The Texas Chain Saw Massacre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
The Texas Chain Saw Massacre
Massacre no Texas (PT)
O Massacre da Serra Elétrica (BR)
 Estados Unidos
1974 • cor • 84 min 
Direção Tobe Hooper
Roteiro Kim Henkel
Tobe Hooper
Elenco Marilyn Burns
Paul A. Partain
Allen Danziger
William Vail
Teri McMinn
Edwin Neal
Jim Siedow
Gunnar Hansen
John Dugan
Robert Courtin
William Creamer
John Henry Faulk
Jerry Green
Ed Guinn
Joe Bill Hogan
John Larroquette
Género terror
Idioma inglês
Cronologia
Último
Último
The Texas Chainsaw Massacre 2
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

The Texas Chain Saw Massacre (O Massacre da Serra Elétrica (título no Brasil) ou Massacre no Texas (título em Portugal)) é um filme de terror independente de 1974, de baixo orçamento, dirigido por Tobe Hooper.

História[editar | editar código-fonte]

O filme original atingiu inacreditável sucesso ao chocar o público em 1974 com seu realismo cruel. Contudo, a história não é real. Ao longo dos anos o mito de que o enredo fosse verídico, se consolidou e ajudou a alavancar o sucesso do filme. Porém, com o tempo ficou comprovado que a história é apenas inspirada na vida do insano Ed Gein, também conhecido como O Carniceiro de Plainfield.

É considerado por muitos como um dos maiores filmes de terror de todos os tempos, tornando-se marca registrada do gênero, o que influenciou incontáveis outros filmes.

Embora o original tenha sido produzido com um orçamento inferior a US$ 150 mil, ele rendeu mais de US$ 100 milhões em todo o mundo e passou a ser reconhecido como um clássico cult entre as legiões de fãs ao redor do mundo.

Foi o primeiro e mais importante filme de uma nova tendência de violência explícita e muitas cenas de sangue com alto teor de terror psicológico. Trouxe à tona também uma das personagens mais famosas do cinema de terror, o maníaco Leatherface, considerado por muitos o modelo para outras personagens de filmes de terror.

Ainda que tenham sido filmadas várias sequências do filme original através dos anos, os realizadores perceberam no primeiro filme elementos ainda mais assustadores que foram deixados para trás. “A primeira concepção errada do original foi ele ter sido considerado um filme que destilava sangue”, explica o produtor executivo Brad Fuller. "O filme tinha momentos bastante perturbadores, mas, só quatro segundos de sangue. Ele era mais aterrorizante, conceitualmente, do que visualmente." Para tirar o projeto do papel e provocar o interesse dos distribuidores de cinema, Hooper criou um trailer que consistia numa tela negra — com apenas os sons de Leatherface — perseguindo uma jovem na velha casa. Uma visão rápida da cena foi incluída nos últimos 10 segundos, junto com o ruído da serra. O resultado foi incrivelmente positivo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Em 20 de agosto de 1973, a polícia foi chamada à remota quinta da família Sawyer, onde funcionava o matadouro local do distrito de Travis, no Texas. Foram encontrados no interior da misteriosa casa os restos de 33 vítimas humanas, uma descoberta assustadora que chocou e aterrorizou a nação, e que muitos ainda consideram o mais famoso caso de assassinato em massa de todos os tempos. Usando uma grotesca máscara feita a partir da pele do rosto de suas vítimas e usando uma motosserra, o assassino, conhecido como "Leatherface" (face de couro), virou manchete dos jornais do estado com o título A Casa do Terror Horroriza uma Nação – Massacre no Texas.

As autoridades locais teriam matado um homem que usava uma máscara de couro e afirmando que ele seria o assassino, fechando o caso, subitamente. Entretanto, nos anos que se seguiram, muitas pessoas ligadas à chacina acusaram a polícia de fazer uma péssima investigação e de saber, de antemão, que haviam matado o homem errado. Agora, pela primeira vez, o único sobrevivente do assassinato em massa quebrou o silêncio e contou a verdadeira história sobre o que aconteceu numa estrada rural desértica do Texas, quando um grupo de cinco jovens, inadvertidamente, se viu cercado por um louco com uma motosserra.

Ele deixou uma trilha de sangue e terror, que é contada neste "O Massacre da Serra Elétrica".

Elenco[editar | editar código-fonte]

Gunnar Hansen, ator que interpretou Leatherface.

Filmagens[editar | editar código-fonte]

A casa de Leatherface e sua família corresponde a uma fazenda perto de Round Rock (Texas), que foi transferida para Kingsland em 1998 e transformada em um restaurante.[1]

O filme foi rodado nas cidades de Austin, Round Rock e Bastrop, no estado do Texas. As gravações duraram cerca de quatro semanas, a partir de 15 de julho a 14 de agosto 1973. Tanto os atores quanto a equipe de filmagem consideravam duras as condições do local. A temperatura era alta durante as cenas, chegando a 36 °C em 26 de julho; a menor temperatura registrada foi de 28,3 °C em 31 de março. As janelas da casa estavam cobertas durante as filmagens, devido às cenas ambientadas à noite. A câmera utilizada foi uma Eclair NPR 16 mm, e a película com que as cenas foram filmadas exigia uma luz quatro vezes mais potente que a normal.[2]

Por causa de seu baixo orçamento, a equipe de filmagem teve que trabalhar sete dias por semana, de 12 a 16 horas por dia, além de lidar com alta umidade. Muitas das cenas foram feitas em uma fazenda decorada com móveis feitos de ossos animais, que foram cobertos com látex para dar uma aparência de pele humana.[3] Para completar a cena, o diretor de arte Robert A. Burns visitou vários lugares em busca de ossos e animais em decomposição, usados para cobrir o chão da casa.[3] A casa de Leatherface e sua família corresponde a uma fazenda que estava localizada em Quick Hill Road, perto da cidade de Round Rock. Em 1998 a casa foi transferida para Kingsland e transformado em um restaurante.[1]

Devido ao baixo orçamento, os efeitos especiais do filme eram simples e limitados.[4] O sangue usado em uma das cenas era real,[5] na cena em que Leatherface alimenta o avô. Como a equipe estava com dificuldades para produzir sangue falso, Marilyn Burns cortou o dedo com uma navalha.[6] Houve dificuldades durante as filmagens na cena em que Leatherface decapta Kirk com a motosserra. Hansen alertou o ator William Vail que se mantivesse quieto, pois Hansen não sabia lidar com a arma com muita precisão. No momento da filmagem da cena, a serra passou a poucos centímetros do rosto de Vail.[7]

Recepção[editar | editar código-fonte]

The Texas Chain Saw Massacre arrecadou mais de $30 milhões de dólares nos Estados Unidos,[8] tornando-se um dos filmes independentes mais bem sucedidos. A realização foi superada anos depois pelo filme Halloween (1978), de John Carpenter, que arrecadou $47 milhões de dólares em sua estreia.[9] O filme obteve o prêmio da crítica no Avoriaz Fantastic Film Festival em 1976.[10] A reação da crítica foi majoritariamente positiva, a revista TV Guide se refere a ele como "um filme de terror inteligente, absorvente e muito preocupante, que quase não precisa do sangue para representar a violência".[11] A revista Empire descreveu-o como "o filme de terror mais horripilante jamais filmado".[12] Dave Kehr, do Chicago Reader, escreveu: "as imagens impactam mais por sua intensidade que por sua arte, mas Hopper tem talento".[12] Christopher Null, do site Filmcritic.com, acrescentou: "em nossa consciência coletiva, Leatherface e sua serra elétrica tornaram-se tão icônicos quanto Freddy e suas navalhas ou Jason e sua máscara de hockey".[13]

Outros, no entanto, criticaram a violência do filme e seus efeitos especiais. Roger Ebert, do Chicago Sun-Times, escreveu: "The Texas Chainsaw Massacre é tão violento e horrível como o título promete... nenhum propósito aparente, a não ser o de gerar repulsa e medo... no entanto, é bem feito, bem atuado e muito eficiente".[14] O crítico Steve Crum descreveu o filme como "lixo que estabelece novos níveis de brutalidade".[15] Por sua vez, o escritor Stephen Koch, em um artigo 1976, referiu-se a The Texas Chain Saw Massacre como uma "implacável violência sádica, tão extremo e hediondo quanto uma completa falta de imaginação pode gerar".[16]

Com o passar do tempo, os comentários a The Texas Chain Saw Massacre melhoraram.[17] No website Rotten Tomatoes possui 90% de aprovação, com base em um total de 40 comentários,[18] enquanto que no Metacritic tem uma pontuação de 75/100.[19] Mike Emery, do periódico Austin Chronicle disse que o filme era "terrível, mas fascinante ao mesmo tempo... a pior parte desta visão é que, apesar de seus aspectos sensacionais, está longe de ser o que poderia ser realidade".[12] O crítico de cinema Rex Reed se refere a ele como um dos filmes mais assustadores já vistos, enquanto que o escritor Stephen King destacou seu "mérito social redentor".[20] A revista Variety comentou: "Apesar da grande quantidade de gore em The Texas Chain Saw Massacre, o filme de Tobe Hooper é bem produzido para um filme do gênero".[21]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o


Referências

  1. a b MM Pack. The Killing Fields, Kind Of (em inglês). The Austin Chronicle.
  2. Kraus, Daniel. Bone of My Bone, Flesh of My Flesh (em inglês). Gadfly.
  3. a b Triplett, Gene (6 de outubro de 2006). First 'Chain Saw' madman remains fond of grisly role (em inglês). NewsOk/The Oklahoman. Página visitada em 24 de janeiro de 2009.
  4. Freeland, Cynthia A.. The Naked and the Undead: Evil and the Appeal of Horror (em inglês). [S.l.]: Westview Press (ed.), 2002. ISBN 0813365635
  5. Weinstein, Farrah (15 de outubro de 2003). 'Chainsaw' Cuts Up the Screen (em inglês). Fox News.
  6. Hansen, Gunnar. Gunnar Hansen FAQ (em inglês). Gunnarhansen.com.
  7. Haines, Richard W.. The Moviegoing Experience, 1968-2001 (em inglês). [S.l.]: McFarland (ed.), 2003. ISBN 0786413611
  8. The Texas Chainsaw Massacre (em inglês). Box Office Mojo.
  9. Halloween (1978) (em inglês). Box Office Mojo.
  10. The Texas Chain Saw Massacre (1974) - Awards. IMDb.
  11. The Texas Chain Saw Massacre: Review (em inglês). TVGuide.com.
  12. a b c The Texas Chain Saw Massacre(1974): Reviews (em inglés). MetaCritic.
  13. Null, Cristopher. The Texas Chain Saw Massacre (1974) (em inglês). FilmCritic.com.
  14. Ebert, Roger. The Texas Chainsaw Massacre (em inglês). RogerEbert.com.
  15. Steve Crum - Rotten Tomatoes (em inglês). RottenTomatoes.com.
  16. Staiger, Janet. Perverse Spectators: The Practices of Film Reception (em inglês). [S.l.]: NYU Press (ed.), 2000. 183 p. ISBN 081478139X
  17. The Texas Chainsaw Massacre (em inglês). FilmVault.com.
  18. The Texas Chainsaw Massacre (1974) (em inglês). Rotten Tomatoes.
  19. Texas Chain Saw Massacre, The (1974) (em inglês). Metacritic.
  20. The Texas Chain Saw Massacre (Review) (em inglês). Rob Gonsalves.
  21. The Texas Chain Saw Massacre (em inglês). Variety.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]