Marlos Nobre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde maio de 2015)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2014).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
O maestro em 2013, ao receber a medalha da Ordem do Mérito Cultural.

Marlos Nobre de Almeida, artisticamente conhecido como Marlos Nobre (Recife, 18 de fevereiro de 1939) é um pianista, maestro e compositor brasileiro.

Em 2005 Marlos Nobre recebeu por unanimidade o importante Prêmio Tomás Luís de Victoria, na Espanha, atribuido pela por unanimidade pela primeira vez em sua história. Na entrega do prêmio foi lançado o livro Marlos Nobre: El sonido del realismo mágico, de Tomás Marco, editado pela Fundación Autor de Madrid, 222 páginas.

O catálogo completo de obras de Marlos Nobre alcança no presente um total de 246 obras, todas editadas por sua própria editora, a Marlos Nobre Edition. Ocupou a direção musical da Rádio MEC (1971) e do Instituto Nacional de Música da Funarte (1976). Entre 1985 e 1987 esteve na presidência do Conselho Internacional de Música da Unesco, em Paris, passando a dirigir a Fundação Cultural de Brasília em 1988. Dirigiu a Fundação Cultural do Distrito Federal entre os anos de 1986 a 1990.

Foi o primeiro brasileiro a reger a Royal Philharmonic Orchestra de Londres, em 1990. Entre outras orquestras regeu a Orchestre Philharmonique de l'ORTF em Paris; l'Orchestre de la Suisse Romande; l'Orchestre de l'Opéra de Nice, France; Orquesta Filarmónica del Teatro Colón, Orquesta Sinfónica de México, Orquesta Sinfónica de La Habana. Atualmente ocupa a cadeira nº 1 da Academia Brasileira de Música.

Principais obras[editar | editar código-fonte]

Música orquestral
  • Concertino para piano e orquestra de cordas (1959)
  • Musicamera para orquestra de câmara (1962)
  • Convergências para orquestra (1968)
  • Concerto Breve para piano e orquestra (1969)
  • Ludus instrumentalis para orquestra de câmara (1969)
  • Biosfera para orquestra de cordas (1970)
  • In Memoriam para orquestra(1973)
  • Xingu para orquestra(1989)
  • Divertimento para piano e orquestra (1965)
  • Desafio VII para piano e orquestra de cordas (1968)
  • Concerto Breve para piano e orquestra (1969)
  • Concerto para cordas nº 1 (1976)
  • Concerto para cordas nº 2 (1981)
  • Abertura Festiva para Orquestra(1982)
  • Concerto para piano e orquestra de cordas (1984)
  • Concerto para trompete e cordas (1989)
  • Concertante do imaginário para piano e orquestra (1989)
  • Quatro Danças Latinoamericanas para orquestra de camara (1989)
  • Mosaico para orquestra (1970)
  • Concerto Duplo para dois violões e orquestra (1995)
  • Passacaglia para orquestra (1997)
  • Concerto nº 1 para percussão e orquestra (2000)
  • Kabbalah para orquestra (2004)
  • Cantoria Concertante para orquestra de camara (2007)
  • Concerto nº 2 para percussão e orquestra (2009)
  • Concerto nº 3 para 2 percussões e orquestra (2011)
  • Concerto para Orquestra em 4 movimentos (2011)
Música de câmara
  • Trio para piano,violino e violoncelo (1960)
  • Canticum Instrumentale para flauta, harpa, piano e timpani (1967)
  • Quarteto de Cordas nº 1 (1967)
  • Rhythmetron para 10 percussionistas (1968)
  • Desafio I para viola e piano (1968)
  • Desafio II para violoncelo e piano (1968)
  • Desafio III para violino e piano (1968)
  • Desafio IV para contrabaixo e piano (1968)
  • Desafio V para 6 violoncellos (1968)
  • Desafio VI para orquestra de cordas (1968/2000)
  • Desafio VIII para saxofone e piano (1968)
  • Desafio IX para flauta e piano (1968)
  • Desafio X para oboé e piano (1968)
  • Desafio XI para clarinete e piano (1968)
  • Desafio XII para fagote e piano (1968)
  • Desafio XIII para trompa e piano (1968)
  • Desafio XIV para trompa e piano (1968)
  • Desafio XV para trompeta e piano (1968)
  • Desafio XVI para tuba e piano (1968)
  • Sonâncias I" para piano e percussão (1972)
  • Sonâncias II para flauta,violão piano e percussão (1980)
  • Fandango para ensemble de 8 violões (1989)
  • Sonâncias III para 2 pianos e 2 percussões (1980)
  • Quarteto de Cordas nº2 (1985)
  • Partita Latina para violoncello e piano (2002)
  • Poema I para violino e piano (2002)
  • Poema II para viola e piano (2002)
  • Poema III para violoncello e piano (2002)
  • Poema IV para contrabaixo e piano (2002)
  • Poema V para soprano e piano (2002)
  • Poema VI para flauta e piano (2002)
  • Poema VII para oboé e piano (2002)
  • Poema VIII para clarinete e piano (2002)
  • Poema IX para fagote e piano (2002)
  • Poema X para trompa e piano (2002)
  • Poema XI para trompeta e piano (2002)
  • Poema XII para trombone e piano (2002)
  • Poema XIII para barítono e piano (vocalise) (2002)
  • Poema XIV para saxofone alto e piano (2002)
  • Poema XV para harmônica e piano (2002)
  • Poema XVI para recorder contralto e piano (2002)
  • Amazonia Ignota para voz, flauta, piano, percussão (2003)
  • Mandala para violino, clarinete e piano (2008)
  • Rebossando para quinteto de percussões (2009)
  • Opus Lateinamerika para flauta e violão (2009)
  • Cantoria I para violocelo solo (2005)
  • Cantoria II para violoncelo solo (2005)
  • Cantilena I para violoncelo e piano (2009)
  • Cantilena II para violoncelo e piano (2009)
  • Cantilena III para violoncelo e piano (2009)
Piano
  • Homenagem a Ernesto Nazareth (1959)
  • Nazarethiana (1960)

Dedicada a Joel Pontes

  • Primeiro Ciclo Nordestino (1960)

Dedicada a Mozart e Araujo

  • Tema e Variacoes Op. 7 (1961)

dedicada a Nenen Medici

  • 16 Variacoes sobre um tema de Fructuoso Vianna (1962)

Dedicada a Waldemar de Oliveira

  • Toccatina, ponteio e final Op. 12 (1963)

Dedicada a Antonio Hernandez

  • Segundo Ciclo Nordestino (1963)

Dedicado a Carlos e Maria Jose Nobre

  • Sonata Breve (1966)

Dedicada a Paloma O'Shea

  • Terceiro Ciclo Nordestino (1966)
  • Homenagem a Arthur Rubinstein (1973)
  • Quarto Ciclo Nordestino (1977)

Dedicado a Leonardo Dantas Silva, Elyanna Caldas Silveira, Josephina Aguiar, Jussiara Albuquerque e Ana Lúcia Altino

  • Quatro Momentos (1977)
  • Sonata sobre um tema de Bartok (1977)
  • Tango (1984)

Dedicado a Arthur Rubinstein

  • Sonatina (1984)

Dedicada a Nelson Freire

  • Frevo 2 (2002)
  • Toccata nº 2 (2006)

Dedicada a Bernardo Scarambone

Violão
  • Momentos I,II,III, IV, Prólogo e Toccata (1984)
  • Entrada e Tango (1985)
  • Sonatina para dois violões (1989)
  • Reminiscencias (1991)
  • Rememórias (1993)
  • Sonata para violão (2011)
Música coral
  • Cantata do Chimborazo para solistas, coro e orquestra (1982)
  • Columbus para solistas, coro e orquestra (1990)
  • Yanomani para tenor, coro e violão (1980)
  • Cancioneiro de Lampião para coro a cappella (1980)
Música vocal
  • Tres Trovas para soprano e piano (1961)
  • Tres Canções para soprano e piano (1962)
  • Poemas da Negra para soprano e piano (1962)
  • Dengues da Mulata Desinteressada para soprano e piano (1966)
  • Canções de Beiramar para barítono e piano (1966)
  • Três Canções de Beiramar para soprano e piano (1999)
  • O Canto Multiplicado para voz e orquestra de cordas 1972)
  • Kleine Gedichte para barítono e piano (2000)

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais - sendo o mais recente o Prêmio Tomás Luís de Victória, e atuou como jurado em muitos concursos, citando-se o I Concurso Internacional de Piano Arthur Rubinstein (Israel); o 1º e 2º Concurso Internacional de Composição Alberto Ginastera (Buenos Aires e Las Palmas na Espanha); Reine Marie Elizabeth International Competition for composition, Bruxelles, Belgica; Concurso Internacional de Piano de Santander Espanha do qual foi vice-presidente, e outros.

Foi também condecorado com a Medalha de Ouro de Mérito Cultural de Pernambuco, como Grande Oficial da Ordem do Mérito de Brasília, e como Oficial da Ordre des Arts et des Lettres da França, entre outras condecorações.

Recebeu também o título de professor honoris causa da Universidade Federal de Pernambuco (2010), da Texas Christian Unversity (Texas) e da Universidade de Indiana (Indiana)

Outras atuações[editar | editar código-fonte]

  • Apresenta dois programas na Rádio MEC FM, do Rio de Janeiro, (Música Contemporânea e Linguagem da Música).
  • Preside o Comitê Brasileiro de Música do CIM/UNESCO, a Juventude Musical do Brasil e a Editora MARLOS NOBRE EDITION (editora de todas as obras do compositor),informações no email: marlosnobre.edition@uol.com.br

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]