Ismênia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Dezembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Tideu e Ismênia, ânfora coríntia, c. 560 a.C., Museu do Louvre (E 640)

Na mitologia grega, Ismênia (em grego moderno Ισμήνη) era irmã de Antígona, Polinice e Etéocles, filhos incestuosos de Édipo e da rainha Jocasta[1] [2] . Em uma outra versão, a mãe dos filhos de Édipo se chamava Eurygania, filha de Hyperphas[2] .

Era uma mulher frágil, ao contrário da irmã. Ficou triste com a partida de seu pai de Tebas, mas não tomou atitude nenhuma em relação a isso. Quando Creonte lavrou um decreto que proibia qualquer Tebano de enterrar o corpo de Polinice, morto na guerra contra Tebas, Antígona acabou desobedecendo a lei, e enterrando o irmão de ambas. Ismênia tentando defendê-la, tentou levar a culpa e ser morta no lugar da irmã, mas foi logo desmentida pela mesma.

Referências

  1. Higino, Fabulae, LXVII, Édipo
  2. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.5.8