Belas (Angola)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Belas (desambiguação).
Belas
Vista aérea da cidade do Quilamba (Belas), em maio de 2011.jpg

Vista aérea do bairro da Quilamba, centralidade do município de Belas, em maio de 2011.
Província Luanda
Características geográficas
População 1 230 101[1] hab. (2018)

Projecto Angola  • Portal de Angola

Belas é uma cidade e município da província de Luanda, em Angola.[2]

Segundo as projeções populacionais de 2018, elaboradas pelo Instituto Nacional de Estatística, conta com uma população de 1 230 101 habitantes, sendo o quarto município mais populoso da nação, ficando atrás somente de Luanda, Viana e Cacuaco.[1]

O município é constituído pelas comunas-sede (homônima) e pela comuna-distrito de Barra do Cuanza. Subdivide-se, além disso, nos distritos urbanos de Quilamba, Benfica e Mussulo e Ramiro.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A povoação da área territorial de Belas iniciou-se oficialmente em 29 de outubro de 1562, quando o padre António Mendes organiza uma missão de catequese junto a um povoado do reino do Dongo que estava estabelecido na foz do rio Cuanza, iniciando a povoação do actual distrito urbano da Barra do Cuanza. A pequena localidade permaneceu por muito tempo como ponto de paragem e vila de pescadores.[4]

Em 15 de setembro de 1962, por intermédio da portaria n.º 12.388, ocorre a criação do posto administrativo de Belas, vinculado a circunscrição de Viana. O posto administrativo da Barra do Cuanza já existia.[5]

A mudança de panorama em relação a região de Belas ocorreu com a chamada expansão da "Luanda Sul", um ambicioso projeto habitacional, iniciado em 2001, numa área de cerca de 800 hectares, a cerca de 15 quilómetros a sul do centro de Luanda. Inicialmente o enorme conjunto habitacional foi denominado "Nova Vida". De uma área periférica, Belas passou a ser a morada da alta burguesia angolana.[6]

Como reflexo de uma forte crescimento econômico e populacional, o município de Belas foi criado em 31 de março de 2011 a partir de terras dos municípios de Luanda e Viana.[7]

Desde a aprovação do "Plano Diretor Geral Metropolitano de Luanda", em 2015, Belas deixou de ser um município com multicentralidades ancoradas nas suas duas comunas, para uma só cidade, composta de duas comunas-distritos e três distritos. A Quilamba deixou de ser uma comuna para tornar-se um bairro-distrito, a real centralidade da cidade de Belas. O mesmo plano inseriu a cidade de Belas como uma das componentes da "Região Metropolitana de Luanda".[8][9][10] Além disso em 2016, dentro do mesmo plano para a "Região Metropolitana de Luanda", foi criado, a partir da subdivisão do território de Belas, o novo município de Talatona (antiga zona Luanda Sul).[11]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Belas é limitado a norte pelo município de Talatona, a leste pelo de Viana, a sul pelo de Quissama e a oeste pelo oceano Atlântico.

Dada a sua situação geográfica, Belas tem um clima tropical seco, com verões secos, invernos temperados e níveis de precipitação variável.

Todo o cordão-litoral e península do Mussulo, bem como da própria baía do Mussulo e duas ilhas internas — ilha da Cazanga (ou ilha dos Padres) e a ilha da Quissanga — são administrados por este município.

Outra formação geográfica marcante dentro do território municipal é o Miradouro da Lua, que são grandes falésias.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

O município de Belas possui alguns campus e polos de ensino superior, sendo que o mais importante é o da Universidade de Belas, localizado na região entre os bairros Mundial e das Tendas. Já como instituição pública há o Instituto Superior de Ciências da Educação de Luanda e o Instituto Superior de Artes, ambos na Quilamba.[12]

Referências

  1. a b Schmitt, Aurelio. (3 de fevereiro de 2018). «Municípios de Angola: Censo 2014 e Estimativa de 2018». Revista Conexão Emancipacionista 
  2. «Angola Press - Política - Criado município de Belas em Luanda». Consultado em 13 de julho de 2011 
  3. Divisão Político-Administrativa e Toponímia. Governo da República de Angola. Abril de 2016.
  4. Silva, Luciana Lucia da.. O Ndongo no Século XVI: Presença Portuguesa e Agência Mbundu. XIX Encontro de História da Anpuh-Rio. 25 de setembro de 2020.
  5. Município de Viana transforma-se de área rural em zona urbana em 51 anos de existência. Agência Angop. 13 de dezembro de 2016.
  6. Public-Private Infrastructure Initiatives in Luanda Sul (PDF; 116 kB) Bericht von Cláudio Melo Filho General Director Project Luanda Sul - Odebrecht (en)
  7. Politica - Criado município de Belas em Luanda. Radio Ecclesia. 31 de março de 2011.
  8. Castro, José Caléia; Reschilian, Paulo Romano.. Metropolização e planejamento territorial como perspectiva de desenvolvimento em Angola. São Paulo: Cadernos Metrópole. Vol.22. nº. 49. Sep./Dec. 2020.
  9. Figueira, Moisés Bernardo.. Novas Centralidades na Área Metropolitana de Luanda: A Cidade do Sequele como Estudo de Caso. Lisboa: Universidade NOVA de Lisboa, 2010.
  10. Castro, José Caléia; Reschilian, Paulo Romano; Zanetti, Valéria.. Os candongueiros e a “desordem” urbana de Luanda: uma análise sobre a representação social dos transportes informais. Urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), 2018 jan./abr., 10(1), 7-21
  11. «Talatona passa a município». Jornal de Angola. 10 de março de 2016. Consultado em 20 de setembro de 2018. Cópia arquivada em 21 de setembro de 2018 
  12. Albano, Manuel..Instituto Superior de Artes anuncia primeiros finalistas. Jornal de Angola. 16 de maio de 2019.