Kwanza Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cuanza Norte)
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Kwanza Norte
Localidade de Angola Angola
(Província)
Angola Provinces Cuanza Norte 250px.png

província do Kwanza Norte
Dados gerais
Fundada em 1769
Província Kwanza Norte
Município(s) Ambaca, Banga, Bolongongo, Cambambe, Cazengo, Golungo Alto, Gonguembo, Lucala, Quiculungo e Samba Caju.
Características geográficas
Área 24 110 km²
População 654 000 hab.
Altitude 500 a Predefinição:Fmn m

Dados adicionais
Prefixo telefónico 035
Projecto Angola  • Portal de Angola

Kwanza Norte, é uma província de Angola, situada no interior noroeste de Angola com uma área de cerca 24 110 km², limitada a Norte pela província do Uíge, a Oeste pela província Bengo, a Este pela província de Malanje e a sul pela província do Kwanza Sul.

A capital é a cidade de N'Dalatando, a qual durante a época colonial era conhecida por Salazar.

Os 10 Municípios que compõem a Província são:

Ambaca Banga Bolongongo Cambambe Cazengo Golungo Alto Gonguembo Lucala Quiculungo Samba Caju

A cidade do Kwanza Norte, e uma cidade pequena de estilo colonial, situada junto ao Monte Mpinda a 248 Km de Luanda e a 175 Km da Malange.

População[editar | editar código-fonte]

Maioritariamente de origem Kimbundu, a língua nacional mais falada na província é também o Kimbundu.

Economia[editar | editar código-fonte]

A agricultura é a principal actividade económica e centra a sua produção em milho, amendoim (ginguba), café, algodão, ervilha, feijão, citrinos, mandioca, sisal, dendê, massambala.

A pesca artesanal, importante actividade na faixa Sul da Província é praticada em quatro lagoas e nos rios Kwanza e Lucala.

Ainda por explorar e com fortes potencialidades comerciais estão várias matérias-primas, como o mármore rosa, o manganésio, o ferro, o ouro, a madeira, a pecuária e a água mineral, oriunda da fonte de águas de Santa Isabel.

A exploração de madeira nesta província tem grande potencial pela floresta autóctone na região dos Dembos e o facto da madeira poder ser serrada e transformada localmente, contribuindo para a reactivação de pequenas carpintarias e marcenarias.

A Província detém uma gama considerável de mineiras tais como ouro, diamantes, ferro, manganês, mármores, níquel, zinco e cal.

O parque industrial da província está localizado no Município de Cambambe e é forte sobretudo no sector têxtil e de bebidas. Salienta-se a ainda o calçado, couro, tabaco, e produtos alimentares.

O artesanato explora sobretudo materiais como a madeira, a argila e o bordão.

A produção de abacateiro, palmeira dendém, algodão, sisal, café robusta, banana, ananás, milho, rícino, citrinos, ervilha, cola, feijão cutelinho, feijão macunde, goaibeira, mamoeiro, mandioca e massambala é intensamente exercida na província. Na produção animal, caracteriza-se a pecuária. A província também possui a extração dos seguintes minérios: quartzo, ferro, diamantes, manganês e cobre. Sua indústria caracteriza-se, principalmente pela produção de têxteis, alimentos, bebidas e tabaco. Na cidade do Dondo, no município de Cambambe, situa-se a fábrica da EKA, uma das cervejas mais apreciadas do país.

Essencialmente agrícola, a província, como o resto do país, sofreu os efeitos da guerra, o que a tornou deficitária, no plano alimentar e não só. Atualmente, estão a ser reabilitados os imensos campos agrícolas: produtos como o suculento ananás, a mandioca, as hortícolas, etc. são produzidos já com alguma abundância, o que vai permitir, a curto prazo, minorar as carências alimentares das populações. O café foi um dos grandes baluartes da produção agrícola, do Kwanza-Norte. Este setor também já regista alguma recuperação.

A província é ligada por muitas estradas nacionais que a ligam para a capital angolana, Luanda. A agricultura local é subdividida em 3 zonas, a primeira é denominada planáltica, na qual se faz a produção das culturas de cereais e café e, também, é apta para a pecuária, esta zona é formada pelos municípios de Ambaca, Samba Cajú e Lucala.

A segunda zona é montanhosa, dedicando-se a cultura de café, palmar e fruteiras, são realizadas culturas de subsistência nos municípios de Bolongongo, Quiculungo, Banga, Cazengo, Golungo Alto e Gonguembo.

Por fim, a terceira zona está localizada numa área de convergência entre os rios Kwanza e Lucala, faz parte desta zona o município de Cambambe. Esta zona dedica-se a fruticultura, palmar e hortícolas.

Acessos[editar | editar código-fonte]

A Província é servida por várias estradas nacionais ligando-a num sentindo a Luanda, com ligação às cidades do Dondo e Ndalatando e num outro as cidades do Uíge, Lucala, e uma outra via nacional que permite a comunicação com as cidades de Malange, Saurimo e Luena. Os dois eixos rodoviários que estabelecem a comunicação nas direcções Norte e Este confluem no troço rodoviário do Lucala.

O aeroporto está a 7km da cidade de Ndalatando e recebe aviões de pequeno e médio porte, e nesta cidade existe um aeródromo para aviões de pequeno porte. A infra-estrutura do aeródromo permite a ligação com outras cidades do País.

Também se pode chegar a esta província de comboio, via Malange e Luanda.

Natureza[editar | editar código-fonte]

A província tem um enorme potencial turístico e é propícia para o desenvolvimento do ecoturismo dadas as condições e maravilhas naturais da região.

A Reserva florestal do Golungo Alto tem uma área de 558km2. É uma região fértil para a caça de várias espécies como a pacaça, hipopótamos, antílopes, corças, lebres, galinhas do mato e perdizes. Também aqui se encontram elefantes, leões, onças, lobos, hienas, chacais e mabecos. A 135km está a reserva da Kissama.

Em Golungo Alto, encontra-se as ruínas da Igreja de Santo Hilário, as cascatas de Mazalala e a praia de Kiamafulo junto ao rio Kwanza. De referir ainda os trabalhos artesanais, em terracota, que representam a fauna local ou actividades do quotidiano.

A província é banhada entre outros rios, pelo gigante rio Kwanza, que é o maior rio totalmente e divide esta província de Kwanza Sul.

Rio Kwanza no Dondo. Foto de Lito Martin. Welcome to Angola! Rio Kwanza, no Dondo

As suas verdejantes margens oferecem refrescantes praias, principalmente no Vila do Dondo, destacando-se a praia de Kiamafulo, no município de Cambambe, o qual usufrui de uma linda marginal proporcionada por este rio.

As quedas do rio Muembeje, a 10Km do município de Cazengo, onde as correntes da água se despenham a altura de 110 metros, formam uma imensa planície verdejante.

O rio Lucala é um excelente local para a pesca desportiva, com uma variedade enorme de espécies.

A 2km da cidade de N'Dalatando, no sopé do morro, estão as nascentes de Santa Isabel e Sobranceiro. Existe um parque com o mesmo nome com campos relvados e piscina para crianças e adultos, para além de um lindo miradouro.

Destaca-se, em Cazengo, a 5km de N'Dalatando, o Centro Botânico de Quilombo.

A Reserva Florestal do Guelengue e Dongo tem uma área de 1.200Km² e está limitada pelos rios Chicusse, Chissanda, Cusso, Cussava e Cunene. O tipo de vegetação predominante é o miombo e a savana.

A Reserva Florestal de Caculama tem uma área de 800km2 e está limitada a norte e oeste pelo rio Zenza, a leste e a sul pelo rio Calucala.

Também em termos históricos, a província tem bastantes locais de interesse.

A Fortaleza de Massangano situa-se nas margens do rio Kwanza e foi construída em 1583, por ordem de Paulo Dias de Novais para assinalar a 1ª grande derrota do Rei Kiluange.

A sepultura da Rainha N’Ginga, que lutou contra as forças de ocupação colonial portuguesa por mais de 30 anos, encontra-se em Matamba, no município de Samba Caju.

A Fortaleza de Kambambe erguida pelos portugueses em 1604 para assegurar a defesa do presídio da colonização militar aí fundado no contexto da conquista do interior de Angola.

As festas da cidade de N'’Dalatando ocorrem a 18 de Julho e são celebradas em toda a província.

Gastronomia

Baseia-se no funge de bombó ou milho, com um acompanhamento mais exótico. Pode ser acompanhado de carne de caça estufada (kifula), de gafanhotos de palmeira cozidos ou tostados e a muteta.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A província situa-se no norte de Angola e a sua altura varia de 500m a 1500m em relação ao nível do mar, o clima é temperado úmido, com uma temperatura média de 22 até 24°C. A capital, N'dalatando, está distante de Luanda à 248km e 175km de Malanje.

O Kwanza-Norte é banhada entre outros rios, pelo gigante rio Kwanza, que é o maior rio totalmente angolano. As suas verdejantes margens oferecem refrescantes praias, principalmente no município do Dondo.

Turismo[editar | editar código-fonte]

A província é conhecida principalmente pelas reservas florestais do Golungo Alto e do Caculama, na qual existem diversos tipos de vegetações locais e flores. As Quedas do rio Muebemje e as nascentes de Santa Isabel e Sobranceiro (que estão localizados a 2km de N'dalatando) são outros locais indicados para a visitação turística.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Angola, integrado no Projecto Angola é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.