Fernando Rodrigues (músico)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fernando Rodrigues
Nando Rodrigues na Casa da Música, 2018
Informação geral
Nome completo Fernando Rodrigues
Também conhecido(a) como Nando Rodrigues
Nascimento 30 de dezembro de 1978 (40 anos)
Local de nascimento Hamilton (Ontário)
Canadá
Gênero(s) rock, indie rock
Ocupação(ões) baixista, teclista
Instrumento(s) Baixo elétrico, teclas
Período em atividade 2000–2008, 2008–2013, 2015–presente
Gravadora(s) AM.RA Discos, Nuclear Records
Afiliação(ões) UHF, Côrte-Real Trio, Portugal Acústico

Fernando Rodrigues (Hamilton, 30 de dezembro de 1978), mais conhecido como Nando Rodrigues, é um músico luso-canadiano que se notabilizou como baixsta, e posteriormente como teclista, na banda de rock UHF. Pai de dois filhos, João Rodrigues e Daniel Rodrigues, nascidos em 2003 e 2005, respetivamente.

Nando Rodrigues entrou no universo UHF como roadie e dotado da capacidade de multi-instrumentista foi convidado pelo líder da banda, António Manuel Ribeiro, em 2000, para membro integrante. Após um afastamento temporário em 2008, durante o qual foi substituído por Luís Simões 'Cebola', voltou a sair em 2013 por motivos pessoais e após o regresso à formação, em 2015, passou a dedicar-se às teclas. Em atividade paralela com os UHF participou como baixista nos projeto instrumental Côrte-Real Trio e no álbum Portugal Acústico composto por versões de temas clássicos da música pop rock portuguesa.

Apreciador de várias vertentes do rock, o músico considera tanto a música experimental como o indie rock parte da sua formação musical, estilos que foram evidenciados nas gravações de improviso em estúdio que juntaram os três instrumentistas dos UHF no projeto Côrte-Real Trio.

Em 2010, o álbum ACR3-Midnight in Lisbon, de Côrte-Real Trio, atingiu o primeiro lugar nas vendas digitais do eMusic e, enquanto membro integrante dos UHF, referência para a entrada de vários álbuns na tabela nacional de vendas.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Nando Rodrigues nasceu no Canadá, em Hamilton (Ontário), em 30 de dezembro de 1978. Em Portugal estudou na Escola Secundária Moinho de Maré. Ingressou nos UHF na qualidade de roadie, sendo responsável pela afinação de instrumentos e pela pré produção dos concertos. Após evidenciar capacidade de dominar vários instrumentos musicais, foi convidado pelo líder da banda, em 2000, para substituir o baixista Nuno Duarte como membro integrante. A sua entrada, juntamente com António Côrte-Real (guitarra), desde 1997, e de Ivan Cristiano (bateria) desde 1999, resultou na formação mais longa e mais estável da história da banda.[1] Participou em todos os lançamentos dos UHF a partir da edição de Harley Jack (2003), exceto nos discos Duas Noites em Dezembro (2014)[2] e O Melhor de 300 Canções (2015)[3] em que o músico esteve ausente na banda por razões pessoais. Afastou-se por uns meses em 2008 e após o regresso tornou a sair da banda em 2013 por razões pessoais. Voltou em 2015 para ocupar as teclas.[4]

Participações[editar | editar código-fonte]

Em atividade paralela com os UHF, Nando Rodrigues participou em alguns projetos. Em 2009, foi convidado pelo guitarrista e seu colega dos UHF, António Côrte-Real, para participar como baixista num ensaio de música experimental. A eles juntou-se Ivan Cristiano (bateria), também dos UHF, e formaram o grupo Côrte-Real Trio. Com uma única participação em estúdio, tocaram sem qualquer compromisso durante 2h30, sem regras, de improviso e de uma forma descontraída. Dessa experiência resultou o álbum ACR3-Midnight in Lisbon (2010),[5] assumidamente experimental, e composto por dez temas instrumentais com algumas influências de Neil Young e Jimi Hendrix. Foi lançado fisicamente pela Nuclear Records, mas foi no formato digital que o disco alcançou o primeiro lugar na tabela do prestigiado site da eMusic – uma das maiores lojas mundiais de música – na categoria de blues.[6]

Em 2010, Ricardo Soler, finalista do programa Operação Triunfo em 2007, estendeu o convite a António Côrte-Real (guitarra) para criarem um disco com versões de temas conhecidos. Os dois artistas estenderam o convite aos também músicos dos UHF Nando Rodrigues (baixo) e a Ivan Cristiano (bateria) para participarem na gravação do álbum Portugal Acústico,[7] do projeto homónimo, que reúne alguns dos sucessos da música pop rock portuguesa. Canções como "À Minha Maneira" (Xutos & Pontapés), "Matas-me com o Teu Olhar" (UHF), "Aprender a Ser Feliz" (Pólo Norte), "Leve Beijo Triste" (Paulo Gonzo) ou "Se Te Amo" (Quinta do Bill), revelam um disco intimista, em formato acústico e com novos arranjos.[8]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Com os UHF[9]
Com Côrte-Real Trio[5]
  • ACR3-Midnight in Lisbon (CD, 2010)
Com Ricardo Soler
  • Portugal Acústico (CD, 2010)

Referências

  1. Ribeiro, António (2010). «Entrevista ao grupo UHF» (entrevista). Entrevista com J.A.. J.A. Lisboa: Jornal das Autarquias. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  2. «UHF-Duas Noites Em Dezembro». RTP-Antena 1. 27 de outubro de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  3. «O Melhor de 300 Canções (2CD)». Discogs. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  4. MIP (3 de dezembro de 2015). «Wilson Silva substitui temporariamente o baterista dos UHF». Made in Portugal. Consultado em 16 de novembro de 2018 
  5. a b «António Côrte-Real Trio–ACR3». Rastilho Records. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  6. «Côrte-Real Trio nos Tops mundias». Palco Principal–Nucafe Records. 1 de junho de 2012. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  7. Frederico Santos Silva (2010). «Portugal Acústico chega às Fnac». Jornal HardMúsica. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  8. Daniel Pinto Lopes (13 de janeiro de 2011). «Ricardo Soler e António Côrte-Real juntos em 'Portugal Acústico'». Expressões Lusitanas. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  9. Ribeiro, António (2014). Por Detrás do Pano. Avenida da Liberdade 166 1º andar 1250-166 Lisboa: Chiado Editora. p. 337. ISBN 978-989-51-2692-7 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]