Gonçalo Mendes de Saldanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Gonçalo Mendes Saldanha (Lisboa, c. 1580 – 1645) foi um compositor português entre o Renascimento tardio e Barroco inicial.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Lisboa por volta de 1580.[1] Era irmão do padre António Mendes um célebre poeta latino. Orientou a sua formação musical o famoso compositor Duarte Lobo. A sua atividade encontra-se registada durante a primeira metade do século XVII.[2][3] Morreu em 1645.[1]

Obras[editar | editar código-fonte]

Escreveu missas, motetes, salmos, vilancicos e tonos que eram guardados na Bibioteca Real de Música (onde é um dos autores com maior número de obras) e na biblioteca particular do Duque de Lafões (tonos a 4 vozes).[3][4] A grande maioria destas obras foi perdida, sobreviveram:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Saldanha, Gonçalo Mendes». IMSLP 
  2. Vieira, Ernesto (1900). Diccionario Biographico de Musicos Portuguezes. Lisboa: Tipografia Matos Moreira e Pinheiro 
  3. a b Machado, Diogo Barbosa (1741). Bibliotheca Lusitana. Lisboa: Oficina de António Isidoro da Fonseca 
  4. Primeira Parte do Index da Livraria de Música do Muito Alto, e Poderoso Rei Dom João o IV, Nosso Senhor. Porto: Imprensa Portuguesa. 1649 
  5. «Manuel Mendes – Missa pro Defunctis». Ensemble da Sé de Angra 
  6. a b Abril, Omar Morales (2015). «A presença de música e músicos portugueses no vice-reinado da Nova Espanha e na província de Guatemala, nos séculos XVI-XVII». Revista Portuguesa de Musicologia. 2 (1): 151-174. ISSN 0871-9705 
  7. Stevenson, Robert (1976). Vilancicos portugueses. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]