Gerd Binnig

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gerd Binnig Medalha Nobel
Física
Nacionalidade Alemanha Alemão
Nascimento 20 de Julho de 1947 (67 anos)
Local Frankfurt am Main
Atividade
Campo(s) Física
Conhecido(a) por Microscópio de corrente de tunelamento
Prêmio(s) Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1986), Medalha Elliott Cresson (1987), National Inventors Hall of Fame (1994)

Gerd Binnig (Frankfurt, Alemanha, 20 de julho de 1947) foi um físico alemão que teve como maior contribuição para a ciência a criação, junto de Heinrich Rohrer do microscópio de corrente de tunelamento (STM)[1] o qual rendeu aos dois metade do prêmio Nobel de Física de 1986.

Viveu em Frankfurt até seus 31 anos e desde muito jovem já sabia que queria estudar física, mesmo tendo muito apreço pela música.

Obteve seu bacharelado e doutorado em Frankfurt, na Universidade Johann Wolfgang Goethe.[2]

Em 1969, casou-se com Lore Wagler e convencido por sua esposa ingressou, em 1978, num grupo de pesquisa do IBM Research Laboratory, em Zurique. Ao trabalhar no IBM Research Laboratory acabou aproximando-se de Heinrich Rohrer, afinal ambos possuiam áreas de conhecimento similares e interesse em estudar as superfícies.

Em 1981, Binnig e Rohrer criaram o primeiro microscópio de corrente de tunelamento e em 1986 conquistaram metade do prêmio Nobel de Física, divido com Ernst Ruska.[1]

Referências

  1. a b Thornton, Stephen; Rex, Andrew. (em inglês). 4ª ed. [S.l.]: Cengage Learning, 2012. p. 232. ISBN 1133712231
  2. Daintith, John. Biographical Encyclopedia of Scientists, Third Edition (em inglês). 3ª ed. [S.l.]: CRC Press, 2008. p. 68. ISBN 1420072722

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Klaus von Klitzing
Nobel de Física
1986
com Ernst Ruska e Heinrich Rohrer
Sucedido por
Johannes Georg Bednorz e Karl Alexander Müller
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.