Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno
Localização
Localização da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno
Unidade federativa  Distrito Federal,  Goiás e  Minas Gerais
Lei LC 94/1988
Data da criação 19 de fevereiro de 1998
Número de municípios 33 mais o Distrito Federal
Cidade-sede Brasília
Características geográficas
Área 94 570,39 km²[1]
População 4 560 505 hab. () [2]
Densidade 48,22 hab./km²
IDH 0,782 – elevado PNUD/2010[3]
PIB R$ &0000000239828975.000000239 828 975 mil [4]
PIB per capita R$ &0000000000052338.56000052 338,56 IBGE/2015[4]

A Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno é uma região integrada de desenvolvimento econômico, criada pela Lei Complementar nº 94, de 19 de fevereiro de 1998 e regulamentada pelo Decreto nº 2.710, de 4 de agosto de 1998, alterado pelos Decreto nº 3.445, de 4 de maio de 2000 e Decreto nº 4.700, de 20 de maio de 2003. O Decreto nº 7.469, de 5 de maio de 2011 revogou os anteriores e deu novas interpretações legais à RIDE do Distrito Federal e Entorno. A Lei Complementar nº 163, de 14 de junho de 2018, incluiu mais 12 municípios.

É constituída pelo Distrito Federal, e pelos municípios de Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Alto Paraíso de Goiás, Alvorada do Norte, Barro Alto, Cabeceiras, Cavalcante, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Flores de Goiás, Formosa, Goianésia, Luziânia, Mimoso de Goiás, Niquelândia, Novo Gama, Padre Bernardo, Pirenópolis, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto, São João d’Aliança, Simolândia, Valparaíso de Goiás, Vila Boa e Vila Propício, no Estado de Goiás, e de Arinos, Buritis, Cabeceira Grande e Unaí, no Estado de Minas Gerais. Ocupa uma área de 94.570,39 quilômetros quadrados, sendo pouco maior que a Hungria e sua população é de aproximadamente 4,5 milhões de habitantes, um pouco menos que a Nova Zelândia.

No centro do território está a área mais densa, composta pelo Distrito Federal, detentor de 66% da população da RIDE do Distrito Federal e Entorno. Há uma grande área conurbada na direção sul BR-040, incluindo-se nessa região os municípios de Valparaíso de Goiás, Cidade Ocidental, Novo Gama e Luziânia que representam 11,7% da população da RIDE. Outros municípios bastante populosos são Águas Lindas de Goiás (margens da BR-070), Formosa (margens da BR-020), Planaltina (BR-010) e Santo Antônio do Descoberto (BR-060). Esses municípios com o Distrito Federal somam uma população de aproximadamente 4 milhões de pessoas.

Lista de integrantes da RIDE do Distrito Federal e Entorno[5][editar | editar código-fonte]

Nome Legislação Área (km²)[1] População (2018)[2] IDH (2010)[3] PIB (em R$ mil) (2015)[4]
Distrito Federal LC 94/1998 &0000000000005779.9970005 779,997 &0000000002974703.0000002 974 703 &0000000000000000.8240000,824 &0000000215613025.000000215 613 025
Abadiânia (GO) LC 94/1998 &0000000000001045.1270001 045,127 &0000000000019614.00000019 614 &0000000000000000.6890000,689 &0000000000289099.000000289 099
Água Fria de Goiás (GO) LC 94/1998 &0000000000002029.4160002 029,416 &0000000000005676.0000005 676 &0000000000000000.6710000,671 &0000000000201809.000000201 809
Águas Lindas de Goiás (GO) LC 94/1998 &0000000000000188.385000188,385 &0000000000207070.000000207 070 &0000000000000000.6860000,686 &0000000001542997.0000001 542 997
Alexânia (GO) LC 94/1998 &0000000000000847.893000847,893 &0000000000027288.00000027 288 &0000000000000000.6820000,682 &0000000000730529.000000730 529
Alto Paraíso de Goiás (GO) LC 163/2018 &0000000000002593.9050002 593,905 &0000000000007558.0000007 558 &0000000000000000.7130000,713 &0000000000138658.000000138 658
Alvorada do Norte (GO) LC 163/2018 &0000000000001259.3660001 259,366 &0000000000008614.0000008 614 &0000000000000000.6600000,660 &0000000000108906.000000108 906
Barro Alto (GO) LC 163/2018 &0000000000001093.2480001 093,248 &0000000000010922.00000010 922 &0000000000000000.7420000,742 &0000000000605006.000000605 006
Cabeceiras (GO) LC 94/1998 &0000000000001126.9120001 126,912 &0000000000007939.0000007 939 &0000000000000000.6680000,668 &0000000000218672.000000218 672
Cavalcante (GO) LC 163/2018 &0000000000006953.6660006 953,666 &0000000000009693.0000009 693 &0000000000000000.5840000,584 &0000000000249871.000000249 871
Cidade Ocidental (GO) LC 94/1998 &0000000000000389.985000389,985 &0000000000069829.00000069 829 &0000000000000000.7170000,717 &0000000000642343.000000642 343
Cocalzinho de Goiás (GO) LC 94/1998 &0000000000001789.0390001 789,039 &0000000000019971.00000019 971 &0000000000000000.6570000,657 &0000000000285878.000000285 878
Corumbá de Goiás (GO) LC 94/1998 &0000000000001061.9550001 061,955 &0000000000011050.00000011 050 &0000000000000000.6800000,680 &0000000000145059.000000145 059
Cristalina (GO) LC 94/1998 &0000000000006162.0890006 162,089 &0000000000057759.00000057 759 &0000000000000000.6990000,699 &0000000001944492.0000001 944 492
Flores de Goiás (GO) LC 163/2018 &0000000000003709.4270003 709,427 &0000000000016100.00000016 100 &0000000000000000.5970000,597 &0000000000130968.000000130 968
Formosa (GO) LC 94/1998 &0000000000005811.7880005 811,788 &0000000000119506.000000119 506 &0000000000000000.7440000,744 &0000000001934488.0000001 934 488
Goianésia (GO) LC 163/2018 &0000000000001547.2740001 547,274 &0000000000069072.00000069 072 &0000000000000000.7270000,727 &0000000001098113.0000001 098 113
Luziânia (GO) LC 94/1998 &0000000000003961.1000003 961,100 &0000000000205023.000000205 023 &0000000000000000.7010000,701 &0000000003353547.0000003 353 547
Mimoso de Goiás (GO) LC 94/1998 &0000000000001386.9150001 386,915 &0000000000002612.0000002 612 &0000000000000000.6650000,665 &0000000000037431.00000037 431
Niquelândia (GO) LC 163/2018 &0000000000009843.2470009 843,247 &0000000000046039.00000046 039 &0000000000000000.7150000,715 &0000000001199152.0000001 199 152
Novo Gama (GO) LC 94/1998 &0000000000000194.992000194,992 &0000000000113679.000000113 679 &0000000000000000.6840000,684 &0000000000799207.000000799 207
Padre Bernardo (GO) LC 94/1998 &0000000000003139.1750003 139,175 &0000000000033228.00000033 228 &0000000000000000.6510000,651 &0000000000479875.000000479 875
Pirenópolis (GO) LC 94/1998 &0000000000002205.0100002 205,010 &0000000000024749.00000024 749 &0000000000000000.6930000,693 &0000000000373758.000000373 758
Planaltina (GO) LC 94/1998 &0000000000002543.6770002 543,677 &0000000000089181.00000089 181 &0000000000000000.6690000,669 &0000000000917297.000000917 297
Santo Antônio do Descoberto (GO) LC 94/1998 &0000000000000944.145000944,145 &0000000000073636.00000073 636 &0000000000000000.6650000,665 &0000000000572101.000000572 101
São João d’Aliança (GO) LC 163/2018 &0000000000003327.3790003 327,379 &0000000000013387.00000013 387 &0000000000000000.6850000,685 &0000000000229562.000000229 562
Simolândia (GO) LC 163/2018 &0000000000000347.976000347,976 &0000000000006832.0000006 832 &0000000000000000.6450000,645 &0000000000086138.00000086 138
Valparaíso de Goiás (GO) LC 94/1998 &0000000000000061.45000061,450 &0000000000164723.000000164 723 &0000000000000000.7460000,746 &0000000002155089.0000002 155 089
Vila Boa (GO) LC 94/1998 &0000000000001060.1720001 060,172 &0000000000006026.0000006 026 &0000000000000000.6470000,647 &0000000000104363.000000104 363
Vila Propício (GO) LC 163/2018 &0000000000002181.5830002 181,583 &0000000000005758.0000005 758 &0000000000000000.6340000,634 &0000000000199087.000000199 087
Arinos (MG) LC 163/2018 &0000000000005279.4190005 279,419 &0000000000017888.00000017 888 &0000000000000000.6560000,656 &0000000000197938.000000197 938
Buritis (MG) LC 94/1998 &0000000000005225.1860005 225,186 &0000000000024663.00000024 663 &0000000000000000.6720000,672 &0000000000601789.000000601 789
Cabeceira Grande (MG) LC 163/2018 &0000000000001031.4090001 031,409 &0000000000006909.0000006 909 &0000000000000000.6480000,648 &0000000000203236.000000203 236
Unaí (MG) LC 94/1998 &0000000000008448.0820008 448,082 &0000000000083808.00000083 808 &0000000000000000.7360000,736 &0000000002439492.0000002 439 492
TOTAL &0000000000094570.38900094 570,389 &0000000004560505.0000004 560 505 &0000000000000000.7820000,782 &0000000239828975.000000239 828 975

Histórico[editar | editar código-fonte]

Em 1972 foi criada a região geoeconômica de Brasília através da Política de Integração Nacional (PIN). Já em 1975 é criado o Programa Especial da Região Geoeconômica de Brasília (PERGEB) com cinco áreas de aplicação de recursos: eixo Ceres-Anápolis, área da BR-040/050, área de mineração, área do Paranã e área de Paracatu.[6]

Em 1979, é criada a Associação dos Municípios Adjacentes a Brasília (AMAB) pelos próprios municípios para coordenar ações e medidas comuns, promover a cooperação intermunicipal e intergovernamental, prestar assessoria administrativa, financeira, tributária e de planejamento aos municípios, promover estudos regionais, representar os municípios e realizar promoção social.[6]

A Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno foi criada com a Lei Complementar nº 94, de 19 de fevereiro de 1998, e composta pelo Distrito Federal, por 19 municípios do estado de Goiás e 2 do estado de Minas Gerais. Com a publicação da lei complementar nº 163, de 14 de junho de 2018, foram incorporados mais 12 municípios.

Em 2009, é recriada a Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) pela Lei Complementar nº 129 e em 4 maio de 2011, com o Decreto Presidencial nº 7.471, a Sudeco volta a existir. A administração da RIDE passa a ser realizada por essa autarquia.[7]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

Em 2015 a RIDE do Distrito Federal e Entorno teve um produto interno bruto de R$ 239,8 Bilhões, dados do IBGE/2015.[4] Pode-se dizer que é a terceira região mais rica do Brasil, ainda que a região não siga os mesmo parâmetros técnicos de organização espacial de outras regiões do país. Não é uma região metropolitana, nem mesorregião, tampouco pode ser classificada como uma microrregião, quando na verdade é composta por vinte municípios da Microrregião do Entorno do Distrito Federal, três municípios da Microrregião da Chapada dos Veadeiros, três municípios da Microrregião do Vão do Paranã, dois municípios da Microrregião de Ceres e um município da Microrregião de Porangatu, microrregiões do estado de Goiás, de quatro municípios da Microrregião de Unaí, no estado de Minas Gerais e do próprio Distrito Federal. Somente o Distrito Federal, independentemente dos municípios que compõem essa RIDE, só tem PIB menor que a Mesorregião Metropolitana de São Paulo e a Mesorregião Metropolitana do Rio de Janeiro.

O Distrito Federal concentra 89,90% do PIB, sobretudo no setor de serviços, mas tem participação expressiva também nos demais setores, apresentando o 10° maior PIB industrial e o 16° maior PIB agropecuário entre os municípios brasileiros segundo dados do IBGE/2015[4]

Agropecuária[editar | editar código-fonte]

Em 2015 Cristalina teve um PIB agropecuário de R$ 726 milhões, o 13º maior PIB agropecuário entre os municípios brasileiros, e representando 18,03% do PIB Agropecuário da RIDE e com 41,02% do PIB Municipal desse setor, predominando a cultura de soja e milho. O Distrito Federal de R$ 627 milhões, representando 15,57% do PIB Agropecuário da RIDE, mas apenas 0,34% do PIB Distrital desse setor, e Unaí de R$ 517 milhões com 12,83% do PIB Agropecuário da RIDE e 23,30% do PIB Municipal desse setor, segundo dados do IBGE/2015,[4] Luziânia e Buritis também apresentam valores significativos, com 7,30% e 5,27% do PIB Agropecuário da RIDE, respectivamente.[4] .

Com relação ao perfil econômico, o município de Água Fria de Goiás é o que possui maior proporção do setor agropecuário, com 65,85% do PIB Municipal desse setor, mas representa apenas 3,16% do PIB Agropecuário da RIDE. Em seguida, Vila Propício com 63,68%, Cabeceiras com 59,66%, São João d'Aliança com 48,64%, Mimoso de Goiás com 42,22% e Vila Boa com 41,31%, mas também com pouca representatividade no total do PIB Agropecuário da RIDE.[4]

Indústria[editar | editar código-fonte]

Em 2015 o Distrito Federal teve um PIB Industrial de quase R$ 10 bilhões, correspondendo a 71,32% de todo o PIB Industrial da RIDE e 5,37% do PIB Distrital, segundo dados do IBGE/2015[4]. A grande força industrial da região é a construção civil. Esse nicho corresponde a 56,6% do setor industrial IBGE/2008.[8]

Luziânia é o principal município do entorno que tem um parque industrial de destaque, sobretudo devido à indústria de alimentos. Em 2015 teve movimentação industrial de aproximadamente R$ 892 milhões, correspondendo a 6,36% do PIB Industrial da RIDE e 29,13% do PIB Municipal, segundo dados do IBGE/2015.[4]

Com a inclusão de Barro Alto, Cavalcante e Niquelândia, a RIDE do Distrito Federal e Entorno incorporou importantes polos de indústria extrativa. Niquelândia contribui com 3,22% do PIB Industrial da RIDE, logo após o Distrito Federal e Luziânia, e 39,83% do PIB Municipal é devido à indústria.[4]

Com relação ao perfil industrial, os municípios de Barro Alto, com 66,28% do PIB Municipal devido ao setor industrial e predomínio da indústria extrativa do níquel, Cavalcante, com 66,28% do PIB Municipal devido ao setor industrial, também indústria extrativa e Cabeceira Grande, com 45,73% do PIB Municipal devido ao setor industrial são os que apresentam maior proporção, seguidos de Niquelândia.[4]

Serviços[editar | editar código-fonte]

O setor de serviços no Distrito Federal responde por 94,30% do PIB Distrital, com R$ 175,7 bilhões, sendo R$ 83,3 bilhões referentes a administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social e o restante, R$ 92,4 bilhões. Com relação à totalidade da RIDE, o Distrito Federal responde por 92,22% de todo o PIB de serviços da RIDE, logo em seguida, vêm Luziânia, com 0,98% e Valparaíso de Goiás, com 0,89%.[4]

A Administração Pública tem grande peso na formação do Produto Interno Bruto do Distrito Federal, 44,7% do PIB em 2015, e por vezes promove um falso julgamento de que toda a economia do Distrito Federal se resume a esse nicho. Na verdade, no Distrito Federal o setor público funciona como estímulo e outros serviços se desenvolveram fortemente, destacando-se serviços financeiros, serviços de informação, atividades imobiliárias, serviços prestados a empresas e comércio de uma forma geral, que em 2015 chegaram a 49,6% do PIB conforme dados do IBGE/2015. Na realidade, o integrante da RIDE em que o setor público possui maior peso na formação do PIB Municipal é Santo Antônio do Descoberto, com 47,31% e, em seguida, o Distrito Federal, com 44,7%.[4]

Os municípios da RIDE em que o peso relativo do setor de serviços na formação do PIB Municipal supera os 90% são Novo Gama, com 91,18%, Santo Antônio do Descoberto, com 90,60%, e Águas Lindas de Goiás, com 90,11%. No entanto, Valparaíso de Goiás é o que possui maior peso relativo do setor de serviços excluídos administração, defesa, educação e saúde públicas e seguridade social, com 59,65% do PIB Municipal.[4]

Comércio Exterior[editar | editar código-fonte]

Com a inclusão do município de Barro Alto, esse se tornou o maior Exportador da RIDE do Distrito Federal e Entorno, ocupando em 2017 a 133ª posição no Ranking Nacional de acordo com publicação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, totalizando US$ 309,18 milhões de dólares em 2017. O principal produto exportado foi ferro-ligas, com 100% de participação nas exportações, principalmente para a China, com 35% das exportações, seguidos da Holanda, com 15% e dos Estados Unidos, com 10%.[9]

Luziânia destaca-se também como grande exportador, ocupando em 2017 a 161ª posição no Ranking Nacional, totalizando US$ 246,73 milhões de dólares em 2017. Os principais produtos exportados foram a soja, 83%, e o milho, 8,4%, principalmente para a China com 51% das exportações.[9]

Em terceiro lugar vem Unaí, ocupando em 2017 a 213ª posição, totalizando US$ 172,85 milhões de dólares. O principal produto exportado foi a soja com 98%, principalmente para a China com 84% das exportações.[9]

Expansão Imobiliária[editar | editar código-fonte]

Os altos preços de moradia no Distrito Federal levaram à valorização das terras das áreas do entorno e geraram um processo especulativo de investimentos imobiliários. Municípios mais acessíveis pelas rodovias foram os mais afetados, como Luziânia e seus municípios que foram desmembrados, Santo Antônio do Descoberto, Novo Gama, Valparaíso de Goiás e Cidade Ocidental. Já o município de Águas Lindas de Goiás cresceu ao longo da BR-070. O mesmo processo se deu em Planaltina e Formosa.[10]

Investimentos[editar | editar código-fonte]

O primeiro projeto industrial de larga escala na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e do Entorno foi elaborado em 2017 pela Sudeco para a construção de uma fábrica de cimento no município de Formosa, no valor de R$ 270 milhões. Estima-se que obra possa gerar até 2 mil empregos diretos e indiretos no período de instalação.[11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b IBGE (1º de julho de 2017). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 1 (R.PR-1/2018). Consultado em 30 de junho de 2018 
  2. a b IBGE (1º de julho de 2018). «Estimativa Populacional» 
  3. a b PNUD (2014). «Ranking de todo o Brasil - Municipal». Seção Municipal. Atlas do desenvolvimento Humano do Brasil. Consultado em 30 de junho de 2018 
  4. a b c d e f g h i j k l m n o IBGE (2015). «Produto Interno Bruto dos Municípios 2010-2015». Consultado em 30 de junho de 2018 
  5. Lei Complementar nº 163 de 14 de junho de 2018. [1]. Acessado em 30 de junho de 2018.
  6. a b FERREIRA, Jhônatas Silva & MOREIRA, Rogério Rebouças (2012). «Brasília: um lugar central. 1º Seminário Dinâmica Econômica e Desenvolvimento Regional» (PDF). Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM, Uberaba - MG. Consultado em 30 de junho de 2018 
  7. «Apresentação Sudeco». 2016. Consultado em 30 de junho de 2018 
  8. «CONTAS REGIONAIS 2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  9. a b c «MDIC». Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Consultado em 30 de junho de 2018 
  10. «Plano Diretor de Transporte Urbano e Mobilidade do Distrito Federal e Entorno - Relatório Técnico 7» (PDF). 2010. Consultado em 30 de junho de 2018 
  11. «FDCO aprova, para Formosa (GO), maior projeto industrial da RIDE». 2017. Consultado em 30 de junho de 2018 
  12. «População das Regiões Metropolitanas, Regiões Integradas de Desenvolvimento e Aglomerações Urbanas com mais de Um Milhão de Habitantes». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 30 de agosto de 2016. Consultado em 9 de setembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]