Silas (treinador de futebol)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Paulo Silas de Prado Pereira)
Ir para: navegação, pesquisa
Silas
Silas
Informações pessoais
Nome completo Paulo Silas do Prado Pereira
Data de nasc. 27 de agosto de 1965 (48 anos)
Local de nasc. Campinas (SP),  Brasil
Altura 1,78 m
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1985-2004 (19 anos)
Como Treinador: 2007-presente (7 anos)
Clube atual Flag of None.svg Sem clube
Posição Treinador
(ex-Meia / Auxiliar-técnico)
Clubes de juventude
Brasil São Paulo
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
19851988
19881990
1990
19901991
19911992
19921993
19941995
1995
19951997
19971998
19982000
2000
2001
2001
20012002
2002
20032004
Brasil São Paulo
Portugal Sporting
Uruguai Central Español
Itália Cesena
Itália Sampdoria
Brasil Internacional
Brasil Vasco da Gama
Japão Kashiwa Reysol
Argentina San Lorenzo
Brasil São Paulo
Japão Kyoto Sanga
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Rio Branco-SP
Brasil Ituano
Brasil América Mineiro
Brasil Portuguesa
Brasil Inter de Limeira
55 (16)
47 (11)
2 (3)
26 (3)
31 (3)
51 (18)
23 (2)
11 (1)
95 (24)
16 (2)
56 (11)
20 (1)
8 (0)
5 (0)
0 (0)
0 (0)
0 (0)
Seleção nacional
1985
19861992
Brasil Brasil Sub-20
Brasil Brasil

38 (1)
Times que treinou


2007
20072008
20082009
2010
2010
2011
20112012
2012
2013
20132014
Brasil Paraná (Auxiliar-técnico)
Brasil Atlético Mineiro (Auxiliar-técnico)
Brasil Fortaleza (Auxiliar-técnico)
Brasil Fortaleza
Brasil Avaí
Brasil Grêmio
Brasil Flamengo
Brasil Avaí
Catar Al-Arabi
Catar Al-Gharafa
Brasil Náutico
Brasil América Mineiro




109
49
10
23


9
22
Última atualização: 12 de fevereiro de 2014

Paulo Silas do Prado Pereira, mais conhecido como Silas (Campinas, 27 de agosto de 1965), é um ex-futebolista e atual treinador brasileiro, que atuava como meia. Atualmente, está sem clube.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Durante sua carreira de jogador profissional de 1985 a 2004 ele jogou em clubes do Brasil, Portugal, Uruguai, Argentina, Japão e Itália. Com a seleção de base do Brasil, ganhou o prêmio Bola de Ouro da Adidas no Mundial Sub-20, e com a equipe principal jogou 38 partidas, e participou das Copas do Mundo de 1986 e 1990.

Após encerrar sua carreira como jogador, fixou residência em Campinas, e virou empresário trabalhando com uma franquia de pastéis, além de ter participado de um projeto que auxilia "Atletas de Cristo" ao lado de Alex Dias Ribeiro.[1]

Depois disso optou por atuar como treinador de futebol. Inicialmente, foi auxiliar do técnico e amigo Zetti e, atualmente, exerce a função principal. Já esteve no comando de clubes como Fortaleza, Avaí, Grêmio e Flamengo.

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Silas iniciou sua carreira no início da década de 1980, jogando nas categorias de base do São Paulo. Em 1985, por intermédio do então técnico tricolor Cilinho, inicia sua carreira profissional.

Nesta época, devido ao grande sucesso do grupo porto-riquenho Menudo no Brasil, o time de garotos sensação do São Paulo ficou conhecido como "Menudos do Morumbi". Esse time era formado, entre outros, por Silas, Müller e Sidney.[2]

Ainda no ano de 1985, sagrou-se campeão da Copa do Mundo Sub-20 na União Soviética pela Seleção Brasileira, onde foi escolhido o melhor jogador da competição. Já a sua carreira na Seleção principal iniciou-se no dia 16 de março de 1986, num amistoso contra a Hungria, na cidade de Budapeste.[3] Foi convocado para a Copa do Mundo de 1986, na qual o Brasil chegou até às quartas-de-final. Em 1987, foi convocado por Carlos Alberto Silva para a Seleção que disputaria a Copa América. Silas atuou somente no jogo contra a Venezuela.

No ano de 1988, Silas deixa o Brasil rumo ao futebol europeu. É contratado pelo Sporting de Portugal, juntamente com outras estrelas como Rodolfo Rodríguez, Carlos Manuel, Douglas, Hans Eskilsson e o treinador uruguaio Pedro Rocha. De todas as estrelas contratadas, os únicos que justificaram a badalação foram Carlos Manuel, Douglas e Silas, que foi o segundo artilheiro do time na temporada, atrás somente de Paulinho Cascavel.[4]

Para a Copa América de 1989, novamente surge a convocação, desta vez pelo técnico Sebastião Lazaroni. O Brasil conquistou o seu quarto título na competição contando com quatro atuações de Silas. No dia 20 de agosto de 1989, num jogo válido pela eliminatórias para a Copa do Mundo de 1990, Silas marcou seu primeiro e único gol pela Seleção, o terceiro do Brasil na vitória por 6 a 0 sobre a Venezuela, aos 37 minutos do primeiro tempo.[5] Com a regularidade das boas atuações pela Seleção e a confiança do técnico, Silas foi convocado para sua segunda Copa do Mundo. No mundial, o Brasil foi eliminado nas oitavas-de-final, tendo Silas atuado em três jogos.

Ainda no ano de 1990, Silas deixou o Sporting rumo ao Uruguai para atuar no Central Español, time em que, em uma passagem rápida, marcou três gols em dois jogos. Logo após isso, rumou para a Itália para atuar no Cesena, onde não conseguiu evitar o rebaixamento da equipe no campeonato. Na temporada seguinte, transferiu-se para a Sampdoria, ajudando a equipe a ficar em sexto lugar na Serie A Italiana. No final da mesma temporada, voltou ao Brasil para ser Campeão Gaúcho em 1992 e da Copa do Brasil desse mesmo ano pelo Internacional.

Antes de alçar novos desafios, Silas ainda foi Campeão Carioca em 1994 atuando pelo Vasco da Gama, ao lado de craques como Dener e Jardel.

Em abril de 1995, foi para a Argentina, onde, com 24 gols marcados em 95 jogos, tornou-se ídolo do San Lorenzo, vencendo o Campeonato Argentino daquele ano. É, até hoje, considerado o melhor camisa 10 que passou pelo clube na década de 1990.

Em 1997, voltou ao São Paulo para atuar pouco, mas mesmo assim vencer o Campeonato Paulista do ano seguinte. Logo após, voltou ao Japão, para jogar pelo Kyoto Sanga durante duas temporadas.

No ano 2000, retornou ao Brasil para ser Campeão Paranaense pelo Atlético Paranaense, título este o seu último conquistado. A partir disso, passou por clubes menos expressivos, até encerrar sua gloriosa carreira na Inter de Limeira em 2004.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Como treinador, Silas iniciou seu aprendizado sendo auxiliar de seu amigo pessoal Zetti por Paraná, Atlético Mineiro e Fortaleza. No Tricolor Cearense, no ano de 2007, Silas foi admitido como treinador principal após a demissão de Zetti. Já em meados de 2008, foi contratado pelo Avaí para o restante do Campeonato Catarinense daquele ano e para o Brasileirão da Série B, que vinha dias depois.

Avaí

Silas chegou ao Avaí em 15 de março de 2008[6] e se consagrou na história do Clube, ao ser um dos destaques na campanha do acesso à Série A nacional.[7] Devido a boa campanha do time, o Avaí se classificou para disputar a Série A de 2009 com três rodadas de antecedência para o fim da Série B de 2008, ao vencer o Brasiliense por 1 a 0, no dia 11 de novembro de 2008, com um gol de Evando. Silas ainda foi eleito o melhor técnico do campeonato, na seleção final feita por jornalistas de todo o Brasil,[8] desbancando o até então favorito Mano Menezes.

Em 2008, Silas foi agraciado com o Troféu Gustavo Kuerten, que elege o melhor técnico do ano no estado de Santa Catarina.[9]

Já em 15 de março de 2009, antes de mais um jogo válido pelo Campeonato Catarinense, o treinador foi homenageado pela diretoria do clube na pessoa do presidente João Nílson Zunino com uma placa em comemoração ao seu aniversário de um ano a frente do time.[10]

No dia 26 de setembro de 2009, é anunciado o final do ciclo vitorioso do técnico Silas no Avaí. As partes não chegaram a um acordo e decidiram não renovar o contrato para o ano seguinte. Com o contrato ainda vigente, que só rescindiria no último dia do ano, Silas ainda comandou o time nos dois últimos jogos do Brasileirão.[11] [12] Ele agradeceu aos torcedores, afirmando que "o amor da torcida pagou sua vinda para Florianópolis".[13]

Após o adeus de Silas, o Avaí resolveu homenagear novamente o ex-técnico. Seguindo a linha dos "Heróis Avaianos", criada pelo clube em homenagem às pessoas que marcaram na história do time, o Leão da Ilha lançou a miniatura do treinador, consagrando-o como um grande ícone nessa história[14] .

Hoje, Silas é considerado um dos maiores, senão o maior, técnico da história do clube catarinense.

Grêmio

Silas foi anunciado oficialmente como treinador do Grêmio no dia 6 de dezembro de 2009.[15]

A declaração de Silas, dada antes do jogo entre Avaí e Grêmio (seu novo clube), válido pela Copa do Brasil de Futebol de 2010, dizendo que o "amor" pelo atual clube já era maior do que o que sentia pelo antigo time gerou uma repercussão enorme em Florianópolis, acabou deixando a torcida Azurra enfurecida. Além disso, houve o agravante de que, no jogo em Porto Alegre, Silas teria, segundo o presidente do Avaí, João Zunino, influenciado o árbitro da partida Alício Pena Júnior a expulsar um jogador avaiano (Caio) injustamente.[16] Silas negou o fato, mas, dias depois, telefonou para o presidente do clube catarinense, para explicar o ocorrido[17] ; ele também ligou para atletas e pessoal da comissão técnica avaiana, pedindo desculpas pelo ato.[18] Antes do jogo entre Grêmio e Avaí, realizado na Ressacada, Silas foi xingado por um torcedor, no hotel da concentração do Tricolor.[19] Momentos antes e também durante a partida, o treinador foi fortemente hostilizado e vaiado pela torcida do Avaí, inclusive com a colocação de uma faixa nas arquibancadas com a inscrição "traíra",[20] o que provocou reação do treinador em entrevista posterior à partida.[20] Ele declarou que "não gostaria de voltar a trabalhar no Avaí depois da recepção que teve", apesar de que seu sentimento pelo clube não tenha mudado; o técnico considerou a reação da torcida foi uma "palhaçada muito grande" e sugeriu que ela teria sido influenciada por uma jornalista local; ao final, descreveu-se como "humilhado".[21]

Silas chegou ao Grêmio com a imagem de um técnico em ascensão, mas nunca conseguiu montar um time realmente competitivo. Conquistou o Campeonato Gaúcho em 2010, numa disputa que ficou caracterizada pelo confronto com times fracos e pouco organizados. Quando o Brasileirão e a Copa do Brasil começaram, o Grêmio passou a ter como adversários times bem mais fortes. Nesse momento, ficou claro que, mesmo com bons jogadores, o técnico Silas não conseguia repetir no Grêmio sua atuação no Avaí. As derrotas se multiplicaram e uma crise se instalou no Estádio Olímpico Monumental. Ainda assim, a diretoria decidiu manter Silas no comando do Grêmio, apesar da eliminação na Copa do Brasil e da ida do time para a zona de rebaixamento na tabela do Brasileirão.

No dia 8 de agosto de 2010, com a pressão da torcida, Silas foi demitido do Grêmio juntamente com o diretor de futebol Luiz Onofre Meira, depois da derrota por 2 a 1 em casa para o Fluminense.[22] Silas vinha de uma série de oito jogos oficiais sem vitórias.

Flamengo

No dia 29 de agosto de 2010, Silas foi contratado pelo Flamengo. Porém, após pouco mais de um mês no comando do Rubro-negro, Silas foi demitido no dia 4 de outubro, por não ter um bom aproveitamento, tendo vencido apenas uma partida em dez jogos a frente do clube.

Volta ao Avaí

No dia 15 de fevereiro de 2011, anunciou sua volta ao Avaí, onde teve seu melhor desempenho como treinador,[23] [24] contrariando o que havia dito enquanto era treinador do Grêmio, após confusões, que "jamais voltaria a treinar o Avaí".[20]

Sua reestreia pelo time foi no dia 23 de fevereiro de 2011, num jogo válido pela primeira fase da Copa do Brasil. O Avaí saiu vitorioso por 3 a 0 sobre o Vilhena fora de casa, eliminando o jogo de volta que seria na Ressacada.[25] No dia seguinte, a bela vitória do Avaí por 2 a 0 sobre o seu maior rival, o Figueirense, pela semifinal do returno do Estadual fora de casa,[26] Silas recebeu uma proposta do San Lorenzo da Argentina para treinar o clube onde ele já havia atuado como jogador.[27] Segundo o treinador, a proposta realmente aconteceu, mas ele não aceitou.[28] Na segunda proposta recebida, Silas cedeu. Seguiu para o Qatar para treinar o Al-Arabi.[29] [30]

Qatar

Em sua primeira atuação como treinador fora do Brasil, Silas conquistou seu primeiro título logo nos primeiros meses de clube. Conquistou a Copa Sheikh Jassem do Qatar após vencer o Umm-Salal na final por 3 a 2.[31]

Em janeiro de 2012, Silas foi demitido do Al-Arabi, após duas derrotas sofridas seguidamente.[32]

No dia 28 de novembro, o Al-Gharafa rescindiu o contrato com o treinador.[33]

Náutico

Silas foi contratado como técnico do Náutico no dia 12 de abril de 2013, substituindo Vágner Mancini, que foi demitido por perder dois clássicos na fase de pontos corridos do Campeonato Pernambucano. Chegou ao Timbu com a árdua tarefa de tirar o time da crise após 4 derrotas nos últimos 5 jogos.[34] No dia 2 de junho, Silas foi demitido após mal início do clube no Brasileirão.[35]

América-MG

Silas comandou o América Mineiro por 22 jogos, tendo 7 vitórias, 11 empates e 4 derrotas. Foi demitido após seguidos maus resultados no Campeonato Mineiro de 2014, tendo deixado o Coelho na zona de rebaixamento do mesmo, quando foi demitido.[36] No seu lugar foi contratado o até então técnico do Tombense, Moacir Júnior.[37]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Números do técnico Silas no Avaí
Ano de 2008
Campeonato Catarinense¹
Pos. PG J V E D GP GC SG
16 6 5 1 0 20 1 19
Amistosos
1 1 0 1 0 0 0 0
Campeonato Brasileiro - Série B
67 38 18 13 7 71 40 31
Ano de 2009
Campeonato Catarinense
Campeão 48 26 14 6 6 46 31 15
Amistosos
3 1 1 0 0 3 1 2
Campeonato Brasileiro - Série A²
54 37 14 12 11 60 52 8
Ano de 2011
Campeonato Catarinense³
20 11 6 2 3 23 15 8
Copa do Brasil
Semifinal 13 9 3 4 2 15 10 5
Campeonato Brasileiro
0 3 0 0 3 2 10 -8
TOTAL 222 132 61 39 32 240 160 80

1 - Silas assumiu o Avaí a 6 rodadas do final do segundo turno do campeonato.

2 - Silas não dirigiu o Avaí no último jogo do time no campeonato, jogo em que o Avaí venceu o Náutico por 1 a 0 no Recife. Com essa vitória, o Avaí fechou o campeonato com 57 pontos na sexta posição.

3 - Silas assumiu o Avaí somente no segundo turno do campeonato.

Obs.: Em 2008, sob o comando de Silas, o Avaí não perdeu em seus domínios um único jogo.

Números do técnico Silas no Grêmio em 2010
Campeonato Gaúcho
J V E D GP GC SG
21 16 2 3 45 20 25
Copa do Brasil
9 7 0 2 17 11 6
Campeonato Brasileiro - Série A
13 2 6 5 15 19 -4
Copa Sul-Americana
1 0 1 0 1 1 0
Copa da Hora
3 1 0 2 5 5 0
Amistosos
2 1 1 0 5 3 2
TOTAL
49 27 10 12 88 59 29

Silas foi demitido do Grêmio em 17 de setembro de 2013

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
Icasa 39 16 7 16
Caldense 11 3 6 2
Guarani 18 5 9 4
Volta Redonda 3 0 1 2

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

São Paulo
Internacional
Vasco da Gama
San Lorenzo
Atlético-PR
Seleção Brasileira Sub-20
Seleção Brasileira

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Avaí
Grêmio
Al-Arabi
Al-Gharafa

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Milton Neves - Silas
  2. Olheiros - Meninos ganham campeonatos
  3. Sambafoot - Jogos Seleção
  4. Craques e Flops Leoninos
  5. Sambafoot - Jogos Seleção
  6. UOL Esportes - Silas Pereira é o novo técnico do Avaí
  7. ClicRBS - Com gol de Evando, Avaí garante acesso à Série A. Acesso em 12 de novembro de 2008
  8. Futebol Interior - Só o Portal FI tem os melhores da Série B. Veja a Seleção!
  9. ClicRBS - Avaí fatura três categorias no Troféu Gustavo Kuerten..
  10. Diário Catarinense - Silas fica satisfeito com empate e ganha homenagem do Avaí. Acesso em 17 de março de 2009
  11. ClicRBS - Após entrar para a história do Avaí, Silas deixa Ressacada
  12. ClicRBS - Silas: "Tenho desafios maiores pela frente"
  13. Silas confirma que Ferdinando trocará Avaí pelo Grêmio em 2010. GloboEsporte.com (15/12/2009). Página visitada em 22/04/2010.
  14. ClicRBS - Avaí lança miniatura do técnico Silas
  15. Comissão técnica 2010. Portal Oficial do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense (6 de dezembro de 2009). Página visitada em 6 de dezembro de 2009.
  16. Presidente do Avaí critica Silas e prevê torcida contra ele na Ressacada. Globo.com (15/04/2010). Página visitada em 22/04/2010.
  17. SALDANHA, Marinho (16/04/2010). Silas revela ligação para presidente do Avaí e não espera "guerra" na Ressacada. UOL Esportes. Página visitada em 22/04/2010.
  18. ClicRBS - Atacante Roberto, do Avaí, diz que Silas ligou para pedir desculpas
  19. Silas é xingado por torcedor do Avaí em frente ao hotel do Grêmio. ClicRBS (20/04/2010). Página visitada em 22/04/2010.
  20. a b c Gaz - Silas: "Jamais voltarei a treinar o Avaí"
  21. Silas: "Não gostaria mais de trabalhar no Avaí depois da recepção que tive". ClicRBS (22/04/201). Página visitada em 22/04/2010.
  22. Duda Kroeff anuncia saída de Silas e Luiz Onofre Meira. Sítio oficial do Grêmio (08/08/2010). Página visitada em 08/08/2010.
  23. Avaí FC - Silas de volta ao clube
  24. ClicRBS - Agora é oficial: Silas volta a comandar a equipe do Avaí
  25. UOL - Na reestreia de Silas, Avaí vence fácil e se classifica à 2ª fase da Copa BR
  26. Globo EsporteAvaí derrota Figueirense no Scarpelli e vai à final do returno catarinense.
  27. Globo Esporte - Em alta novamente no Avaí, Silas é cotado para assumir o San Lorenzo
  28. ClicRBS - Silas confirma proposta do San Lorenzo-ARG, mas diz que fica no Avaí
  29. Futebol SC - Silas deixa o Avaí rumo ao Al-Arabi, do Catar
  30. Al-Arabi - "سيلاس" يقود الأحلام الموسم القادم (em árabe)
  31. Veja - Silas conquista seu primeiro título no Al Arabi, do Catar
  32. Globo Esporte - Silas é demitido de clube do Qatar
  33. Globo Esporte - Com suas máquinas, Alex e Tardelli dão 'tchauzinho' antes de treino
  34. Silas é o novo técnico do Náutico (em português brasileiro). Superesportes. Página visitada em 12 de abril de 2013.
  35. Náutico se despede dos Aflitos e também do técnico Silas (em português brasileiro). Página visitada em 2 de junho de 2013.
  36. Depois de derrota para o Cruzeiro, Silas deixa o comando do América-MG (em português brasileiro). Página visitada em 12 de fevereiro de 2014.
  37. América-MG já tem novo treinador: Moacir Júnior assume a equipe (em português brasileiro). Página visitada em 12 de fevereiro de 2014.
  38. Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte - CED anuncia os melhores do esporte no Troféu Gustavo Kuerten. Acesso em 19 de janeiro de 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Zico
Brasil Camisa 10 da Seleção em Copas
1990
Sucedido por
Raí
Precedido por
Sérgio Ramirez
Vágner Benazzi
Santa Catarina Técnico do Avaí
2008–2009
2011
Sucedido por
Péricles Chamusca
Alexandre Gallo
Precedido por
Marcelo Rospide (Interino)
Rio Grande do Sul Técnico do Grêmio
2010
Sucedido por
Renato Portaluppi
Precedido por
Rogério Lourenço
Rio de Janeiro Técnico do Flamengo
2010
Sucedido por
Vanderlei Luxemburgo
Precedido por
Bruno Metsu
Catar Técnico do Al-Gharafa
2012
Sucedido por
Habib Sadek
Precedido por
Vágner Mancini
Pernambuco Técnico do Náutico
2013
Sucedido por
Zé Teodoro
Precedido por
Paulo Comelli
Minas Gerais Técnico do América Mineiro
2013-2014
Sucedido por
Moacir Júnior