Mozilla Firefox

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Firefox 3)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o navegador web. Para outros significados de Firefox, veja Firefox (desambiguação). Para outros significados de Mozilla, veja Mozilla (desambiguação).
Mozilla Firefox
Firefox Logo, 2017.svg
Firefox 57 no Ubuntu.png
Captura de tela da versão 57 (conhecida como Firefox Quantum) rodando no Ubuntu 17.10 (Artful Aardvark).
Desenvolvedor(es)
Lançamento inicial 9 de novembro de 2004; há 13 anos[1]
Versão estável
Padrão

57.0 (14 de novembro de 2017; há 0 dias[2])

ESR

52.4.1 (9 de outubro de 2017; há 0 dias[3]) [+/-]

Versão em teste
Beta & Developer Edition

58.0beta (8 de novembro de 2017; há 0 dias[4][5] lançamento semi-semanal)

Nightly

59.0a1 (13 de novembro de 2017; há 0 dias[6][7] lançamento diário) [+/-]

Estado de desenvolvimento Ativo
Escrito em C++, JavaScript, C, HTML, Rust[8]
Sistema operacional Windows, macOS, Linux, Android, iOS[9] (Portado de forma não-oficial para BSDs, Solaris, OpenSolaris, illumos)
Incluído com Firefox OS, Ubuntu
Motores Gecko, SpiderMonkey, WebKit (apenas no iOS)
Tamanho
Disponível em 91 idiomas
Gênero
Licença MPL 2.0[16][17]
Website mozilla.org/firefox
Padrão(es) HTML5, CSS3, RSS, Atom

Mozilla Firefox é um navegador livre e multi-plataforma desenvolvido pela Mozilla Foundation (em português: Fundação Mozilla) com ajuda de centenas de colaboradores.[18] A intenção da fundação é desenvolver um navegador leve, seguro, intuitivo e altamente extensível. Baseado no componente de navegação da Mozilla Suite (continuada pela comunidade como SeaMonkey), o Firefox tornou-se o objetivo principal da Mozilla Foundation.[19] Anteriormente o navegador e o Mozilla Thunderbird, outro produto da Mozilla Foundation, eram os destaques do grupo.[20] Cerca de 40% do código do programa foi totalmente escrito por voluntários.[1]

No lançamento da versão primeira 1.0, em 9 de novembro de 2004,[1] o Firefox havia sido aclamado pelo site americano Forbes.[21] Com mais de 25 milhões de transferências nos primeiros 99 dias após o lançamento, o Firefox se tornou uma das aplicações em código-livre mais usadas por usuários domésticos.[22] A marca de 50 milhões de transferências foi atingida em 29 de abril de 2005, aproximadamente 6 meses após o lançamento da versão 1.0. Em 26 de julho de 2005, o Firefox alcançou os 75 milhões de transferências, e a 19 de outubro de 2005 alcançou os 100 milhões de transferências, antes de completar o primeiro ano da versão 1.0.[23] Obtendo cerca de 17.000 complementos disponíveis em 26 de julho de 2012 os add-ons haviam ultrapassado a marca de 3 bilhões de downloads.[1][24]

O Firefox destaca-se como alternativa ao Microsoft Internet Explorer[25] e reativou a chamada Guerra dos Navegadores.

Segundo o StatCounter, atualmente cerca de 19,25% de todos os usuários da Internet do mundo utilizam o Firefox, sendo o terceiro navegador mais utilizado no mundo, atrás do Google Chrome que aparece com 49,18% dos usuários, e do Internet Explorer que aparece com 22,62%.[26] O navegador tem tido sucesso particular na Indonésia e Alemanha, onde ele é o navegador mais popular com 53,69%,[27] e 45,75%[28] do mercado de participação, respectivamente.

História[editar | editar código-fonte]

Dave Hyatt, Joe Hewitt e Blake Ross, que deram início ao projeto Firefox, diziam acreditar que a utilidade do navegador Mozilla estava comprometida com os interesses comerciais da Netscape (que os patrocinava), bem como a inclusão de funções pouco usadas. Foi então que criaram um navegador separado, o qual visava substituir a suíte Mozilla. Atualmente, Ben Goodger (recentemente admitido pela Google) comanda o time que desenvolve o Firefox.

O Firefox mantém a natureza multi-plataforma do navegador Mozilla original, usando a linguagem de programação XUL, a qual possibilita a instalação e personalização de temas e extensões. Porém, acreditava-se que estes add-ons pudessem aumentar os riscos de segurança do navegador. Com o lançamento da versão 0.9, a Mozilla Foundation lançou o Mozilla Update, um site que contém temas e extensões "aprovados" como seguros. Deixa-se a cargo do usuário a decisão de arriscar-se a baixar extensões de fontes não-confiáveis.

O MozillaZine, um site com notícias, fóruns e weblogs para a discussão de assuntos relativos ao Mozilla (operado por entusiastas dos produtos Mozilla), foi fundado em 1 de setembro de 1998. No Brasil, existe o br.mozdev.org., sendo o site oficial brasileiro da Mozilla.

A intenção da Mozilla Foundation é aposentar a suíte Mozilla e substituí-la pelo Firefox. Em 10 de março de 2005, foi anunciado que os lançamentos oficiais da suíte se encerrariam com as versões 1.7.x. Como existem usuários corporativos da mesma, a série 1.7.x ainda é desenvolvida tendo apenas atualizações de segurança em seu roadmap. A versão 1.8.x, que já se encontrava em estado maduro de beta, não foi liberada para não acumular trabalho com atualizações de segurança para 1.7.x e 1.8.x. A versão 1.8.x foi substituída pelo novo navegador SeaMonkey, que continua sendo desenvolvido pela comunidade colaboradora com poucas diferenças iniciais da suíte Mozilla.

Nome[editar | editar código-fonte]

Phoenix 0.1, a primeira versão oficial.

O projeto, atualmente conhecido como Firefox, começou como uma divisão experimental da suíte Mozilla chamada m/b (ou mozilla/browser). Após o estágio inicial de desenvolvimento, versões de teste foram disponibilizadas ao público em 23 de setembro de 2002 sob o nome Phoenix.[29]

O nome Phoenix vigorou até 14 de abril de 2003, quando teve que ser mudado devido a problemas de direito autoral com a fabricante de BIOS Phoenix Technologies (que produz um navegador para BIOS). O novo nome, Firebird, foi recebido com opiniões diversas, pois tinha o mesmo nome do software livre de base de dados Firebird. No final de abril, seguindo - em apenas poucas horas - uma aparente mudança de nome do navegador para Firebird browser, a Mozilla Foundation determinou que o navegador fosse chamado de Mozilla Firebird para evitar confusões com o nome do servidor de dados Firebird. Entretanto, uma contínua pressão da comunidade de software livre forçou outra mudança de nome e, em 9 de fevereiro de 2004, Mozilla Firebird se tornou Mozilla Firefox (ou somente Firefox).[30]

Firefox 1.0.

O nome foi escolhido por ser parecido com "Firebird" e também por ser único na indústria da computação. A fim de evitar uma futura mudança de nome, a Mozilla Foundation deu início ao processo de registro do nome Firefox como marca registrada no Gabinete Americano de marcas e patentes em dezembro de 2003. Como o mesmo nome já havia sido registrado no Reino Unido, a Mozilla Foundation fez um acordo com a The Charlton Company.

O nome "Firefox" se refere ao panda-vermelho também conhecido como raposa de fogo[31] (nome científico: Ailurus fulgens; do grego ailurus, gato; e do latim fulgens, brilhante), é um pequeno mamífero arborícola e a única espécie do gênero Ailurus. Pertence à família Ailuridae, mas já foi classificado nas famílias Procyonidae (guaxinim) e Ursidae (ursos) - o próprio autor do logótipo, Jon Hicks, o animal não passa o conceito apropriado, além de não ser conhecido: "Um firefox é na verdade um atraente panda vermelho, porém ele realmente não traz à mente o imaginário correto. O único conceito, dos que fiz, com o qual me senti feliz foi este, inspirado pela visão de uma pintura japonesa de uma raposa".[31]

Muitas derivações incorretas da escrita original do nome têm ocorrido, como por exemplo Fire fox, Fire Fox ou ainda FireFox. Porém, o nome oficial do navegador é escrito em apenas uma palavra, e com o segundo F minúsculo: "Firefox".

Devido a problemas de marca registrada da Mozilla Foundation,[32] os pacotes "Firefox" e "Thunderbird" foram trocados de nomes para a distribuição Linux Debian. O Debian só aceita softwares totalmente livres e, para solucionar esse problema, foram desenvolvidos os pacotes Iceweasel e Icedove, que são idênticos ao Firefox e ao Thunderbird, respectivamente. Os ícones oficiais do Iceweasel e do Icedove são, respectivamente, Iceweasel icon.svg e Icedove-icon.png.

Marca e identidade visual[editar | editar código-fonte]

O logotipo de globo genérico, usado quando o Firefox é compilado sem marcas oficiais.

O progresso no desenvolvimento da identidade visual, desde o início do projeto, é um dos aspectos mais notáveis do Firefox. Frequentemente se diz que falta ao software livre uma sólida identidade visual. As primeiras versões do Firefox foram consideradas razoáveis em relação ao design, mas não alcançavam os mesmos padrões dos softwares utilizados em larga escala. O lançamento do Firefox 0.8 em fevereiro de 2004 demonstrou o esforço em se atingir um novo visual, inclusive com novos ícones. O ícone do Firefox é desenhado desde então pelo britânico Jon Hicks.

O animal mostrado no ícone é um Panda vermelho estilizado,[33] apesar de o nome remeter a uma raposa. Este ícone foi escolhido por não ser extremamente chamativo.

O ícone do Firefox é uma marca registrada usada para designar o Mozilla Firefox distribuído pela Mozilla. Apesar de ter o código fonte aberto, os ícones e suas imagens não são de uso livre. Devido a isto, versões modificadas do Firefox não estão autorizadas a usar os ícones oficiais. O mesmo ocorre nas versões beta do Firefox. Por serem modificações do original lançado, elas não podem utilizar o mesmo ícone sendo usado geralmente o ícone Deer park globe.svg e modificações dele.

Histórico de lançamentos[editar | editar código-fonte]

Desde o início do projeto, em 23 de setembro de 2002, o Firefox tem sido atualizado com certa freqüência. Mudanças no gerenciamento de extensões, de uma versão para outra, foram comuns em seu estágio pré-1.0. Finalmente, o Firefox 1.0 foi lançado em 9 de novembro de 2004,[1] seguido pela versão 1.0.1 em 24 de fevereiro de 2005, que continha algumas correções de segurança e estabilidade. A versão 1.0.2 foi lançada logo em seguida, em 23 de março de 2005, a qual incluía mais atualizações de segurança. A versão 1.0.3 também foi lançada em menos de um mês, em 15 de abril de 2005, com mais atualizações de segurança. A versão 1.0.4 foi lançada em em 11 de maio de 2005, incluindo várias correções relativas à segurança, além de correção de um erro no DHTML. As versões seguintes do Firefox, 1.0.5 e 1.0.6, foram sendo lançadas para correções de erros que implicavam na segurança dos usuários, datadas de 12 e 20 de julho de 2005, respectivamente. Em 30 de novembro de 2005 a versão 1.5 foi lançada com novos recursos como atualizações automáticas, reordenação dos separadores utilizando o mouse, suporte a novos padrões web como SVG, CSS 2, CSS 3, JavaScript 1.6 e outros.

Após o lançamento da nova versão de seu principal concorrente, o Internet Explorer 7 em 18 de outubro de 2006, a fundação Mozilla lançou o Firefox 2, em 25 de outubro de 2006, com sistema antiphishing, melhoria nas abas, botão incluso no campo de busca e modificações no visual. Sua primeira atualização para correção data em 20 de dezembro do mesmo ano.

O Firefox também é muito utilizado na versão para Android. O Mozilla Firefox já alcançou a marca de 10 milhões de downloads, e anunciou a versão 14 aplicativo.[34]

Durante seu desenvolvimento, o código fonte do Firefox teve vários nomes de uso interno da equipe que o desenvolve. Todos estes nomes foram inspirados em lugares reais, como Three Kings, Royal Oak, One Three Hill, Mission Bay e Greenlane, cujos nomes se referem à subúrbios das cidades de Auckland, na Nova Zelândia e Whangamata, uma pequena cidade litorânea na península de Coromandel, também na Nova Zelândia. Os nomes foram escolhidos por Ben Goodger, que foi criado em Auckland. Outros nomes, incluindo os que são usados no mapa de desenvolvimento (roadmap) do Firefox, são baseados no caminho de uma viagem do estado norte-americano da Califórnia até Phoenix, no estado do Arizona.

De acordo com Ben Goodger, "Deer Park" não se refere a Deer Park, em Victoria (região localizada ao sudoeste da Austrália), trata-se apenas de um nome simbólico. "Eu estava a passear próximo da linha férrea em Long Island, há algumas semanas, quando vi o nome escrito em algum lugar e ele me pareceu bonito", disse Goodger. Portanto, esta é provavelmente uma referência à Deer Park, Nova York, uma área de recenseamento na região de Long Island.

A última versão do Firefox a receber um codinome foi a versão 4.0[35] que foi batizada de Tumucumaque, nome popular do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, localizado na Amazônia, nos estados do Pará e do Amapá, Brasil,.[36]

Versões[editar | editar código-fonte]

Compatibilidade[editar | editar código-fonte]

Sistema Operacional Última versão estável publicada Última versão estendida publicada Duração do suporte
Linux 2.2.14 ou superior 31.0.0[166] 24.4.0 desde 2004
Mac OS X 10.0 - 10.1 1.0.8
2004–2006
10.2 - 10.3 2.0.0.20
2004–2008
10.4 - 10.5 (PPC) 3.6.28
2005-2012
10.5 (Intel) 16.0.2 10.0.12[130] 2007-2013
10.6 - 10.9 31.0.0[166] 24.4.0 desde 2007
Microsoft Windows 95 1.5.0.12
2004–2007
NT 4 / 98 / ME 2.0.0.20
2004–2008
2000 12.0 10.0.12[167] 2004–2013
XP / 2003 / Vista /
2008 / 7 / 2008R2 /
2012 / 8.x / 10
51.0.0[166] [7] desde 2004
Android 2.2 ou superior 28.0.0[166] 24.4.0 desde 2011
Firefox OS 1.0 ou superior 26.0 [8]
desde 2012
OS/2 e eComStation 6.0.2[168] 3.6.28 Suporte não oficial
Sun Java Desktop System 1.0.4
Suporte não oficial
Solaris (x86 e SPARC) 8 - 9 2.0.0.20
Suporte não oficial
Solaris 10 e OpenSolaris (x86 e SPARC) 28.0[169] 24.4.0 Suporte não oficial
Legenda: ██ Versão descontinuada (sem suporte) • ██ Versão em suporte estendido • ██ Versão atual (estável)
O suporte estendido do Firefox OS não segue as versões ESR do Firefox regular.[170][171]

Recursos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Recursos do Mozilla Firefox

Segundo seus desenvolvedores, o objetivo do Firefox é ser um navegador que inclua as opções mais usadas pela maioria dos usuários, de modo que o torne o melhor possível. Outras funções não incluídas originalmente encontram-se disponíveis através de extensões e plugins nos quais qualquer pessoa possa criar um.

Acessibilidade[editar | editar código-fonte]

Segundo os desenvolvedores, existe um esforço no sentido de se buscar a simplicidade na interface do Firefox. As opções menos usadas pela maioria dos usuários geralmente ficam ocultas, oposto ao que acontece com a suíte Mozilla.

O Firefox tem suporte à navegação através de abas/separadores, o que possibilita a abertura de várias páginas em uma única janela do navegador. Esta função foi herdada da suíte Mozilla, que por sua vez, emprestou-a de uma extensão conhecida como MultiZilla,[172] a qual foi desenvolvida especialmente para a suíte. O Firefox também está entre os primeiros navegadores a disponibilizar bloqueamento personalizado de janelas pop-up.

O navegador contém opções que facilitam a busca por informações. Existe uma função de pesquisa conhecida como "localizar ao digitar". Caso esta função esteja habilitada, o usuário poderá iniciar a digitação de uma palavra enquanto visualiza a página, e automaticamente o Firefox destaca o primeiro resultado que encontra. Quanto mais se digita, mais a busca é refinada.

Há também um campo de pesquisa embutido, com algumas opções de busca já incluídas (na versão em inglês do Firefox), como os sites Google, Yahoo, Amazon.com, Creative Commons, Dictionary.com e eBay. Existem muitas opções extras de plugins de busca que podem ser instaladas, uma delas feita para se pesquisar na Wikipédia, que foi desenvolvida através do projeto Mycroft.

A função de "palavra-chave" usada para que o usuário acesse o conteúdo de seus favoritos/marcadores, através da barra de endereços, foi apresentada anteriormente na suíte Mozilla. Opcionalmente, pode-se usar um parâmetro de busca na Internet. Para isto, basta que se digite, por exemplo, "google pêssego" na barra de endereços, e o usuário será redirecionado a uma página de resultados do Google contendo o item "pêssego". Se for digitada somente uma palavra sem um parâmetro de busca, o Firefox automaticamente aciona o Google, que levará o usuário ao primeiro site sugerido (semelhante à função "sinto-me com sorte", "Estou com Sorte" no Brasil, da página inicial do Google).

Segurança[editar | editar código-fonte]

A arquitetura de programação do Firefox é baseada em extensões. Tal característica é apontada por alguns como um dos aspectos que supostamente tornariam o navegador seguro. Há quem diga que não se deve incorporar inúmeros recursos (os quais poderiam supostamente ser usados mais facilmente por códigos maliciosos), mas sim deixar o usuário escolher o que adicionar, através da seleção das extensões (como plugins), as quais no Firefox são bloqueadas quando instaladas de sites desconhecidos (opção que pode ser modificada pelo usuário com um simples clique, o qual autoriza a instalação de fonte não confiável e coloca em risco toda a segurança).

Existe a opção de se executar o Firefox em um Modo de Segurança, no qual todas as extensões instaladas são desativadas.

Deve-se notar que muitas das extensões, especialmente as mais populares e recomendadas pela própria Mozilla, também podem ser alvos de vulnerabilidades, colocando abaixo tais apontamentos e em consequência a segurança e privacidade do usuário.[173][174][175][176][177][178][179]

O próprio navegador Firefox também possui falhas de segurança em seu código puro como o é hoje, tal qual qualquer outro navegador, algumas das quais inclusive sem correção conhecida no momento,[180][181] para além de ser potencial alvo de explorações maliciosas dos múltiplos bugs existentes em seu motor JavaScript[182] e também de falhas em complementos de terceiros como o Java SE da Sun e o Flash Player da Adobe (estas últimas mais raras).

Decorre ainda hoje, no meio informático, uma polêmica sobre uma falha na forma como o Firefox renderiza protocolos da web. A falha já havia sido corrigida por duas vezes após uma infame troca de acusações com a Microsoft que acabou na admissão da Mozilla de que o problema era mesmo no Firefox.[183] Contudo, ao que parece, a falha continua aberta à explorações, mesmo depois das correções.[184]

Personalização[editar | editar código-fonte]

Através de extensões, os usuários podem agregar novas funções, como gestos do mouse, bloqueio de publicidade, ferramentas de verificação, ampliação de imagens e até mesmo a edição de artigos na Wikipédia (ver abaixo). Muitas das funções oficialmente incluídas na suíte, como um cliente de chat IRC e calendário, foram lançadas como extensões para o Firefox.

O sistema de extensões por vezes é visto como uma plataforma de testes para novas funcionalidades. Eventualmente, alguma extensão pode ser adicionada ao lançamento oficial, assim como aconteceu com o sistema de navegação por abas/separadores na suíte, que anteriormente era uma extensão chamada Multizilla.

Existe também o suporte a temas (skins, ou "peles") que mudam a aparência do navegador, as quais nada mais são do que pacotes que incluem arquivos CSS e de imagem. Além da possibilidade de se adicionar temas, os usuários podem personalizar o visual do Firefox, mudando a disposição de elementos como botões, menus ou eliminar toda uma barra de ferramentas.

Além das páginas próprias de cada autor, boa parte das extensões e temas disponíveis podem ser descarregados da página oficial de add-ons (A.M.O. ou Mozilla Add-Ons), que verifica periodicamente através do Firefox se há alguma atualização para os mesmos.

Muitas configurações avançadas do Firefox também podem ser acessadas digitando about:config na barra de endereços.

Suporte aos padrões web[editar | editar código-fonte]

A Mozilla Foundation demonstra orgulho do fato de o Firefox ter alta-compatibilidade com os atuais padrões web, em especial os especificados pelo W3C. O suporte a estes padrões é extenso (embora não completo) e os mais conhecidos dentre eles são o HTML, XML, XHTML, CSS, JavaScript, DOM, MathML, XSL e o XPath.

Há também o suporte à transparência variável em arquivos de imagem PNG.

O suporte aos padrões web é constantemente melhorado pelos colaboradores do projeto Mozilla. O padrão CSS de Nível 2 já foi implementado e o padrão CSS de Nível 3, ainda em desenvolvimento, foi parcialmente incluído. Alguns padrões, como o SVG, APNG, e o XForms, estão sendo implantados com a evolução das versões.

Embora sua versão 3.0 Alpha 2 não passou no teste Acid2 de renderização de padrões web, passou na versão 3.0 Beta 1. A versão 3.0 Final ainda encontra-se em desenvolvimento. O resultado já plenamente satisfatório pode ser conferido na última versão de testes lançada do navegador, a 3.0 Beta 5. Na versão 3.5 o firefox tirou nota 94 de 100 no teste Acid3.

Suporte multi-plataforma[editar | editar código-fonte]

O Mozilla Firefox funciona em vários sistemas operacionais, dentre os quais:

Pelo fato de ser um software em código aberto, muitos programadores desenvolvem versões para outros sistemas operacionais que não são oficialmente suportadas pela Mozilla Foundation, a saber:

Versões para o Windows XP Professional x64 Edition também estão disponíveis, bem como versões para RISC OS e BeOS (projetos que ainda estão em andamento).

O formato que é usado para armazenar o perfil dos usuários é o mesmo em todas as plataformas, portanto um perfil pode ser compartilhado por diferentes sistemas (exemplo: um perfil armazenado em uma partição FAT32 que pode ser acessado tanto pelo Windows quanto pelo Linux). Entretanto, podem ocorrer problemas, principalmente no que se refere à extensões.

Versão portátil[editar | editar código-fonte]

Existe também uma versão portátil do Mozilla Firefox otimizado para uso a partir de pen drives. A última versão lançada é a 10.0; o software está em inglês, mas possui uma extensão para traduzir a interface do usuário para o português.[185][186]

Suporte à plataforma[editar | editar código-fonte]

O Mozilla fornece versões de desenvolvimento do Firefox pelos seguintes canais: "Beta", "Aurora" e "Nightly". A partir de agosto de 2012, o Firefox 16 beta está no canal "Beta", o Firefox 17 em versão alfa pelo canal "Aurora" e o Firefox 18 em versão pré-alfa no canal "Nightly".

Recursos planejados para versões futuras incluem a atualização silenciosa para que incrementos versão não vá incomodar o usuário, embora o usuário será capaz de desabilitar essa função.[187] Também está prevista uma interface de usuário diferente chamada "Australis" já utilizada pelo Google Chrome que foi lançada como versão de teste do Firefox 16 por Wein, um engenheiro da Mozilla Foundation.[188][189]

Firefox Móvel[editar | editar código-fonte]

Firefox 10.0 para celulares com Android.

Firefox Móvel, codinome de Fennec, é um navegador web para pequenos dispositivos não-PC, telefones celulares e PDAs. Foi lançado para o sistema operacional Nokia Maemo (especificamente o Nokia N900) em 28 de janeiro de 2010.[190] A versão 4 para Android e Maemo foi lançada em 29 de março de 2011.[191] A versão do navegador pulou da versão 2 a 4 para sincronizar com todas as versões de desktop futuras do navegador desde que ambos os navegadores usam o mesmo motor de renderização.[192] A versão 7 foi o último lançamento para Maemo no N900.[193] A interface do usuário é completamente redesenhado e otimizado para telas pequenas, os controles estão escondidos para que apenas o conteúdo da web seja mostrado na tela, e utiliza métodos de interação touchscreen. Inclui Awesomebar, navegação por abas, suporte a Add-ons, gerenciador de senha, navegação ciente de localização e a capacidade de sincronizar os dados do usuário da versão do navegador desktop usando o Firefox Sync.[194]

Firefox ESR[editar | editar código-fonte]

Firefox ESR (Extended Support Release) é uma versão do Firefox para organizações e outros usuários que precisam de suporte estendido para implantações de massas.[195] De modo diferente os lançamentos regulares ("rápidos"), o ESR será atualizado com novos recursos e aprimoramentos de desempenho anualmente, recebendo atualizações de segurança regulares durante o ano.[196]

Suporte 64 bits[editar | editar código-fonte]

Sistema operacional Suporte 64-bits
Windows Sim
Mac OS X Sim
Linux Sim

O suporte de 64 bits para o Firefox inicialmente era inconsistente entre sistemas operacionais. O 64-bits era suportado pela Mozilla apenas no Mac OS X e Linux, sem não nenhuma versão oficial de 64 bits para sistemas operacionais Windows.[197] Entretetanto, a Mozilla fornecia desde então uma versão de 64 bits para o seu nightly, que é considerado instável pela Mozilla.[198][199] Por este motivo, as versões 64 bits do Windows rodavam a versão de 32 bits do Firefox.[166] No final de 2012, a Mozilla anunciou que as compilações de 64 bits para o Windows seriam ser paradas,[200] mas acabou mudando de ideia.[201] Desde abril de 2015, versões de 64 bits para o Windows estão disponíveis a partir do 38.0 Beta[202] e mais recente. As compilações de 64-bit para o Windows são oficialmente suportadas desde novembro de 2015 com o lançamento do Firefox 42. Todos os plugins baseados em NPAPI, exceto o Adobe Flash Player, são colocados numa lista negra e estão sem suporte nas ambas versões de 32 e 64 bits.[203]

As versões oficiais do Firefox para Mac OS X são compilações universais que incluem versões 32-bits e 64-bits do navegador em um único pacote e tem sido assim desde o Firefox 4. Uma sessão de navegação típica usa uma combinação do processo navegador 64 bits e um 32 bits processo plugin, porque alguns plugins populares ainda são de 32 bits.[204]

A Mozilla fez o Firefox para Linux 64 bits como uma prioridade com o lançamento do Firefox 4, etiquetado como prioridade de nível 1.[205][206] Desde que foi rotulado de nível 1, a Mozilla tem vindo a fornecer versões oficiais de 64 bits para seu navegador para Linux.[207][208] Fornecedor anteriormente do suporte 64 bits já existentes para distribuições Linux, como a Novell-Suse Linux, Red Hat Enterprise Linux e Ubuntu, antes do apoio da Mozilla de 64 bits, embora os vendedores foram confrontados com o desafio de ter que desligar o 64 bits JIT compilador devido à sua instabilidade antes do Firefox 4.[209][210][211]

Utilização[editar | editar código-fonte]

Adoção dos navegadores de acordo com a StatCounter.[26]

Desde o lançamento, em 2004, a adoção de mercado do Mozilla Firefox aumentou rapidamente. Atualmente, o Firefox é o terceiro navegador mais usado em todo o mundo, com 19,25% dos usuários, perdendo para o Google Chrome e Internet Explorer, primeiro e segundo lugar, respectivamente.[26] O Google Chrome passou o Firefox em números de usuários pela primeira vez em novembro de 2011.[212]

De acordo com uma pesquisa disponibilizada em 18 de julho de 2007 pela empresa francesa XiTi, a Europa é o continente onde se encontra a segunda maior porcentagem de uso do Firefox, com uma média de 27,8% contra 28,9% da Oceania. O país europeu onde a utilização é maior é a Eslovênia com 47,9%, seguida pela Finlândia com 45,4% e pela Eslováquia com 40,4%.[213]

Mozilla Firefox e a Wikipédia[editar | editar código-fonte]

Existe uma extensão para o Mozilla Firefox que, após instalada, disponibiliza um menu de contexto orientado para a Wikipédia. A extensão chama-se "Wikipedia Context Menu Search" e pode ser obtida na página de extensões do Firefox.[214]

No menu superior direito existe a caixa de texto para busca rápida. No Firefox em língua portuguesa, existem busca no Google, no Yahoo e também as opções de busca na Wikipédia e Wikcionário, entre outros.

Existe, ainda, uma outra extensão. Ao acessar qualquer site da Wikipédia após tê-la instalado, aparece uma nova barra de ferramentas no Firefox, com diversas opções que facilitam os editores da Wikipédia.

Download Day[editar | editar código-fonte]

A Spread Firefox, comunidade responsável pela publicidade do programa, planejava estabelecer um novo recorde mundial do maior número de downloads de um software em 24 horas, com o lançamento da versão 3.0. O lançamento foi no dia 17 de junho de 2008, às 18h16min UTC.[215] Ao final do período estabelecido, às 18h16min UTC de 18 de junho, 8.290.545 downloads foram registrados.[215] Os resultados foram encaminhados aos avaliadores do Livro Guinness dos Recordes para análise dos dados.[216]

Em 2 de julho de 2008, já tinham sido registrados mais de 28 milhões de downloads.[34]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Obs.: o trecho seguinte está "compactado" de modo a despoluir visualmente o contexto da página toda.

Referências

  1. a b c d e Berkman, Fran (23 de setembro de 2012). «Mozilla Firefox Turns 10» (em inglês). Mashable. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  2. «Firefox — Notes (57.0)» (em inglês). mozilla.org. 14 de novembro de 2017. Consultado em 14 de novembro de 2017 
  3. «Firefox Extended Support Release — Notes (52.4.1)» (em inglês). mozilla.org. 9 de outubro de 2017. Consultado em 11 de outubro de 2017 
  4. «Firefox — Beta Notes (58.0beta)» (em inglês). mozilla.org. 8 de novembro de 2017. Consultado em 14 de novembro de 2017 
  5. «Download Firefox Beta in your language» (em inglês). mozilla.org. Consultado em 14 de novembro de 2017 
  6. «Firefox — Nightly Notes (59.0a1)» (em inglês). mozilla.org. 13 de novembro de 2017. Consultado em 14 de novembro de 2017 
  7. «Download Firefox Nightly in your language» (em inglês). mozilla.org. Consultado em 14 de novembro de 2017 
  8. «The Mozilla Firefox Open Source Project on Open Hub: Languages Page» (em inglês). OpenHub. Consultado em 18 de março de 2017 
  9. «Supported Devices» (em inglês). Consultado em 4 de março de 2017 
  10. «Atualização mais recente do Firefox para Windows». mozilla.org. Consultado em 4 de março de 2017 
  11. «History of FireFox distribution size» (em inglês). Linexp.ru. 23 de março de 2013. Consultado em 4 de março de 2017. Arquivado do original em 15 de maio de 2013 
  12. «Atualização mais recente do Firefox para macOS». mozilla.org. Consultado em 4 de março de 2017 
  13. «Atualização mais recente do Firefox para Linux». mozilla.org. Consultado em 4 de março de 2017 
  14. «Atualização mais recente do Firefox para Android». mozilla.org. Consultado em 4 de março de 2017 
  15. «Atualização mais recente do Firefox estável». mozilla.org. Consultado em 22 de abril de 2017 
  16. «Mozilla Foundation End-User Licensing Agreements» (em inglês). mozilla.org. Consultado em 22 de abril de 2017 
  17. «Mozilla Licensing Policies» (em inglês). mozilla.org. Consultado em 22 de abril de 2017 
  18. Lista de colaboradores do Firefox em Mozilla.org
  19. Gustavo, Luiz (5 de março de 2005). «Mozilla Foundation vai se concentrar no Firefox e Thunderbird, futuro da suíte Mozilla em debate». br-linux. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  20. Perez, Sarah (6 de julho de 2012). «So, That's It For Thunderbird» (em inglês). TechCrunch. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  21. Hesseldahl, Arik (29 de setembro de 2004). «Better Browser Now The Best» (em inglês). Forbes. Consultado em 17 de outubro de 2006 
  22. «Browser Statistics». Consultado em 20 de julho de 2009 
  23. Firefox Surpasses 100 Million Downloads!
  24. Jostedt, Erica (26 de julho de 2012). «Firefox Add-ons Cross More Than 3 Billion Downloads!» (em inglês). Mozilla. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  25. a b c «StatCounter Global Stats» (em inglês). StatCounter. Setembro de 2014 
  26. «Browsers in Indonesia». StatCounter Global Stats (em inglês). StatCounter 
  27. «Top 5 Browsers in Germany». StatCounter Global Stats (em inglês). StatCounter 
  28. Gilbertson, Scott (23 de setembro de 2012). «Happy Birthday, Firefox: The Little Web Browser That Could Turns 10» (em inglês). Webmonkey. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  29. Mozillazine Mozilla Firebird Renamed Firefox, Version 0.8 Released
  30. a b «Focus on Textpattern 4.2.0» (em inglês). The Hickensian. 8 de setembro de 2009. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  31. Problemas de Trademark entre Mozilla e Debian
  32. [1]
  33. a b Destro, Gustavo (junho de 2012). «Nova versão do Firefox para Android vem com grandes novidades». NoteShared. Consultado em 5 de outubro de 2012  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "contadorDownloads" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  34. «Old Firefox Release Tracking» (em inglês). Mozilla Wiki. Consultado em 25 de novembro de 2011 
  35. «Tumucumaque Park». Mozilla.org. Consultado em 28 de novembro de 2010 
  36. Mozilla (23 de setembro de 2002). Phoenix 0.1 (Pescadero) Release Notes and FAQ, "Mozilla" (em inglês). Acessado em 2008-ago-18.
  37. Beard, Christopher (13 de abril de 2006). Firefox 1.0.8 Security and Stability Release and End-of-Life for 1.0.x, "Mozilla Developer Center" (em inglês). Acessado em 2008-ago-18.
  38. Beard, Christopher (13 de janeiro de 2008). Release Roadmap, "Mozilla Wiki" (em inglês). Acessado em 2008-ago-18.
  39. Hashem, Basil (30 de maio de 2007). Firefox 2.0.0.4 and Firefox 1.5.0.12 Security and Stability Update, "Mozilla Developer Center" (em inglês). Acessado em 2008-ago-18.
  40. ss (1 de julho de 2008). Firefox 2.0.0.15 security and stability update now available for download, "Mozilla Developer Center" (em inglês). Acessado em 2008-ago-18.
  41. beltzner (11 de junho de 2008). Coming Tuesday, June 17th: Firefox 3, "Mozilla Developer News" (em inglês). Acessado em 2008-ago-18.
  42. Mozilla (29 de maio de 2008). Firefox 3 System Requirements, "Mozilla Wiki" (em inglês). Acessado em 2008-ago-18.
  43. Mozilla (16 de julho de 2008). Mozilla Firefox 3.0.1 Release Notes, "Mozilla" (em inglês). Acessado em 2008-ago-18.
  44. «Mozilla Firefox 3.5.19 Release Notes». Mozilla.com. 28 de abril de 2011. Consultado em 28 de abril de 2011 
  45. «Releases/Firefox 4.0». Mozilla.org. Consultado em 28 de setembro de 2011 
  46. «Mozilla Firefox: Development Specifics». Mozilla. Consultado em 21 de maio de 2011 
  47. «Mozilla Firefox 5 Beta». Baixaki. Consultado em 21 de maio de 2011 
  48. «Mozilla Firefox5 for Developers». Mozilla. Consultado em 21 de maio de 2011 
  49. «Mozilla Firefox - ReleaseTracking». Mozilla. Consultado em 21 de maio de 2011 
  50. «Mozilla Firefox 5.0 Release Notes». Mozilla. Consultado em 15 de junho de 2011 
  51. «MDN: Firefox 6 for Developement». Mozilla. Consultado em 8 de julho de 2011 
  52. «Mozilla Wiki: Features - About:Permissions». Mozilla. Consultado em 8 de julho de 2011 
  53. «Mozilla Wiki: Features - Revamp Memory». Mozilla. Consultado em 8 de julho de 2011 
  54. «Mozilla Wiki: Features - ScracthPad». Mozilla. Consultado em 8 de julho de 2011 
  55. «Mozilla Wiki: Features - WebConsole Upgrade». Mozilla. Consultado em 8 de julho de 2011 
  56. «Mozilla Wiki: Features - WebDeveloperMenu». Mozilla. Consultado em 8 de julho de 2011 
  57. «Mozilla Firefox 6 beta 1 Release Notes». Mozilla. Consultado em 8 de julho de 2011 
  58. «Firefox 7 Release Note». Mozilla. Consultado em 18 de agosto de 2011 
  59. «Firefox 7 is lean and fast». Nicholas Nethercote - Mozilla Blogs. Consultado em 16 de agosto de 2011 
  60. «Firefox 7 será 50% mais rápido, diz Mozilla». Info. Consultado em 16 de agosto de 2011 
  61. «Extension Manager - Embedded Add-on Preferences». MozillaWiki. Consultado em 16 de agosto de 2011 
  62. «AzureD2DCanvas». MozillaWiki. Consultado em 16 de agosto de 2011 
  63. «Telemetry». MozillaWiki. Consultado em 16 de agosto de 2011 
  64. «DirectWrite Text Rendering in Firefox 6». Graphic Bits - Mozilla Blogs. Consultado em 16 de agosto de 2011 
  65. «Instant_Sync». MozillaWiki. Consultado em 16 de agosto de 2011 
  66. «Text-overflow». MDN. Consultado em 16 de agosto de 2011 
  67. «Extension Manager:Projects:Third Party Add-on Warnings». Mozilla Wiki. Consultado em 28 de setembro de 2011 
  68. «Extension Manager:Projects:Confirm on Upgrade». Mozilla Wiki. Consultado em 28 de setembro de 2011 
  69. «Expose prefs for tabs-on-demand» (em inglês). Mozilla Wiki. Consultado em 5 de novembro de 2011 
  70. «In-content UI Visual Unification». Mozilla Wiki. Consultado em 28 de setembro de 2011 
  71. «Twitter People_Search». Mozilla Wiki. Consultado em 28 de setembro de 2011 
  72. «Electrolysis Texture Sharing». Mozilla Wiki. Consultado em 28 de setembro de 2011 
  73. «Firefox 9.0b1». Mozilla Firefox 9.0b1 Release Notes. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  74. «Java Script Type Inference». Mozilla Wiki. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  75. «DNT Signal». Mozilla Wiki. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  76. «Tablet UI». Mozilla Wiki. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  77. «Camera UI». Mozilla Wiki. Consultado em 10 de novembro de 2011 
  78. «Page Inspector - Highlighter». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  79. «DevTools/Features/Highlighter». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  80. «CSS Rules View». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  81. «Code Editor». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  82. «Console Object Completion». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  83. «CSS3 3D Transforms». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  84. «Full Screen APIs». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  85. «DOM Bindings: Node List and Array Bindings». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  86. «Sync Setup Improvements». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  87. «Add-on hotfixes». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  88. a b c «O Firefox 10 chega com "suporte estendido" para usuários corporativos». PC World. Consultado em 2 de fevereiro de 2012 
  89. a b c «ExtendedSupport:Proposal». Mozilla Wiki. Consultado em 4 de março de 2012 
  90. «Chrome Migration». Mozilla Wiki. Consultado em 1 de fevereiro de 2012 
  91. «Style Editor». Mozilla Wiki. Consultado em 1 de fevereiro de 2012 
  92. «Page Inspector 3D Tilt». Mozilla Wiki. Consultado em 1 de fevereiro de 2012 
  93. «SPDY Tilt». Mozilla Wiki. Consultado em 1 de fevereiro de 2012 
  94. «Addon Sync». Mozilla Wiki. Consultado em 1 de fevereiro de 2012 
  95. «Media Controls Refresh». Mozilla Wiki. Consultado em 14 de março de 2012 
  96. «Silent Update OS Dialogs». Mozilla Wiki. Consultado em 14 de março de 2012 
  97. «Console Queued Messages». Mozilla Wiki. Consultado em 14 de março de 2012 
  98. «Firefox Home Tab». Mozilla Wiki. Consultado em 25 de abril de 2012 
  99. «New Tab Page». Mozilla Wiki. Consultado em 25 de abril de 2012 
  100. «Enable Smooth Scrolling». Mozilla Wiki. Consultado em 25 de abril de 2012 
  101. «Tab on demand». Mozilla Wiki. Consultado em 25 de abril de 2012 
  102. «Firefox 14 Release Notes». Mozilla. Consultado em 27 de junho de 2012 
  103. «Mozilla lança o Firefox 14.0.1». Info Exame. Consultado em 18 de julho de 2012 
  104. «Hang Detector and Reporter». Mozilla Wiki. Consultado em 5 de junho de 2012 
  105. «URL Autocomplete». Mozilla Wiki. Consultado em 5 de junho de 2012 
  106. «MRolling Out HTTPS Google search». Mozilla. Consultado em 18 de julho de 2012 
  107. «add fullscreen support for Mac OS X 10.7 Lion». Buzilla. Consultado em 18 de julho de 2012 
  108. «MouseCapture». Mozilla Wiki. Consultado em 5 de junho de 2012 
  109. «PseudoClassLock». Mozilla Wiki. Consultado em 5 de junho de 2012 
  110. «Flash for Android». Mozilla Wiki. Consultado em 5 de junho de 2012 
  111. «SilentUpdate». Mozilla Wiki. Consultado em 17 de julho de 2012 
  112. «Web Apps integration». Mozilla Wiki. Consultado em 17 de julho de 2012 
  113. «Startup Performance Improvements». Mozilla Wiki. Consultado em 17 de julho de 2012 
  114. «Incremental GC». Mozilla Wiki. Consultado em 17 de julho de 2012 
  115. «Media/WebRTC/2012-08-28». Mozilla Wiki Wiki. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  116. «Firefox 16.0 Release notes». Mozilla. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  117. «Getting started with making apps». Mozilla Developer Network. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  118. a b «Incremental GC in Firefox 16». Mozilla Blog. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  119. «Developer Toolbar». Mozilla Wiki. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  120. «GCLI». Mozilla Wiki. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  121. «Show PDF inline». Mozilla Wiki. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  122. «Opt-in activation for plugins». Mozilla Wiki. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  123. «Security Vulnerability in Firefox 16 fixed». Mozilla Security Blog. Consultado em 11 de outubro de 2012 
  124. «Bringing Social to Firefox». Mozilla Blog. Consultado em 21 de novembro de 2012 
  125. «(framesandbox) Implement HTML5 sandbox attribute for IFRAMEs». Mozilla Bugzilla. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  126. a b «Firefox Aurora 17.0a2 Release notes». Mozilla. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  127. «Improve display of location bar results». Mozilla Wiki. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  128. «HTMLTreeEditor». Mozilla Wiki. Consultado em 9 de outubro de 2012 
  129. a b «We bid you adieu, spotted cat». Mozilla. 4 de outubro de 2012. Consultado em 21 de novembro de 2012 
  130. «IonMonkey». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de novembro de 2012 
  131. «Per Site Third Party Cookie Setting». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de novembro de 2012 
  132. «Firefox 19 Aurora Release Notes». Mozilla. Consultado em 10 de janeiro de 2013 
  133. «Show PDF inline». Mozilla Wiki. Consultado em 20 de novembro de 2012 
  134. «Panel based Download Manager». Mozilla Wiki. Consultado em 22 de fevereiro de 2013 
  135. «Firefox Beta includes Per Window Private Browsing». Mozilla Future Release Official Blog. Consultado em 22 de fevereiro de 2013 
  136. «Per-window Private Browsing». Mozilla Wiki. Consultado em 22 de fevereiro de 2013 
  137. «Firefox 20 Beta Release Notes». Mozilla. Consultado em 22 de fevereiro de 2013 
  138. «nsExternalAppHandler downloads files on the main thread». Bugzilla. Consultado em 22 de fevereiro de 2013 
  139. «Downloads bugs fixed in Firefox 20». BugZilla. Consultado em 22 de fevereiro de 2013 
  140. «Make sure that we load stylesheets and scripts with a higher priority than images». Bugzilla. Consultado em 22 de fevereiro de 2013 
  141. «JavaScript Profiling». Mozilla Wiki. Consultado em 22 de fevereiro de 2013 
  142. «Firefox 21.0 Releases Notes». Mozilla. Consultado em 10 de julho de 2013 
  143. «Firefox 22.0 Releases Notes». Mozilla. Consultado em 10 de julho de 2013 
  144. «A New Firefox Logo for a New Firefox Era». Mozilla about:pixels blog. Consultado em 10 de julho de 2013 
  145. «Firefox 23.0 Releases Notes». Mozilla. Consultado em 10 de julho de 2013 
  146. a b c «Mozilla Firefox 24.0 Beta Notes». Mozilla. Consultado em 10 de agosto de 2013 
  147. «Picking Up The Crumbs». msujaws. Consultado em 10 de agosto de 2013 
  148. «Bugzilla - Bug 600207 - SVG-as-image is fuzzy/pixelated when scaled or printed, when we trigger the tiling codepath». Bugzilla. Consultado em 10 de agosto de 2013 
  149. «The Browser Console is replacing the Error Console». robodesign. Consultado em 10 de agosto de 2013 
  150. «Firefox 25 beta Release Notes». Mozilla. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  151. «Firefox 25 Beta para Android ganha "Guest Mode"». Tudo Celular. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  152. «Firefox 26 Plugin Activation in Firefox"». Mozilla Blog. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  153. a b c d «Firefox 26 Release Notes"». Mozilla. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  154. «Firefox 27 Looks to Boost Web Security"». eWeek. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  155. «Firefox 27 Release Notes"». Mozilla. Consultado em 19 de dezembro de 2013 
  156. «Firefox for Windows 8 Touch Beta is Ready for Testing"». Mozilla. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  157. «The Gamepad API"». Mozilla Hacks. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  158. «Firefox 28 Release Notes"». Mozilla. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  159. «Releases». Mozilla Wiki. Consultado em 12 de outubro de 2012 
  160. «Navegador Mozilla Firefox». Mozilla Firefox. Consultado em 10 de agosto de 2013  Texto " Baixe o Firefox Beta para Desktop" ignorado (ajuda)
  161. «Mozilla abre novo canal "Aurora" para lançamentos mais rápidos de novidades no Firefox». MacMagazine. Consultado em 14 de maio de 2011 
  162. «New Channels for Firefox Rapid Releases». The Mozilla Official Blog. Consultado em 14 de maio de 2011 
  163. «Releases». Mozilla Wiki. Consultado em 1 de outubro de 2011 
  164. «Versões Beta do Firefox». Mozilla Brasil. Consultado em 20 de dezembro de 2011 
  165. a b c d e «Mozilla Firefox System Requirements». Mozilla. 22 de março de 2011. Consultado em 11 de outubro de 2012  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "sysreq" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  166. «Unsupported OSes». Mozilla. 5 de junho de 2012. Consultado em 5 de junho de 2012 
  167. «Mozilla Firefox 6.0.2 Builds for OS/2». Mozilla. 5 de setembro de 2011. Consultado em 17 de setembro de 2011 
  168. «Mozilla Firefox 27.x Builds for Solaris OS». Mozilla. 14 de fevereiro de 2014. Consultado em 14 de fevereiro de 2014 
  169. «Firefox OS Versions and Scheduling». Mozilla Wiki. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  170. «ESR Landing Process». Mozilla Wiki. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  171. [[2] «mozdev.org - multizilla: index»] Verifique valor |url= (ajuda) (em inglês). multizilla.mozdev.org. Consultado em 2 de março de 2011 
  172. «addons.mozilla.org recent and open issues» (em inglês). MozillaZine. 18 de dezembro de 2006. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  173. «Secunia Advisory SA24743» (em inglês). Secunia. 12 de abril de 2007. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  174. «Secunia Advisory SA24654» (em inglês). Secunia. 2 de abril de 2007. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  175. «Secunia Advisory SA16128» (em inglês). Secunia. 28 de setembro de 2008. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  176. «Vulnerability Summary for CVE-2006-2538» (em inglês). National Vulnerability Database. 22 de maio de 2006. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  177. «Vulnerability Report: Sage 1.x (extension for Firefox)» (em inglês). Secunia. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  178. «Secunia Advisory SA24913» (em inglês). Secunia. 25 de abril de 2007. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  179. Vulnerability Report: Mozilla Firefox 1.x
  180. Vulnerability Report: Mozilla Firefox 2.0.x
  181. Jesse's JavaScript compiler/decompiler fuzzer
  182. Mozilla Admits Firefox Exploit Caused by Firefox Bug, Not IE
  183. Firefox Vulnerable to Protocol-Handling Bug Attacks
  184. «Firefox Portable: Leve o Firefox no seu pendrive». br.mozdev.org. Consultado em 25 de outubro de 2011 
  185. «Mozilla Firefox, Portable Edition» (em inglês). portableapps.com. Consultado em 25 de outubro de 2011 
  186. Keizer, Gregg. «Mozilla aims to add silent updating to Firefox 10» (em inglês). Computerworld.com. Consultado em 17 de março de 2012 
  187. «Mozilla unveils new Firefox interface for Firefox 9 and beyond» (em inglês). ExtremeTech. 1 de julho de 2011. Consultado em 2 de setembro de 2011 
  188. Noyes, Katherine (25 de junho de 2012). «Nova interface Australis deixa Firefox com a 'cara' do Chrome». PC World. Idg Now!. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  189. «Firefox for Nokia N900 Release Notes» (em inglês). Mozilla. 28 de janeiro de 2010. Consultado em 30 de janeiro de 2010 
  190. «Mozilla Launches Firefox 4 for Android, Allowing Users to Take the Power and Customization of Firefox Everywhere» (em inglês). Mozilla. Consultado em 29 de março de 2011 
  191. «Fennec 4.0 – New and Notable» (em inglês). Mark Finkle’s Weblog. 30 de setembro de 2010. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  192. «No updates in Maemo5» (em inglês). Mozilla. 23 de agosto de 2011. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  193. «Firefox mobile features» (em inglês). Mozilla. Consultado em 30 de janeiro de 2010 
  194. «Firefox Extended Release Support for Your Organization, Business, Enterprise – Overview» (em inglês). Mozilla. Consultado em 17 de março de 2012 
  195. Paul, Ryan (10 de janeiro de 2012). «Firefox extended support will mitigate rapid release challenges» (em inglês). Arstechnica. Consultado em 4 de abril de 2012 
  196. «Supported build configurations» (em inglês). MDN. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  197. «First sighting of Firefox 64bit builds on Window64» (em inglês). Oduinn. 28 de maio de 2010. Consultado em 1 de junho de 2010 
  198. «Bug 471090 – [meta] Windows x64 build tracking bug». Mozilla. 24 de dezembro de 2008. Consultado em 29 de novembro de 2009 
  199. «Bug 814009 – Disable windows 64 builds for now». bugzilla.mozilla.org (em inglês). 21 de novembro de 2012. Consultado em 22 de março de 2017 
  200. Emil Protalinski (22 de dezembro de 2012). «Mozilla backpedals on Firefox 64-bit for Windows, will keep nightly builds coming after all» (em inglês). The Next Web. Consultado em 22 de março de 2017 
  201. «Download Firefox Beta in your language» (em inglês). mozilla.org. Consultado em 22 de março de 2017 
  202. «Use o plugin Java para visualizar conteúdo interativo em sites». mozilla.org. Consultado em 22 de março de 2017 
  203. «Firefox 4 for Mac OS X: Under the Hood» (em inglês). Boom Swagger Boom. 10 de janeiro de 2010. Consultado em 5 de outubro de 2012 
  204. «Supported build configurations» (em inglês). Mozilla. Consultado em 14 de julho de 2012 
  205. «Proposed changes to supported build configurations (tiers)». Google Groups. Consultado em 14 de julho de 2012 
  206. «Mozilla FTP directory for 64-bit Linux builds of Firefox 4» (em inglês). Mozilla. Consultado em 14 de julho de 2012 
  207. «Expose x86_64 Linux builds on the download pages» (em inglês). Mozilla. Consultado em 14 de julho de 2012 
  208. «Mozilla FTP» (em inglês). Mozilla. Consultado em 8 de julho de 2012 
  209. «10.04 firefox 3.6 JIT not active on x86_64» (em inglês). Ubuntu Forums. Consultado em 14 de julho de 2012 
  210. Zbarsky, Boris. «Re: Requirements for being called Firefox 4» (em inglês). Google Groups. Consultado em 14 de julho de 2012 
  211. Aodhan Cullen (1 de dezembro de 2011). «Chrome Overtakes Firefox Globally for First Time» (em inglês). StatCounter. Consultado em 1 de dezembro de 2011 
  212. Firefox narrowly misses 28% use in Europe Internet Explorer under 70%
  213. «Wikipedia Context Menu Search». /en-US/firefox/user/NickDi/. 5 de outubro de 2015. Consultado em 29 de outubro de 2016 
  214. a b Della, James (18 de junho de 2008). «Firefox 3 já tem mais de 8 milhões de downloads confirmados». Limão. Consultado em 5 de outubro de 2012. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2012 
  215. «The most downloads of a software application in 24 hrs» (em inglês). Guinness World Records. 18 de junho de 2008. Consultado em 5 de outubro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros
Commons Imagens e media no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias

Documentação

Complementos