Terra Indígena Menkragnoti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Terra Indígena Menkragnoti
Localização Região Norte do Brasil
País  Brasil
Estado Pará e Mato Grosso
Municípios Altamira, Matupá, Peixoto de Azevedo, São Félix do Xingu
Área 4 914 255 ha[1]
População 984 (Funasa, 2010[2])
Povos Kayapó
Status Regularizada
Modalidade Tradicionalmente ocupada

Terra Indígena Menkragnoti é uma Terra Indígena de 4 914 255 hectares criada em 1994 abrangendo parte do estado do Pará (municípios de Altamira e São Félix do Xingu) e Mato Grosso (municípios de Matupá e Peixoto de Azevedo), Brasil.[3]

Segundo dados recentes da FUNASA viviam nesta Terra Indígena, em 2010, 984 índios Kayapó e mais um número indefinido de índios isolados, provavelmente Mengra Mrari.[3]

A Terra Indígena foi criada após décadas de lutas e negociações que envolveram diversas pessoas como o cacique Raoni, seu sobrinho Megaron Txucarramãe e o cantor Sting.[4]

Esta Terra Indígena está dentro da Bacia hidrográfica do Rio Xingu e faz divisa com várias Terras Indígenas e Unidades de Conservação: Terra Indígena Kayapó, Terra Indígena Badjonkore, Terra Indígena Panará, Terra Indígena Baú, Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo, Floresta Estadual de Iriri, Estação Ecológica Terra do Meio, Área de Proteção Ambiental Triunfo do Xingu.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Terras indígenas». Fundação Nacional do Índio. Consultado em 3 de abril de 2014 
  2. Povos Indígenas no Brasil: 2006-2010 2011, p. 408-10.
  3. a b "Instituto Socioambiental (ISA). Povos Indígenas no Brasil.", Acesso em 10 de março de 2014.
  4. BRASIL, S. Fundação Mata Virgem demarca área Kayapó. Entrevista Megaron Txucarramãe. O Globo, 26 de novembro de 1992, página 14. Disponível no website do Instituto Socioambiental (ISA). Povos Indígenas no Brasil. [1]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]