Anexo:Lista de partidos políticos em Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma lista de partidos, coligações e agremiações políticas de Portugal desde o primeiro liberalismo até à actualidade.

Lista de partidos e coligações activas[1] [editar | editar código-fonte]

Esta lista apresenta todos os partidos existentes reconhecidos pelo Tribunal Constitucional.

Com representação parlamentar na legislatura 2011-2015[2] [editar | editar código-fonte]

Esquerda[editar | editar código-fonte]

Centro-esquerda[editar | editar código-fonte]

  • PSPartido Socialista – Fundado em 1973, à semelhança do Partido Social Democrata, é um partido de tradição social-democrata em Portugal. Há várias posições diferentes sobre as políticas do PS, que defende medidas de índole social-democrata mas que, tal como o PSD, sofreu uma viragem à direita nos anos seguintes à Revolução dos Cravos. O seu líder histórico é Mário Soares. Em 2011 passou a ter 74 deputados na Assembleia da República.

Centro-direita[editar | editar código-fonte]

Direita[editar | editar código-fonte]

  • CDS–PPCDS – Partido Popular – Fundado em 1974, o CDS é o partido com assento mais à direita do Parlamento embora a sua declaração de princípios declare que a sua ideologia é Centrista, uma vez que não acredita no Marxismo ou no Fascismo. Foi liderado por Diogo Freitas do Amaral e Adriano Moreira, entre outros. Depois de ter atravessado várias correntes ideológicas, o CDS voltou às origens e voltou a definir-se como um partido democrata-cristão. Tendo como pilares a defesa dos valores tradicionais de família e ao mesmo tempo a economia de mercado, o CDS é um partido que tem a sua base de apoio na classe média, principalmente nas regiões rurais a norte do país. O líder do partido é Paulo Portas. O CDS-PP conta actualmente com vinte e quatro deputados na Assembleia da República.

Partidos sem representação parlamentar[3] [editar | editar código-fonte]

Extrema-esquerda[editar | editar código-fonte]

Esquerda[editar | editar código-fonte]

Centro-esquerda[editar | editar código-fonte]

Centro[editar | editar código-fonte]

Centro-direita[editar | editar código-fonte]

Direita[editar | editar código-fonte]

Extrema-direita[editar | editar código-fonte]

Lista de partidos e coligações extintas da III República[editar | editar código-fonte]

Esta lista apresenta os partidos que já foram reconhecidos pelo Supremo Tribunal de Justiça ou pelo Tribunal Constitucional mas que já não existem ou cessaram a sua actividade.

Esquerda[editar | editar código-fonte]

Centro-esquerda[editar | editar código-fonte]

Centro[editar | editar código-fonte]

Centro-direita[editar | editar código-fonte]

Direita[editar | editar código-fonte]

Coligações[editar | editar código-fonte]

Outras organizações da III República[editar | editar código-fonte]

Lista de partidos e agremiações políticas durante o Estado Novo[editar | editar código-fonte]

Lista de partidos e agremiações políticas durante a I República[editar | editar código-fonte]

Lista de partidos e agremiações políticas durante a Monarquia Constitucional[editar | editar código-fonte]

Da fusão dos dois anteriores resultou o novo:

Lista de partidos e agremiações políticas durante o primeiro liberalismo[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tribunal Constitucional – "Partidos registados e suas denominações, siglas e símbolos". O TC é, em Portugal, a entidade que regula a constituição e extinção dos partidos políticos, bem como controla as suas contas.
  2. XII Legislatura (eleição em 5 de junho de 2011). Assembleia da República. Página visitada em 24 de dezembro de 2011.
  3. Eleições Legislativas 5 junho 2011. Ministério da Justiça. Página visitada em 24 de dezembro de 2011.
  4. Acordão N.º 358/02. Tribunal Constitucional. Página visitada em 11 de maio de 2010.