Economia da Arábia Saudita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Economia da Arábia Saudita
Vista noturna de Riad.
Moeda Rial saudita
Ano fiscal Ano calendário
Blocos comerciais OMC, OPEP e outros
Estatísticas
PIB 740,5 mil milhões (2012) (23º lugar)
Variação do PIB 6% (2012)
PIB per capita 25 700 (2012)
PIB por setor agricultura 2%, indústria 66,9%, comércio e serviços 31,1% (2012)
Inflação (IPC) 4,6% (2012)
Força de trabalho total 8 012 000 (2012)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 6,7%, indústria 21,4%, comércio e serviços 71,9% (2005)
Desemprego 10,7% da população masculina (2012)
Principais indústrias produção e refino de petróleo, petroquímicos básicos, amônia, gases industriais, hidróxido de sódio, cimento, plásticos, fertilizantes, metais, conserto de navios e de aviões, construção civil
Exterior
Exportações 381,5 mil milhões (2012)
Produtos exportados petróleo e derivados 90%
Principais parceiros de exportação Japão 13,9%, República Popular da China 13,6%, EUA 13,4%, Coreia do Sul 10,2%, Índia 7,8%, Singapura 4,8% (2011)
Importações 136,8 mil milhões (2012)
Produtos importados máquinas e equipamentos, alimentos, produtos químicos, veículos a motor, têxteis,
Principais parceiros de importação China 12,8%, EUA 11,9%, Alemanha 7,1%, Coreia do Sul 6%, Japão 5,6%, Índia 4,9%, Itália 4,1% (2011)
Dívida externa bruta 127,4 mil milhões (2012)
Finanças públicas
Receitas 314,3 mil milhões (2012)
Despesas 236,2 mil milhões (2012)
Fonte principal: [[1] CIA World Fact Book]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A economia da Arábia Saudita é baseada na extração do petróleo com um forte controlo governamental sobre as principais atividades econômicas. A Arábia Saudita é o 2º país do mundo com as maiores reservas de petróleo já descobertas (atrás apenas da Venezuela)[2] , é o maior exportador de petróleo do mundo e tem papel de liderança na OPEP. O sector petrolífero é responsável por cerca de 75% das receitas orçamentais, 40% do PIB e 90% das receitas das exportações. Cerca de 35% do PIB vem do sector privado.

A Arábia Saudita foi um país-chave no bem-sucedido esforço dos países da OPEP e de outros países produtores de petróleo para subir o preço do petróleo em 1999 até ao seu valor mais elevado desde a Guerra do Golfo, através da redução da produção. O governo anunciou, em 1999, planos para começar a privatizar as companhias de eletricidade, o que se seguiu à privatização da empresa de telecomunicações. A estratégia do governo é apelar ao crescimento do sector privado a fim de diminuir a dependência do reino face ao petróleo e de aumentar as oportunidades de emprego para a crescente população saudita. A escassez de água e o rápido crescimento populacional limitam os esforços governamentais para aumentar a autossuficiência em produtos agrícolas.

Nos últimos anos, a Arábia Saudita experimentou uma diminuição significativa das receitas petrolíferas o que, combinado com a elevada taxa de crescimento populacional, fez com que o rendimento per capita tivesse caído de 25000 dólares em 1980 para 8000 em 2003.

O país é o 17.º no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial.[3]

Referências

  1. The World Factbook. Consultado em 31 de março de 2013
  2. Vanessa Barbosa (15 de agosto de 2012). Os 15 países com as maiores reservas de petróleo do mundo exame.com.br. Página visitada em 01 de outubro de 2012.
  3. The Global Competitiveness Index 2011-2012 rankings