Edílson da Silva Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edílson
Informações pessoais
Nome completo Edílson da Silva Ferreira
Data de nasc. 17 de setembro de 1970 (43 anos)
Local de nasc. Salvador,  Brasil
Altura 1,68 m
Apelido Capetinha
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1987–1990
1991
1992
1993–1994
1994–1995
1995
1997–1998
1998–2000
2000–2004
2002
2002–2003
2003–2004
2004
2005
2005
2006
2006
2007
2010
Brasil Industrial-ES
Brasil Tanabi
Brasil Guarani
Brasil Palmeiras
Portugal Benfica
Brasil Palmeiras
Japão Kashiwa Reysol
Brasil Corinthians
Brasil Flamengo
Brasil Cruzeiro
Japão Kashiwa Reysol
Brasil Flamengo
Brasil Vitória
=Emirados Árabes Unidos Al Ain
Brasil São Caetano
Brasil Vasco da Gama
Japão Nagoya Grampus
Brasil Vitória
Brasil Bahia


00033 00(11)

00034 00(19)


00164 00(55)
00083 00(35)
00020 00(11)

00034 00(16)
00042 00(21)




00015 000(1)
00027 000(2)
Seleção nacional
1993–2002 Brasil Brasil 00025 000(6)

Edílson da Silva Ferreira, mais conhecido como Edílson (Salvador, 17 de setembro de 1970) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante. O último clube que jogou foi Bahia.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira profissional no Industrial de Linhares em 1987, acompanhando seu irmão mais velho que era um jogador de futebol conhecido. O time era amador e disputou apenas um campeonato, sendo logo em seguida extinto. Depois foi para o Tanabi no interior paulista, quando um "olheiro" do Guarani o viu jogar e o levou para o clube campineiro, onde se profissionalizou. O técnico era Fito Neves que lhe conhecera na Bahia e o apoiou bastante, colocando-o no time titular logo na primeira partida do Campeonato Paulista de Futebol de 1992, contra a Portuguesa de Desportos do craque Dener. Seis meses depois o Palmeiras, patrocinado pela companhia italiana Parmalat, o contratou. E nesse time ele obteve grande destaque nacional, sendo bi-campeão Paulista, do Rio-São Paulo e do campeonato Brasileiro. Pelo Palmeiras também, marcou segundo o próprio jogador, o gol mais bonito de sua carreira, contra o Corinthians. Transferiu-se ao exterior, defendendo o Benfica (Portugal) em 1995 e o Kashiwa Reysol-JAP. Voltou ao Brasil em 1997 para o Corinthians. Também vestiu as camisas de Flamengo, Cruzeiro, Vitória, Al Ain-EAU e São Caetano.

Na vitoriosa carreira, o "Capetinha", assim apelidado após sua passagem pelo Palmeiras, colecionou vários títulos na carreira: o tricampeonato Paulista, o Campeonato Carioca, o Torneio Rio-São Paulo, sendo tricampeão brasileiro, conquistando o Mundial de Clubes da FIFA, Campeonato Baiano e a Copa do Mundo de 2002.

Em 1998 foi contratado pelo Corinthians e brilhou no Brasileirão do mesmo ano conquistando o 2° titulo nacional para o timão. Foi eleito o melhor jogador da competição. Em 99 conquistou pelo Corinthians o Campeonato Paulista onde proporcionou uma batalha dentro de campo após fazer embaixadinhas e parar a bola na nuca na frente dos palmeirenses. Conquistou o Brasileiro de 99 sendo um dos principais jogadores do elenco, formando um ataque excepcional junto com Luizão (que conhecia dos tempos do Guarani) e Marcelinho Carioca. Em 2000 veio a conquista do titulo mundial quando Edilson fez um jogo memorável contra o Real Madrid: marcou 2 gols, um deles o mais bonito de sua carreira, onde ele colocou a bola entre as pernas do zagueiro Karembeu e chutou forte. O jogo terminou em 2 x 2. Na final o Corinthians venceu o Vasco da Gama nos penaltis. Com a desclassificação do Corinthians da Libertadores em 2000, novamente pelo rival Palmeiras, o jogador acabou deixando o clube numa saída turbulenta.

Perto do fim de sua carreira, chegou a jogar no Vasco da Gama, Nagoya Grampus (Japão) e, novamente, Vitória.

Depois de encerrar a carreira de futebolista, Edílson continuava trabalhando com o futebol e com o entretenimento tendo uma banda e um estudio,a empresa de Edilson Capetinha se chama ED DEZ.

Em 2013 participa do reality show Dança dos Famosos do Domingão do Faustão.

Bahia[editar | editar código-fonte]

No dia 31 de dezembro de 2009, aos 39 anos, anunciou sua volta aos gramados dois anos depois de ter se aposentado. Aceitou uma proposta do Bahia para a temporada de 2010, na qual ficou até a final do famoso Baianão, mas sem levar o título.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira

(2002)

Palmeiras
Corinthians
Flamengo
Cruzeiro
Vitória
Al Aïn
Seleção Brasileira

Outras Conquistas[editar | editar código-fonte]

Palmeiras
  • Taça Reggiana: 1993[1]
  • Copa Lev Yashin: 1994[2]
  • Taça Nagoya: 1994[3]
  • Copa Brasil-Itália: 1994[4]
Flamengo

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Corinthians

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Palmeiras
  • Taça Reggiana: 1993 (3 gols)
Flamengo

Vice-Artilharias[editar | editar código-fonte]

Palmeiras
  • Taça Nagoya: 1994 (1 gol)
Corinthians

Referências

  1. Porcopédia. Taça Reggiana.
  2. Porcopédia. Copa Lev Yashin.
  3. Porcopédia. Taça Nagoya.
  4. Porcopédia. Copa Brasil-Itália.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.