Estação Campo Grande (CPTM)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para as estações homônimas, veja Estação Campo Grande (desambiguação).
Campo Grande
TUE Série 1400 da CPTM, estacionado na plataforma da Estação Campo Grande.
Uso antigo Bahn aus Zusatzzeichen 1024-15.svg Estação de trens urbanos
Proprietário Bandeira do estado de São Paulo.svg Governo do Estado de São Paulo
Administração RFFSA (1975–1984)
CBTU Logo2.svg CBTU (1984–1994)
CPTM icon.svg CPTM (1994–2001)
MRS Logística S.A. (1997–atualmente)
Linhas Estrada de Ferro Santos-Jundiaí
(SPR, 1889–1975)

Estrada de Ferro Santos-Jundiaí
(RFFSA, 1975–1994)

Ramal Extensão Operacional da Linha D–Bege
(CPTM, 1994–2001)
Código SP-1076
Posição Superfície
Níveis 1
Plataformas Laterais (2)
Vias Duas
Altitude 757 metros acima do nível do mar
Serviços Acesso à deficiente físico Banheiro Venda de Bilhetes Centro de Informações
Conexões Terminal rodoviário
Site CPTM icon.svg Linhas da CPTM
Informações históricas
Inauguração 01 de agosto de 1889 (130 anos)
Fechamento Meados de novembro de 2001 (18 anos)
Projeto arquitetônico São Paulo Railway Company
Localização
Localização Gnome-globe.png Estação Campo Grande
Endereço Passagem de nível na Estr. do Rio Claro, s/n - Paranapiacaba
Município BandeiraSantoAndre.svg Santo André
País  Brasil

A Estação Campo Grande, foi uma estação ferroviária construída pela São Paulo Railway Company na Estrada de Ferro Santos-Jundiaí. Ela operou como uma estação de passageiros pela ultima vez quando pertencia a extensão operacional da "Linha D–Bege", atual Linha 10–Turquesa da CPTM. Atualmente, a estação serve como estacionamento de trens cargueiros da MRS, além de atração durante o percurso do Expresso Turístico. [1] [2] [3]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Olaria de Briqueterie, na Italia

A Estação de Campo Grande foi construída pela empresa inglesa São Paulo Railway Company entre 1862 e 1867, na Serra do Mar, devido a necessidade da companhia de extrair madeira na região de Paranapiacaba para alimentar os fornos das olarias de Ribeirão Pires e São Caetano do Sul, mais ao norte, que fabricavam principalmente tijolos e objetos de cerâmica, além da fabricação de lenha e carvão, na época do Império do Brasil. Ocasionalmente, moradores das regiões lindeiras a estação, acampavam e faziam pequeniques ao ar livre, o que iniciou o serviço de passageiros na estação.

Devido ao fato da demanda de passageiros na estação nunca ter sido alta, em relação as outras estações do ramal, nem todos os trens da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí estacionavam nas plataformas da estação, fato que também se sucedeu após a linha ter sido repassada a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, que operou a estação Campo Grande e Paranapiacaba em uma extensão operacional da Linha D–Bege.

A extensão operacional da CPTM foi sendo suprimindo aos poucos pela companhia, com um ou dois trens indo e voltando entre Rio Grande da Serra e Paranapiacaba, posteriormente funcionando apenas aos finais de semana. Em novembro de 2001, a estação em conjunto com a extensão operacional foi desativada para o serviço de passageiros.

Atualmente, apenas os trens de carga da MRS e o Expresso Turístico trafegam pela estação. [4] [5] [6]

Características[editar | editar código-fonte]

Sigla Estação Inauguração Plataformas Posição Notas
N/D Campo Grande 01 de agosto de 1889 Laterais Superfície Construida pela SPR. Abandonada.

Diagrama da estação[editar | editar código-fonte]

Plataforma abandonada da estação e pátio da MRS, vistos da passarela.
Diagrama da Estação Campo Grande
Sentido Luz
1

a

b
2
Sentido Paranapiacaba

Legenda

                     Linha ferrêa

  Plataforma


Linhas

Plataforma 1 e 2: Linha D–Bege da CPTM
Via a: Sentido Luz (Embarque e desembarque)
Via b: Sentido Paranapiacaba (Embarque e desembarque)
(Obs.: Estação atualmente desativada para passageiros e parcialmente demolida.)

Referências

  1. Estações Ferroviárias do Brasil (11 de novembro de 2017). «Estação Campo Grande de 2001». Ralph Mennucci Giesbrecht. Consultado em 3 de maio de 2018 
  2. São Paulo Antiga (27 de abril de 2011). «Estação de Campo Grande (CPTM)». Douglas Nascimento. Consultado em 3 de maio de 2018 
  3. Estações Brasileiras (22 de setembro de 2012). «Estação Campo Grande». Marcelo Tomaz. Consultado em 3 de maio de 2018 
  4. Lugares Abandonados (20 de fevereiro de 2017). «Estação Abandonada de Campo Grande». Mundo Urbex. Consultado em 3 de maio de 2018 
  5. Pseudopapel (6 de março de 2011). «Mapa da Linha D da CPTM de 2001» (Imagem). Alexandre Giesbrecht. Consultado em 3 de maio de 2018 
  6. Mundo Urbex, Lugares Abandonados (4 de março de 2016). «Reportagem sobre a antiga estação Campo Grande em Santo André(YouTube)» (Vídeo). Mundo Urbex, Servidor Centrípeta. Consultado em 3 de maio de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estação Campo Grande (CPTM)


Precedido por
Rio Grande da Serra
Em operação (trecho desativado)
Linha D–Bege da CPTM
Campo Grande
Sucedido por
Paranapiacaba
Extensão Operacional (desativada)
Precedido por
Eldorado
Linha-tronco
Estrada de Ferro Santos-Jundiaí da SPR
Campo Grande
Km 34,880
Sucedido por
Alto da Serra
Linha-tronco


Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.