Economia da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Economia da Dinamarca
Banco Nacional da Dinamarca (banco central do país.
Moeda coroa dinamarquesa
Ano fiscal Ano calendário
Blocos comerciais OMC, União Europeia, OCDE, OSCE
Estatísticas
PIB 208,5 bilhões (2012) (54º lugar)
Variação do PIB -0,4% (2012)
PIB per capita 37 700 (2012)
PIB por setor agricultura 1,3%, indústria 22,1%, comércio e serviços 76,6% (2012)
Inflação (IPC) 2,6% (2012)
População
abaixo da linha de pobreza
13,4% (2011)
Coeficiente de Gini 0,248 (2011)
Força de trabalho total 2 848 000 (2012)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 2,6%, indústria 20,3%, comércio e serviços 77,1% (2011)
Desemprego 6,4%(2012)
Principais indústrias ferro, aço, metais não ferrosos, produtos químicos, processamento de alimentos, máquinas e equipamentos de transporte, têxteis e vestuário, eletroeletrônicos, construção civil, móveis e outros produtos de madeira, construção naval e remodelação, moinhos de vento, fármacos, equipamentos médicos
Exterior
Exportações 110,8 bilhões (2012)
Produtos exportados máquinas e equipamentos, carne e derivados, lacticínios, peixe, medicamentos, móveis, moinhos de vento
Principais parceiros de exportação Alemanha 16,9%, Suécia 13,2%, Reino Unido 9,9%, Noruega 5,7%, Estados Unidos 5,5%, Países Baixos 4,9%, França 4,3% (2011)
Importações 97,91 bilhões (2012)
Produtos importados máquinas e equipamentos, matérias-primas e produtos semielaborados, produtos químicos, grãos e outros alimentos, bens de consumo
Principais parceiros de importação Alemanha 20,8%, Suécia 13,5%, Países Baixos 7,2%, Reino Unido 6,3%, República Popular da China 6,2%, Noruega 5,8% (2011)
Dívida externa bruta 626,9 bilhões (2012)
Finanças públicas
Receitas 176,5 bilhões (2012)
Despesas 188,9 bilhões (2012)
Fonte principal: [[1] CIA World Fact Book]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A economia da Dinamarca baseia-se num mercado inteiramente moderno que inclui agricultura de alta tecnologia, indústria atualizada, quer nas pequenas empresas quer nas grandes, extensas medidas governamentais de segurança social, níveis de vida confortáveis, uma moeda estável e grande dependência do comércio externo. A Dinamarca é um exportador de alimentos e energia e tem um excedente confortável na balança de pagamentos.

A economia dinamarquesa é altamente sindicalizada; 75% da sua mão-de-obra [1] está associada a um sindicato pertencente à Confederação Dinamarquesa de Sindicatos. As relações entre os sindicatos e os patrões são de colaboração: os sindicatos têm um papel na gestão diária dos locais de trabalho, e os seus representantes têm assento no conselho de administração da maioria das empresas. As regras sobre os horários de trabalho e os salários são negociadas entre os sindicatos e os patrões, com um envolvimento mínimo por parte do governo (não existe um salário mínimo, por exemplo.

O governo tem tido sucesso em cumprir, e mesmo exceder, os critérios de convergência económica para participar na terceira fase (uma moeda europeia comum) da União Económica e Monetária (UEM), mas a Dinamarca, num referendo realizado em Setembro de 2000, reconfirmou a sua decisão de não se juntar aos 12 outros membros da UE no euro. Mesmo assim, a divisa dinamarquesa permanece indexada ao euro.

O país é o oitavo no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial.[2]

A economia dinamarquesa entrou em recessão no primeiro trimestre de 2011.[3]

Referências

Bandeira da Dinamarca Dinamarca
Bandeira • Brasão • Hino • Culinária • Cultura • Demografia • Economia • Forças Armadas • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens