RTP1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Desafio Total)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde novembro de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
RTP1
Tipo Rede de televisão pública e comercial
País Portugal Portugal
Fundação 7 de março de 1957 (61 anos)
Pertence a Rádio e Televisão de Portugal
Cidade de origem Flag of Lisboa.svg Lisboa, Distrito de Lisboa
Slogan Continua - desde 7 de março de 2016 (2 anos)
Formato de vídeo 16:9
576i (SDTV)
1080i (HDTV)
Audiência 12.2% (maio de 2018)[1]
Canais irmãos RTP2
RTP3
RTP Memória
RTP Açores
RTP Madeira
RTP África
RTP Internacional
RTP1 HD
Cobertura Portugal Portugal
Nome(s) anterior(es) RTP (1957 - 1968)
I Programa (1968 - 1978)
RTP Canal 1 (1989 - 1990)
Canal 1 (1990 - 1996)
Página oficial http://rtp.pt/rtp1
Disponibilidade aberta e gratuita
TDT
1
Disponibilidade por satélite
MEO
1 (SD)
201 (HD)
NOS
1 (SD)
Disponibilidade por cabo
NOS
1
201 (HD)
NOWO
1 (SD)
201 (HD)
Disponibilidade via ADSL
MEO
1 (SD)
201 (HD)
Vodafone
1 (SD)
201 ou 999 (HD)

A RTP1 é o principal canal de televisão da RTP – Rádio e Televisão de Portugal e o primeiro canal português de rádio e televisão. É um canal generalista com componente comercial e que privilegia a ficção nacional, a informação, o desporto e o entretenimento.

História[editar | editar código-fonte]

As emissões experimentais da RTP iniciaram-se a 4 de setembro de 1956, nas antigas instalações da Feira Popular, em Lisboa.

As emissões regulares só se iniciariam a 7 de março de 1957.[2]

Em abril de 1958, a Televisão cobria 44% do território nacional e chegava a cerca de 58% da população, só atingindo todo o país em meados dos anos 60.

A RTP1 emite ainda hoje o programa de informação mais antigo de Portugal: o Telejornal. Foi para o ar pela 1ª vez a 19 de outubro de 1959.

A RTP1 foi o único canal de televisão que existiu em Portugal até 25 de dezembro de 1968, altura em que abriu a RTP2, sendo o serviço de televisão português mais antigo de Portugal.

Após 1974, a compra de televisores em Portugal expandiu-se rapidamente e a audiência da RTP aumentou exponencialmente.

Em 1976, com as eleições legislativas iniciaram-se as primeiras emissões a cores, que voltaram em 1979 e se tornaram regulares a partir de 7 de março de 1980.

A RTP1 mudou de nome em 1990 para chamar-se "Canal 1", mas em 1996, regressou ao seu antigo nome "RTP1" para reforçar a identidade do serviço público frente às suas concorrentes privadas, na altura, SIC e TVI.

A RTP1 foi o primeiro canal em audiências até 1995. Hoje em dia é o terceiro.

Direção[editar | editar código-fonte]

Diretores de Programas[editar | editar código-fonte]

Técnica[editar | editar código-fonte]

As emissões a cores com o sistema PAL iniciaram-se oficialmente em 7 de março de 1980. Emitiu os Jogos sem fronteiras em setembro de 1979 a cores, por obrigação europeia. Antes disso, em 25 de abril de 1976, a RTP transmitiu experimentalmente a cores o acto eleitoral para a Assembleia da República, com recurso ao sistema SECAM.

A RTP1 tem desde 2009 um canal que emite certos programas do canal em 16:9 e em alta definição nas redes de televisão paga.

Depois da RTP2 iniciar em maio de 2012, vem a 8 de junho, a vez da RTP1 iniciar as transmissões regulares em 16:9 no canal SD, com a transmissão da cerimónia de abertura do Euro 2012 e o jogo Polónia-Ucrânia integralmente neste formato.

A 14 de janeiro de 2013, a RTP1 passa a difundir exclusivamente no formato 16:9. A 13 de julho de 2015, a RTP1 passou a transmitir também a informação no formato 16:9, sendo assim o primeiro canal generalista a fazer-lo, garantindo melhor qualidade de imagem.

RTP1 HD[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: RTP1 HD

A RTP1 HD, é um canal de televisão em alta definição, responsável por transmitir alguns conteúdos da RTP1 em HD. Está apenas disponível nas plataformas de tv por subscrição. O canal nasceu em 2008, para a transmissão integral dos Jogos Olímpicos de Pequim em alta definição.

Até ao final de 2008, este canal, não voltou a emitir. Em 2009 e 2010, transmitiu os 11 jogos de futebol da época da UEFA Champions League. Em 2010 transmitiu também as três sessões da edição do Festival RTP da Canção, assim como as Marchas Populares de Santo António e ainda os jogos de futebol do Mundial de 2010.

Voltou a transmitir entre 2010 e 2011, os jogos de futebol da UEFA Champions League, tal como os jogos de preparação da Selecção Nacional para o Euro 2012. Transmitiu ainda a reposição da série O Dia do Regicídio, em HD. Actualmente, transmite alguns jogos de futebol em directo e algumas séries.

A 31 de Maio de 2014, o canal transmitiu, pela primeira vez no mundo, em Ultra HD (UHD) no jogo de preparação para o Mundial 2014, Portugal X Grécia em parceria com a MEO, por enquanto para testes.

Até 2017, a RTP1 irá estar totalmente em alta definição, mais provavelmente no segundo semestre de 2017 (altura da reentré televisiva) assim dará mais e melhor qualidade aos telespectadores.[5]

Programas[editar | editar código-fonte]

Logótipos[editar | editar código-fonte]

  • Março de 1957 - 1959 - O primeiro logótipo da RTP1 tinha no fundo um círculo vermelho com um oval branco e uma antena de um televisor antigo. O "R" estava no lado esquerdo e o "P" no lado direito, assim que o "T" estava dentro de um escudo cinzento-claro. (Entre 1968 e 1978 muda de nome para I Programa para se distinguir da RTP2).
  • 1959 - 1976 - A RTP1 lançou um novo logótipo ligeiramente semelhante ao anterior: no fundo, o oval amarelo com uma antena de um televisor antigo e uma esfera no meio.
  • 1976 - 1978 - O novo logótipo era muito semelhante ao anterior, só que a esfera amarela deixou de estar no centro do logótipo.
  • Outubro de 1978 - 1981 - O logótipo estreou a 16 de Outubro de 1978. Apresentava-se um semicírculo e um traço à direita, ambos com quatro traços. "RTP-1" ficava no lado direito do logótipo. (A partir daí passou a ser chamado de RTP1).
  • 1981 - 1983 - O novo logótipo apresenta-se um retângulo com contorno azul, com "RTP" em baixo com o número "1" no cimo.
  • Julho de 1983 - Outubro de 1983 - O "1" passou a ser vermelho e ao lado esquerdo da palavra "RTP". Nas vinhetas, as letras da RTP1 flutuavam no espaço exterior. Este logótipo extinguiu-se em 17 de Outubro de 1983.
  • Outubro de 1983 - Março de 1984 - O novo logótipo foi caracterizado por um círculo de contorno branco e fundo vermelho com o "1" branco dentro dele. Nas vinhetas, este "1" só aparecia depois de representar a palavra "RTP", incluindo as duas curvas de três cores cada uma, que estava no meio destas curvas. Estreou a 18 de Outubro de 1983.
  • Março de 1984 - Dezembro de 1985 - Este logótipo foi estreado a 23 de Março de 1984. Foi caracterizado por um retângulo vermelho com as letras gordas da "RTP1" com alguns traços às riscas brancas.
  • Dezembro de 1985 - Outubro de 1986 - Foi caracterizado por um retângulo branco com as letras da "RTP1" azuis, sendo que o "1" está isolado de "RTP" por um risco diagonal. Este logótipo extinguiu-se a 17 de Outubro de 1986.
  • Outubro de 1986 - Setembro de 1989 - Este logótipo estreou a 17 de Outubro de 1986. O "1" estava rodeado de um círculo azul, um quadrado verde e um triângulo vermelho, incluído, à sua esquerda, a palavra "RTP". Em 1987, o logótipo foi renovado no 30.º aniversário da RTP. Em 1988, o seu grafismo mudou de 2D para 3D, consistindo numa esfera azul, num cubo verde e numa pirâmide triangular vermelho, formando, igualmente, o número 1.
  • Setembro de 1989 - Setembro de 1990 - Este logótipo consiste num quadrado de fundo lilás, ciano e azul com um número 1 e as palavras "RTP" e "CANAL" a verde. Este logótipo foi extinto em 16 de Setembro de 1990.
  • Setembro de 1990 - Abril de 1996 - Neste intervalo de tempo, era chamado de Canal 1 da RTP. Habitualmente, o fundo era frequentemente azul, com a palavra "Canal 1". Dentro do C maiúsculo, possui uma esfera amarela dividida horizontalmente em quatro partes. Em 1995, o grafismo das vinhetas era o seguinte: um fundo azul escuro com tracinhos amarelos, esferas dourados a tocarem na água, e o desenho em 3D do C com a esfera amarela e o número 1.
  • Setembro de 1990 - Abril de 1996 - Neste intervalo de tempo, era chamado de Canal 1 da RTP. Habitualmente, o fundo era frequentemente azul, com a palavra "Canal 1". Dentro do C maiúsculo, possui uma esfera amarela dividida horizontalmente em quatro partes. Em 1995, o grafismo das vinhetas era o seguinte: um fundo azul escuro com tracinhos amarelos, esferas dourados a tocarem na água, e o desenho em 3D do C com a esfera amarela e o número 1. Este lógotipo extinguiu-se em 28 de Abril de 1996.
  • Abril de 1996 - Outubro de 1998 - Este logótipo consistia num retângulo azul-claro com o número 1 a branco. Em baixo, estava lá a palavra "RTP" num fundo azul-escuro. Extinguiu-se em 11 de Outubro de 1998.
  • Outubro de 1998 - Janeiro de 2002 - Este logótipo era muito semelhante ao anterior, sendo que o fundo era mais escuro do que o anterior, possuindo uma listra branca, e a palavra "RTP" estava dentro de um fundo branco.

Evolução do logótipo[editar | editar código-fonte]

Audiências[editar | editar código-fonte]

Ano Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Média anual
1992 72,2% ()[6]
1993 61,5% ()[7]
1994 46,9% ()[8]
1995 38,4% (2º)[9]
1996 32,6% (2º)[10]
1997 33,0% (2º)[11]
1998 31,5% (2º)[12]
1999 28,5% (2º)[13]
2000 24,3% (2º)[14]
2001 20,1% (3º)[15]
2002 21,1% (3º)[16]
2003 23,8% (3º)[17]
2004 24,7% (3º)[18]
2005 24,0% (3º)[19] 24,9% (3º)[20] 24,5% (3º)[21] 23,8% (3º)[22] 23,1% (3º)[23] 22,0% (3º)[24] 21,8% (3º)[25] 22,7% (3º)[26] 23,0% (3º)[27] 24,7% (2º)[28] 24,9% (3º)[29] 23,8% (3º)[30] 23,6% (3º)[31]
2006 24,0% (3º)[32] 25,0% (2º)[33] 25,8% (2º)[34] 24,3% (2º)[35] 24,6% (2º)[36] 23,0% (3º)[37] 21,6% (3º)[38] 23,3% (3º)[39] 24,7% (3º)[40] 25,6% (3º)[41] 26,4% (3º)[42] 25,6% (3º)[43] 24,5% (3º)[44]
2007 26,4% (3º)[45] 26,3% (3º)[46] 27,6% (2º)[47] 25,1% (3º)[48] 25,0% (3º)[49] 24,4% (3º)[50] 22,2% (3º)[51] 23,7% (2º)[52] 24,3% (2º)[53] 26,0% (2º)[54] 26,6% (2º)[55] 25,3% (2º)[56] 25,2% (2º)[57]
2008 25,1% (3º)[58] 24,2% (3º)[59] 23,9% (3º)[60] 23,4% (3º)[61] 24,0% (3º)[62] 20,7% (3º)[63] 21,7% (3º)[64] 22,5% (3º)[65] 23,3% (2º)[66] 25,2% (2º)[67] 25,8% (2º)[68] 25,5% (2º)[69] 23,8% (3º)[70]
2009 25,4% (3º)[71] 25,9% (2º)[72] 24,3% (2º)[73] 23,2% (2º)[74] 23,2% (2º)[75] 22,2% (3º)[76] 21,9% (3º)[77] 24,2% (2º)[78] 24,4% (2º)[79] 23,9% (2º)[80] 24,6% (2º)[81] 24,9% (2º)[82] 24,0% (2º)[83]
2010 24,5% (2º)[84] 24,7% (3º)[85] 23,5% (3º)[86] 23,8% (2º)[87] 23,7% (2º)[88] 24,6% (2º)[89] 23,6% (2º)[90] 24,3% (2º)[91] 23,0% (2º)[92] 24,3% (2º)[93] 25,4% (2º)[94] 24,5% (2º)[95] 24,2% (2º)[96]
2011 23,4% (3º)[97] 22,9% (2º)[98] 23,0% (3º)[99] 21,5% (3º)[100] 22,4% (3º)[101] 22,4% (3º)[102] 20,1% (3º)[103] 20,6% (3º)[104] 19,0% (3º)[105] 19,7% (3º)[106] 22,8% (2º)[107] 21,2% (3º)[108] 21,6% (3º)[109]
2012 19,8% (3º)[110] 20,1% (3º)[111] 14,2% (3º)[112] 14,0% (3º)[113] 14,1% (3º)[114] 14,8% (3º)[115] 13,7% (3º)[116] 14,0% (3º)[117] 14,1% (3º)[118] 14,1% (3º)[119] 13,6% (3º)[120] 13,0%[121] 18,5% (3º)[122]
2013 12,4% (3º)[123] 11,5% (3º)[124] 12,5% (3º)[125] 11,5% (3º)[126] 11,8% (3º)[127] 13,7% (3º)[128] 12,5% (3º)[129] 13,7% (3º)[130] 13,6% (3º)[131] 14,6% (3º)[132] 15,6% (3º)[133] 14,6% (3º)[134] 13,2% (3º)[135]
2014 14,9% (3º)[136] 16,0% (3º)[137] 15,7% (3º)[138] 14,2% (3º)[139] 14,9% (3º)[140] 19,7% (2º)[141] 17,0% (3º)[142] 14,4% (3º)[143] 14,5% (3º)[144] 15,4% (3º)[145] 16,3% (3º)[146] 15,0% (3º)[147] 15,6% (3º)[148]
2015 15,9% (3º)[149] 16,0% (3º)[150] 15,6% (3º)[151] 14,4% (3º)[152] 14,3% (3º)[153] 15,4% (3º)[154] 14,0% (3º)[155] 14,0% (3º)[156] 13,6% (3º)[157] 14,7% (3º)[158] 15,3% (3º)[159] 14,2% (3º)[160] 14,8% (3º)[161]
2016 13,8% (3º) 13,9% (3º) 14,0% (3º) 13,0% (3º) 12,7% (3º) 16,2% (3º) 15,0% (3º) 12,6% (3º) 12,4% (3º) 13,4% (3º) 14,2% (3º) 13,1% (3º) 13,7% (3º)[162]
2017 12,9% (3º)[163] 12,8% (3º)[164] 12,7% (3º)[165] 11,3% (3º)[166] 13,7% (3º)[167] 14,0% (3º)[168] 11,1% (3º)[169] 11,7% (3º)[170] 11,7% (3º)[171] 12,5% (3º)[172] 12,4% (3º)[173] 12,2% (3º)[174] 13,7% (3º)[175]
2018 12,1% (3º)[176] 11,9% (3º)[177] 12,0% (3º)[178] 11,5% (3º)[179] 12,6% (3º)[180] 14,1% (3º)[181] 11,9% (3º)[182]

Referências

  1. «Top 30 ( SHR% - Universo ) (1)». Comissão de Análise de Estudos de Meios. 12 de maio de 2018. Consultado em 13 de maio de 2018 
  2. «História». RTP. Consultado em 29 de março de 2018 
  3. Ana Machado (15 de janeiro de 2008). «RTP: José Fragoso é o novo director de programas e José Alberto Carvalho é director de informação». Público. Consultado em 1 de fevereiro de 2018 
  4. «Hugo Andrade é o novo director de programas da RTP». Jornal de Notícias. 28 de junho de 2011. Consultado em 1 de fevereiro de 2018 
  5. «RTP1 deverá ser integralmente HD em 2017. Restantes canais até 2020». shifter.pt. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  6. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  7. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  8. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  9. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  10. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  11. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  12. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  13. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  14. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  15. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  16. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  17. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  18. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  19. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~6f6.aspx
  20. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~73a.aspx
  21. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~784.aspx
  22. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~7bd.aspx
  23. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~801.aspx
  24. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~842.aspx
  25. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~879.aspx
  26. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~8be.aspx
  27. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~8f8.aspx
  28. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~93f.aspx
  29. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~979.aspx
  30. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~9b9.aspx
  31. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  32. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~a0a.aspx
  33. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~a32.aspx
  34. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~a71.aspx
  35. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~ab4.aspx
  36. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~afd.aspx
  37. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~b30.aspx
  38. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~b6f.aspx
  39. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~bd1.aspx
  40. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~c0f.aspx
  41. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~c50.aspx
  42. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~c8a.aspx
  43. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~cbe.aspx
  44. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  45. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~cfa.aspx
  46. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~d2e.aspx
  47. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~d75.aspx
  48. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~db8.aspx
  49. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~df9.aspx
  50. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~e2e.aspx
  51. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~e6a.aspx
  52. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~ebe.aspx
  53. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~efd.aspx
  54. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~f40.aspx
  55. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~f80.aspx
  56. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~fb3.aspx
  57. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  58. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~fec.aspx
  59. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~101c.aspx
  60. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1055.aspx
  61. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~108c.aspx
  62. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~10be.aspx
  63. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~10f1.aspx
  64. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1129.aspx
  65. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1163.aspx
  66. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1194.aspx
  67. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~11d5.aspx
  68. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~120e.aspx
  69. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1249.aspx
  70. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  71. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1285.aspx
  72. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~12b7.aspx
  73. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~12ef.aspx
  74. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1322.aspx
  75. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1355.aspx
  76. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~138b.aspx
  77. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~13fa.aspx
  78. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~13f1.aspx
  79. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~141f.aspx
  80. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1447.aspx
  81. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1477.aspx
  82. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~14a4.aspx
  83. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  84. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~14c8.aspx
  85. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~14f3.aspx
  86. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1536.aspx
  87. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1558.aspx
  88. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~158e.aspx
  89. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~15b8.aspx
  90. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~15e3.aspx
  91. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1622.aspx
  92. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~164e.aspx
  93. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1678.aspx
  94. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~16aa.aspx
  95. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~16d4.aspx
  96. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  97. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1704.aspx
  98. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1731.aspx
  99. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~175a.aspx
  100. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1785.aspx
  101. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~17b9.aspx
  102. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~17df.aspx
  103. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~180d.aspx
  104. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1835.aspx
  105. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1859.aspx
  106. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1892.aspx
  107. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~18b7.aspx
  108. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~18e2.aspx
  109. http://www.gmcs.pt/pt/audiencias-20121224-161814
  110. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1915.aspx
  111. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1937.aspx
  112. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-marco-2012-2/
  113. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-abril-2012/
  114. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-maio-2012/
  115. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-junho-2012/
  116. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-julho-2012/
  117. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-agosto-2012/
  118. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-setembro-2012/
  119. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-outubro-2012/
  120. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-novembro-2012/
  121. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-dezembro-2012/
  122. https://www.marktest.com/wap/a/n/id~1ada.aspx
  123. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-janeiro-2013/
  124. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-fevereiro-2013/
  125. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-marco-2013/
  126. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-abril-2013/
  127. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-maio-2013/
  128. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-a-lupa-junho-2013/
  129. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-julho-2013/
  130. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-agosto-2013/
  131. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-setembro-de-2013/
  132. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-outubro-de-2013/
  133. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-novembro-2013/
  134. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-dezembro-de-2013/
  135. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-ano-de-2013/
  136. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-janeiro-de-2014/
  137. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-fevereiro-de-2014/
  138. https://www.atelevisao.com/rubricas/audiencias-a-lupa/audiencias-lupa-marco-de-2014/
  139. http://binaries.cdn.impresa.pt/dealer/2246924/AUDIENCIAS-Abril+20144205681231226447556.pdf
  140. http://binaries.cdn.impresa.pt/dealer/2329873/AUDIENCIAS-MAIO-20143198346320965466193.pdf
  141. http://binaries.cdn.impresa.pt/dealer/2402921/AUDIENCIAS-JUNHO20142639291734812764419.pdf
  142. http://binaries.cdn.impresa.pt/dealer/2565952/AUDIENCIAS-AGOSTO2014433772372462509392.pdf
  143. http://binaries.cdn.impresa.pt/dealer/2565952/AUDIENCIAS-AGOSTO2014433772372462509392.pdf
  144. http://binaries.cdn.impresa.pt/dealer/2746512/AUDIENCIAS-SETEMBRO+20146652768519762122574.pdf
  145. http://binaries.cdn.impresa.pt/dealer/b4c/e63/2906301/AUDIENCIAS-NOV2014588049782204003911.pdf
  146. http://binaries.cdn.impresa.pt/dealer/b4c/e63/2906301/AUDIENCIAS-NOV2014588049782204003911.pdf
  147. http://binaries.cdn.impresa.pt/a09/620/3061311/AUDI%25C3%258ANCIAS-JAN2015.pdf
  148. https://espalhafactos.com/2015/01/01/audiencias-rtp1-foi-a-unica-a-crescer-em-2014/
  149. http://binaries.cdn.impresa.pt/a09/620/3061311/AUDI%25C3%258ANCIAS-JAN2015.pdf
  150. http://binaries.cdn.impresa.pt/339/3d7/3145554/AUDI%25C3%258ANCIAS-FEV2015.pdf
  151. http://binaries.cdn.impresa.pt/8da/e71/3245373/AUDI%25C3%258ANCIAS-MAR+2015.pdf
  152. http://binaries.cdn.impresa.pt/15d/150/5499828/AUDI%25C3%258ANCIAS-ABR+2015.pdf
  153. http://binaries.cdn.impresa.pt/082/183/5656891/AUDI%25C3%258ANCIAS-MAI+2015.pdf
  154. http://binaries.cdn.impresa.pt/593/f87/5748793/AUDI%25C3%258ANCIAS-JUN+2015.pdf
  155. http://binaries.cdn.impresa.pt/463/49d/6045860/AUDIENCIAS-AGO2015.pdf
  156. http://binaries.cdn.impresa.pt/463/49d/6045860/AUDIENCIAS-AGO2015.pdf
  157. http://binaries.cdn.impresa.pt/3ac/7a1/6137041/AUDIENCIAS-SET2015.pdf
  158. http://binaries.cdn.impresa.pt/117/4d3/7368729/AUDIENCIAS-OUT2015.pdf
  159. http://binaries.cdn.impresa.pt/e3b/74a/7466771/AUDIENCIAS-Nov2015.pdf
  160. http://binaries.cdn.impresa.pt/e86/458/8053175/AUDIENCIAS-DEZ2015.pdf
  161. hhttp://www.zapping-tv.com/audiencias-oficiais-de-2016-veja-como-ficaram-a-medias-anuais-deste-ano/
  162. http://www.zapping-tv.com/audiencias-oficiais-de-2016-veja-como-ficaram-a-medias-anuais-deste-ano/
  163. http://binaries.cdn.impresa.pt/474/9e6/10339849/AUDIENCIAS-JAN17.pdf
  164. http://binaries.cdn.impresa.pt/304/6f9/10600251/AUDIENCIAS-MAR17.pdf
  165. http://binaries.cdn.impresa.pt/304/6f9/10600251/AUDIENCIAS-MAR17.pdf
  166. http://binaries.cdn.impresa.pt/9c7/ca6/10865777/AUDIENCIAS-MAI-2017docx.pdf
  167. http://binaries.cdn.impresa.pt/9c7/ca6/10865777/AUDIENCIAS-MAI-2017docx.pdf
  168. http://www.zapping-tv.com/audiencias-tv-em-junho-de-2017-consolidado/
  169. http://binaries.cdn.impresa.pt/18b/41e/11223848/AUDIENCIAS-AGO2017.pdf
  170. http://binaries.cdn.impresa.pt/18b/41e/11223848/AUDIENCIAS-AGO2017.pdf
  171. http://binaries.cdn.impresa.pt/eb2/2d1/11472972/AUDIENCIAS-OUT17-.pdf
  172. http://binaries.cdn.impresa.pt/eb2/2d1/11472972/AUDIENCIAS-OUT17-.pdf
  173. http://binaries.cdn.impresa.pt/a36/64d/11702912/AUDIENCIAS-DEZ17.pdf
  174. http://binaries.cdn.impresa.pt/a36/64d/11702912/AUDIENCIAS-DEZ17.pdf
  175. http://www.meiosepublicidade.pt/2018/01/audiencias-tv-os-canais-programas-vistos-2017/
  176. http://binaries.cdn.impresa.pt/da3/291/11845329/AUDIENCIAS-JAN18.pdf
  177. http://binaries.cdn.impresa.pt/7d1/9fd/11996139/AUDIENCIAS-FEV18.pdf
  178. http://binaries.cdn.impresa.pt/355/81e/12330797/AUDIENCIAS-ABR18.pdf
  179. http://binaries.cdn.impresa.pt/355/81e/12330797/AUDIENCIAS-ABR18.pdf
  180. http://binaries.cdn.impresa.pt/713/368/12684455/AUDIENCIAS-JUN18-junho-2018.pdf
  181. http://binaries.cdn.impresa.pt/713/368/12684455/AUDIENCIAS-JUN18-junho-2018.pdf
  182. http://binaries.cdn.impresa.pt/d2a/372/12885162/AUDIENCIAS-JUL18-.pdf

Ligações externas[editar | editar código-fonte]