Manuel Pousão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Frei Manuel Pousão (Alandroal, 1594/98 – Lisboa, 17 de junho de 1683) foi um compositor português do Barroco.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Liber Passionum, 1675

Manuel Pousão nasceu por volta de 1594/1598 no Alandroal, filho de Lourenço Rodrigues e Brites Fernandes. Aprendeu Música com o mestre António Pinheiro e entrou para a Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho a 16 de maio de 1617, baseando-se no Convento da Graça de Lisboa. Nesta comunidade desempenhou os cargos de regente do coro, mestre dos noviços e visitador da província.[1]

Morreu na cidade de Lisboa a 17 de junho de 1683, contando com quase 90 anos de idade.[1]

Obra[editar | editar código-fonte]

Compôs vilancicos, motetes e uma missa de defuntos que se encontravam em manuscritos na Biblioteca Real de Música e foram destruídos aquando do sismo de Lisboa de 1755.[1] Sobrevive parcialmente um vilancico a Santa Clara na Biblioteca Pública de Évora e um livro de cantochão que publicou em 1675 chamado Liber Passionum, et eorum quae a Dominica Palmarum, usque ad Sabbatum Sanctum cantari solent (Lyon: Tipografia de Pierre Guillimin).[1]

Obra perdida[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Vieira, Ernesto (1900). Diccionario Biographico de Musicos Portuguezes. Lisboa: Tipografia Matos Moreira e Pinheiro 
  2. Machado, Diogo Barbosa (1741). Bibliotheca Lusitana. Lisboa: Oficina de António Isidoro da Fonseca