Osvaldo Cruz Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Osvaldo Cruz
Osvaldo Cruz FC.png
Nome Osvaldo Cruz Futebol Clube
Alcunhas Azulão
Mascote Leão
Estádio Breno Ribeiro do Val
Capacidade 11.784 lugares
Presidente Brasil Carlos Aparecido Vitorio Pinoza
Treinador Brasil Gilmar Tadeu
Competição São Paulo Campeonato Paulista - Segunda Divisão
São PauloA3 2012 19º Colocado (rebaixado)
São PauloA3 2011 14º Colocado
São PauloA2 2010 17º Colocado (rebaixado)
Website http://www.facebook.com/osvaldocruzfcoficial
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Osvaldo Cruz Futebol Clube é um clube brasileiro de futebol da cidade de Osvaldo Cruz, interior do estado de São Paulo. Disputara nesse ano o Campeonato Paulista de Futebol - Segunda Divisão .

História[editar | editar código-fonte]

Antes do Osvaldo Cruz FC, a cidade de Osvaldo Cruz já possuia diversas equipes de futebol profissionais representando a cidades nos campeonatos estaduais como o Califórnia FC, Bandeirantes FC e a Associação Esportiva Osvaldo Cruz, todos extintos. Em 2004 a prefeitura de Osvaldo Cruz decidiu que a cidade precisava de um time de futebol profissional. A primeira tentativa foi refundar a velha Associação Esportiva Osvaldo Cruz, que havia disputado campeonatos profissionais nas décadas de 1970 e 1980 e que estava falida desde 1987, mas os custos proibitivos das taxas cobradas pela Federeção Paulista impediram o intento. Surgiu então o a ideia de criar o Osvaldo Cruz Futebol Clube.

Fundado em 17 de fevereiro de 2004, com o intuito de desenvolver o futebol profissional e o esporte na cidade, o clube é popularmente conhecido como Azulão da Alta Paulista, referência às cores e à região onde o clube manda seus jogos.

Uma parceria com o Marília Atlético Clube trouxe jogadores e comissão técnica para o nascente clube. A cidade já possuía um estádio municipal com capacidade suficiente para os jogos das divisões inferiores do campeonato paulista. E assim, o clube foi inscrito para disputar a série B1-B (na prática a quinta divisão) do Campeonato Paulista de Futebol.

A estreia oficial do time foi no dia 18 de abril de 2004 contra o Prudentino em Presidente Prudente. Apesar da vitória de 2 a 1 o time não foi tão bem no campeonato e não conseguiu o acesso para a quarta divisão. Mas o Osvaldo Cruz Futebol Clube deu sorte: no ano seguinte a Federação Paulista de Futebol aboliu as séries B1-A e B1-B e criou a série B1. Na prática o que aconteceu foi que a quinta divisão foi extinta e última divisão do futebol no estado passou a ser a quarta divisão. Assim o Osvaldo Cruz Futebol Clube subiu seu primeiro degrau.

Em 2005 acabaria sendo o melhor ano para o Osvaldo Cruz FC. Com uma ótima campanha, superando todas as fases de um campeonato com muitos clubes, chega ao vice-campeonato da série B ao perder a final para o São Carlos Futebol Ltda., na casa do adversário. Mas consegue o seu segundo acesso, agora para a série A3. Faz também boa campanha na Copa Federação Paulista de Futebol daquele ano.

Em 2006, na Série A3, o time conseguiu novo acesso no futebol paulista, para a Série A2. Desta vez, ao ficar entre os quatro primeiros colocados, junto com São José, XV de Jaú e Botafogo de Ribeirão, que foi o campeão.

A Prefeitura da cidade começa então um grande esforço para ampliar o Estádio Breno Ribeiro do Val para 15 mil lugares para viabilizar a participação do time na série A2. Apesar de muitas polêmicas a reforma é terminada a tempo do time estrear na série A2. Apesar disso, a reforma é interditada logo depois do final do campeonato por problemas em sua estrutura.

Disputando a série A2 mais competitiva de todos os tempos em 2007 e jogando contra vários times grandes como Portuguesa de Desportos, Guarani e Botafogo-RP, o Osvaldo Cruz faz péssima campanha e é rebaixado para a série A3.

Em 2008 disputa a Série A3 e não consegue classificação para a segunda fase, ficando em 12º lugar.

Em 2009 se classifica em 8º lugar na fase de classificação da série A3. Faz uma excelente campanha no quadrangular final e termina em 2º lugar no seu grupo, o que garante a equipe na série A2 no ano de 2010, juntamente com Grêmio Osasco, Pão de Açúcar e Votoraty.[1]

Em 2010 disputou a Série A2, terminando em 17º lugar e sendo rebaixado novamente para a Série A3. Em 2011 foi o 14º colocado na série A3, não conseguindo classificação para a próxima fase, mas escapando do rebaixamento.

No ano de 2012 faz péssima campanha e é rebaixado para a Série B (Quarta Divisão), torneio que não disputa desde 2005.

No ano de 2013, o clube fez uma modesta campanha não passando da primeira fase, ficando em quarto lugar do grupo 2 com 11 pontos conquistado com 3 vitórias, 2 empates e 3 derrotas.

No ano de 2014, a equipe novamente não passou da primeira fase da Segundona Paulista, terminando na 4ª colocação do grupo 1, com 14 pontos, sendo eliminado no saldo de gols. [2] Em 2015, a equipe novamente foi eliminada na primeira fase da Segundona Paulista, terminando no último lugar do grupo 1, tendo perdido 21 pontos devido à escalação de jogadores irregulares.[3] Em 2016, a equipe mais uma vez não passa da primeira fase, terminando na 7ª colocação do grupo 1, com apenas 6 pontos.[4]

Um dos maiores jogadores da historia do clube é Cicinho, lateral direito e ex jogador do Palmeiras, o qual hoje joga na Espanha, no time do Sevilla e com passagens pelo Ituano, Oeste e também pelo Santo André.

Elenco Atual[editar | editar código-fonte]

A FPF prevê que cada clube inscreva 28 jogadores para uma competição. O Osvaldo Cruz tem 25 jogadores inscritos oficialmente, mas os goleiros Bruno (24 anos) e Felipe (21 anos), os zagueiros Aslan (23 anos), Max (20 anos) e Vitor Salmaso (22 anos), os laterais-direitos Diego (25 anos) e Júlio César (23 anos), os laterais-esquerdos Glauton (22 anos) Paulo(17 anos), os volantes Cedenesi (32 anos) e Luan (25 anos), os meias Rafinha (20 anos) e James (21 anos), e os atacantes Alex Carvalho (22 anos), Clayton (29 anos), Dagoberto (18 anos), Edgar (23 anos), Lucas Portuga (20 anos) e Washington Leite (23 anos), deixaram o clube por não receberem salários, além de moradias e alimentação precárias, com o clube cogitando abandonar a Segunda Divisão. Depois de o elenco praticamente todo ir embora da cidade, a empresa que gere as categorias de base do clube assumiu o controle e relacionou 8 jogadores da base (Sub-17) para a partida diante do Tanabi, com participação do volante Jádson, do meia Alex e do atacante Washington, que já estavam no elenco, com o árbitro citando na súmula que o técnico Alexandre Narbal se responsabilizou pela participação dos atletas listados como restritos (o goleiro Sidney (16 anos), os zagueiros João Victor (17 anos) e Dallalba (17 anos), o lateral-direito Cleiton (17 anos), o lateral-esquerdo Pedro Pires (17 anos), os meias John (18 anos) e Caio Henrique (17 anos) e o atacante Rodrigo (17 anos)).

Outra regra é que o clube poderá relacionar para um jogo apenas 3 jogadores com mais de 23 anos. O Osvaldo Cruz conta com o zagueiro Adinan (27 anos) com jogador acima da idade.

Goleiros
Jogador
Brasil Sidney
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Adinan Lesionado Z
Brasil Dallalba Z
Brasil João Victor Z
Brasil Cleiton LD
Brasil Pedro Pires LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Jádson V
Brasil Leonnes V
Brasil Marcos Foguinho V
Brasil Alex M
Brasil Caio Henrique M
Brasil John M
Atacantes
Jogador
Brasil Alex Carvalho
Brasil Rodrigo
Brasil Washington
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Alexandre Narbal T

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Referências

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.