Jerónimo Francisco de Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Jerónimo Francisco de Lima (Lisboa, 30 de Setembro de 1743 - 19 de Fevereiro de 1822) foi um compositor português.

Vida[editar | editar código-fonte]

Jerónimo Francisco de Lima após estudos no Seminário da Patriarcal de Lisboa de 1761 a 1767, foi para Nápoles, onde se formou musicalmente no Conservatório de Sant'Onofrio Porta Capuana juntamente com o colega compositor João de Sousa Carvalho. Regressou a Lisboa, foi nomeado organista e maestro do Seminário Patriarcal, em que começou a compor, especialmente serenatas dramas e música a ser cantada na corte portuguesa. Entre os seus trabalhos destaca-se Le nozze d'Ercole e d'Ebe, opera, para celebrar um casamento entre dois membros da família real, Espanhola e Portuguêsa. Em 1787, esteve ao serviço do escritor Inglês William Beckford em Sintra. Mais tarde, escreveu diversas obras sacras, em 1798, foi nomeado (maestro di cappella) do Seminário, sucedendo a João de Sousa Carvalho. Seu trabalho de ópera em "tre drammi giocosi": Lo spirito in contradizione, foi colocado em cena, em 1772, no Palácio de Inverno de Salvaterra de Magos e foi posteriormente retomado no Teatro de São Carlos, em Lisboa, caracterizado pela presença de recitativos e acompanhado por uma rica orquestração, sofrem alguma influência do estilo de Nicholas Jommelli, o compositor preferido da corte Portuguesa.

Composição (Ópera)[editar | editar código-fonte]

  • Lo spirito in contradizione (dramma giocoso, libreto de Gaetano Martinelli, 1772, Lisboa)
  • Gli orti esperidi (serenata, libreto de Pietro Metastasio, 1779, Lisboa)
  • Enea in Tracia (dramma per musica, libreto de Gaetano Martinelli, 1781, Lisboa)
  • Teseo (dramma per musica da cantarsi, libreto de Gaetano Martinelli, 1783, Lisboa)
  • O hymeneo (pequeno drama para se cantar, libreto de M. J. Dias Azedo e A. da Silva Morais, 1783)
  • La vera costanza (dramma giocoso, 1785, Lisboa)
  • Le nozze d'Ercole e d'Ebe (dramma per musica da cantarsi, 1785, Lisboa)

Outras obras (sacras e profanas)[editar | editar código-fonte]

  • O templo da glória (1802)
  • La Galatea (cantata para 5 vozes e instrumentos)
  • Dixit Dominus para 8 vozes
  • Magnificat para 4 vozes e baixo contínuo
  • Outras numerosas obras sacras

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • J. Mazza: Dicionário biográfico de músicos portugueses (Lisboa, 1944–5)
  • M.C. de Brito: Opera in Portugal in the Eighteenth Century (Cambridge, 1989)
  • M.C. de Brito: Jerónimo Francisco de Lima, no New Grove Dictionary of Music and Musicians
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.