Ájax, filho de Oileu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Fevereiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ájax, filho de Oileu violando Cassandra.

Ájax, filho de Oileu (conhecido como Ájax, o Menor ou Ájax, o Lócrida; em grego: Αίας ο Λοκρός, transl. Aías ho Lokrós), é um dos personagens da Guerra de Troia, na mitologia grega.

Lenda[editar | editar código-fonte]

Ájax era filho de Oileu, rei da Lócrida, que foi um dos Argonautas. Sua mãe provavelmente foi Eriópide,1 citada na Ilíada como esposa de Oileu e madrasta de Medon, filho bastardo de Oileu.2 3 4

Liderou um destacamento de lócridas, durante a Guerra de Troia, na qual desempenhou um papel importante.

Foi um dos guerreiros que se ocultaram no interior do cavalo de madeira (Cavalo de Troia) e abriram os portões da cidade de Troia, para a entrada do exército grego.

Internando-se no palácio real, encontrou a princesa Cassandra sob um altar dedicado à deusa Atena e apesar dos rogos da princesa para que respeitasse aquele lugar sagrado, violou-a ali mesmo.

Uma lenda posterior relata que esse ato provocou a ira da deusa, levando-a a pedir ajuda a Poseidon, para vingar-se da afronta. Então, o deus dos mares fez o guerreiro naufragar, na fatídica tempestade que se abateu sobre a frota grega, em seu regresso à pátria. Seu barco foi atirado contra as rochas de um promontório no Mar Egeu, matando todos os seus ocupantes.

Mas outra lenda diz que o náufrago conseguiu escapar do afogamento, e após recobrar os sentidos, zombou de Poseidon por não ter conseguido matá-lo. Foi quando um grande tridente ergueu-se das águas do mar e projetou-se contra o corpo de Ájax, fincando-o na rocha.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Homero - Ilíada - tradução do grego de Frederico Lourenço, ISBN 972-795-118-X
  • Bowder, Diana - Quem foi quem na Grécia Antiga, São Paulo, Art Editora/Círculo do Livro S/A, s/d

Referências

  1. William Smith, Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology (1870), p.87
  2. Homero, Ilíada, Livro II, 716-728
  3. Homero, Ilíada, Livro XIII, 685-700
  4. Homero, Ilíada, Livro XV, 328-342