Década de 1960

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Anos 60)
Ir para: navegação, pesquisa
SÉCULOS: Século XIX - Século XX - Século XXI
DÉCADAS: 1940 - 1950 - 1960 - 1970 - 1980 - 1990 - 2000 - 2010 - 2020 - 2030 - 2040
ANOS: 1960 1961 1962 1963 1964 1965 1966 1967 1968 1969

A década de 1960, ou simplesmente década de 60 ou ainda anos 60 foi o período de tempo entre 1º de janeiro de 1960 e 31 de dezembro de 1969.

Vários países ocidentais deram uma guinada à esquerda no início da década, com a vitória de John F. Kennedy nas eleições de 1960 nos Estados Unidos, da coalizão de centro-esquerda na Itália em 1963 e dos trabalhistas no Reino Unido em 1964. No Brasil, João Goulart virou o primeiro presidente trabalhista com a renúncia de Jânio Quadros.

Visão geral[editar | editar código-fonte]

A década de 60 representou, no início, a realização de projetos culturais e ideológicos alternativos lançados na década de 50. Os anos 50 foram marcados por uma crise no moralismo rígido da sociedade, expressão remanescente do Sonho Americano que não conseguia mais empolgar a juventude Americana. A segunda metade dos anos 50 já prenunciava os anos 60: a literatura beat de Jack Kerouac, o rock de garagem à margem dos grandes astros do rock (e que resultaria na surf music) e os movimentos de cinema e de teatro de vanguarda, inclusive no Brasil.

A década de 1960 pode ser dividida em duas etapas. A primeira, de 1960 a 1965, marcada por um sabor de inocência e até de lirismo nas manifestações sócio-culturais, e no âmbito da política é evidente o idealismo e o entusiasmo no espírito de luta do povo. A segunda, de 1966 a 1968 (porque 1969 já apresenta o estado de espírito que definiria os anos 70), em um tom mais ácido, revela as experiências com drogas, a perda da inocência, a revolução sexual e os protestos juvenis contra a ameaça de endurecimento dos governos. É ilustrativo que os Beatles, banda que existiu durante toda a década de 60, tenha trocado as doces melodias de seus primeiros discos pela excentricidade psicodélica, incluindo orquestras, letras surreais e guitarras distorcidas. "I want to hold your hand" é o espírito da primeira metade dos anos 60. "A day in the life", o espírito da segunda metade.

Nesta época teve início uma grande revolução comportamental como o surgimento do feminismo e os movimentos civis em favor dos negros e homossexuais. O Papa João XXIII abre o Concílio Vaticano II e revoluciona a Igreja Católica. Surgem movimentos de comportamento como os hippies, com seus protestos contrários à Guerra Fria e à Guerra do Vietnã e o racionalismo. Esse movimento foi também a chamado de contracultura. Ocorre também a Revolução Cubana na América Latina, levando Fidel Castro ao poder. Tem início também a descolonização da África e do Caribe, com a gradual independência das antigas colônias.

No entanto esta década começou já com uma grande prosperidade dos países ricos. Por exemplo com a explosão do consumo, 90% dos americano tinha televisão em 1960 e uma em cada 3 famílias inglesas tinha automóvel em 1959.[1]

Ciência e Tecnologia[editar | editar código-fonte]

O astronauta Buzz Aldrin caminha na Lua, 20 de julho de 1969.
  • Tem início o uso da informática para fins comerciais, embora ainda não de forma massificada
  • Em 1964 a IBM lança o circuito integrado, ou chip
  • Surge a Arpanet, que se tornaria o embrião da Internet
  • Os soviéticos enviam o primeiro homem ao espaço (Iuri Gagárin) em 1961.
  • Neil Armstrong é o primeiro homem a pisar na Lua, em 1969.
  • Os soviéticos enviam um robô para a Lua (1966).
  • Também em 1969, uma sonda dos Estados Unidos alcançou Marte e, meses depois, a URSS descia um robô em Vênus.

Cultura[editar | editar código-fonte]

  • A cultura foi impulsionada e espelhada, na década anterior, de 50, na qual o mundo todo encontrava-se em mudança cultural nos mais variados grupos sociais.

Música[editar | editar código-fonte]

Os Beatles desembarcando no Aeroporto JFK em Nova Iorque.
Rolling Stones ao lado dos Beatles a banda mais importante da década de 1960.
O primeiro dia do festival de Woodstock.
  • Em 1969 ocorre o Festival de Woodstock, nos Estados Unidos, com apresentações ao vivo de Jimi Hendrix, Creedence Clearwater Revival, The Who, Sly and Family Stone, Carlos Santana, entre outros lendários do rock clássico.O festival se tornou o símbolo da união entre Rock e paz e amor.Jovens se reuniam para desfrutar de três dias de paz,amor e música.
  • Em 1969, o ex integrante da banda Rolling Stones, Brian Jones é encontrado morto na piscina da sua casa em Sussex.
  • Também em 1969, a banda The Doors lança o álbum The Soft Parade,com canções como Touch me.
  • Em março de 1969, John Lennon e Yoko Ono realizaram o primeiro "Bed-in for Peace" no hotel Hilton em Amsterdam, nos Países Baixos. "Bed-ins" era conferências de imprensa em favor da paz, realizados em uma cama de hotel.Essas conferências ficaram famosas no mundo inteiro,como um dos símbolos da luta pela Paz.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Edíficio da Rede Globo no Rio de Janeiro.
  • Começam as transmissões de TV em cores no mundo.
  • 1965 - A TV brasileira começa a utilizar a tecnologia do vídeo-tape, que permitiu a edição de programas televisivos, reduzindo o risco de erros, comuns nas exibições ao vivo.
  • 26 de abril de 1965 - É inaugurada no Rio de Janeiro a Rede Globo de Televisão.
  • A televisão passa a se tornar meio de comunicação em massa.
  • 1967-1968 tornam-se os anos do auge dos festivais da canção, no Brasil, que eram uma forma alternativa de expressão político-ideológica da juventude, diante da repressão da ditadura militar.
  • A TV Record lança o programa musical, "Jovem Guarda" (1965-1968), apresentado por Roberto Carlos, com Erasmo Carlos e Wanderléa.

Filmes[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

Os jovens são influenciados pelas ideias de liberdade On The Road, livro do beatnik Jack Kerouac, da chamada geração beat, começavam a se opor à sociedade de consumo vigente.

Dias históricos[editar | editar código-fonte]

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Líderes[editar | editar código-fonte]

Artistas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 428[vago]
  2. The Shangri-Las Biography. The Shangri-las (site). Visitado em 24 de Novembro de 2012.
  3. Billboard. The Shangri-Las - Biography (em inglês). Visitado em 8 de Abril de 2013.