Discriminação contra ateus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A discriminação contra ateus inclui a perseguição e discriminação sofridas pelos ateus e por aqueles rotulados como ateus no passado e na era atual.

Em democracias constitucionais, a discriminação legal contra os ateus é incomum, mas alguns ateus e grupos ateístas, em particular nos Estados Unidos, protestaram contra leis, regulamentos e instituições que eles vêem como sendo discriminatórias. Em alguns países islâmicos, ateus enfrentam discriminação, incluindo a falta de estatuto jurídico ou até mesmo sentença de morte no caso de apostasia.

Ateus que expressam abertamente a sua opinião passam frequentemente a carregar um estigma social, correndo o risco de serem discriminados, ou, em alguns países, condenados à morte. Alguns adeptos de visões teístas julgam aqueles que não professam qualquer crença em divindades como sendo amorais ou não confiáveis.

História[editar | editar código-fonte]

O ateísmo sempre foi uma doutrina perseguida, clandestina e discriminada.[1]

Durante a cristianização do Império Romano, o ateísmo foi considerado crime terrível e praticamente deixou de existir na história das ideias europeias.[2] Até o século XIX, devido ao poder político-eclesiástico, o indivíduo que assumisse oposição aos ensinamentos da Igreja seria recriminado pela sociedade e pelo governo com acusações de desonestidade, rebeldia, incredulidade e libertinagem.[3]

O ateísmo já foi considerado crime em muitas sociedades antigas, sendo-o ainda em algumas da actualidade, sendo por vezes punido com a pena de morte.[4] As escrituras de muitas religiões condenam os descrentes.[carece de fontes?] Podemos encontrar um exemplo bíblico na história de Amaleque.[carece de fontes?] Na Europa Medieval, o ateísmo era tido como amoral e muitas vezes criminoso; ateus podiam ser sentenciados à morte na fogueira, especialmente em países onde actuava a Inquisição.[carece de fontes?] Enquanto o Protestantismo sofria discriminação e perseguição pela então dominante Igreja Católica Romana,[5] [6] Calvino também defendia a morte de ateus e hereges na fogueira.[7] O fato é que algumas igrejas, seitas ou grupos perseguiram, e ainda hoje perseguem, aqueles que não compartilham de suas interpretações religiosas, perseguindo ateus e teístas - mesmo aqueles que fazem parte da mesma religião mas que se insiram em grupos, seitas ou igrejas com interpretações religiosas distintas.[carece de fontes?] O papa Bento XVI, durante uma visita a Londres em 2010, fez um discurso que associa ateus e nazistas.[8]

Cquote1.svg Enquanto refletimos sobre as advertências do extremismo ateu do século XX, não podemos nunca esquecer como a exclusão de Deus, da religião e da virtude pública, conduz em última análise a uma visão truncada do homem e da sociedade. Cquote2.svg
Bento XVI[9]

Era contemporânea[editar | editar código-fonte]

Mundo ocidental[editar | editar código-fonte]

As teorias modernas da democracia constitucional assumem que os cidadãos são intelectualmente e espiritualmente autônomos e que os governos devem deixar questões como a crença religiosa aos indivíduos e não coagir grupos religiosos usando sanções ou benefícios. As constituições, convenções de direitos humanos e a jurisprudência sobre liberdade religiosa da maioria das democracias constitucionais fornece proteção legal aos ateus e agnósticos. Além disso, a liberdade de expressão e disposições da legislação que separam a Igreja do Estado também servem para proteger os direitos dos ateus. Como resultado, a discriminação legal aberta contra os ateus não é comum na maioria dos países ocidentais.[10] No entanto, ainda existe preconceito contra no mundo ocidental. Um estudo da Universidade da Colúmbia Britânica realizada nos Estados Unidos descobriu que os crentes desconfiam dos ateus tanto quanto desconfiam de estupradores. O estudo também mostrou que os ateus têm perspectivas de emprego mais baixas em relação ao restante das pessoas por conta da discrminação.[11]

Europa

Na maior parte da Europa, os ateus são eleitos para cargos de níveis elevados em muitos governos sem qualquer controvérsia.[12] Algumas organizações ateístas europeias manifestaram-se a respeito de questões como a separação entre Igreja e Estado, as taxas administrativas para deixar a Igreja praticadas na Alemanha[13] e os sermões organizados pelo parlamento sueco.[14] A Irlanda exige uma formação religiosa de faculdades cristãs para trabalhar como professor em escolas financiadas pelo governo.[15] No Reino Unido, um terço das escolas estatais são religiosas;[16] no entanto, não há restrições para que ateus ocupem cargos públicos: o vice-primeiro-ministro, Nick Clegg, é ateu.[17] De acordo com uma pesquisa de 2012, 25% dos turcos que vivem na Alemanha acreditam que os ateus são inferiores aos outros seres humanos.[18] [19] Portugal elegeu dois presidentes, Mário Soares e Jorge Sampaio, que manifestaram abertamente a sua descrença. Na Grécia, pelo contrário, o partido de direita Nova Democracia afirmou que "o povo grego tem o direito de saber se o Sr. Tsipras é ateu", citando a irreligiosidade do seu adversário político como uma razão pela qual ele não devia ser eleito.[20]

Brasil

Uma pesquisa de 2007 encomendada pela CNT/Sensus revela que 84% dos brasileiros votariam em um negro para Presidente da República, 57% em uma mulher, 32% em um homossexual mas apenas 13% votaria em um ateu.[21] [22] Uma pesquisa de agosto de 2010 realizada pelo Núcleo de Opinião Pública da FPA, em uma iniciativa da Fundação Perseu Álamo e SESC, revelou que 66% das mulheres brasileiras jamais votariam em um ateu e 11% dificilmente votaria, enquanto 61% dos homens brasileiros nunca votaria e 13% dificilmente votaria.[23] Uma pesquisa realizada no dia 13 de dezembro de 2012 pelo Datafolha indica que 86% dos brasileiros acreditam que a crença em Deus torna as pessoas melhores, enquanto que apenas 13% acreditam que implicação não é obrigatória.[24]

Em julho de 2010, José Luiz Datena, apresentador do programa Brasil Urgente na emissora brasileira Band, fez associações preconceituosas entre criminalidade e descrença religiosa, acusando os que não acreditam em Deus como responsáveis pela degradação da sociedade.[25] No começo de dezembro o Ministério Público Federal em São Paulo moveu ação em tribunal pedindo uma retratação com duração mínima o dobro do tempo dos comentários.[25] [26] [27] [28] [29] [30] [31]

Cquote1.svg Para quem não acredita em nada, a velhice é muito triste. Quem crê, consegue ter mais saúde. Cquote2.svg
Estados Unidos

Uma pesquisa feita pelo Instituto Gallup em 1999 comprova que 95% dos estadunidenses votaria em uma mulher para presidente, 92% votaria em um judeu ou negro, 79% em um homossexual mas apenas 49% votaria em um ateu.[33] A revista Newsweek estima uma porcentagem ainda menor: 37%[34]

Desde a Segunda Guerra Mundial, toda formatura militar nos Estados Unidos é acompanhada pelo frequente uso dos dizeres "Não existem ateus em trincheiras". Durante a Guerra Fria, o fato de os inimigos dos EUA serem oficialmente ateus ("Comunistas sem Deus") e o Macartismo somaram-se à visão de que ateus não são confiáveis nem patriotas.[carece de fontes?]

Apesar das atitudes do período de Guerra Fria, os ateus são legalmente protegidos da discriminação nos EUA e são os mais fortes advogados da separação legal entre igreja e Estado. Os tribunais estadunidenses regularmente interpretam o requisito constitucional em relação à separação entre Igreja e Estado como sendo protetor da liberdade dos descrentes, e também proibindo o estabelecimento de qualquer estado religioso. Os ateus muitas vezes resumem a situação legal com a frase: "Liberdade religiosa também significa liberdade da não religião."[carece de fontes?]

Cquote1.svg Não sei se ateus deveriam ser considerados como cidadãos nem como patriotas. Essa é uma nação sob Deus. Cquote2.svg

Países islâmicos[editar | editar código-fonte]

País onde, em 2007, a apostasia era punida com a pena de morte de acordo com legislações nacionais (preto) ou regionais (cinza escuro). Atualmente, isto acontece apenas em países islâmicos.[36]

Os ateus, ou aqueles acusados de serem ateístas, podem estar sujeitos a discriminação e perseguição em muitos países islâmicos.[37] De acordo com a União Internacional Ética e Humanista, em comparação com outras nações, os que são "incrédulos ... em países islâmicos enfrentam o mais grave - às vezes brutal - tratamento."[38] Os ateus e outros céticos religiosos podem ser executado em pelo menos treze países: Afeganistão, Irã, Malásia, Maldivas, Mauritânia, Nigéria, Paquistão, Catar, Arábia Saudita, Somália, Sudão, Emirados Árabes Unidos e Iêmen.[36]

De acordo com interpretações populares do islamismo, os muçulmanos não são livres para mudar de religião ou tornarem-se ateus: negar o islã e, assim, tornar-se um apóstata é tradicionalmente punido com a morte para os homens e com a prisão perpétua para as mulheres. A pena de morte por apostasia é observada em vários países islâmicos, como Irã,[39] [40] Egito,[41] Paquistão,[41] Somália,[42] Emirados Árabes Unidos,[43] Qatar,[44] Catar,[44] Iêmen[44] e Arábia Saudita.[41] Embora uma sentença de morte seja rara, é comum que ateus sejam acusados de blasfêmia ou incitação ao ódio.[45] Os novos regimes da "Primavera Árabe" na Tunísia e no Egito já prenderam vários ateus.[45] [46]

Um apóstata pode ser considerado um muçulmano cujas crenças em dúvida quanto ao divino e/ou ao Alcorão.[47] [48] [49] Tanto fundamentalistas quanto moderados concordam que "blasfêmia não será perdoada", embora discordem sobre a gravidade da punição apropriada.[45] No noroeste da Síria em 2013, durante a Guerra Civil Síria, jihadistas decapitaram e desfiguraram uma escultura de Al-Ma'arri (973-1058 dC), um dos vários intelectuais ateus árabe e persa que viveu e ensinou durante a idade de ouro islâmica.[50] [51]

No Irã, os ateus não têm qualquer estatuto jurídico reconhecido e devem declarar que são muçulmanos, cristãos, judeus ou zoroastristas, para reivindicar alguns direitos legais, como o acesso à universidade[52] [53] ou se tornar um advogado.[54] a Associação Ateísta Iraniana foi criada em 2013 para formar uma plataforma para que ateus iranianos possam iniciar debates e questionar a atitude do regime islâmico atual em relação a ateus, apostasia e direitos humanos.[55] Da mesma forma, a Jordânia requer que seus cidadõas ateus associem-se com uma religião reconhecida para a identificação oficial,[56] enquanto que os ateus na Indonésia são vítimas de discriminação oficial no contexto de registro de nascimentos e casamentos, além da emissão de carteiras de identidade.[57] Em 2012, o ateu indonésio Alexander Aan foi espancado por uma multidão, perdeu o emprego como funcionário público e foi condenado a dois anos e meio de prisão por expressar suas opiniões online.[58]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Henrique Carneiro; PSTU (8 de maio de 2007). Por que somos ateus?. Visitado em 19 de março de 2011. "Os sacerdotes foram os primeiros agentes do aparelho coercitivo do Estado. Duvidar dos deuses, portanto, sempre foi, na história das civilizações, um crime contra o Estado. Por isso, o ateísmo sempre foi uma doutrina clandestina, perseguida, denunciada, estigmatizada, e seus porta-vozes são, por milênios, praticamente inexistentes na história do pensamento. [...] lembremo-nos sempre que o debate do ateísmo sempre se fez de forma clandestina e, portanto, cifrada, sem uma exposição pública total de ideias cujo preço a se pagar por sustentá-las podia ser a morte ou até mesmo pior do que a morte, a tortura e a humilhação."
  2. Henrique Carneiro; PSTU (8 de maio de 2007). Por que somos ateus?. Visitado em 19 de março de 2011. "Com o advento da cristianização do Império Romano, pela primeira vez, uma religião monoteísta tornava-se dominante numa vasta área territorial. Para impor seu domínio declarou guerra implacável contra todos os outros deuses pagãos. Mais forte ainda, no entanto, foi a repressão às ideias negadoras da existência de deus. O ateísmo foi considerado um crime terrível e praticamente desapareceu da história das ideias na Europa."
  3. Oziel Alves; Revista Enfoque (Setembro de 2007). Deus não existe!. Visitado em 20 de março de 2011. "Até meados do século 19, toda a humanidade acreditava na existência de um “deus”, [...] O poder político-eclesiástico não admitia contradições em relação aos textos bíblicos e ser cristão era praticamente uma imposição. O indivíduo que quisesse assumir publicamente oposição aos ensinamentos da Igreja, de antemão sabia: seria recriminado pelo governo e pela sociedade com acusações de incredulidade, rebeldia, libertinagem e desonestidade. Para manter a boa imagem, era preferível não admitir tal posicionamento."
  4. Atheists around world suffer persecution, discrimination: report. Visitado em 2012-12-28.
  5. brasiliavirtual: Tudo sobre Ateísmo – acesso a 13 de Outubro de 2008.
  6. A Reforma protestante. Visitado em 13 de setembro de 2009.
  7. Tobin, Paul. John Calvin The Rejection of Pascal's Wager. Visitado em 14 de janeiro de 2010.
  8. BBC Brasil (17 de setembro de 2010). Papa associa ateus a nazistas e abre nova polêmica em visita. Visitado em 19 de março de 2011.
  9. Menções do Papa a nazismo e ateísmo geram protestos no Reino Unido O Globo (16 de setembro de 2010). Visitado em 3 de setembro de 2011.
  10. Gey, Steven G.. In: Martin, Michael. The Cambridge Companion to Atheism. [S.l.]: Cambridge University Press, 2007. 250–253, 260–2 pp. ISBN 978-0-521-84270-9.
  11. (2011) "Do You Believe in Atheists? Distrust Is Central to Anti-Atheist Prejudice". Journal of Personality and Social Psychology 101 (6): 1189–1206. DOI:10.1037/a0025882.
  12. Hartmann, René. ""Most American secularists have few expectations..." An Interview with AAI president Stuart Bechman", MIZ Magazine, Março de 2008. Página visitada em 14 de março de 2009.
  13. Fee for leaving church is brought before European Court of Human Rights | I International League of Non-religious and Atheists (IBKA). Visitado em 14 de março de 2009.
  14. Anmälan till JO – Riksdagens ombudsmän jo.se. Visitado em 14 de março de 2009.
  15. "Why must agnostics be obliged to teach faith?", The Irish Times, 2 de fevereiro de 2010. Página visitada em 2 de fevereiro de 2010.
  16. Berkeley, Rob (Dezembro de 2008). Right to Divide? Faith Schools and Community Cohesion Runnymede Trust. Visitado em 7 de dezembro de 2011.
  17. Peev, Gerri. "Religion: I don't believe in God", The Scotsman, 20 de dezembro de 2007. Página visitada em 14 de abril de 2010.
  18. Liljeberg Research International: Deutsch-Türkische Lebens und Wertewelten 2012, July/August 2012, p. 68
  19. Die Welt: Türkische Migranten hoffen auf muslimische Mehrheit, 17 de agosto de 2012, acessado em 23 de agosto de 2012
  20. skaigr: ΝΔ: Ο ελληνικός λαός πρέπει να γνωρίζει αν ο Τσίπρας είναι άθεος - η απάντηση ΣΥΡΙΖΑ (19 de janeiro de 2014). Visitado em 10 de dezembro de 2014.
  21. Reinaldo Azevedo; Veja (21 de dezembro de 2007). VEJA 5 – Só 13% dos brasileiros votariam num ateu para presidente. Visitado em 19 de março de 2011. "A VEJA desta semana traz reportagens sobre a resistência da fé e da religião. O dado mais interessante é revelado por uma pesquisa encomendada ao CNT/Sensus: apenas 13% dos brasileiros votariam num ateu para a Presidência da República, informa reportagem de André Petry. Outros números: 84% aceitariam votar num negro; 57%, numa mulher; 32%, num homossexual. Parece que os brasileiros levam a sério a sentença de que, se Deus não existe, então tudo é mesmo permitido."
  22. André Petry; Veja (26 de dezembro de 2007). Como a fé resiste à descrença. Visitado em 19 de março de 2011. "Uma pesquisa encomendada por VEJA, realizada pela CNT/Sensus, mostra que 84% dos brasileiros votariam em um negro para presidente da República, 57% dariam o voto a uma mulher, 32% aceitariam votar em um homossexual, mas – perdendo de capote – apenas 13% votariam em um candidato ateu (veja quadro). Pior que isso só o capeta."
  23. Fundação Perseu Álamo (agosto de 2010). MULHERES BRASILEIRAS E GÊNERO NOS ESPAÇOS PÚBLICO E PRIVADO 279 pp.. Visitado em 27 de março de 2011.
  24. Folha de S.Paulo - Poder - Tendência conservadora é forte no país, diz Datafolha - 25/12/2012. Visitado em 2012-12-28.
  25. a b Portal Imprensa (27 de dezembro de 2010). Datena é advertido pela Justiça de SP por "discriminação homofóbica". Visitado em 19 de março de 2011.
  26. Datena e Band são processados por ateus sob acusação de preconceito Portal Imprensa (13 de setembro de 2010). Visitado em 3 de setembro de 2011. "Quem não acredita em Deus não precisa me assistir não, gente. Quem é ateu não precisa me assistir, não. Mas se eu fizer uma pesquisa aqui, se você acredita em Deus ou não, é capaz de aparecer gente que não acredita em Deus. Porque não é possível, cada caso que eu vejo aqui é gente que não tem limite, é gente que já esqueceu que Deus existe, que Deus fez o mundo e coordena o mundo. É gente que não acredita no inferno. Esse é o detalhe."
  27. Ateus processam Datena por comentário preconceituoso Uai Diário de Natal (13 de setembro de 2010). Visitado em 3 de setembro de 2011. "Quem é ateu não precisa me assistir, não. Mas se eu fizer uma pesquisa aqui se você acredita em Deus ou não é capaz de aparecer gente que não acredita em Deus. Porque não é possível, cada caso que eu vejo aqui é gente que não tem limite, é gente que já esqueceu que Deus existe, que Deus fez o mundo e coordena o mundo. É gente que não acredita no inferno(...). Não é possível... isso é ausência de Deus. Nada justifica um crime como esses"
  28. MPF quer que Band se retrate por ofensas de Datena contra ateus 24 Horas News (3 de dezembro de 2010). Visitado em 3 de setembro de 2011. "“...porque o sujeito que é ateu, na minha modesta opinião, não tem limites, é por isso que a gente vê esses crimes aí” [...] “É por isso que o mundo está essa porcaria. Guerra, peste, fome e tudo mais, entendeu? São os caras do mal. Se bem que tem ateu que não é do mal, mas, é ..., o sujeito que não respeita os limites de Deus, é porque não sei, não respeita limite nenhum” [...] “Quem é ateu pode desligar a televisão, ou mudar de canal pois eu não faço questão nenhuma de que assistam o meu programa” [...]"
  29. Preconceito contra ateus leva MPF a entrar com ação contra Band Rede Brasil Atual (3 de dezembro de 2010). Visitado em 3 de setembro de 2011. ""Então, Márcio Campos [repórter], é inadmissível, você também é muito católico, não é possível, isso é ausência de Deus porque nada justifica uma crime como esse, não, Márcio?" [...] "Porque o sujeito que é ateu, na minha modesta opinião, não tem limites, é por isso que a gente vê esses crimes aí""
  30. MPF pede retratação de TV por preconceito contra ateus Terra (3 de dezembro de 2010). Visitado em 3 de setembro de 2011. ""Esse é o garoto que foi fuzilado. Então, Márcio Campos (repórter), é inadmissível, (...) não é possível. Isso é ausência de Deus, porque nada justifica um crime como esse, não, Márcio?" [...] "O sujeito que é ateu, na minha modesta opinião, não tem limites, é por isso que a gente vê esses crimes aí" [...] "É por isso que o mundo está essa porcaria. Guerra, peste, fome e tudo mais, entendeu? São os caras do mau. Se bem que tem ateu que não é do mau. Mas o sujeito que não respeita os limites de Deus, é porque (...) não respeita limite nenhum""
  31. SP: MPF entra com ação para que programa 'Brasil Urgente' se retrate de declarações preconceituosas contra ateus O Globo (3 de dezembro de 2010). Visitado em 3 de setembro de 2011. ""Esse é o garoto que foi fuzilado. Então, Márcio Campos (repórter), é inadmissível, você também que é muito católico, não é possível, isso é ausência de Deus, porque nada justifica um crime como esse, não Márcio?" (Márcio) "É, a ausência de Deus causa o quê Datena? O individualismo, o egoísmo, a ganância... claro! (Datena diz), tudo isso." "Só pode ser coisa de gente que não tem Deus no coração, de gente que é aliada do capeta, só pode ser ser." "Esses crimes só podem ter uma explicação: ausência de Deus no coração." "Eu fiz a pergunta: você acredita em Deus? E tem 325 pessoas que não acreditam. Vocês que não acreditam, se quiserem assistir outro canal, não tem problema nenhum, não faço questão nenhuma que ateu assista meu programa, nenhuma...não precisa nem votar, de ateu não preciso no meu programa." "... quem não acredita em Deus não precisa me assistir não gente, quem é ateu não precisa me assistir não. Mas, se eu fizer uma pesquisa aqui, se você acredita em Deus ou não, é capaz de aparecer gente que não acredita em Deus. Porque não é possível, cada caso que eu vejo aqui, é gente que não tem limite, é gente que já esqueceu que Deus existe, que Deus fez o mundo e coordena o mundo, é gente que acredita no inferno..." "...porque o sujeito que é ateu, na minha modesta opinião, não tem limites, é por isso que a gente vê esses crimes aí." "Agora, vocês que estão ao lado de Deus, como eu, podiam dar uma lavada nesses caras que não acreditam em Deus, ... para provar que o bem ainda é maioria....porque não é possível, que não acredita em Deus não tem limite. Ah Datena, mas tem pessoas que não acreditam em Deus e são sérias. Até tem, até tem, mas, eu costumo dizer que quem não acredita em Deus, não costuma respeitar os limites, porque se acham o próprio Deus." "...deixa direto essa pesquisa aí, que eu quero ver como as pessoas que são crentes, que são tementes a Deus, são muito maiores do que não temem a Deus. Mas quero mostrar também que tem gente que não acredita em Deus. É por isso que o mundo está essa porcaria. Guerra, peste, fome e tudo mais, entendeu? São os caras do mau. Se bem que tem ateu que não é do mau, mas, é ..., o sujeito que não respeita os limites de Deus, é porque não sei , não respeita limite nenhum. "Esse é um exemplo típico de quem não acredita em Deus. Matou o menino de dois anos de idade, tentou fuzilar três ou quatro pessoas. Mas matou com a maior tranqüilidade, quer dizer, não é um sujeito temente a Deus." "... é provável que entre esses ateus (referindo-se ao resultado da pesquisa) exista gente boa que não acredita em Deus, que não é capaz de matar alguém, mas é provável que tenham bandidos votando até de dentro da cadeia." " ... mesmo com tanta notícia de violência, com tanta notícia ruim, o brasileiro prova de uma forma definitiva, clara, que tem Deus no coração. Quem não tem, é quem comete esse tipo de crime, quem mata e enterra pessoas vivas, quem mata criancinha, quem estupra e violenta, quem bate em nossas mulheres." " muitos bandidos devem estar votando do outro lado." (referindo-se aos votos dos ateus na pesquisa) " ... porque eu vejo tanta barbaridade há tanto tempo, que eu acredito que a maior parte do produto dessa barbaridade, seja realmente a ausência de Deus no coração... mas tem gente que me ligou e disse assim: Datena, eu não acredito em Deus, nunca matei, nunca roubei, nunca fiz mal para ninguém. Tudo bem, eu até respeito essa posição, mas a maioria de quem mata, de quem estupra, de quem violenta, de quem comete crimes bárbaros, já esqueceu de Deus há muito tempo...." " e isso que eu estou dizendo para o cara que não acredita em Deus que nunca matou, nunca roubou, nunca fez mal a ninguém, porque a maioria que faz isso que eu falei, realmente não acredita em Deus, tá pouco se lixando." " a fronteira está indo cada vez mais distante. As pessoas não respeitam mais nada, os marginais, os bandidos, aqueles que não temem a Deus, estão cada vez mais ultrapassando essas fronteiras.""
  32. Tiago Dantas; Jornal da Tarde (15 de fevereiro de 2011). Alckmin ‘receita’ amor, fé e agulhas contra estresse. Visitado em 20 de março de 2011. "A comparação entre as listas do neurologista francês e do governador paulista, porém, revela uma diferença: Alckmin acrescentou religião ao grupo. “Para quem não acredita em nada, a velhice é muito triste”, disse. “Quem crê, consegue ter mais saúde”, completa."
  33. Texto Barbara Axt; Super Interessante (Agosto de 2007). O aitolá dos ateus. Visitado em 19 de março de 2011. "[...] ele cita uma pesquisa feita pelo Instituto Gallup em 1999. Segundo o levantamento, 95% dos americanos votariam em uma mulher para presidente, 92% em um negro ou judeu e 79% em um homossexual. Mas apenas 49% colocariam um ateu na Casa Branca."
  34. Alexandre Mansur e Luciana Vicária com Mariana Sanches; Época (13 de novembro de 2006). As questões dos ateus 3- Como seria o mundo sem religião?. Visitado em 20 de março de 2011. "Segundo a revista Newsweek, só 37% dos americanos afirmam que votariam em um ateu para presidente."
  35. Madalyn O'Hair; Positiveatheism. Can George Bush, with impunity, state that atheists should not be considered either citizens or patriots? (em inglês). Visitado em 20 de março de 2011. "No, I don't know that atheists should be considered as citizens, nor should they be considered patriots. This is one nation under God."
  36. a b Robert Evans. "Atheists face death in 13 countries, global discrimination: study", 9 de dezembro de 2013.
  37. Robert Evans. "Atheists around world suffer persecution, discrimination: report", 9 de dezembro de 2012.
  38. http://iheu.org/story/you-can-be-put-death-atheism-13-countries-around-world
  39. The Telegraph, "Hanged for Being a Christian in Iran
  40. Reuters, "Iran hangs man convicted of apostasy"
  41. a b c "Supporting Islam's apostates"
  42. BBC news, "Somali executed for 'apostasy'"
  43. http://freedomcenterstudents.org/2010/05/crimes-punishable-by-death-in-the-uae-include-apostasy/
  44. a b c Copyright © 2007 Barnabas Fund | Islamic Teaching on the Consequences of Apostasy from Islam
  45. a b c "No God, not even Allah: Ex-Muslim atheists are becoming more outspoken, but tolerance is still rare", 24 de novembro de 2012.
  46. The IndependentHow the right to deny the existence of God is under threat globally (9 de dezembro de 2014). Visitado em 10 de dezembro de 2014.
  47. Kamrava, Mehran. The new voices of Islam: reforming politics and modernity : a reader. [S.l.]: I.B.Tauris, 2006. 123–24 pp. ISBN 978-1-84511-275-2.
  48. Hamad, Ahmad. Legal pluralism in the Arab world. The Hague: Kluwer Law International, 1999. p. 221. ISBN 90-411-1105-0.
  49. Zaki Badawi, M.A.. In: Cookson, Catharine. Encyclopedia of religious freedom. New York: Routledge, 2003. 204–8 pp. ISBN 0-415-94181-4.
  50. Syria Violence Claims Head of Ancient Arab Poet. Reuters, 12 Feb. 2013. Accessed 15 Dec. 2013.
  51. Jihadists Behead Statue of Syrian Poet Abul Ala Al-Maari. The Observers, France 24. 14 de fevereiro de 2013. Acessado em 15 de dezembro de 2013.
  52. Discrimination against religious minorities in IRAN Fédération Internationale des Ligues des Droits de l`Homme and the Ligue de Défense des Droits de l'Homme en Iran (Agosto de 2003). Visitado em 13 de março de 2009.
  53. "Iranian Atheists Association: Issues", Iranian Atheists Association.
  54. Iran: A legal system that fails to protect freedom of expression and association Amnesty International. Visitado em 14 de março de 2009.
  55. "Iranian Atheists Association: About Us", Iranian Atheists.org date=.
  56. International Religious Freedom Report 2008-Jordan US of Bureau of Democracy, Human Rights, and Labor. Visitado em 14 de março de 2014.
  57. International Religious Freedom Report 2007-Indonesia US of Bureau of Democracy, Human Rights, and Labor. Visitado em 14 de março de 2009.
  58. "Amnesty Calls for Release of Jailed Indonesian Atheist", Jakarta Globe, 15 de junho de 2012

Ligações externas[editar | editar código-fonte]