Percy Williams Bridgman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Percy Williams Bridgman Medalha Nobel
Física
Percy Williams Bridgman, em 1946
Residência  Estados Unidos
Nascimento 21 de Abril de 1882
Local Cambridge
Morte 20 de Agosto de 1961 (79 anos)
Local Randolph
Atividade
Campo(s) Física
Instituições Universidade Harvard
Alma mater Universidade Harvard
Orientador(es) Wallace Clement Sabine
Orientado(s) John Clarke Slater, John Hasbrouck Van Vleck
Prêmio(s) Prêmio Rumford (1917), Guthrie Lecture (1929), Medalha Elliott Cresson (1932), Prêmio Comstock de Física (1933), Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1946), Medalha Bingham (1951)

Percy Williams Bridgman (Cambridge, 21 de Abril de 1882Randolph, 20 de Agosto de 1961) foi um físico estadunidense.

Recebeu em 1946 o Nobel de Física, pela invenção de equipamentos de alta pressão e pelas descobertas no campo da Física de Altas Pressões.

Bridgman estudou física na Universidade Harvard, onde entrou em 1900 e obteve um Ph.D.. De 1910 até aposentar-se trabalhou na Universidade Harvard até aposentar-se, tornando-se full professor em 1919. Em 1905 começou a investigar as propriedades da matéria sob alta pressão. O mau funcionamento de uma máquina o levou a modificar seu aparato de pressão. O resultado foi um novo dispositivo que lhe permitiu criar pressões que eventualmente excediam 100.000 kgf/cm² (10 GPa; 100.000 atmosferas). Esta foi uma grande melhoria sobre as máquinas anteriores, que podiam atingir pressões de somente 3.000 kgf/cm² (0,3 GPa). Este novo aparato levou a uma abundância de novas descobertas, incluindo um estudo da compressibilidade, condutividade elétrica e térmica, resistência à tração e viscosidade de mais de cem componentes diferentes. Bridgman é também conhecido por seus estudos da condução elétrica em metais e propriedades dos cristais. Desenvolveu o Selo Bridgman e é epônimo para as equações termodinâmicas de Bridgman.

Bridgman fez diversos melhoramentos em seu aparato de alta pressão, e tentou diversas vezes sem sucesso a síntese do diamante.[1]

Seu livro de filosofia da ciência The Logic of Modern Physics (1927) advogou o operacionalismo e cunhou o termo definição operacional. Foi um dos onze signatários do Manifesto Russell-Einstein.

Acometido pela doença de Paget, suicidou-se em 20 de agosto de 1961 com um tiro na cabeça.

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • 1914. A Complete Collection of Thermodynamic Formulas (abstract). Phys. Rev. 3 (4): 273–281. doi:10.1103/PhysRev.3.273. http://prola.aps.org/abstract/PR/v3/i4/p273_1.
  • 1922. Dimensional Analysis. Yale University Press
  • 1925. A Condensed Collection of Thermodynamics Formulas. Harvard University Press
  • 1927. The Logic of Modern Physics. Beaufort Books. Online excerpt.
  • 1934. Thermodynamics of Electrical Phenomena in Metals and a Condensed Collection of Thermodynamic Formulas. MacMillan.
  • 1936. The Nature of Physical Theory. John Wiley & Sons.
  • 1938. The Intelligent Individual and Society. MacMillan.
  • 1941. The Nature of Thermodynamics. Harper & Row, Publishers.
  • 1952. The Physics of High Pressure. G. Bell.
  • 1956. "Probability, Logic and ESP", Science, vol. 123, p. 16, January 6, 1956.
  • 1959. The Way Things Are. Harvard Univ. Press.
  • 1962. A Sophisticate's Primer of Relativity. Routledge & Kegan Paul.
  • 1964. Collected experimental papers. Harvard University Press.
  • 1980. Reflections of a Physicist. Arno Press; ISBN 0-405-12595-X

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Hazen, Robert (1999), The Diamond Makers, Cambridge: Cambridge University Press, ISBN 0-521-65474-2 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Wolfgang Pauli
Nobel de Física
1946
Sucedido por
Edward Appleton


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.