Pandemia de COVID-19 no Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 no Brasil
Pandemia de COVID-19 no estado do Pará
Casos de COVID-19 por 100 mil habitantes por município de notificação
Casos de COVID-19 por município de notificação
Doença COVID-19
Vírus SARS-CoV-2
Origem Wuhan, Hubei, China
Local 137 municípios de 144
Período (3 meses e 18 dias)
Início 18 de março de 2020
Fim Em curso
Estatísticas globais
Casos confirmados 113 811[1]
Mortes 5 096[1]

Este artigo refere-se aos eventos ocorridos no estado do Pará durante a pandemia de COVID-19 no Brasil no primeiro semestre de 2020.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Março[editar | editar código-fonte]

  • Dia 16 - Apesar de ainda não haver casos confirmados, as instituições de ensino superior privadas como a Universidade da Amazônia (UNAMA), Faculdade Ideal (Faci Wyden), Centro Universitário do Pará (CESUPA), Faculdade Maurício de Nassau (UNINASSAU) e a Escola Superior da Amazônia (ESAMAZ) interromperam suas atividades presenciais, inicialmente no prazo de 10 a 15 dias. No caso da segunda e da ultima, a interrupção ocorreu por tempo indeterminado.[2]
  • Dia 17 - Após as instituições de ensino superior, foi a vez das escolas do ensino público interromperem suas atividades, bem como a Universidade do Estado do Pará (UEPA).[3]As instituições privadas como o Colégio Marista, Ideal, Equipe, Catarina de Sena, Acrópole e Physics interromperam suas atividades, seguindo as orientações do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Pará (Sinepe).[4]Nas universidades federais como a Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA) e o Instituto Federal do Pará (IFPA) as atividades presenciais foram paralisadas por pelo menos 30 dias.[5]
  • Dia 18 - Pará registra o primeiro caso do novo coronavírus em Belém. Se trata de um homem de 37 anos que havia regressado recentemente de viagem ao Rio de Janeiro. [6]
  • Dia 20 - O Governador Helder Barbalho anuncia um pacote de medidas, determinando o fechamento de bares, restaurantes, shopping centers e meios não essenciais por tempo indeterminado, a partir das 0h do dia 21. Bares e restaurantes podem funcionar como Delivery. Os cortes de água e energia elétrica estão suspensos por 30 dias e os serviços essenciais permanecem mantidos. As viagens também foram suspensas por 15 dias, mas a medida não valeria de imediato.[7]

Abril[editar | editar código-fonte]

  • Dia 01 - O Estado registra a primeira morte em decorrência da doença. O paciente era uma mulher de 87 anos, que era moradora da Vila de Alter do Chão, em Santarém.[8]
  • Dia 06 - Belém, a capital, registra a primeira morte em decorrência da COVID-19, a segunda no estado. O paciente era uma mulher de 50 anos, sem informações de comorbidades. [9]
  • Dia 08 - Com a divulgação de um segundo pacote de medidas pelo Governador Helder Barbalho. os cortes de internet e de outros serviços de telecomunicações estão suspensos por 60 dias. Também foi determinado o fechamento de balneários durante os feriados da Semana Santa e de Tiradentes, restrição de eventos em até 10 pessoas e a suspensão de missas, cultos, reuniões e encontros presenciais por 15 dias.[10]
  • Dia 10 - É entregue o primeiro Hospital de Campanha no Pará, através da capital Belém, usando o Hangar.[11]
  • Dia 14 - É entregue o segundo Hospital de Campanha, na cidade de Marabá. O espaço utilizado é o Carajás Centro de Convenções.[12]Após uma reunião entre entre gestores da Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad) e membros do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp), foi decidida a antecipação das férias dos professores da rede estadual de ensino como medida complementar à suspensão das aulas devido à Pandemia de COVID-19 por 15 dias.[13]
  • Dia 18 - O desembargador Roberto Gonçalves de Moura suspendeu a validade do artigo do decreto estadual que proibia a suspensão dos serviços de internet, mesmo de clientes residenciais inadimplentes, pelo prazo de 60 dias. Segundo a decisão da Justiça, o ato do Governo “padece de inconstitucionalidade por vício de competência”. [14]
  • Dia 22 - É entregue o terceiro Hospital de Campanha. Agora em Santarém no espaço Pérola do Tapajós.[15]
  • Dia 26 - O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho anunciou o fechamento do comércio não essencial após reunião com autoridades locais.[16]
  • Dia 29 - O juízo da 5ª Vara da Fazenda Pública e Tutelas Coletivas de Belém indefere o pedido de lockdown imposto pelo MPF-PA e da DP-PA na região metropolitana de Belém em decisão no dia 18 de abril. A defensoria recorreu da decisão.[17]

Maio[editar | editar código-fonte]

  • Dia 02 - É iniciado o período de férias das instituições de ensino privadas com término no dia 4 de junho. As escolas estão autorizadas a utilizar o mês de julho para a reposição de aulas, além de reservar uma semana de recesso no mês. A iniciativa partiu de um acordo coletivo entre o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Pará (Sinepe) e o Sindicato dos Professores da Rede Particular do Pará (Simpro/Pa). Já as instituições públicas porrogaram o período de férias até o dia 21/05, mesmo após as férias as atividades seguem suspensas até o início de junho.[18][19]
  • Dia 03 - É anunciado a construção do segundo Hospital de Campanha em Belém. O local escolhido é a área do Centenário Centro de Convenções, pertencente a Assembleia de Deus. Com a inauguração deste, o Hangar passará a servir como UTI especializada.[20]
  • Dia 05 - Após não atingir a meta de 60% no isolamento social, o governador do estado Helder Barbalho decretou Lockdown em dez cidades do estado, sendo elas: Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Castanhal, Santa Bárbara do Pará, Santa Isabel do Pará, Breves, Vigia e Santo Antônio do Tauá. Apenas serviços essenciais, bancos e feiras poderão funcionar nesse período, com início a partir do dia 07, funcionando como caráter educativo até o dia 10.[21][22]
  • Dia 08 - Primavera se torna a décima primeira cidade do estado a declarar o Lockdown mantendo itens essenciais em funcionamento até às 12 horas.[23] No mesmo dia, Cametá também decretou lockdown, agora subindo para treze municípios em isolamento geral.[24]
  • Dia 11 - É inaugurado o quarto hospital de campanha na cidade de Breves no Ginásio Municipal.[25]
  • Dia 12 - Bragança é a décima quarta cidade do estado a entrar em Lockdown, autorizando o toque de recolher por 24 horas. O prazo vai até o dia 31.[26]
  • Dia 13 - Pará atinge a marca de mil mortos e 10 mil casos da COVID-19. As páginas oficiais do Governo do Estado passam a mudar as imagens com sinal de luto e também é decretado luto oficial por tempo indeterminado.[27]
  • Dia 14 - As cidades da regiões do Baixo Baixo Xingu como: Porto de Moz, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu também decretaram lockdown com término para o dia 24 de maio. Com isso, são 17 cidades em isolamento geral.[28]
  • Dia 15 - O Lockdown nas dez cidades, incluindo Belém é estendido em mais uma semana com um novo prazo de término: 24 de maio.[29]
  • Dia 16 - Após uma reunião do comitê da crise em Santarém, é anunciado a inclusão da cidade e nos municípios de Canaã dos Carajás, Parauapebas, Marabá, Abaetetuba e Capanema no lockdown, agora subindo para vinte e três municípios com o isolamento total no estado. O período inicial é de 19 a 24 de maio.[30][31]
  • Dia 18 - Marabá é retirada da lista do lockdown após uma manifestação contrária da prefeitura e de uma parte da população do município. Com isso, 21 cidades do Pará seguem no isolamento obrigatório.[32]
  • Dia 24 - É encerrado o período de Lockdown em 16 cidades, incluindo a capital Belém. A reabertura do comércio no entanto será gradual e as regras de distanciamento social continuam valendo. O fim do confinamento geral se deve com o período de queda no número de casos na capital e região metropolitana. A partir dessa data, os decretos de Lockdown passam a ser municipais e as aulas na rede estadual, municipal e particular permanecem suspensas.[33]
  • Dia 29 - É anunciada em coletiva de imprensa pelo governador Helder Barbalho, a reabertura econômica de meios não essenciais em cinco etapas, começando com shoppings centers (exceto praças de alimentação e cinemas), salões de beleza, igrejas (com capacidade reduzida), comércios varejistas, concessionárias de veículos, escritórios, indústria e construção civil. mas com restrições. Também houve a divisão em cinco zonas de risco e apenas a Região Metropolitana de Belém, Marajó ocidental e a região do Araguaia se encontram no risco médio.[34]

Junho[editar | editar código-fonte]

  • Dia 1 - É iniciado o período de reabertura gradual do comércio e de igrejas em Belém e região metropolitana após o achatamento da curva conforme dados estatísticos da Secretaria de Saúde do Estado do Pará (Sespa). No entanto, apesar de anunciado o retorno na última sexta feira (29), as lojas dos shoppings centers tiveram seu retorno adiado para o dia 4.[35]
  • Dia 3 - A Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) acusa a prefeitura de Belém de não enviar informações sobre disponibilidade de leitos para a COVID-19, rebatendo as acusações da prefeitura sobre dados suspeitos fornecidos pelo órgão estadual. No mesmo dia, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, através de uma live transmitida também na televisão, anunciou o cancelamento da reabertura de shoppings centers, previsto para a quinta feira (4).[36]
  • Dia 4 - É iniciado no centro comercial e histórico de Belém, uma grande operação de fiscalização de lojas, além da aplicação de multas a estabelecimentos q descomprirem as medidas de higiene como uso de álcool em gel, máscaras, distanciamento de 1m e redução de lotação em 15%.[37]
  • Dia 5 - Os Hospitais de Campanha do estado do Pará atingem a marca de mil recuperados da COVID-19.[38]
  • Dia 6 - Após vários impasses, acontece a reabertura de Shoppings Centers em Belém e região metropolitana, mas obedecendo os decretos municipais e estaduais como distanciamento social, medição de temperatura, impedindo a entrada de quem apresentar febre, distribuição de álcool em gel 70%, redução em 15% nas lojas e de 50% nos estacionamentos e elevadores e uso obrigatório de máscara. Além disso, os shoppings irão operar em horário reduzido (12h às 20h) e as praças de alimentação, sorveterias, cafeterias, a área infantil e os cinemas continuam fechados.[39]
  • Dia 10 - A Polícia Federal inicia a Operação Bellum para apurar as fraudes na compra de respiradores pulmonares. Entre os investigados está o governador Helder Barbalho, o empresário Alberto Beltrame e outras onze pessoas.[40]
  • Dia 19 - É anunciada a liberação dos veículos que realizam as viagens interestaduais e intermunicipais no estado. Porém, as viagens para Belém seguem suspensas. Em Belém, mercados imobiliários e agências de turismo entram na lista dos trabalhos essenciais. Também é anunciada a liberação de atividades individuais ao ar livre.[41][42]

Julho[editar | editar código-fonte]

  • Dia 1 - É iniciado o período de reabertura de restaurantes, lanchonetes e praça de alimentação de shoppings centers, mas respeitando a capacidade máxima de 40% de ocupação, além de distanciamento de 2m por mesas e cadeiras e ocupação de no máximo 4 pessoas por família. No momento, serviços como buffet permanecem suspensos, sendo oferecidos apenas delivery e prato feito. O horário de funcionamento será de 11h ás 15h e 19h às 23h. [43]No mesmo dia, Alberto Beltrame deixa o cargo da Secretaria de Saúde, após investigações na Operação Bellum.[44]
  • Dia 3 - A Justiça do Pará decide acatar um pedido do Ministério Público do Pará (MPPA) autorizando a reabertura de restaurantes e barracas no distrito de Mosqueiro. No entanto, os bares e as praias permanecem fechados.[45]

Impactos[editar | editar código-fonte]

Shows, palestras e feiras tiveram que ser cancelados e serem substituídas por eventos virtuais. Alguns eventos como a Feira do Empreendedor e a Feira do Livro, marcadas para os meses de abril e maio, foram transferidos para o segundo semestre. No caso da tradicional Feira do Livro, ela teve a data marcada para o período de 23 a 30 de agosto de 2020. Já a Feira do Empreendedor, foi transferida para o período de 25 a 28 de novembro.[46] As celebrações de missas, cultos, encontros e reuniões também passaram a ser virtuais. Pela primeira vez, procissões como o tradicional Encontro das Imagens entre Nossa Senhora das Dores e Nosso Senhor dos Passos, procissão do Senhor Morto, realizadas na Sexta-feira Santa, foram substituídas por celebrações online.[47]Outros eventos como o Arrastão do Arraial do Pavulgem, que acontece todo mês de junho, pela primeira vez na história também foi cancelado.[48]

O Círio de Nazaré, mesmo após sofrer boatos de cancelamento por conta da pandemia, permaneceu mantido no 2º domingo de outubro.[49]As celebrações do mês de maio como a descida e a subida da Imagem Original de Nossa Senhora de Nazaré no Glória do Altar-Môr, coroação de Nossa Senhora e o lançamento oficial do Cartaz do Círio 2020 foram realizadas via internet. No caso da descida e subida da Imagem Original, o evento voltou a ser realizado de portas fechadas, fato este que não ocorria desde a década de 80.[50]

As partidas do Parazão 2020 foram interrompidas no dia 19 de março de 2020. Houve a tentativa da realização de jogos em portões fechados, no entanto a medida foi descartada após a confirmação do primeiro caso de COVID-19 em Belém.[51]No dia 29 de Abril, a CBF reuniu-se com representantes das federações e fortaleceu a idéia de retorno da temporada nacional no dia 17 de maio [52] porém, a FPF através do presidente Adelcio Magalhães Torres, afirmou que não retornará às práticas esportivas até liberação das autoridades governamentais e de saúde do estado. [53][54]Todos os campeonatos estaduais de vôlei, basquete e de outros esportes foram cancelados, assim como as premiações, entre elas o tradicional Troféu Rômulo Maiorana que será remarcado.[55]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Os gráficos abaixo apresentam o crescimento de casos e óbitos no estado. Nos gráficos de casos e óbitos novos, as barras representam o número real de notificações por dia, enquanto a linha é uma média móvel de sete dias para ajudar a suavizar as anomalias entre um dia e outro e revelar a tendência geral. Os dados são do Ministério da Saúde (MS).

COVID-19 no Pará Pará
Novos casos, por dia. 
Novos óbitos, por dia. 
Casos acumulados. 
Óbitos acumulados. 


Evolução da pandemia de COVID-19 no Pará ()
     Mortos      Recuperados      Casos positivos

Mar. Mar. Abr. Abr. Mai. Mai. Jun. Jun. Jul. Jul. Últimos 15 dias Últimos 15 dias

Data
# de casos
# de mortes
18-03-2020
1(n.a.)
19-03-2020
1(=)
20-03-2020
2(+100%)
21-03-2020
2(=)
22-03-2020
4(+100%)
23-03-2020
5(+25%)
24-03-2020
5(=)
25-03-2020
9(+80%)
26-03-2020
13(+44%)
27-03-2020
16(+23%)
28-03-2020
18(+12,5%)
29-03-2020
19(+6%)
30-03-2020
26(+37%)
31-03-2020
34(+31%)
01-04-2020
41(+21%) 1(n.a.)
02-04-2020
48(+17%) 1(=)
03-04-2020
75(+56%) 1(=)
04-04-2020
82(+9%) 1(=)
05-04-2020
86(+5%) 2(+100%)
06-04-2020
123(+43%) 4(+100%)
07-04-2020
154(+25%) 5(+25%)
08-04-2020
165(+7%) 6(+20%)
09-04-2020
169(+2%) 7(+17%)
10-04-2020
217(+28%) 9(+29%)
11-04-2020
237(+9%) 11(+22%)
12-04-2020
251(+6%) 14(+27%)
13-04-2020
310(+23,5%) 14(=)
14-04-2020
384(+24%) 21(+50%)
15-04-2020
487(+27%) 21(=)
16-04-2020
557(+14%) 26(+24%)
17-04-2020
627(+13%) 32(+23%)
18-04-2020
641(+2%) 33(+3%)
19-04-2020
684(+7%) 34(+3%)
20-04-2020
902(+32%) 35(+3%)
21-04-2020
1.026(+14%) 38(+9%)
22-04-2020
1.195(+16,5%) 43(+13%)
23-04-2020
1.267(+6%) 53(+23%)
24-04-2020
1.579(+25%) 86(+62%)
25-04-2020
1.745(+10,5%) 95(+10,5%)
26-04-2020
2.070(+19%) 114(+20%)
27-04-2020
2.219(+7%) 122(+7%)
28-04-2020
2.319(+4,5%) 132(+8%)
29-04-2020
2.586(+11,5) 156(+18%)
30-04-2020
2.999(+16%) 224(+44%)
01-05-2020
3.359(+12%) 263(+17%)
02-05-2020
3.727(+11%) 306(+16%)
03-05-2020
4.055(+9%) 320(+5%)
04-05-2020
4.262(+5%) 344(+7,5%)
05-05-2020
4.756(+12%) 375(+9%)
06-05-2020
5.295(+11%) 406(+8%)
07-05-2020
5.709(+8%) 438(+8%)
08-05-2020
6.141(+8%) 515(+18%)
09-05-2020
6.775(+10%) 578(+12%)
10-05-2020
7.256(+7%) 652(+13%)
11-05-2020
8.069(+11%) 812(+24,5%)
12-05-2020
9.059(+12%) 914(+13%)
13-05-2020
10.344(+14%) 1.022(+12%)
14-05-2020
11.479(+11%) 1.095(+7%)
15-05-2020
12.626(+10%) 1.175(+7%)
16-05-2020
13.464(+7%) 1.223(+4%)
17-05-2020
14.201(+5,5%) 1.280(+5%)
18-05-2020
15.467(+9%) 1.392(+9%)
19-05-2020
17.177(+11%) 1.554(+12%)
20-05-2020
18.135(+6%) 1.634(+5%)
21-05-2020
20.532(+13%) 1.893(+16%)
22-05-2020
22.697(+10,5%) 2.003(+6%)
23-05-2020
24.125(+6%) 2.150(+7%)
24-05-2020
24.815(+3%) 2.290(+6,5%)
25-05-2020
27.366(+10%) 2.431(+6%)
26-05-2020
29.882(+9%) 2.522(+4%)
27-05-2020
31.671(+6%) 2.605(+3%)
28-05-2020
35.132(+11%) 2.785(+7%)
29-05-2020
37.296(+6%) 2.900(+4%)
30-05-2020
37.859(+1,5%) 2.920(+1%)
31-05-2020
38.046(+0,5%) 2.925(+0,2%)
01-06-2020
40.014(+5%) 3.019(+3%)
02-06-2020
42.347(+6%) 3.110(+3%)
03-06-2020
46.473(+10%) 3.245(+4%)
04-06-2020
49.473(+6,5%) 3.492(+8%)
05-06-2020
52.623(+6%) 3.573(+2%)
06-06-2020
53.860(+2%) 3.665(+3%)
07-06-2020
54.798(+2%) 3.714(+1%)
08-06-2020
57.570(+5,1%) 3.835(+3,3%)
09-06-2020
60.636(+5,3%) 3.898(+1,6%)
10-06-2020
63.405(+4,6%) 3.980(+2,1%)
11-06-2020
65.151(+2,8%) 4.090(+2,8%)
12-06-2020
67.476(+3,6%) 4.181(+2,2%)
13-06-2020
68.456(+1,5%) 4.191(+0,24%)
14-06-2020
69.224(+1,1%) 4.201(+0,24%)
15-06-2020
71.243(+2,9%) 4.291(+2,1%)
16-06-2020
74.192(+4,1%) 4.350(+1,4%)
17-06-2020
76.623(+3,3%) 4.395(+1%)
18-06-2020
80.072(+4,5%) 4.469(+1,7%)
19-06-2020
82.881(+3,5%) 4.519(+1,1%)
20-06-2020
84.654(+2,1%) 4.583(+1,4%)
21-06-2020
86.020(+1,6%) 4.605(+0,48%)
22-06-2020
88.636(+3%) 4.672(+1,5%)
23-06-2020
91.708(+3,5%) 4.726(+1,2%)
24-06-2020
94.036(+2,5%) 4.748(+0,47%)
25-06-2020
96.472(+2,6%) 4.803(+1,2%)
26-06-2020
99.313(+2,9%) 4.834(+0,65%)
27-06-2020
100.443(+1,1%) 4.845(+0,23%)
28-06-2020
101.207(+0,76%) 4.870(+0,52%)
29-06-2020
103.206(+2%) 4.920(+1%)
30-06-2020
105.853(+2,6%) 4.960(+0,81%)
01-07-2020
108.067(+2,1%) 5.004(+0,89%)
02-07-2020
110.411(+2,2%) 5.050(+0,92%)
03-07-2020
112.531(+1,9%) 5.069(+0,38%)
04-07-2020
113.811(+1,1%) 5.096(+0,53%)
05-07-2020
114.535(+0,64%) 5.105(+0,18%)
Fontes:

Por município

Essa é a lista de municípios com mais casos confirmados:[56]

Posição Município N.° casos N.° mortes
1 Belém 5.292 608
2 Ananindeua 1.138 101
3 Cametá 357 20
4 Breves 320 40
5 Abaetetuba 290 9
6 Castanhal 277 45
7 Santarém (Pará) 228 18
8 Bragança (Pará) 192 15
9 Marabá 192 25
10 Parauapebas 180 23
11 Altamira 141 2
12 Marituba 135 16
13 Paragominas 129 3
14 Barcarena (Pará) 121 8
15 Moju 121 10
16 Santa Izabel do Pará 117 7
17 Capanema (Pará) 116 7
18 Santo Antônio do Tauá 116 11

Até 15 de maio de 2020.

Referências

  1. a b «Coronavírus Brasil». Ministério da Saúde. Consultado em 6 de julho de 2020 
  2. «Faculdades particulares de Belém suspendem aulas e eventos em alerta ao novo coronavírus» 
  3. «Rede pública de ensino do Pará suspende aulas em prevenção ao novo coronavírus» 
  4. «Sindicato das escolas particulares recomenda a suspensão de aulas como medida contra o coronavírus no PA» 
  5. em 17.03.20 14h28, 17 03 20 13h19-Atualizado. «UFPA, UFRA, Unifesspa e IFPA suspendem aulas; docentes e alunos pressionam UEPA» 
  6. «Secretaria Estadual de Saúde confirma primeiro caso de coronavírus no Pará» 
  7. «Governo do Pará anuncia pacote de medidas e determina fechamento de shoppings, bares e restaurantes» 
  8. «Governo do Pará confirma primeira morte por coronavírus no estado» 
  9. «Mulher de 50 anos é a primeira a morrer por coronavírus em Belém» 
  10. «Covid-19: governo do Pará proíbe corte de internet por dois meses». 8 de abril de 2020 
  11. «Governo do Pará entrega em Belém o maior Hospital de Campanha do Brasil» 
  12. «Estado entrega Hospital de Campanha em Marabá com 120 leitos» 
  13. 15.04.20 10h09. «Governo e Sintepp decidem antecipar 15 dias de férias de professores na pandemia: aulas só em maio» 
  14. «Justiça suspende artigo de decreto estadual e autoriza corte de internet de clientes inadimplentes no Pará» 
  15. Governo do Pará entrega Hospital de Campanha com 120 leitos em Santarém
  16. Covid-19: Prefeito anuncia suspensão de comércio em Belém durante pandemia
  17. Juízo indefere pedido da Defensoria Pública e medidas para o enfrentamento à pandemia serão mantidas na Grande Belém
  18. 01.05.20 8h25. «Rede privada antecipou férias escolares para o mês de maio» 
  19. «Em reunião com a SEDUC, SINTEPP cobra encaminhamentos – SINTEPP» 
  20. Governo confirma abertura de mais um hospital de campanha em Belém para atenção à covid-19
  21. Jorge Sauma e Tayma Carneiro (5 de maio de 2020). «Governo do Pará vai anunciar 'lockdown' em dez municípios; serviços essenciais continuam». G1. Consultado em 5 de maio de 2020 
  22. «Helder Barbalho anuncia lockdown em 10 municípios paraenses. Acompanhe ao vivo». Diário Online - DOL. 5 de maio de 2020. Consultado em 5 de maio de 2020 
  23. «Primavera é o 11º município a decretar lockdown no Pará». Diário Online - DOL. 8 de maio de 2020. Consultado em 9 de maio de 2020 
  24. «Lockdown de Cametá prevê multa de R$ 371 para pessoa que desobedecer medida contra a Covid-19». G1. 12 de maio de 2020. Consultado em 19 de maio de 2020 
  25. «Hospital de Campanha de Breves será entregue hoje». Diário Online - DOL. 11 de maio de 2020. Consultado em 11 de maio de 2020 
  26. «Bragança anuncia toque de recolher e entra em lockdown». Diário Online - DOL. 12 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  27. «Pará chega a 10 mil casos confirmados de coronavírus e mil mortes». G1. 13 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  28. Prefeitura de Porto de Moz decreta 'lockdown'
  29. «Lockdown em Belém e mais nove municípios do Pará é prorrogado até 24 de maio». G1. 15 de maio de 2020. Consultado em 15 de maio de 2020 
  30. «Decreto de 'Lockdown' em Santarém é publicado e prevê multa para quem descumprir medidas». G1. 16 de maio de 2020. Consultado em 17 de maio de 2020 
  31. «Governador decreta lockdown em Canaã dos Carajás, Parauapebas, Marabá, Santarém, Abaetetuba e Capanema». Zé Dudu. 16 de maio de 2020. Consultado em 17 de maio de 2020 
  32. «Marabá é retirada da lista de cidades que devem cumprir lockdown». Agência Pará. 18 de maio de 2020. Consultado em 19 de maio de 2020 
  33. «Pará encerra lockdown, mas mantém regras de distanciamento social». Folha de São Paulo. 25 de maio de 2020. Consultado em 25 de maio de 2020 
  34. «Governo do Pará anuncia plano de reabertura econômica por região; shoppings, igrejas e salões de beleza reabrem em Belém na segunda, 1º». G1. 29 de maio de 2020. Consultado em 29 de maio de 2020 
  35. «Sindicato afirma que lojas de Belém irão abrir nesta segunda». Roma News. 1 de junho de 2020. Consultado em 1 de junho de 2020 
  36. «Sespa diz que prefeitura de Belém já tinha acesso às informações sobre leitos para pacientes de Covid-19». G1. 3 de junho de 2020. Consultado em 4 de junho de 2020 
  37. «Prefeitura faz megaoperação no centro comercial de Belém». OLiberal. 4 de junho de 2020. Consultado em 4 de junho de 2020 
  38. «Hospitais de Campanha do Estado chegam à marca de mil pacientes recuperados». Diário Online. 5 de junho de 2020. Consultado em 6 de junho de 2020 
  39. «Shoppings se preparam para a reabertura a partir de hoje». Diário Online. 6 de junho de 2020. Consultado em 6 de junho de 2020 
  40. «Governador do Pará e presidente do Conass são alvos de busca em operação da PF sobre compra de respiradores». G1. 10 de junho de 2020. Consultado em 10 de junho de 2020 
  41. «Terminal Hidroviário de Belém retoma operações nesta sexta-feira, 19». G1. 19 de junho de 2020. Consultado em 20 de junho de 2020 
  42. «Atividades físicas individuais são liberadas pela prefeitura de Belém». OLiberal. 19 de junho de 2020. Consultado em 20 de junho de 2020 
  43. «Belém reabre restaurantes a partir desta quarta, 1º de julho; entenda protocolo de prevenção à Covid-19». G1. 1 de julho de 2020. Consultado em 1 de julho de 2020 
  44. «Após ser investigado por fraude, Secretário de Saúde do Pará deixa cargo». Terra. 1 de julho de 2020. Consultado em 1 de julho de 2020 
  45. «Justiça acata pedido do MPPA para que restaurantes de Mosqueiro, em Belém, possam funcionar». G1. 3 de julho de 2020. Consultado em 3 de julho de 2020 
  46. Feira do Livro e das Multivozes é adiada para agosto devido a pandemia do novo coronavírus
  47. «Arquidiocese muda programação da Semana Santa nas igrejas de Belém devido a pandemia da Covid-19» 
  48. 16.04.20 21h35. «Arraial do Pavulagem cancela cortejos juninos por causa do novo coronavírus» 
  49. admin (8 de maio de 2020). «Círio 2020: Diretoria da Festa de Nazaré esclarece sobre realização da festividade» 
  50. Lançamento do cartaz do Círio terá cerimônia virtual e tem data definida
  51. «NOTA OFICIAL FPF - Coronavírus». fpfpara.com.br. 19 de março de 2020. Consultado em 25 de maio de 2020 
  52. «CBF reúne federações, ouve propostas de futebol em maio e pede aval de órgãos estaduais». globoesporte.globo.com/pr. 28 de abril de 2020. Consultado em 25 de maio de 2020 
  53. «Federação Paraense de Futebol afirma que ainda não é favorável ao retorno do Parazão 2020». globoesporte.globo.com/pa. 29 de abril de 2020. Consultado em 25 de maio de 2020 
  54. «NOTA OFICIAL FPF». fpfpara.com.br. 29 de abril de 2020. Consultado em 25 de maio de 2020 
  55. «Como medida de prevenção ao Covid-19, votação e premiação do TRM 2020 estão suspensas». globoesporte.com.br. 19 de março de 2020. Consultado em 25 de maio de 2020 
  56. G1. «Mapa Coronavírus no Brasil – Bem Estar»