Tumtum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Tumtum (טומטום em hebraico, significando "escondido") é um termo que aparece na literatura rabínica judaica e geralmente se refere a uma pessoa cujas características sexuais são indeterminadas ou obscuras,[1] cujo sexo é desconhecido porque seus órgãos genitais estão cobertos ou "ocultos" ou genitálias irreconhecíveis.[2] Embora muitas vezes estejam agrupados, o Tumtum tem algumas ramificações haláchicas distintas daquelas de Androgynos (אנדרוגינוס), que possui genitália masculina e feminina.[3][4]

Não está claro qual é a anatomia real de um Tumtum; no entanto, parece que, de acordo com o comentarista medieval Rashi, um Tumtum pode ter testículos expostos e um pênis não exposto.[3]

A Mishná (Zavim, 2, 1) diz que tumtums e androgynos têm Chumras tanto de homens e mulheres, o que significa que onde a lei é mais rigorosa para com os homens do que as mulheres, eles são tratados como homens, mas onde a lei é mais rigorosa em relação às mulheres, elas são tratadas como mulheres.[5]

Tumtum não é definido como um gênero separado, mas como um estado de dúvida. Tumtumim devem ser masculinos ou femininos, mas como não sabe-se qual, as mais rigorosas obrigações ou proibições dependentes de gênero são assumidas. Para esse fim, mandamentos positivos dos quais as mulheres são isentas são considerados vinculativos para um Tumtum.[6]

Nathan ben Jehiel diz em seu livro Aruk (em ערך טם) que a palavra Tumtum veio da palavra Atum, que significa bloqueado ou coberto.[7]

O status de Saris (סריס, mulher trans), Nekeivah (נְקֵבָה, mulher cis), Zachar (זָכָר, homem cis) ou Ay’lonit (איילונית, homem trans) podem também ser reconhecido, dependendo se a pessoa tumtum passa por alguma transição cirúrgica ou reposição hormonal.[8][9]

Referências

  1. «More Than Just Male and Female: The Six Genders in Classical Judaism». SOJOURN (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2019 
  2. Jewish Women's Archive, Gender Identity In Halakhic Discourse
  3. a b Babylonian Talmud, Tractate Hagigah, 4a.
  4. «Gender Diversity in Jewish Tradition». ReformJudaism.org (em inglês). 9 de fevereiro de 2015. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  5. «The 8 Genders of the Talmud». Jewish Telegraphic Agency (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2019 
  6. Maimonides' Mishneh Torah, Mada, Avoda Zara, 12, 4.
  7. «Sefaria Source Sheet: More Than Just Male and Female: The Six Genders in Ancient Jewish Thought». www.sefaria.org. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  8. «The "TumTum" in Jewish Legal Context». SOJOURN (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2019 
  9. «Gender Identity In Halakhic Discourse | Jewish Women's Archive». jwa.org. Consultado em 31 de agosto de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]