Centro Histórico de Salvador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Centro Histórico de Salvador *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Salvador-CCBY10.jpg
Ladeira do Centro Histórico.
País  Brasil
Tipo Cultural
Critérios iv, vi
Referência 309
Região** Brasil
Coordenadas 12°58' S 38°30 W
Histórico de inscrição
Inscrição 1985  (9ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

O Centro Histórico de Salvador que também é chamado de Pelourinho (embora não seja o bairro em si) compreende a área histórica da cidade de Salvador, capital do estado brasileiro da Bahia, composto por ruas e monumentos arquitetônicos da época do Brasil Colônia.

O Centro Histórico de Salvador, é extremamente rica em monumentos históricos que datam do século XVII até o século XIX. Salvador foi a primeira capital colonial do Brasil e a cidade é uma das mais antigas do Novo Mundo (fundada em 1549 por colonizadores portugueses). Foi também o primeiro mercado de escravos do continente, com escravos que chegaram para trabalhar nas plantações de açúcar.[1]

Esta área está na parte mais antiga da cidade, a Cidade Alta, de Salvador. Ele compreende à vários quarteirões em torno do Largo triangular e é o local para a música, restaurantes e vida noturna. Na década de 1990, um esforço se deu para uma restauração que resultou em fazer uma área de atração turística altamente desejável.

Em 1985 foi honrada como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. O Centro Histórico é famoso por ter várias ruas, incluindo igrejas, cafés, restaurantes, lojas e os edifícios em tons pastel. Policiais patrulham a área para garantir a segurança.[2] [3]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Fachada dos edifícios.

O Centro Histórico abrange áreas dos bairros do Pelourinho, da e do Pilar. A via principal de acesso é a tradicional Rua Chile, que inicia na Praça Castro Alves e termina na Praça da Sé.

Entre 1938 e 1945, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) promoveu o tombamento de vários monumentos isolados, o que não foi suficiente para impedir a degradação do centro. Isso se acentuou principalmente depois de 1960. Somente em 1984 o IPHAN promoveu o tombamento de uma área extensa, de 80 hectares, necessária para que a UNESCO declarasse esse sítio Patrimônio Mundial, em 1985.[4] Em 1991 começou um projeto de restauração do Centro Histórico, sobretudo do Pelourinho, visando a sua revitalização e reestruturação urbana, degradada pela modernização e pela transferência de atividades econômicas para outras áreas da cidade. Em 2012 o Centro recebeu US$ 1 milhão para manter sua preservação da American Express.[5] Hoje, o Centro Histórico é um importante ponto turístico da cidade, tendo contribuído, e muito, para que Salvador fosse hoje uma das cidades que mais recebem turistas no mundo.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Localização do Centro Histórico no mapa de Salvador.
Detalhe do mapa de Salvador, mostrando seu Centro Histórico e áreas adjacentes.

A cidade foi fundada em 1549 por Tomé de Sousa para ser a sede do governo português no Brasil. Sua construção se deu inicialmente em cima de uma escarpa, de forma que ficasse protegida de ataques inimigos, e o primeiro traçado das ruas da cidade é creditado ao arquiteto português Luís Dias. Depois, a cidade se expandiu em direção ao mar, ocupando uma estreita faixa costeira. Nascia aí a divisão de Salvador em cidades Baixa e Alta. A ligação entre essas duas cidades sempre foi complicada. Com o tempo, foram abertas ladeiras e caminhos, construídos guindastes e, em 1872, construído um dos principais cartões-postais da cidade, o Elevador Lacerda, hoje totalmente integrado à paisagem e ao cotidiano do povo soteropolitano.

A fase monumental de Salvador, nas palavras do historiador da Arte estadunidense Robert Chester Smith,[7] se inicia em meados do século XVII, com a transição do estilo arquitetônico renascentista para o barroco. As principais igrejas, solares e monumentos são construídos nesse período, entre eles a a Igreja do Carmo, a Igreja e Convento de Santa Teresa, a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, a Casa de Câmara e Cadeia, o Palácio do Governador, o Terreiro de Jesus e a série de sobrados e construções do Pelourinho, entre outros.

Monumentos e instalações[editar | editar código-fonte]

Edifício colonial do século XVII que abriga a Câmara Municipal de Salvador. Vista áerea sobre as casas históricas do Centro e ao fundo à esquerda, o Elevador Lacerda e a Baía de Todos-os-Santos. A Catedral de Salvador, um dos edifícios importantes do Centro Histórico.
Vista áerea sobre as casas históricas do Centro e ao fundo à esquerda, o Elevador Lacerda e a Baía de Todos-os-Santos.
A Catedral de Salvador, um dos edifícios importantes do Centro Histórico.

No Centro Histórico estão localizados, dentre outros:

Referências

  1. Centro Histórico de Salvador. Portal Educacional. Página visitada em 4 de julho de 2012.
  2. Visita ao Centro Histórico de Salvador fica mais segura. Gazeta do Povo (21 de junho de 2012). Página visitada em 4 de julho de 2012.
  3. [1]
  4. Diferença entre Centro Antigo e Centro Histórico. www.centroantigo.ba.gov.br. Página visitada em 4 de julho de 2012.
  5. Centro histórico de Salvador recebe US$ 1 milhão para preservação. Gazeta do Povo (15 de maio de 2012). Página visitada em 4 de julho de 2012.
  6. Centro Histórico de Salvador - Pontos Turísticos de Salvador. www.mundi.com.br. Página visitada em 4 de julho de 2012.
  7. UNESCO. Patrimônio mundial no Brasil. 2ª ed. Brasília: UNESCO, Caixa Econômica Federal, 2002. ISBN 8587853775

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]