Crítica ao cristianismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ao longo de sua história, o cristianismo, a igreja e os próprios cristãos foram criticados por muitos. Algumas críticas abordam especificamente as crenças, ensinamentos e interpretações das escrituras cristãs. A resposta formal dos cristãos a tais críticas é descrita como apologética cristã.

Diversas áreas de crítica incluem algumas reivindicações da própria escritura "sagrada", a ética das interpretações bíblicas que têm sido usadas ​​historicamente para justificar atitudes e comportamentos que são vistos pelos críticos como claramente errados, a questão da compatibilidade com a ciência e certas doutrinas cristãs que alguns acham inquietantes ou irrazoáveis.

Certas interpretações de alguns ensinamentos morais na Bíblia são consideradas eticamente questionáveis por muitos grupos modernos. Algumas das passagens mais comumente criticadas incluem referências ao colonialismo,[1] subjugação das mulheres,[2][3][4] intolerância religiosa, condenação da homossexualidade e o suporte à instituição da escravidão[5] no Antigo e Novo Testamentos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Melvin E. Page, Penny M. Sonnenburg (2003). Colonialism: an international, social, cultural, and political encyclopedia, Volume 1. [S.l.]: ABC-CLIO. p. 496. Of all religions, Christianity has been most associated with colonialism because several of its forms (Catholicism and Protestantism) were the religions of the European powers engaged in colonial enterprise on a global scale. 
  2. Feminist philosophy of religion
  3. The Status Of Women In The Old Testament
  4. The Status Of Women In The Old Testament
  5. Robinson, B. A. (2006). «Christianity and slavery». Consultado em 3 de janeiro de 2007 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.