Puma SE

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Puma AG)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Puma (desambiguação).
Puma SE
Empresa de capital aberto
Cotação FWBPUM
Indústria Roupas e manufatura de bem de consumo
Fundação 1948 (1948)
Fundador(es) Rudolf Dassler
Sede Herzogenaurach,  Alemanha
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s)
Presidente Franz Koch
Pessoas-chave
  • Bjørn Gulden, diretor executivo
  • Michael Lämmermann, diretor financeiro
  • Lars Sørensen, diretor de operações
Empregados 11,787 (fim de 2017)
Produtos Calçados, vestuário, acessórios, roupas esportivas, equipamentos esportivos
Subsidiárias Cobra Golf
Lucro Aumento €135.8 milhões (2017)[3]
Faturamento Aumento €4.1 bilhões (2017)[3][2]
Website oficial

PUMA SE é uma empresa alemã de equipamentos desportivos, fundada em 1948 pelo empresário alemão Rudolf Dassler, com sede em Herzogenaurach, Alemanha.

História[editar | editar código-fonte]

A empresa surgiu através da separação da Gebrüder Dassler Schuhfabrik, uma antiga fábrica de calçados de pano criada por Rudolf e seu irmão Adolf Dassler (fundador da também alemã Adidas) em 1924.[4] No ano de 1924 dois irmãos, Adolf (apelido Adi) e Rudolf (apelido Rudi) Dassler, criaram uma pequena empresa de calçados de pano, a Gebrüder Dassler Schuhfabrik. Aos poucos a produção começou a crescer e fornecer sapatos para atletas olímpicos. O atleta Jesse Owens, nas Olimpíadas de Berlim, 1936, começou a mostrar o trabalho dos irmãos alemães ao mundo.

Uma Loja da Puma em São Francisco (Califórnia).

A empresa mostrava um desenvolvimento rápido, numa velocidade que fez com que os irmãos buscassem seus próprios lucros, ou seja, se separaram. No ano de 1948, Adi Dassler fundou a Adidas enquanto Rudolf criou a Puma Fábrica de Sapatos Rudolf Dassler. Um ano após a divisão da empresa, Rudolf mudou a sede da empresa para Herzogenaurach, cidade próxima do grande centro Nuremberg.

As chuteiras Puma, que calçavam Pelé, fizeram grande sucesso nas Copas do Mundo das décadas de 60 e 70, fazendo com que a empresa entrasse de vez no mercado de fornecedores de materiais de desporto. Para mudar sua política monetária e obter lucros mais altos, a marca tornou-se muito conhecida em países do continente Europeu, Asiático e Oceânico. A abertura da empresa para o mercado global foi boa, mas não mostrava segurança financeira. O que não se esperava com essa expansão global era uma crise, que estourou logo no ano de 1993. Nike e Adidas melhoravam cada vez mais seus produtos e ganhavam de vez o consumidor, enquanto a Puma enfrentava uma forte desvalorização de seus produtos que não acompanhavam a novas tendências. Em menos de três anos,1991 a 1993, três presidentes foram embora. A empresa teve de demitir 50% de seu pessoal na Alemanha, enquanto mais 36% perdiam seu emprego ao redor do mundo. A marca conseguiu dar a volta por cima com o presidente Jochen Zeitz, que exigiu uma melhora no design e qualidade de seus produtos. O Ano de 1994 talvez seja o mais importante para fábrica, já que foi o primeiro em que teve um saldo positivo desde sua entrada no Mercado de Ações: lucro de 25 milhões de Euros. Em 1997 uma fornecedora cinematográfica estadunidense Monarchy Regency Enterprises adquiriu 25% da Puma, e se tornando o maior acionista da empresa. Dessa forma a Puma atingia a América e conseguindo o direito da National Football League, NFL, passou a distribuir o uniforme para 13 equipes do esporte mais popular dos Estados Unidos, o Futebol Americano. Não demorou muito para conseguir a liberação da NBA, e fornece uniformes para nove equipes de outro desporto conhecido na terra norte-americana, o basquete.

Desde o ano de 2004, a logo marca encontra na África um novo investimento. A maioria das delegações africanas são patrocinadas pela Puma. Isso faz com que a Puma S.A. atinja os cinco continentes.

Longe dos relvados e quadras, a Puma não deixa a desejar. No atletismo diversos atletas testam seus limites com acessórios da marca, mas a grande aposta da empresa é a Fórmula 1, já que as grandes equipes, como Ferrari, Mercedes e Red Bull, também aderem a linha.

  • Contratos com estilistas renomeados foram assinados, e cada vez mais a empresa cresce. Coleções esportivas agora dividiam espaço com coleções mais casuais, atingindo do público mais jovem ao mais velho.

Hoje, a Puma se solidifica no mercado e cada vez mais aumenta o número de admiradores da marca. Ano após ano, a fábrica consegue fazer seus lucros chegarem a casa dos bilhões.

Fornecimento e patrocínio no mundo do atletismo[editar | editar código-fonte]

A Puma fornece material e patrocínio a diversos times de atletismo, com destaque para a Jamaica. O velocista principal da ilha caribenha, o recordista mundial Usain Bolt, tem contrato no valor de 1,5 milhão de dólares.

Fornecimento e patrocínio no futebol[editar | editar código-fonte]

Há muitos anos a Puma começou investir no mercado futebolístico.

Foi a empresa que distribuiu equipamentos para o maior número de selecções do Mundial de 2006: Itália, Suíça, Polônia, República Checa, Tunísia, Costa do Marfim, Gana, Angola, Togo, Arábia Saudita e Irão.

O primeiro jogador a ser patrocinado pela equipa foi Edson Arantes do Nascimento, Pelé, considerado pela FIFA e por muitos o melhor jogador de todos os tempos.

Em uma partida de futebol na copa do mundo de 1970, o gênio brasileiro pediu para que o árbitro paralisasse o jogo antes do início da partida, para que pudesse amarrar suas chuteiras. Com o pedido realizado Pelé amarrou suas novas chuteiras da Puma, e a televisão focou por trinta segundos esse ato que foi assistido por cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo pela televisão.

As antigas estrelas Diego Maradona, Eusébio, Johan Cruijff, Enzo Francescoli, Lothar Matthäus, Kenny Dalglish, Didier Deschamps, Hristo Stoichkov, Rudi Völler e Paul Gascoigne usaram igualmente chuteiras da Puma.

Actualmente a empresa ainda patrocina grandes jogadores mundiais. Suas grandes apostas são o avançado da Selecção de Camarões, Samuel Eto'o, o guarda-redes tetracampeão pela selecção da Itália, Gianluigi Buffon, o central Dante, os médios Michael Carrick, e Lallana e os atacantes Agüero, Marco Reus e Griezmann.

Quando se fala em selecções a história muda. Hoje, a Puma é fornecedora da campeã do mundo de 2006, a selecção italiana. Suíça, República Checa, Uruguai, Costa do Marfim e Camarões são outros exemplos de fortes selecções que levam o felino estampado no peito.

Ainda no futebol, fornece material para grandes clubes do Mundo, na Europa para clubes como o Arsenal, Borussia Dortmund, Stuttgart, Panathinaikos e Bordeaux, na América do Sul para clubes como Peñarol, Club Atlético Independiente, Olimpia e o Chivas Guadalajara.

Seleções Patrocinadas[editar | editar código-fonte]

Clubes Patrocinados[editar | editar código-fonte]

África do Sul
Alemanha
Austrália
Áustria
Argentina
Brasil
Colômbia
Coreia do Sul
Croácia
Dinamarca
Equador
Escócia
Espanha
França
Grécia
Inglaterra
Itália
Japão
México
Noruega
Paraguai
Rep. Tcheca
Rússia
Suécia
Uruguai

Jogadores e ex-jogadores[editar | editar código-fonte]

[5]

Equipes de automobilismo e motociclismo[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.