Nullo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O termo nullo, nulla, nulle ou nullx (ou smoothie) refere-se a uma subcultura extrema de modificação corporal composta principalmente por pessoas (principalmente homens) que tiveram os seus órgãos genitais (e às vezes também os seus mamilos) removidos cirurgicamente. Nullos não são necessariamente transgênero; a maioria se identifica como eunuco.[1][2] Os homens nullos geralmente são assexuais ou gays.[3] O termo nullo é a abreviação de nulificação ou anulação genital.[4] Embora o procedimento seja feito principalmente por homens, há mulheres nullas que também voluntariamente fecham a vagina e removem o clitóris.[5]

Um dos nullos mais famosos é Mao Sugiyama, um artista japonês e ativista assexual que, em 2012, teve os seus genitais removidos, cozinhados e servidas para pagar convidados num banquete público. O canibalismo não é um crime sob a lei japonesa. Sugiyama, que usa o apelido "Ham Cybele", também teve os seus mamilos removidos.[6][7]

O termo sexo nulo e assexo (dessexuado ou assexuado),[8] pode se referir a tanto a características altersexuais quanto a intersexo,[9] como é o caso da agenesia gonadal (afálica)[10][11] e agenesia mulleriana (avaginal ou vaginal), se aplicando também a nulles/nules/nulx.[12][13][14]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Margo DeMello (2007). Encyclopedia of Body Adornment. ABC-CLIO. [S.l.: s.n.] pp. 57–. ISBN 978-0-313-33695-9 
  2. «The growing trend of eunuchs/men without balls» 
  3. «"I Still Unload": This Man Is a "Nullo" Who Removed His Penis and Balls» 
  4. Knibbs. «The Most Extreme Body Hacks That Actually Change Your Physical Abilities». Gizmodo  |nome3= sem |sobrenome3= em Authors list (ajuda)
  5. Lee Harrington (1 May 2016). Traversing Gender: Understanding Transgender Realities. Mystic Productions Press. [S.l.: s.n.] pp. 23–. ISBN 978-1-942733-83-6  Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. «Japanese Asexual Activist-Artist Slices off his Genitalia, Serves at Banquet» 
  7. «Mao Sugiyama's Ham Cybele Genital Banquet» 
  8. Criativo, Dicionário. «Dessexuado - Dicionário Criativo». dicionariocriativo.com.br. Consultado em 14 de junho de 2020 
  9. Ryan, J. Michael (2 de abril de 2020). «Born again?: (non-) motivations to alter sex/gender identity markers on birth certificates». Journal of Gender Studies. 29 (3): 269–281. ISSN 0958-9236. doi:10.1080/09589236.2019.1631148 
  10. «Diphallus and Aphallia - American Urological Association». www.auanet.org. Consultado em 17 de junho de 2020 
  11. Santana-Ríos, Zael; Fernández-Noyola, Gerardo; Cantellano-Orozco, Mauricio; Fulda-Graue, Santiago; Pérez-Becerra, Rodrigo; Urdiales-Ortíz, Alejandro; Merayo-Chalico, Claudio; Hernández-Castellanos, Víctor; Saavedra-Briones, Dorian (1 de julho de 2011). «Afalia congénita; manejo con avance uretral». Revista Mexicana de Urología (em espanhol). 71 (4): 239–243. ISSN 2007-4085 
  12. Cheroki, Carola. «Estudo genético-clínico e molecular da síndrome de Rokitansky-Mayer-Küster-Hauser e condições afins» 
  13. Teixeira, João Gabriel Lima Cruz Gonçalves, Andréia Santos (2 de dezembro de 2014). Corpos modificados ao extremo : o eu, o outro e a sociedade. [S.l.: s.n.] OCLC 902827031 
  14. «Qual o gênero do body piercing? – FRRRKguys». Consultado em 17 de junho de 2020