Estado islâmico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Um estado islâmico é um tipo de governo que se fundamenta na aplicação da lei religiosa islâmica, ou "charia". Desde o início do Islão que diversos governos foram fundados como islâmicos. Entre os primeiros estados islâmicos, assinala-se aquele o próprio califado fundado pelo profeta Maomé e os sucessivos governos sob domínio de um califa (ou "sucessor" de Maomé).

No entanto, desde o século XX que o termo "estado islâmico" apresenta uma conotação específica, e cujo conceito moderno tem vindo a ser promovido por ideólogos como Abul Ala Maududi, Ruhollah Khomeini ou Sayyid Qutb. Tal como a anterior noção de califado, o estado islâmico moderno tem por base a lei islâmica e é moldado de acordo com o governo de Maomé. No entanto, ao contrário dos antigos califados, que eram monarquias déspotas, um estado islâmico moderno pode incorporar instituições políticas modernas, como a realização de eleições, parlamentos, poder judicial ou soberania popular.

Atualmente, diversos países islâmicos têm vindo a incorporar a lei islâmica nos seus sistemas jurídicos, total ou parcialmente. Alguns estados muçulmanos declaram na constituição o Islamismo enquanto religião de estado, embora não apliquem a lei islâmica nos tribunais. Os estados islâmicos que não sejam monarquias são geralmente referidos como repúblicas islâmicas.Assim como também a Guerra, começou entre Boko Haram.

Ver também[editar | editar código-fonte]