Sindicalistas protocolam no Senado pedido de impeachment de Gilmar Mendes.'' Agência Brasil, 18 de julho de 2008]</ref>
 
No mesmo dia, a AMB divulgou nota contra o pedido de "impeachment" apresentado pela CUT/DF. A AMB afirma, no documento, que o "impeachment" é um importante instrumento de fortalecimento da democracia, mas que "somente pode ser utilizado de maneira responsável e fundamentada, não sendo admissível o seu manejo para atacar conteúdo de decisão judicial". A nota divulgada pela AMB também afirma que a independência dos ministros do STF e o teor de suas decisões "não podem ser alvos de qualquer tipo de censura ou represália, muito menos objeto de pedido de impeachment".<ref name="NOTA DA AMB">Jorge Wamburg. [http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/07/18/materia.2008-07-18.7889788114/view ''Magistrados condenam pedido de impeachment de Gilmar Mendes'']. Agência Brasil, 18 de Julho de 2008 — 21h34.</ref>
O pedido de "impeachment" acabou sendo arquivado pelo presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), em 22 de julho de 2008. No despacho encaminhado à Secretaria-Geral do Senado, Garibaldi recomendou o arquivamento do pedido porque ausentes "elementos jurídicos".<ref name= ARQUIVADO>Guerreiro, Gabriela. [http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u425089.shtml Presidente do Senado arquiva pedido de impeachment contra Gilmar Mendes]. Folha Online, 22 de julho de 2008 — 18h.</ref>
 
=== Acusações de Corrupção ===
 
==== Telefonema para José Serra ====
Em setembro de 2010, a reportagem da [[Folha de S. Paulo]] presenciou uma ligação de [[José Serra]] para Gilmar Mendes. Segundo o jornal, José Serra teria ligado para Gilmar Mendes para pedir o adiamento de uma votação sobre a obrigatoriedade de dois documentos para votar (julgamento de [[ADI]] pedida pelo [[PT]]).<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po3009201017.htm |título=Após falar com Serra, Mendes para sessão |língua= |autor= |obra=Folha de S. Paulo |data= 30 de setembro de 2010 |acessodata=}}</ref> Após a ligação, Mendes pediu vista (mais tempo para análise) no julgamento da [[ação direta de inconstitucionalidade]]. Segundo jornalistas, o caso teria ocorrido precisamente no dia 29 de setembro, após Serra pedir que o assessor ligasse para o ministro. O ex-governador teria recebido um celular das mãos de um ajudante de ordens, que o teria informado que Mendes estava na linha. Ao telefone, Serra teria cumprimentado o interlocutor como "meu presidente". Durante a conversa, teria caminhado pelo auditório.<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po0110201021.htm |título=Mendes diz não se pautar por interesses político-partidários |língua= |autor= |obra= |data= 01 de outubro de 2010 |acessodata=}}</ref> Após desligar, brincou com os jornalistas: "O que estão xeretando?". Serra e Mendes negaram a existência da conversa.
 
==== Ligação com Demóstenes Torres e Carlinhos Cachoeira ====
==== Enteada ligada ao DEM ====
 
EmO marçoministro deGilmar 2005,Mendes afoi [[Folhaacusado de S.ter Paulo]]relações reveloucom queo acontraventor enteada[[Carlinhos doCachoeira]] ministroe Gilmarseu Mendes é assessora do senadoramigo [[Demóstenes Torres]], amigoambos deenvolvidos Gilmarem Mendesum eesquema sujeitoamplo de diversascorrupção açõese judiciaistráfico porde acusaçõesinfluência. deA corrupçãoacusação eseria prevaricação.que SegundoGilmar especialistasMendes, oteria caso“pego atécarona” poderiaem serum discutidojatinho fornecido por Cachoeira, no âmbitodia 25 de abril de 2011, quando retornava da regraAlemanha antinepotismoao Brasil, porquena súmulacompanhia do STFsenador impede[[Demóstenes aTorres]] nomeação(ex-[[DEM]]-[[GO]]). paraO cargosministro deposteriormente confiançaapresentou dedocumentos parentesdemonstrando deter autoridadesretornado dentroao daBrasil "mesmaem pessoaum jurídica"voo da Lufthansa. <ref>{{Citar web |url=http://www1www.folha.uoljornalfloripa.com.br/fsppolitica/poder/33297-enteada-de-ministro-do-stf-e-assessora-de-senador-do-demindex1.shtmlphp?pg=verjornalfloripa&id=4018 |título=EnteadaGilmar deMendes ministromostra dodocumentos STFpara écomprovar assessoraque depagou senador do DEMviagem |língua= |autor= |obra=Folha de S. Paulo |data= 25 de março de 2012 |acessodata=}}</ref>
 
==== Ligação com Demóstenes Torres e Carlinhos Cachoeira ====
 
A tentativa do ex-presidente [[Lula]] de chantager Mendes a adiar o julgamento do [[mensalão]] foi usando essa acusação. <ref>{{Citar web |url=http://m.estadao.com.br/noticias/nacional,gilmar-mendes-afirma-que-saiu-perplexo-da-conversa-com-lula,879159.htm |título=Gilmar Mendes afirma que saiu 'perplexo' da conversa com Lula |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref> Ao longo do mês seguinte a tentativa de chantagem, a acusação começou a ser espalhada por jornalistas alinhados e financiados pelo governo federal e empresas estatais. <ref>{{Citar web |url=http://http://www.conversaafiada.com.br/pig/2012/05/28/burburinho-gilmar-foi-a-berlim-em-aviao-do-cachoeira/ |título=Burburinho: Gilmar foi a Berlim em avião do Cachoeira ?= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref>
O ministro Gilmar Mendes é acusado de ter relações de influência com o contraventor [[Carlinhos Cachoeira]] e seu amigo [[Demóstenes Torres]], ambos envolvidos em um esquema amplo de corrupção e tráfico de influência. De acordo com o material gravado por escutas telefônicas interceptadas pela [[Polícia Federal]] (PF), com autorização da Justiça, durante a Operação Monte Carlo, reveladas no dia 28 de maio de 2012, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF),Gilmar Mendes, “pegou carona” em um jatinho fornecido por Cachoeira, no dia 25 de abril de 2011, quando teria retornado da Alemanha ao Brasil, na companhia do senador [[Demóstenes Torres]] (ex-[[DEM]]-[[GO]]).<ref>{{Citar web |url=http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/05/novas-escutas-da-pf-apontam-amizade-entre-gilmar-mendes-demostenes-e-cachoeira.html |título=Novas escutas da PF apontam amizade entre Gilmar Mendes, Demóstenes e Cachoeira |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref>
 
=== Apoio ===
Utilizador anónimo

Menu de navegação