Matala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a localidade de Creta, Grécia, veja Mátala (Creta).
Matala
Localidade de Angola Angola
(Cidade e município)
B ma.jpg

Placa de boas-vindas instalada na cidade
Dados gerais
Província Huíla
Município(s) Matala
Características geográficas
População 800.000 hab.

Matala está localizado em: Angola
Matala
Localização de Matala em Angola
14° 44' 11" S 15° 02' 00" E{{{latG}}}° {{{latM}}}' {{{latS}}}" {{{latP}}} {{{lonG}}}° {{{lonM}}}' {{{lonS}}}
Projecto Angola  • Portal de Angola

Matala é uma cidade e município da província da Huíla,[1] em Angola.

Com mais de 815.000 habitantes, é limitada ao norte pelo município de Chicomba, a leste pelos municípios da Jamba e Cuvelai, a sul pelos municípios de Ombadija e Cahama, e a oeste pelos municípios de Chiange, Quipungo e Caluquembe.

O município é constituído pela comuna-sede, correspondente à cidade de Matala, e pelas comunas de Capelongo e Mulondo.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Dado que o sul do Cunene esteve sob constante investida e ocupação estrangeira sul-africana, entre 1981 e 1989 a cidade de Matala foi a capital provincial cunenense e, portanto, de jure e de facto território daquela província.[3]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Está situada ao longo do rio Cunene, a uma altitude de aproximadamente 1.300 metros acima do nível do mar. A usina de operações da Central Hidroelétrica de Matala, concluída em 1954[4][5] fica localizada na cidade.

Clima[editar | editar código-fonte]

O município apresenta um clima tropical quente, com temperatura média anual de 28 °C (máxima) e 24 °C (mínima), no verão. E 18 °C (mínima) e 20 °C (máxima), no inverno.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Línguas e etnias[editar | editar código-fonte]

Sendo um município de zona de convergência de várias etnias e povos, a língua franca utilizada é o português, com dimensão razoável entre as nativas da língua nhaneca. Outras línguas minoritárias relevantes incluem o umbundo, ganguela, hemba, cuanhama e o chócue, entre tantas outras.

Religião[editar | editar código-fonte]

No município há mais de 50 templos religiosos, sendo a que a maior denominação em estrutura e número de membros é a Igreja Católica Apostólica Romana.

Economia[editar | editar código-fonte]

Comércio[editar | editar código-fonte]

A Matala é o segundo maior entreposto comercial provincial depois do Lubango, possuindo um mercado vasto e aberto, onde a maioria da população está empregada.

Os seus principais pólos comerciais são: Praça Grande, praça do Calumbilo junto a estação dos caminhos-de-ferro, Camúcua, Cabungula e muitos outros pontos clandestinos espalhados pelo interior.

Indústria[editar | editar código-fonte]

A principal indústria da Matala é a produção hidroeléctrica realizada na Central Hidroelétrica de Matala, que fica situada na confluência do rio Que e do rio Cunene, na extremidade do Alto Cunene, ficando a cerca de 225 km a jusante da barragem do Gove. Foi a primeira grande estrutura a ser concluída na bacia, em 1954. Foi sujeita a obras de renovação no inicio de 2001, que terminaram em março de 2015, aumentando a capacidade de produção de energia de 42 megawatts para 48 megawatts[6][7].

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Para além das escolas públicas, primárias e secundárias instaladas nos distintos lugares do município, a sede passou a contar com quatro unidades de ensino, sendo: Colégio A Verdade Vos Libertará, Escola Cufundala, Escola Ocupita Condjango e Escola Cautindi.

Um colégio de ensino médio-técnico para oferta de magistério está sendo erguido, para compactar o grande déficit de escolarização dos munícipes; importa sublinhar a extensão universitária do Instituto Superior de Ciências da Educação da Huíla que, desde 2012, tem vindo a formar licenciados nos cursos de história, pedagogia e psicologia.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município conta com o importante Centro Médico Municipal e com o Hospital Regional Provincial; este último tem a capacidade de responder as demandas da parte sul da província da Huíla, ajudando desta forma no melhoramento sanitário qualificado da região.

Transporte[editar | editar código-fonte]

A sede municipal é servida pelo Caminho de Ferro de Moçâmedes, que a liga ao Lubango, ao Menongue, e, por fim, ao porto do Namibe, garantindo a circulação de mercadorias e bens dos municípios, comunas e sectores. A circulação retornou depois desta via ficar interrompida por mais de 3 décadas e meia.

Quanto às ligações rodoviárias, as mais importantes são a EN-280, que a liga ao Quipungo e ao Capelongo, e; a EN-110, que a liga ao Caconda e ao Cambambi.

Iluminação[editar | editar código-fonte]

Em 2008 a sede ganhou um novo visual depois de terem sido substituídos os postes deixados pelos colonos pelos novos e modernos postes, que iluminam as noites facilitando a circulação noturna.

Telecomunicações[editar | editar código-fonte]

O município conta com duas cadeias de rádios:

  • Rádio 2000
  • Rádio Huíla - Posto fixo de Matala

Todas filiais da emissora provincial, garantindo aos municípios duas janelas com finalidades não só de se manterem informados acerca do que se passa no país e no mundo como também para a divulgação dos seus mais variados trabalhos, tanto no ramo musical quanto no empresarial.

Três operadoras de telefonia móvel se destacam: Unitel, Movicel e Angola Telecom.

Referências

  1. «City Councils of Angola». Statoids. Consultado em 5 de outubro de 2015  |title= e |título= redundantes (ajuda)
  2. Comunas. Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado. 2018.
  3. Cunene celebra 47 anos de ascensão a categoria de província. TPA Sociedade. 9 de julho de 2017.
  4. «Kit de Sensibilização sobre o Rio Kunene». www.kunenerak.org. Consultado em 5 de outubro de 2015 
  5. C.Michael Hogan. 2012. Kunene River. eds. P.Saundry & C.Cleveland. Encyclopedia of Earth. National Council for Science and the Environment. Washington DC.
  6. «Primeira fase da reabilitação da barragem de Matala, em Angola, concluída no final de Março». Macauhub. 23 de março de 2015. Consultado em 5 de outubro de 2015 
  7. «Barragem da Matala concluída em Março de 2015». Redeangola. 17 de junho de 2014. Consultado em 5 de outubro de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia de Angola, integrado no Projecto Angola, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.