Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno
Localização
Localização da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno
Unidade federativa  Distrito Federal,  Goiás e  Minas Gerais
Lei LC 94/1988
Data da criação 19 de fevereiro de 1998
Número de municípios 22 mais o Distrito Federal
Cidade-sede Brasília
Características geográficas
Área 56 433,60 km²[1]
População 4 291 577 hab. () Estimativa Populacional IBGE/2016[2]
Densidade 76,05 hab./km²
IDH 0,792 – elevado PNUD/2010[3]
PIB R$ 192.267.148 mil IBGE/2013[4]
PIB per capita R$ 47.578,60 IBGE/2013[4]

A Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno é uma região integrada de desenvolvimento econômico, criada pela Lei Complementar nº 94, de 19 de fevereiro de 1998 e regulamentada pelo Decreto nº 2.710, de 4 de agosto de 1998, alterado pelos Decreto nº 3.445, de 4 de maio de 2000 e Decreto nº 4.700, de 20 de maio de 2003.

O Decreto nº 7.469, de 5 de maio de 2011 revogou os anteriores e deu novas interpretações legais à RIDE do Distrito Federal e Entorno.

É constituída pelo Distrito Federal, alguns municípios de Goiás e de Minas Gerais. Ocupa uma região de 55.434,99 quilômetros quadrados, sendo pouco menor que a Croácia e sua população é de aproximadamente 4 milhões de habitantes (tem o tamanho aproximado do estado da Paraíba). Apenas 2 municípios separam a RIDE de ser a primeira englobando área de mais da metade das regiões do país (o município do extremo oeste mineiro e do extremo sudoeste nordestino).

No centro do território está a área mais densa, composta pelo Distrito Federal, detentor de 69% da população com os seus municípios limítrofes. Há uma grande área conurbada na direção sul BR-040, incluindo-se nessa região os municípios de Valparaíso de Goiás, Cidade Ocidental, Novo Gama e Luziânia que representam 12,3% da população da RIDE do Distrito Federal e Entorno. Outros municípios que podem-se também considerar como área densamente povoada são: Águas Lindas de Goiás (margens da BR-070), Formosa (margens da BR-020), Planaltina (BR-010), Santo Antônio do Descoberto (BR-060). Esses municípios somam uma população de aproximadamente 3,7 milhões de pessoas.

Lista de integrantes da RIDE do Distrito Federal e Entorno[5][editar | editar código-fonte]

Legislação Área (km²)[1] População
(2016)[2]
IDH
(2000)[6]
PIB (em R$ mil)
(2008)[4]
Distrito Federal DEC 2.710/98 5 801,937 2 977 216 0,874 175.362.791
Legislação Área (km²)[1] População
(2016)[2]
IDH
(2000)[7]
PIB (em R$ mil)
(2008)[4]
Abadiânia (GO) DEC 2.710/98 1 044,159 18 427 0,723 227.036
Água Fria de Goiás (GO) DEC 2.710/98 2 029,406 5 560 0,695 166.145
Águas Lindas de Goiás (GO) DEC 2.710/98 191,198 191 499 0,717 1.265.343
Alexânia (GO) DEC 2.710/98 847,891 26 457 0,696 657.827
Cabeceiras (GO) DEC 2.710/98 1 127,601 7 882 0,695 203.655
Cidade Ocidental (GO) DEC 2.710/98 388,162 65 520 0,795 526.200
Cocalzinho de Goiás (GO) DEC 2.710/98 1 787,994 19 352 0,704 256.580
Corumbá de Goiás (GO) DEC 2.710/98 1 062,457 11 024 0,716 113.848
Cristalina (GO) DEC 2.710/98 6 160,722 54 337 0,761 1.763.674
Formosa (GO) DEC 2.710/98 5 806,891 114 036 0,750 1.539.760
Luziânia (GO) DEC 2.710/98 3 961,536 196 864 0,756 3.138.352
Mimoso de Goiás (GO) DEC 2.710/98 1 386,910 2 708 0,664 65.187
Novo Gama (GO) DEC 2.710/98 191,675 108 410 0,742 696.838
Padre Bernardo (GO) DEC 2.710/98 3 137,903 31 646 0,705 422.004
Pirenópolis (GO) DEC 2.710/98 2 227,793 24 604 0,713 346.583
Planaltina (GO) DEC 2.710/98 2 539,113 88 178 0,723 792.266
Santo Antônio do Descoberto (GO) DEC 2.710/98 938,309 70 950 0,709 492.022
Valparaíso de Goiás (GO) DEC 2.710/98 60,111 156 419 0,795 1.706.383
Vila Boa (GO) DEC 2.710/98 1 060,170 5 615 0,674 105.410
Legislação Área (km²)[1] População
(2016)[2]
IDH
(2000)[8]
PIB (em R$ mil)
(2008)[4]
Buritis (MG) DEC 2.710/98 5 219,469 24 524 0,733 534.019
Cabeceira Grande (MG) DEC 2.710/98 1 025,991 6 901 0,730 167.495
Unaí (MG) DEC 2.710/98 8 463,579 83 448 0,812 2.243.930
TOTAL 55 434,99 4 291 577 0.748 192.267.148

Demografia[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

Em 2008 a RIDE do Distrito Federal e Entorno teve um produto interno bruto de R$ 125.7 Bilhões IBGE/2008.[4] Pode-se dizer que é a terceira região mais rica do Brasil, ainda que a região não siga os mesmo parâmetros técnicos de organização espacial de outras regiões do país. Não é uma região metropolitana, nem mesorregião, tão pouco pode ser classificada como uma microrregião, quando na verdade é composta por parte da Microrregião do Entorno do Distrito Federal no estado de Goiás, excluído o município de Vila Propício, três municípios da Microrregião de Unaí no estado de Minas Gerais e do próprio Distrito Federal. Somente o Distrito Federal, independente dos municípios que compõem essa RIDE, só tem PIB menor que a Mesorregião Metropolitana de São Paulo e a Mesorregião Metropolitana do Rio de Janeiro.

O Distrito Federal concentra 93,58% do PIB, sobretudo no setor de serviços, mas tem participação expressiva também nos demais setores, apresentando o 10° maior PIB industrial e o 14° maior PIB agropecuário entre os municípios brasileiros segundo dados do IBGE/2008[4]

Agropecuária[editar | editar código-fonte]

Unaí teve em 2008 um PIB agropecuário de R$ 512 milhões IBGE/2008,[4] sendo o maior da RIDE do Distrito Federal e Entorno e o 6ª maior do país. Brasília, Cristalina, Buritis e Luziânia também aparecem no ranking nacional entre os 100 melhores colocados, ocupando respectivamente a 14ª, 16ª, 68ª e 85ª posições, despontando a região como uma das mais importantes para a agropecuária no Brasil.

Indústria[editar | editar código-fonte]

A grande força industrial da região é a construção civil. No Distrito Federal esse nicho corresponde a 56,6% do setor IBGE/2008[4] e movimentou em 2008 R$ 3.7 Bilhões.

Luziânia é o único município do entorno a ter um parque industrial de destaque, sobretudo devido à industria de alimentos. Em 2008 teve movimentação industrial de aproximadamente R$ 600 milhões IBGE/2008.[4]

Serviços[editar | editar código-fonte]

A Administração Pública tem grande peso na formação do Produto Interno Bruto do Distrito Federal e por vezes promove um falso julgamento de que toda a economia do Distrito Federal se resume a esse nicho. Na verdade, assim como a economia fluminense tem grande dependência da indústria extrativista, por exemplo, para dinamizar outros tantos setores de sua economia, no Distrito Federal o setor público funciona como combustível, mas outros serviços se desenvolveram fortemente, destacando-se serviços financeiros, serviços de informação, atividades imobiliárias, serviços prestados a empresas e comércio de uma forma geral IBGE/2008[9]

Comércio Exterior[editar | editar código-fonte]

Luziânia destaca-se como maior Exportador da RIDE do Distrito Federal e Entorno, ocupando em novembro de 2010 a 102ª posição no Ranking Nacional de acordo com públicação mensal do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior,[10] totalizando R$ 348 milhões de reais nos primeiros 11 meses do ano. O principal bem exportado são: soja e seus subprodutos e milho e seus subprodutos.

Investimentos nos integrantes da RIDE do Distrito Federal e Entorno[editar | editar código-fonte]

Alguns investimentos de grande envergadura estão extrapolando as fronteiras do Distrito Federal e se instalando nos municípios vizinhos. É o caso do Alphaville Brasília Residencial 1[11] e do Damha Residencial Brasília 1[12] que se situam no município de Cidade Ocidental, no estado de Goiás,[13] além do Outlet Premium Brasília, que foi construído no município de Alexânia, no estado de Goiás[14]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  2. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (30 de agosto de 2016). «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data referência em 1º de julho de 2016» (PDF). Consultado em 7 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2016  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "IBGE_Pop_2016" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  3. PNUD (2014). «Ranking de todas as RMs». Seção Região Metropolitana. Atlas do desenvolvimento Humano do Brasil. Consultado em 5 de dezembro de 2014 
  4. a b c d e f g h i j «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 5 dez. 2010 
  5. Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (SUDECO). Municípios RIDE-DF. Acessado em 23 de maio de 2016.
  6. PNUD, Ranking decrescente do IDH dos municípios do Brasil 1991-2000 - página visitada em 20 de janeiro de 2008
  7. PNUD, Ranking decrescente do IDH dos municípios do Brasil 1991-2000 - página visitada em 20 de janeiro de 2008
  8. PNUD, Ranking decrescente do IDH dos municípios do Brasil 1991-2000 - página visitada em 20 de janeiro de 2008
  9. «CONTAS REGIONAIS 2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  10. «MDIC». Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Consultado em 10 dez. 2010 
  11. «Alphaville». hotsite. Consultado em 19 fev. 2012 
  12. «Damha Residencial Brasília». hotsite. Consultado em 1 de março de 2013 
  13. «Alphaville». Wikimapia. Consultado em 19 fev. 2012 
  14. «Outlet que será construído próximo à Brasília terá foco no mercado de luxo». Correio Braziliense. Consultado em 19 fev. 2012 
  15. «População das Regiões Metropolitanas, Regiões Integradas de Desenvolvimento e Aglomerações Urbanas com mais de Um Milhão de Habitantes». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 30 de agosto de 2016. Consultado em 9 de setembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]