...Baby One More Time (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"...Baby One More Time"
Single de Britney Spears
do álbum ...Baby One More Time
Lado B "Autumn Goodbye"
Lançamento 30 de setembro de 1998 (1998-09-30)
Formato(s) CD single, fita cassete, vinil
Gravação 1998;
Cheiron Studios
(Estocolmo)
4MW East Studios
(Nova Jersey)
Gênero(s) Dance-pop, teen pop
Duração 3:30
Gravadora(s) Jive
Composição Max Martin
Produção Max Martin, Rami
Cronologia de singles de Britney Spears
Último
"Sometimes"
(1999)
Próximo
Lista de faixas de ...Baby One More Time
Último
"(You Drive Me) Crazy"
(2)
Próximo

"...Baby One More Time" é uma canção da artista musical estadunidense Britney Spears, contida em seu álbum de estreia de mesmo nome (1999). Foi composta por Max Martin e produzida pelo mesmo juntamente com Rami. A sua gravação ocorreu em 1998 nos Cheiron Studios em Estocolmo e nos 4MW East Studios em Nova Jersey. Enquanto Spears negociava sua entrada no grupo feminino Innosense, sua mãe Lynne pediu a opinião do advogado de entretenimento e amigo da família Larry Rudolph e enviou-lhe uma fita de sua filha cantando Whitney Houston em um karaokê, juntamente com algumas fotos. Posteriormente, Britney enviou para diversas gravadoras o material que Rudolph havia recebido de sua mãe, bem como uma fita sem uso de Toni Braxton. A primeira e única resposta positiva surgiu da Jive Records, que contratou-a para lançar diversos discos e sugeriu que ela trabalhasse com alguns produtores para seu trabalho de estreia.

Originalmente intitulada "Hit Me Baby One More Time", a faixa foi lançada pela Jive como o single de estreia da carreira de Spears em 30 de setembro de 1998, enviando-a para estações de rádio estadunidenses mainstream em 23 de outubro seguinte. Mais tarde, foi comercializada nos formatos de CD single, disco de vinil e fita cassete. Musicalmente, "...Baby One More Time" é uma canção derivada do teen pop e o dance-pop. O seu arranjo musical é formado por vocais, baixo elétrico, baixo e guitarra. Liricamente, trata de uma garota que arrepende-se de ter terminado a relação com seu ex-namorado, e que agora quer retomar o relacionamento. Entretanto, suas letras causaram controvérsia nos Estados Unidos, com críticos notando supostas conotações sadomasoquistas e sugestivas. A cantora disse que qualquer garota poderia relacionar-se com as letras da obra.

"...Baby One More Time" recebeu análises geralmente positivas da mídia especializada, a qual prezou sua composição, seu som e sua produção. Consequentemente, foi um dos materiais que fizeram Spears ser indicada na categoria de Best New Artist e venceu a categoria de Best Song nos MTV Europe Music Awards de 1999. Comercialmente, o single obteve um desempenho exitoso, atingindo a primeira posição em todos os países nos quais registrou entrada, como Alemanha, Austrália, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Estados Unidos, Nova Zelândia e Reino Unido. Como resultado, converteu-se na faixa mais vendida em território belgo e britânico no ano de 1999, e tornou-se a 25ª canção mais vendida da história do Reino Unido, onde foi certificada como platina dupla pela British Phonographic Industry (BPI). Nos Estados Unidos, o tema liderou a Billboard Hot 100 por duas semanas consecutivas, e classificou-se como o único número um da artista no país até "Womanizer" (2008).

O vídeo musical correspondente foi filmado em agosto de 1998 e dirigido por Nigel Dick. A trama retrata Spears como uma estudante de um colégio católico, que começa a sonhar que está dançando e cantando na escola enquanto observa seu interesse amoroso à distância. O trabalho foi posteriormente referenciado no vídeo musical de "If U Seek Amy" onze anos depois, tendo sido selecionado como o melhor vídeo dos anos 1990 em enquete feita pela Billboard. Na época de seu lançamento, a artista apresentou-a em diversas premiações, como Billboard Music Awards e MTV Video Music Awards. Posteriormente, ela a incluiu no repertório de todas as suas turnês, bem como no concerto residencial Britney: Piece of Me (2013-15). "...Baby One More Time" foi regravada por diversos artistas, como o elenco da série Glee e o cantor britânico Ed Sheeran. A faixa foi incluída na lista de melhores canções feitas por revistas como a Blender, e também foi notada por seu impacto na cultura pop.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Eu estava no estúdio há cerca de seis meses, ouvindo e gravando material, mas eu ainda não tinha ouvido um sucesso. Quando comecei a trabalhar com Max Martin na Suécia, ele tocou a demo de 'Baby One More Time' para mim, e sabia desde o começo que era uma daquelas músicas que você quer ouvir de novo e de novo. Ela parecia muito boa. Eu estava no estúdio e a fiz do meu próprio jeito, tentando dar a ela um pouco mais de atitude do que a demo [tinha]. Em 10 dias, eu já não estava mais na Suécia. Nós estávamos muito ocupados.

—Spears falando sobre a gravação de "...Baby One More Time" com Chuck Taylor da Billboard.[1]

Em junho de 1997, Spears estava em negociações com o empresário Lou Pearlman para entrar no grupo feminino Innosense.[2] Sua mãe Lynne pediu a opinião do amigo da família e advogado de entretenimento Larry Rudolph e enviou-lhe uma fita de Britney cantando Whitney Houston em um karaokê, juntamente com algumas fotos.[2] Rudolph decidiu lançá-la para gravadoras, mas para fazer isso, precisava de uma fita demo profissional.[2] Ele enviou a Spears uma canção sem uso de Toni Braxton; ela ensaiou por uma semana e gravou seus vocais em um estúdio com um engenheiro de som.[2] Posteriormente, ela viajou para Nova Iorque com a fita e encontrou-se com diretores executivos de quatro gravadoras, retornando para sua casa em Kentwood, Louisiana, no mesmo dia.[2] Três das gravadoras a rejeitaram, com o argumento de que o público queria bandas pop como os Backstreet Boys e as Spice Girls, e que "não haveria outra Madonna, outra Debbie Gibson ou outra Tiffany".[2] Duas semanas depois, executivos da Jive Records retornaram as ligações de Rudolph.[2] Jeff Fanster, vice-presidente sênior do departamento de artistas e repertório da Jive, falou sobre o teste de Britney para a gravadora, dizendo: "É muito raro ouvir alguém daquela idade que possa mostrar conteúdo emocional e apelo comercial. (...) Para qualquer artista, a motivação — o 'olho do tigre' — é extremamente importante. E Britney tinha isso".[3] Eles sugeriram que ela trabalhasse com o produtor Eric Foster White por um mês, que iria transformar sua voz "baixa e [de] pouco pop" em uma "Britney distinta e inconfundível".[4] Depois de ouvir o material gravado, o presidente da gravadora, Clive Calder, ordenou um álbum completo.[4] Spears havia visualizado inicialmente a "música de Sheryl Crow, porém mais jovem e mais adult contemporary", porém sentiu-se bem com os produtores sugeridos pela gravadora, desde que "fazia mais sentido ir para o pop, pois eu posso dançar — tem mais a ver comigo". Ela voou para os Cheiron Studios em Estocolmo, Suécia, onde metade do disco foi gravado entre março e abril de 1998 com a produção de Max Martin, Rami Yacoub, Denniz Pop e outros.[3][5]

Martin apresentou a Spears e seus empresários uma faixa intitulada "Hit Me Baby One More Time", que havia sido inicialmente composta para os grupos estadunidenses Backstreet Boys e TLC; contudo, quando a música foi entregue para as bandas, ambas a rejeitaram. Mais tarde, a cantora disse que sentiu-se animada quando ouviu a canção e sabia que seria um sucesso.[6] Steve Lunt, então executivo do departamento de artistas e repertório da Jive, comentou: "Nós da Jive dissemos: 'isso é um... estouro'".[7] Entretanto, outros executivos disseram que a linha "Hit Me" incitaria a violência doméstica, o que fez com que a composição fosse renomeada de "...Baby One More Time".[6] A artista revelou: "Eu não me saí muito bem no primeiro dia [em que estava gravando a canção] no estúdio. Eu estava muito nervosa. Então, saí naquela mesma noite e me diverti. No dia seguinte, eu estava completamente relaxada e acertei em cheio. Você tem que estar relaxado cantando '...Baby One More Time'".[8] "...Baby One More Time" foi lançada como o single de estreia da carreira da intérprete em 30 de setembro de 1998, quando ela estava apenas com dezesseis anos. Em 23 de outubro do mesmo ano, foi enviada para estações de rádio estadunidenses mainstream.[6] Spears nomeou a obra como uma das canções favoritas de sua carreira, adicionando "Toxic" e "He About to Lose Me" como as outras duas.[9]

Composição[editar | editar código-fonte]

Demonstração de 20 segundos do refrão de "...Baby One More Time", no qual pode ser ouvida a linha "Me dê mais uma chance, baby".[nota 1]

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Com duração de três minutos e trinta segundos (3:30),[10][11] "...Baby One More Time" é uma canção musicalmente derivada dos gêneros teen pop e dance-pop,[12] produzida por Max Martin e Rami e composta somente pelo primeiro.[10] Inicia-se com um motivo de três notas graves de piano, cuja abertura foi comparada com a de outras faixas, como "We Will Rock You" da banda Queen, "Start Me Up" do grupo The Rolling Stones e a música-tema do filme Jaws (1977) devido ao fato de ambas fazerem "sua presença ser conhecida em exatamente um segundo".[8] A instrumentação da obra é formada por vocais, baixo elétrico, baixo e guitarra, todos tocados por Thomas Lindberg e Johan Carlberg;[10] a revista Blender opinou que o número é formado por "linhas de guitarras wah-wah e sons de máquinas de eletrocardiograma".[8] De acordo com a partitura publicada no portal Musicnotes.com pela Alfred Music Publishing, o tema é composta na chave de dó menor e definido na assinatura de tempo comum, com um ritmo moderado de 93 batidas por minuto.[13] O alcance vocal da artista alcança duas oitavas e abrange-se entre as notas de mi bemol maior3 e sol maior5.[13]

Em seu livro Girl Culture: Studying girl culture : a readers' guide (2008), as autoras Claudia Mitchell e Jacqueline Reid-Walsh notaram que as letras da canção "gesticulam ao redor [de Spears] desejando o retorno de um ex-namorado".[14] A vocalista comentou que "...Baby One More Time" é uma canção com a qual "todas as garotas podem se relacionar. Ela o perdoa. Ela o quer de volta".[15] As letras, contudo, causaram controvérsia nos Estados Unidos, pois a linha "Me dê mais uma chance, baby"[nota 1] teria supostas conotações sadomasoquistas.[16] Como resposta, Spears disse que o versão "não significa me dar mais uma chance fisicamente. (...) Basicamente, significa apenas me dar um sinal. Eu acho engraçado o fato de as pessoas acharem que significa isso".[5] No livro Porn generation: how social liberalism is corrupting our future (2005), o escritor Ben Shapiro descreveu as letras da canção como "sugestivas", mais especificamente nas linhas "Oh baby, baby / Você é razão pela qual eu respiro / Garoto, você me cegou / Meu gatinho / Não há nada que eu não faria" e "Quando eu não estou com você, perco a cabeça / Me dê um sinal / Me dê mais uma chance, baby".[nota 2][17]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Marc Oxoby, autor de The 1990s (2003), notou que a canção "foi ridicularizada como insossa por alguns críticos, porém agradou o mesmo tipo de público a quem a música das Spice Girls apelou — jovens adolescentes e pré-adolescentes".[18] Amanda Murray, da Sputnikmusic, comentou que "['...Baby One More Time' é] bem composta, estreitamente arranjada, e mesmo com as limitações vocais de Spears, vai direto para o jugular pop proverbial".[19] Ela também disse que a música era um destaque no gênero pop e acrescentou: "Há poucas dúvidas de que '...Baby One More Time' será lembrada por muito tempo como um dos pilares da música pop em geral, e é uma forte pré-candidata como o protótipo para a ressurgência do pop no final dos anos 1990".[19] Bill Lamb, do portal About.com, considerou "...Baby One More Time" a melhor faixa de Spears e escreveu que ela "é cheia de ganchos e um grande som pop mainstream. O vídeo acompanhante de colegial causou uma sensação e, quando o single atingiu o n.º 1, Britney estava garantida de sucesso".[20] Em uma lista compilada por Sara Anderson, da AOL Radio, a obra foi escolhida como a sexta melhor da carreira da artista. Ela notou que a cantora "fez, de alguma forte, o figurino de estudante e o penteado de líder de torcida serem moda de novo, usados por cada adolescente nos anos sucessores".[21]

Beth Johnson, da publicação Entertainment Weekly, chamou "...Baby One More Time" de "um pop doce com um limite funk estrondoso",[22] enquanto Stephen Thomas Erlewine, da página Allmusic, disse que a música era "engenhosa" e a considerou um dos destaques do álbum.[23] Barry Walters, da revista Rolling Stone, a comparou com os primeiros sucessos de Samantha Fox, declarando que a canção "efetivamente [transforma] esta ex-Mouseketeer nascida em uma pequena cidade da Lousiana em um delinquente rosnar de dínamo".[16] Brian Raftery, da Blender, adjetivou a faixa de "uma música pop perfeitamente boa e espertamente concebida. (...) Na época, o teen pop ainda era um clube dos garotos, mas enquanto eles estavam cantando sobre paixões, Spears já estava planejando a festa do pijama".[8] A NME considerou o tema "incrível", com um editor comentando: "É uma sinfonia da luxúria adolescente plenamente realizada como algo que Brian Wilson já escreveu — uma canção pop verdadeiramente grande que supera qualquer tendência persistente da bizarrice de Lolita através do puro zelo fanático de sua entrega".[24] "...Baby One More Time" ganhou um Teen Choice Award de Single of the Year e um MTV Europe Music Award de Best Song.[21][25]

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O vídeo musical de "...Baby One More Time" foi filmado entre os dias 6 e 8 de agosto de 1998 sob a direção de Nigel Dick.[26] Após ser selecionado como diretor, Dick recebeu críticas de seus colegas sobre querer trabalhar com Spears. Ele respondeu dizendo: "É uma música boa. Eu não sei nada sobre Britney. Nunca assisti The Mickey Mouse Club. Ela parece uma garota legal e é bastante entusiasmada, mas eu só gosto da canção. É apenas uma canção boa".[15] A versão original do projeto era totalmente diferente do produto final. O plano era ter o vídeo em um ambiente como os de desenhos animados, em uma provável tentativa de atrair a audiência de crianças mais novas.[26] Spears estava insatisfeita com isso, e argumentou que queria que o vídeo refletisse as vidas de seus fãs e retratá-lo em uma escola.[15][26] Ela apresentou sua ideia para o diretor, e explicou que queria cenas de dança. Assim, o conceito original foi descartado e substituído pelo idealizado pela cantora.[15]

A ideia original de Dick para o figurino era ter jeans e uma camiseta, mas durante a escolha das peças, Spears decidiu mudá-las para uma roupa colegial. O diretor disse que "cada peça de roupa no vídeo veio do Kmart, e me disseram na época que nenhuma roupa no vídeo custaria mais de US$ 17. Naquele nível, é real. Aquilo, provavelmente, em retrospecto, é parte de seu charme".[15] A cantora recordou que o design da camisa amarrotada foi uma ideia sua, comentando: "As roupas pareciam meio estúpidas, então eu fiquei tipo, 'Vamos amarrar nossas camisetas e sermos bonitas".[27] Sobre a experiência de filmar seu primeiro vídeo musical, a intérprete disse: "Foi uma experiência maravilhosa. Todas aquelas pessoas lá, trabalhando para você. Eu tinha o meu próprio trailer. Foi uma experiência incrível".[15] O trabalho foi filmado na Venice High School, a mesma escolha usada para as gravações do filme Grease (1978), e lançado em novembro de 1998.[26][27]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Ao longo do vídeo de "...Baby One More Time", Spears é vista dançando nos arredores de uma escola católica com outros estudantes, como exemplificado na imagem acima.

O vídeo começa com Spears sendo vista aparentemente entediada na sala de aula de uma escola católica.[26] Sua assistente Felicia Culotta interpretou o papel de sua professora.[26] Quando o sinal toca, Spears corre para o corredor e começa a praticar uma dança coreografada no local. Em seguida, ela vai para o lado de fora da escola, agora vestida em um figurino atlético de cor rosa, e vista em um carro. Acompanhada por outros estudantes, Spears faz um número de movimentos de ginástica antes de voltar para dentro da escola.[26]

A cantora senta nas arquibancadas da quadra e assiste a um jogo de basquete, e posteriormente dança. Seu interesse amoroso é revelado e está sentado próximo a ela, interpretado por seu primo na vida real Chad.[26] Após esse curto segmento, Spears começa sua rotina de dança final e o vídeo termina pouco depois; o sinal toca e os estudantes saem da quadra, revelando que toda a história era, na verdade, um sonho da artista.[26]

Recepção[editar | editar código-fonte]

A roupa de colegial é considerada um dos estilos mais icônicos de Spears e está em exposição no Hard Rock Hotel and Casino em Las Vegas, Nevada.[28] A peça causou polêmica entre associações de pais por mostrar a barriga de uma jovem de dezesseis anos de idade.[15] Spears comentou sobre as críticas: "Eu mostrar o meu umbigo? Eu sou do sul [dos Estados Unidos]; você é estúpida se não usar um sutiã esportivo [quando for] para a aula de dança, você vai suar muito".[15] O vídeo de "...Baby One More Time" rendeu para a cantora suas primeiras indicações nos MTV Video Music Awards, sendo nomeada para Best Pop Video, Best Female Video e Best Chroeography na edição de 1999; acabou por perder em todas, respectivamente, para "Livin' La Vida Loca", de Ricky Martin, "Doo-Wop (That Thing)", de Lauryn Hill, e "Praise You", de Fatboy Slim.[29] Em uma lista elaborada pelo VH1 em 2001, a gravação foi selecionada como a 90.ª melhor de todos os tempos. Este foi o primeiro de catorze vídeos da artista a ser retirado do Total Request Live, da MTV. No último episódio da atração, foi escolhido como o vídeo mais icônico de todos os tempos e foi o último a ser apresentado no programa.

Escrevendo a matéria "Inside the Box" para a revista n+1, Wesley Yang comparou o vídeo com o de "Girlschool", de Britny Fox, por apresentar "uma sala de aula cheia de estudantes católicas girando ao som da batida desafiando uma professora severa. (...) Mas aquele foi o vídeo sexista de uma horrível banda de metal que explorou as mulheres. O de Britney Spears foi outra coisa — um ponto de inflexão na cultura". O trabalho foi referenciado na gravação audiovisual de "If U Seek Amy", lançada pela intérprete em 2009. Em uma das cenas finais, ela sai da casa vestida como uma dona de casa e sua filha está usando um figurino semelhante ao do vídeo de "...Baby One More Time" e caracterizada com fitas cor de rosa em seu cabelo. O vídeo foi considerado pelo AOL o quarto vídeo musical mais controverso na música pop em uma compilação elaborada em 2011. Em uma enquete feita pela Billboard, foi votado como o melhor da década de 1990.

Apresentações ao vivo[editar | editar código-fonte]

Spears apresentando "...Baby One More Time" em Paris durante a digressão The Circus Starring Britney Spears, em 2009.

Spears cantou "...Baby One More Time" em diversas ocasiões. Foi apresentada no MTV Video Music Awards 1999,[30] no MTV Europe Music Awards 1999, em um medley com "(You Drive Me) Crazy",[31] e no Billboard Music Awards 1999.[32] Spears realizou a canção em um medley com "From the Bottom of My Broken Heart" no Grammy Awards 1999. Spears usou uma camiseta e uma saia cheia de tule no início da performance, enquanto os dançarinos rodeavam com enormes leques. Depois de cantar uma versão reduzida da canção, ela levou alguns momentos para se apresentar em um equipamento de strass vermelho do "formulário-encaixe" (com recortes laterais) e surgiu em um palco para cantar "...Baby One More Time". Spears também foi criticada de usar playback da música durante sua performance.[33] Mais tarde, em 2003, Spears cantou a música de uma forma remixada em Britney Spears: In the Zone, um concerto especial que foi ao ar na ABC em 17 de novembro de 2003.[34] "...Baby One More Time" também foi apresentada no NFL Kickoff 2003 ao vivo em 4 de setembro de 2003 no National Mall, em um medley com "I'm a Slave 4 U"(2001), que incluiu pirotecnia.[35][36][37] Ela usava cabelos loiros na altura dos ombros e estava vestida com calças pretas de futebol, um top preto-e-branco e botas da Reebok.[38] O figurino foi posteriormente leiloado para beneficiar a Fundação Britney Spears.[36]

"...Baby One More Time", foi realizada em sete turnês de Spears desde o seu lançamento.[39][40][41][42][43][44][45][46] Na turnê ...Baby One More Time Tour, o bis consistia em uma performance da canção,[39] em que Spears usava um sutiã preto com rosa choque,[39] com uma mini-saia xadrez cor de rosa com lantejoulas, e um par de meias pretas na altura das coxas.[39] Na turnê Oops!... I Did It Again World Tour, "...Baby One More Time" foi realizada após um interlúdio de dança em que os bailarinos mostraram suas danças individuais, enquanto seus nomes apareciam nos telões.[40] Spears subiu ao palco com uma roupa de colegial para executar a canção.[40] Ela arrancou a roupa no meio da música para usar uma roupa de cheerleader.[40] A canção também foi o bis da turnê Dream Within a Dream Tour.[41][42] A apresentação começava com uma gigante projeção de um holograma de Spears em uma tela de água.[41][42] A projeção ia gradualmente se reduzindo até que Spears subiu no palco usando um chapéu de plástico de vaqueira, hip-huggers azuis, e um top combinando.[41][42] Ela começou a apresentar "...Baby One More Time" em uma versão remixada até atingir o final da faixa.[41][42] Pirotecnia cercavam o palco enquanto a música mudava para uma versão mais uptempo com elementos do techno.[41][42]

Na turnê The Onyx Hotel Tour, após a realização de "Showdown", um interlúdio de vídeo seguia apresentando Spears e seus amigos fora de uma boate.[43] Enquanto ela estava indo embora, ela notou uma mulher vestida na moda de 1930.[43] Ela seguia caminhando e a mulher perguntou Spears se podia entrar no "Salão Místico". Spears reapareceu vestindo um espartilho para executar "...Baby One More Time", junto com "Ops!... I Did It Again" e "(You Drive Me) Crazy".[43] Todas as três foram remixadas para o show com elementos do jazz e do blues.[47] "...Baby One More Time" também foi apresentada na turnê promocional feita em alguns locais, a turnê The M+M's Tour.[44] O show começava com Spears cantando uma versão curta da música vestida com brancas botas,[44] uma minissaia branca e um biquíni rosa cintilante.[44] Na turnê The Circus Starring Britney Spears, a música foi apresentada no ato Electro Circ.[45] Foi a canção final do ato,[46] realizada após "Toxic".[46] A apresentação consistia em Spears e seus dançarinos realizando uma versão remixada da canção.[46] Na turnê Femme Fatale Tour, "...Baby One More Time" foi realizada em um medley com o remix da canção de Rihanna, "S&M", na qual Spears participou. A apresentação consistia em Spears cantando "...Baby One More Time" sentada numa moto, com seus dançarinos a rodeando em volta da moto.[48]

Versões covers[editar | editar código-fonte]

Lea Michele, do elenco de Glee, fez um cover de "...Baby One More Time" no episódio de 2010 dedicado à Britney, "Britney/Brittany". O cover também contou com uma apresentação da canção feita pela própria Spears.

"...Baby One More Time" recebeu covers em inúmeras ocasiões. Um dos primeiros covers ao vivo da canção foi feito pela banda escocesa Travis, gravado durante um de seus shows da turnê "The Bay Tavern", em Robin Hood Bay, North Yorkshire, Inglaterra.[49] A canção foi incluída no lançamento de seu single de 1999, "Turn". O vocalista Francis Healey disse: "Fizemos isso para darmos uma risada pela primeira vez. [..] E como nós tocamos, a ironia escorregou do meu sorriso. É uma canção muito bem trabalhada. Ela [tem] uma coisa mágica". O The Guardian disse que este cover mostrava um novo lado da banda, comentando: "O estilo dark deles abrandou para um rastreamento triste, é incrível como o sinistro dístico 'This loneliness is killng me / Hit me, baby, one more time' soa".[49] O portal PopWreckoning.com disse: "Talvez o cover mais bem feito da música catalisadora de Britney para a fama eterna".[50] Spears ouviu a versão enquanto fazia compras em um shopping e disse: "Foi meio estranha. Gostei, porém, eu pensei que era legal. Foi uma vibe muito diferente do que eu fiz".[51] Em julho de 2005, o grupo The Dresden Dolls realizou um cover durante seus shows de verão, enquanto abria shows para a banda de rock Panic! at the Disco. Em 18 de julho de 2006, o vocalista Brendon Urie se juntou à banda para executar a canção em Pittsburgh, Pensilvânia. O portal PopWreckoning.com disse: "O cover é uma estranha reviravolta a esta cantiga pop. É óbvio que é mais escuro e realmente torturado em oposição ao desespero colegial de menina de Britney".[50] Em 29 de novembro de 2008, no mesmo dia em que Spears cantou "Womanizer" no programa musical The X Factor, o concorrente JLS realizou um cover da canção que foi considerado uma mancada pelo jurado Simon Cowell.[52]

Em 13 de julho de 2009, Tori Amos fez um cover da canção ao vivo durante sua turnê Sinful Attraction Tour no Teatro Paramount, em Oakland, Califórnia.[53] Em 15 de outubro de 2009, Kris Allen fez um cover da canção pela primeira vez em um concerto em Seton High School em Cincinnati, Ohio. Sua versão recebeu críticas positivas.[54] Um trecho deste cover foi usado no filme de animação CGI de comédia da 20th Century Fox Robôs, mas não foi incluída no álbum da trilha sonora. O humorista sueco banda de heavy metal Black Ingvars fez um cover da canção para o seu álbum de 2000, Kids Superhits.[55] No mesmo ano, a banda britânica de death metal, Tem Masked Men, incluiu uma versão da canção em seu álbum Return of the Ten Masked Men.[56] O cover feito por Ahmet e Dweezil Zappa foi destaque no trilha sonora do filme de 2000 Ready to Rumble.[57] Em 2003, a canção foi regravada pela banda americana de punk pop Bowling for Soup para a trilha sonora do remake do filme Freaky Friday, e comentaram sobre o cover da canção: "É muito, muito, muito escuro e duro, [..] não é o tipo de "coisas pop que costumamos fazer".[58] Em 2005, a banda de power pop Fountains of Wayne fez um cover da canção para o seu álbum de compilação Out-of-State Lates. Robert Christgau, do The Village Voice destacou a versão dizendo: "A canção é tão impregnada e busca como qualquer pico de [Fountains of Wayne]".[59] A cantora pop japonesa Shiori Takei fez um cover da canção de seu álbum de 2005 The Note of My Nineteen Years.[60] "...Baby One More Time" também foi incluída no álbum da trilha sonora do filme de 2013 Spring Breakers, dirigido por Harmony Korine e estrelado por Selena Gomez e Vanessa Hudgens.[61]

Em 2006, um cover da canção foi feito por Trombo Combo no estilo lounge music, e foi incluída em seu álbum de covers Trombo Combo: Swedish Sound Deluxe.[62] Jayne Montgomery, do grupo Hi-NRG, fez um cover da canção no estilo eurodance e foi lançado através de Almighty Records.[63] Na compilação de 2009, Punk Goes Pop 2,um cover da canção feita pela banda de metalcore August Burns Red foi incluída, juntamente com um cover de "Toxic", feito por A Static Lullaby.[64][65] A dupla Doll Factory incluiu um cover da música como faixa bônus em versões selecionadas do álbum Weightless.[66] O cantor e compositor Christopher Dallman lançou um EP intitulado Sad Britney, que inclui um cover da canção junto com covers de "Toxic", "Gimme More" e "Radar".[67] A canção também recebeu covers por Brainshake, Intwine, Kevorkian, P.T. Grimm & The Dead Puppies, Jenny Owen Youngs, Neil Sahgal & Annie Bethancourt, entre outros.[50] No episódio de 2010 da série musical Glee dedicado à Britney, "Britney/Brittany", a personagem Rachel Berry, interpretada por Lea Michele, fez um cover da canção usando roupas semelhantes às do vídeo de "...Baby One More Time". Spears também fez uma participação especial no cover, desempenhando o papel de professora, anteriormente interpretado por Felicia Cullota.[68] Darren Criss, também de Glee realizou um mash-up de "...Baby One More Time", com "Für Elise" em cantar, Sing Out, Raise Hope para a caridade The Trevor Project e a Fundação Elizabeth Glaser Pediatric AIDS, em dezembro de 2011.[69]

Legado[editar | editar código-fonte]

"...Baby One More Time" foi listada no número vinte e cinco das maiores canções pop desde 1963, em uma lista compilada pela revista Rolling Stone e pela MTV em 2000.[70] A revista Blender listou "...Baby One More Time" no número dois na lista 500 Greatest Songs Since You Were Born. A canção também foi listada como a segundo melhor canção dos anos 1990 pelo canal VH1[71] e em uma lista compilada em 2003, em que "...Baby One More Time" foi listada no número um na lista 100 Best Songs of the Past 25 Years.[72] Bill Lamb, do portal About.com, classificou "...Baby One More Time" no número na lista compilada lista compilada Top 40 Pop Songs Of All Time.[73] O vídeo da música foi eleito o terceiro mais influente na história da música pop em uma pesquisa realizada pelo site Jam!.[74] "...Baby One More Time" também é um dos singles mais vendidos de todos os tempos, com cerca de mais de 11 milhões de cópias vendidas,[75] e também ganhou a primeira a nomeação de Spears para um Grammy Award de Melhor Performance Vocal Pop Feminina.[76] Em abril de 2005, a rede britânica televisiva ITV exibiu uma série curta chamada Hit Me, Baby, One More Time, apresentada por Vernon Kay.[77] O show mostrava hits maravilhosos que geralmente tinham seus momentos de fama na década de 1980 contra o outro para exibir os seus próprios sucessos e um cover atualmente popular.[77] Os favoritos eram escolhidos por votação do público.[77] A versão americana do show também foi exibido pela NBC no final do ano, também organizado por Kay.[78] Em 2012, foi criada uma enquete por The Official Charts Company em parceria com a ITV para descobrir qual era o single favorito do país de todos os tempos, e "...Baby One More Time" foi listada como a sexta canção favorita de todos os tempos do Reino Unido.[79]

Spears tornou-se um ícone internacional da cultura pop logo após iniciar sua carreira de artista. A revista Rolling Stone escreveu: "Uma das vocalistas mais polêmicas e bem-sucedidas do século 21, ela liderou o crescimento do pós-milenar teen pop [...] Spears cultivou cedo uma mistura de inocência e da experiência que quebrou os recordes".[80] Barbara Ellen, do The Observer, relatou: "Spears é notoriamente uma das mais antigas adolescentes pop que já existiu há quase meia-idade em termos de foco e determinação. Mesmo com 19 anos de idade ainda nem sequer começou a trabalhar nessa idade, ao passo que a Britney, ex-Mouseketeer, era mais incomum e volátil dos fenômenos americanos. Ela é uma criança com uma carreira em tempo integral, enquanto outras meninas estavam colocando cartazes em suas paredes, Britney já estava querendo ser o cartaz na parede. Enquanto outras crianças desenvolvem em seu próprio ritmo, Britney estava desenvolvendo um ritmo definido pela indústria do entretenimento americano ferozmente competitiva".[81]

Scott Plagenhoef ,do Pitchfork, observou: "Canções como "Smells Like Teen Spirit", de Nirvana, "Nuthin' But a 'G' Thang", de Dr. Dre e "...Baby One More Time" de Britney Spears, alteraram a paisagem da cultura pop tão rapidamente, em grande parte porque eles foram entregues a todos os cantos os EUA simultaneamente pela MTV. [...] A capacidade da MTV para colocar uma música e um músico na música pop foi inigualável na época, e até o final da década níveis absurdos significaram muitos compromissos financeiros e criativos para vídeos musicais".[82] O escritor da PopMatters, Evan Sawdey, comentou que o conceito de Spears para o videoclipe da canção foi o único responsável por seu sucesso imediato, dizendo: "Como resultado, a cantora não marcou um enorme um single, inadvertidamente, começou no final dos anos 90 a explosão pop adolescente, e criou uma personalidade pública para si mesma que era, simultaneamente, amiguinha de crianças e pura fantasia masculina. Seus vídeos foram exibidos em ambos os canais MTV e Disney Channel ao mesmo tempo, mostrando o quão Spears (e seus exércitos de manipuladores PR) conseguiram caminhar bem sobre a linha tênue entre o ídolo pop familiar e objeto sexual descarado".[83]

Recentemente, o grupo TLC, a quem originalmente haviam sido oferecidos "...Baby One More Time", receberam pedidos por muitos fãs para executar "...Baby One More Time" em turnê, devido ao sucesso da música. T-Boz respondeu a um fã no Twitter dizendo que apesar de ter sido escrito para eles, eles se recusaram a executar a canção: "Não eu não ri, mas eu sei que foi escrito para mim e eu já sei disso."

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

Estes são os formatos das principais versões do single ...Baby One More Time.[84]

CD Single da Austrália (1835)
N.º Título Duração
1. "...Baby One More Time"   3:32
2. "...Baby One More Time" (versão instrumental) 3:32
3. "Autumn Goodbye" (lado b de ...Baby One More Time) 3:41
4. "...Baby One More Time" (Davidson Ospina Club Mix) 5:40
5. "...Baby One More Time" (vídeo musical) 3:57
Duração total:
20:22

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

A canção foi oficialmente enviada para as rádios americanas em 23 de outubro de 1998. Em 21 de novembro de 1998, "...Baby One More Time" estreou naBillboard Hot 100 e liderou a parada após dois meses e meio durante duas duas semanas consecutivas, substituindo "Have You Ever?", da cantora de R&B Brandy. Ao mesmo tempo, o single atingiu o número um no Canadian Singles Chart.[85] A canção alcançou o primeiro lugar da parada Hot 100 Singles Sales, permanecendo no pico durante quatro semanas consecutivas. Isto eventualmente impulsionou o single para uma certificação de platina pela Recording Industry Association of America (RIAA). Apesar de não ter sido tão forte quanto suas contagens de vendas, "...Baby One More Time" também esteve num número considerável na parada airplay, tornando-se seu primeiro hit a atingir o Top 10 na Hot 100 Airplay, atingindo um pico de número oito.[86] O single tornou-se também um grande hit na parada Top 40, atingindo o Top 10 em ambas as paradas Top 40 Tracks e Rhythmic Top 40, e o número um durante cinco semanas na parada Mainstream Top 40.[85] O single permaneceu durante um total de 32 semanas na parada Hot 100, o impulsionando a atingir o número cinco na parada de fim de ano dos Estados Unidos, a Billboard Year-End Chart. Em junho de 2012, "...Baby One More Time" vendeu 1,412,000 milhões de singles físicos, com 511 mil downloads digitais pagos nos Estados Unidos.[87] É o single físico mais vendido de Spears no país.[87] "...Baby One More Time" estreou no número 20 na Australian Singles Chart.[88] Um mês depois, alcançou o pico de número um e permaneceu no número um durante nove semanas consecutivas.[88] A canção se tornou o segundo single mais vendido do ano na Austrália, atrás apenas de "Mambo No. 5" de Lou Bega, e foi certificado triplo de platina pela Australian Recording Industry Association (ARIA) devido às vendas de mais de 210 mil cópias. Na Nova Zelândia, o single ficou quatro semanas não-consecutivas no topo das paradas e após as altas vendas de 15.000 unidades, a Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ) deu à "...Baby One More Time" um certificado de platina.[89]

A faixa alcançou o primeiro lugar em todas as tabelas europeias em que entrou.[90] "...Baby One More Time" ficou duas semanas consecutivas em número um na parada da França, a French Singles Chart, e foi disco de platina pela Syndicat National de l'Édition Phonographique (SNEP) após vender mais de 500.000 unidades no país. Além disso, a canção liderou a parada da Alemanha, a Germany Singles Chart durante seis semanas consecutivas e vendeu mais de 750.000 cópias, resultando em uma certificação tripla de ouro pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI). No Reino Unido, segundo a Jive Records, o single "...Baby One More Time" vendeu mais de 250.000 cópias em apenas três dias.[91] Spears quebrou um recorde de vendas na primeira semana por uma artista feminina no momento em que "...Baby One More Time" vendeu um total de 460.000 cópias no Reino Unido.[92] O single vendeu mais de 1,6 milhões de unidades,[93] tornando "...Baby One More Time" single mais vendido de do ano e o 29º best-seller de todos os tempos na Grã-Bretanha.[93][94] Eventualmente, a British Phonographic Industry (BPI) deu à "...Baby One More Time" um certificado duplo de platina em 26 de março de 1999. Além disso, "...Baby One More Time" é o terceiro single mais vendido por uma artista feminina no país, atrás apenas de "I Will Always Love You" de Whitney Houston e "Believe", de Cher.[94] "...Baby One More Time" é um dos singles mais vendidos de todos os tempos, com mais de 11 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.[95]

Precessão e sucessão[editar | editar código-fonte]

Gráficos de sucessão
Precedido por
"Better Off Alone" por Alice DeeJay
Single número um nos Alemanha Media Control Charts
5 de março – 16 de abril de 1999
Sucedido por
"Flat Beat" por Mr. Oizo
Precedido por
"Believe" por Cher
Single número um nos Austrália ARIA Charts
28 de fevereiro – 2 de maio de 1999
Sucedido por
"No Scrubs" por TLC
Precedido por
"A Klana Indiana" por A Klana Indiana
Single número um na Áustria Ö3 Austria Top 40
21 de março – 16 de março de 1999
Sucedido por
"I Want It That Way" por Backstreet Boys
Precedido por
"Pretty Fly (for a White Guy)" por The Offspring
Single número um no Bélgica Ultratop 40 (Flandres)
13 de março – 8 de março de 1999
Sucedido por
"Flat Beat" por Mr. Oizo
Precedido por
"Tu M'Oublieras" por Larusso
Single número um no Ultratop 50 (Valónia)
27 de março – 26 de maio de 1999
Sucedido por
"Au Nom de La Rose" por Moos
Precedido por
"You Get What You Give" por New Radicals
Single número um no Canadá Canadian Singles Chart
1 de fevereiro – 1 de março de 1999
Sucedido por
"Believe" por Cher
Precedido por
"Romeo" por Blå Øjne
Single número um na Dinamarca Tracklisten
20 de março – 24 de abril de 1999
Sucedido por
"Dig & Mig" por Blå Øjne
Precedido por
"Have You Ever?" por Brandy
Single número um na Estados Unidos Billboard Hot 100
30 de janeiro – 13 de fevereiro de 1999
Sucedido por
"Angel of Mine" por Monica
Precedido por
"Hallaa" por Apulanta
Single número um na Finlândia Suomen virallinen lista
Semana 16 – Semana 17 de 1999
Sucedido por
"Hallaa" por Apulanta
Precedido por
"Tu M'Oublieras" por Larusso
Single número um na França Syndicat National de l'Édition Phonographique
4 de abril – 8 de março de 1999
Sucedido por
"Au Nom de La Rose" por Moos
Precedido por
"Pretty Fly (for a White Guy)" por The Offspring
Single número um na República da Irlanda Irish Recorded Music Association
20 de fevereiro – 3 de abril de 1999
Sucedido por
"Swear It Again" por Westlife
Precedido por
"Silly Love Songs" por Ardijah (1ª vez)
"My Side of Town" por Lutricia McNeal (2ª vez)
"I Love The Way You Love Me" por Boyzone (3ª vez)
Single número um na Nova Zelândia Recording Industry Association of New Zealand
21 de fevereiro – 7 de março de 1999 (1ª vez)
21 – 28 de março de 1999 (2ª vez)
18 – 25 de abril de 1999 (3ª vez)
Sucedido por
"You Get What You Give" por New Radicals (1ª vez)
"Heartbreak/Tragedy" por Steps (2ª vez)
"No Scrubs" por TLC (3ª vez)
Precedido por
"Pretty Fly (for a White Guy)" por The Offspring
Single número um na Noruega VG-lista
Semana 8 – Semana 16 de 1999
Sucedido por
"Changes" por 2Pac
Precedido por
"Changes" por 2Pac
Single número um no Países Baixos Dutch Top 40
6 de março – 16 de abril de 1999
Sucedido por
"We're Going to Ibiza" por Vengaboys
Precedido por
"Fly Away" por Lenny Kravitz
Single número um no Reino Unido UK Singles Chart
21 de fevereiro – 6 de março de 1999
Sucedido por
"When the Going Gets Tough, The Tough Get Going" por Boyzone
Precedido por
"Vi Drar Till fjällen" por Markoolio
Single número um na Suíça Sverigetopplistan
18 de março – 8 de abril de 1999
Sucedido por
"(Du är så) yeah yeah, wow wow" por Martin
Precedido por
"Big Big World" por Emilia Rydberg
Single número um na Suíça Schweizer Hitparade
14 de março – 16 de maio de 1999
Sucedido por
"I Want It That Way" por Backstreet Boys

Créditos[editar | editar código-fonte]

Lista-se abaixo todos os profissionais envolvidos na elaboração de "...Baby One More Time" e "Autumn Goodbye", de acordo com o acompanhante encarte do single:[10]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

"...Baby One More Time" recebeu diferentes datas em diferentes países com inúmeros formatos. "...Baby One More Time" estreou a 30 de setembro de 1998 nos Estados Unidos no formato de CD Single, mais tarde lançado nos formatos de 12" Single, cassete single e download digital, na Alemanha a 3 de novembro de 1998 no formato de CD SIngle, no Brasil a 15 de fevereiro de 1999 no formato de download digital e na França a 23 de dezembro de 1998 nos formatos de CD Single e download digital. Em alguns países, a gravadora foi substituída pela Sony Music.

País Data Gravadora Formato
 Estados Unidos 30 de setembro de 1998 Jive Records CD Single
23 de outubro de 1998 Rádio
1 de novembro de 1998 12" Single
14 de novembro de 1998 Cassete single
17 de novembro de 1998 Download digital
 Alemanha 3 de novembro de 1998 Sony Music CD Single, download digital
 Brasil 15 de fevereiro de 1999 Download digital
 França 23 de novembro de 1998 Jive CD Single, download digital
 Austrália 30 de novembro de 1998 Sony Music CD Single
 Nova Zelândia 3 de dezembro de 1998 cassete single
 Japão 15 de novembro de 1998 12" Single
 China 27 de novembro de 1998 Jive Records 12" Single, download digital
 México 3 de janeiro de 1999 Sony Music CD Single
Flag of Spain.svg Espanha 30 de dezembro de 1998 Download digital, CD Single
 Áustria 10 de janeiro de 1999 Jive CD Single, download digital, cassete single
Taiwan 1 de dezembro de 1998 Jive Records Download digital, CD Single
 Canadá 10 de outubro de 1998 Sony Music CD Single, download digital

Notas

  1. a b No original: "Hit me baby one more time".
  2. No original: "Oh baby, baby / The reason I breathe is you / Boy, you got me blinded" e "When I'm not with you, I lose my mind / Give me a sign / Hit me baby one more time".

Referências

  1. Chuck Taylor. (24 de outubro de 1998). "Jive's Britney Spears Sets Top 40 Abuzz With Rhythm-Leaning 'Baby One More Time'". Billboard 11 (43) p. 104. ISSN 0006-2510. Visitado em 3 de novembro de 2015.
  2. a b c d e f g Hughes 2005, p. 145
  3. a b Steven Daly. (15 de abril de 1999). "Cover Story: Britney Spears: Britney Spears: Rolling Stone". Rolling Stone. ISSN 0035-791X.
  4. a b Hughes 2005, p. 147
  5. a b «Cover Story: Britney Spears». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. 15 de abril de 1999. Arquivado desde o original em 5 de março de 2008. Consultado em 3 de novembro de 2015. 
  6. a b c "E! Entertainment Special: Britney Spears". Ray W. Keziah. E!. 14 de março de 2004.
  7. Knopper 2009, p. 93
  8. a b c d Blender Staff. . "The 500 Greatest Songs Since You Were Born – Blender". Blender. ISSN 1534-0554.
  9. Will Best (23 de setembro de 2011). «What's Britney's surprise?» (em inglês). Channel 4. Arquivado desde o original em 12 de novembro de 2011. Consultado em 3 de novembro de 2015. 
  10. a b c d (1998) Créditos do álbum Baby One More Time (Single) por Britney Spears. Sony Music/Jive Records.
  11. «...Baby One More Time de Britney Spears» (em inglês). iTunes Store. Apple Inc. Consultado em 8 de novembro de 2015. 
  12. «...Baby One More Time (US CD Single) – Britney Spears» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 8 de novembro de 2015. 
  13. a b «Britney Spears – Baby One More Time – Digital Music Sheet» (em inglês). Musicnotes.com. Alfred Music Publishing. Consultado em 8 de novembro de 2015. 
  14. Mitchell & Reid-Walsh 2008, p. 547
  15. a b c d e f g h Jocelyn Vena (16 de novembro de 2009). «Britney Spears' '...Baby One More Time' Video Director Looks Bac» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 8 de novembro de 2015. 
  16. a b Barry Walters (13 de janeiro de 2003). «...Baby One More Time Music Review». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. Consultado em 8 de novembro de 2015. 
  17. Shapiro 2005, p. 55
  18. Oxoby 2005, p. 177
  19. a b Amanda Murray (26 de março de 2006). «Britney Spears "...Baby One More Time" Album Review» (em inglês). Sputnikmusic. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  20. Bill Lamb. «Top 10 Britney Spears Songs» (em inglês). About.com. The New York Times Company. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  21. a b Sara Anderson. «10 Best Britney Spears Songs» (em inglês). AOL Radio. Arquivado desde o original em 7 de março de 2012. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  22. Beth Johnson (18 de dezembro de 1998). «...Baby One More Time (1998)». Entertainment Weekly (em inglês). Time Inc. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  23. Stephen Thomas Erlewine. «... Baby One More Time - Britney Separs | Allmusic» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  24. «...Baby One More Time - NME Review». NME (em inglês). IPC Media. de dezembro de 2004. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  25. «Spears Tops 1999 MTV Europe Music Awards». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 11 de novembro de 2009. Arquivado desde o original em 3 de novembro de 2012. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  26. a b c d e f g h i MTV News Staff (18 de dezembro de 1998). «Britney Spears Shoots For Fun With Video Debut» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  27. a b «Britney Spears : People.com». People (em inglês). Time Inc. Consultado em 27 de abril de 2016. 
  28. Scott Heisel (30 de maio de 2008). «Against Me!: Reinventing Actual Roles (Searchable Database)». Alternative Press (em inglês). Alternative Press Magazine, Inc. Arquivado desde o original em 4 de agosto de 2011. Consultado em 12 de maio de 2016. 
  29. «MTV Video Music Awards 1999» (em inglês). MTV. Consultado em 12 de maio de 2016. 
  30. «Britney performs '...Baby One More Time' at her first VMAs. (1999)». MTV. MTV Networks. 9 de junho de 2007. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  31. «Britney Spears performs "...Baby One More Time" and "(You Drive Me) Crazy" at the 1999 EMA in Dublin, Ireland.». MTV. MTV Networks. October 15, 2010. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  32. «30 Memorable Moments From Past BBMAs». Billboard. Prometheus Global Media. 6 de maio de 2011. Consultado em 8 de maio de 2011. 
  33. Basham, David (23 de fevereiro de 2000). «Will Smith, Ricky Martin, Whitney Houston Help Grammys Take Flight». MTV. MTV Networks. Consultado em 25 de dezembro de 2010. 
  34. Brown, Joel (17 de novembro de 2003). «Britney Spears previews new album on ABC special before football». The Dispatch [S.l.: s.n.] Consultado em 2 de maio de 2010. 
  35. «Britney Talks New Album But Remains Coy On First Single» MTV [S.l.] 3 de setembro de 2003. Consultado em 22 de setembro de 2010. 
  36. a b Staff report, MTV News (24 de novembro de 2003). «News – Articles – 1480648 – 20031124». MTV. MTV Networks. Consultado em 26 de outubro de 2010. 
  37. Ollison, Rashod D (5 de setembro de 2003). «NFL kicks off the season with sizzle ; Fans 'Dream On' at pop-rock concert on Washington's Mall; Pop MusicReview». The Baltimore Sun Tribune Company [S.l.] Consultado em 26 de outubro de 2010. 
  38. Huhn, Mary (6 de setembro de 2003). «Britney fumbles the ball». New York Post. News Corporation. Consultado em 26 de outubro de 2010. 
  39. a b c d Ganahl, Jane (30 de julho de 1999). «The musical equivalent of cotton candy». San Francisco Chronicle Hearst Corporation [S.l.] Consultado em 1 de janeiro de 2010. 
  40. a b c d Miller, Andrew (20 de julho de 2000). «Britney Spears/Mikaila». The Pitch Village Voice Media [S.l.] Arquivado desde o original em 2012-12-04. Consultado em 20 de janeiro de 2010. 
  41. a b c d e f McHugh, Catherine (1 de julho de 2002). «Britney's Big Splash». Live Design Penton Media [S.l.] Consultado em 4 de fevereiro de 2010. 
  42. a b c d e f Reid, Shaheem; Moss, Corey (2 de novembro de 2001). «Britney Goes Bald, Plays Tiny Dancer, Gets Caught In The Rain At Tour Kickoff» MTV. MTV Networks [S.l.] Consultado em 6 de janeiro de 2010. 
  43. a b c d Stout, Gene (13 de março de 2004). «Britney ready for Vegas in a show rated 'R' for racy». Seattle Post-Intelligencer Hearst Corporation [S.l.] Consultado em 24 de dezembro de 2009. 
  44. a b c d VanHorn, Teri (2 de maio de 2007). «Britney's Back! Spears Returns To The Stage With Five-Song Dirty Dance Party». MTV. MTV Networks. Consultado em 1 de outubro de 2011. 
  45. a b Press, Associated (4 de março de 2009). «Big Easy fans thrilled by Britney's 'Circus' act» NBCUniversal / Microsoft [S.l.] Consultado em 16 de dezembro de 2009. 
  46. a b c d Shriver, Jerry (4 de março de 2009). «Britney in concert: The Circus is finally back in town». USA Today Gannett Company, Inc. [S.l.] Consultado em 11 de dezembro de 2009. 
  47. Vineyard, Jennifer (2 de março de 2004). «Britney Checking Into Onyx Hotel Wearing Rubberlike Outfit». MTV. MTV Networks. Arquivado desde o original em 6 de janeiro de 2010. Consultado em 24 de dezembro de 2009. 
  48. Masley, Ed (23 de junho de 2011). «Britney Spears 'Femme Fatale' tour a giddy pop spectacle». The Arizona Republic. Gannett Company. Consultado em 25 de junho de 2011. 
  49. a b Sullivan, Caroline. «Travis». The Guardian. UK: Guardian News and Media. Consultado em 22 de dezembro de 1999. 
  50. a b c «Under Cover: Britney Spears’s "…Baby One More Time». PopWreckoning.com. 28 de janeiro de 2009. Consultado em 2 d emaio de 2011. 
  51. «Travis cover themselves in glory». New Musical Express. UK. 1 de junho de 2000. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  52. «Michael Jackson wants X Factor's JLS to support him on tour». Daily Mirror. UK: Trinity Mirror. 6 de dezembro de 2008. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  53. «Tori Amos Baby One More Time Oakland 7 13 9 video». New Musical Express. UK. 8 de novembro de 2009. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  54. Slezak, Michael (15 de outubro de 2009). «Kris Allen covers "...Baby One More Time": Should this be a bonus track on his debut disc?». Entertainment Weekly. Time Warner. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  55. «Kids Superhits: Black Ingvars: Music». Amazon.com. 8 de novembro de 2009. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  56. «Ten Masked Men: NME Artists». New Musical Express. UK. November 8, 2009. Consultado em May 2, 2011. 
  57. «Ready to Rumble (2000 film)». Amazon.com. 8 de novembro de 2009. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  58. «Bowling For Soup Covers Britney For 'Freaky Friday' Soundtrack». Yahoo! Music. Yahoo!. 23 de julho de 2003. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  59. Christgau, Robert (28 de junho de 2005). «Baby One More Time». The Village Voice. Michael Cohen. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  60. «Shiori Takei Official Web Site 〜竹井詩織里オフィシャルサイト〜 : Discography(ディスコグラフィー)». Arquivado desde o original em 22 de junho de 2009. Consultado em 20 de junho de 2009. 
  61. «Amazon.com: Spring Breakers: Music from the Motion Picture: Various Artists: Music». Amazon.com. Consultado em 25 de maio de 2013. 
  62. «Trombo Combo, Swedish Sound Deluxe CD». CD Universe]. Chuck Beilman. Consultado em 8 de novembro de 2009.  delete character character in |work= at position 1 (Ajuda)
  63. «Almighty Records.com | Jayne Montgomery | ...Baby One More Time». Arquivado desde o original em 22 de junho de 2009. Consultado em 20 de junho de 2009. 
  64. «Punk Goes Pop 2: Album Review». AbsolutePunk. Buzz Media. 10 de março de 2009. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  65. Reid, Sean (Março de 2009). «Album Review: Various Artists – Punk Goes Pop 2». Alter the Press. Consultado em 8 de novembro de 2009. 
  66. «Doll Factory's Official Store». DollFactory.org. Arquivado desde o original em 22 de junho de 2009. Consultado em 20 de junho de 2009. 
  67. Dallman, Christopher (27 de novembro de 2009). «Giving thanks». CJD Music. Consultado em 27 de novembro de 2009. 
  68. Semigran, Ali (29 de setembro de 2010). «Britney Spears 'Glee' Episode Takes On '... Baby One More Time'». MTV. MTV Networks. Consultado em 5 de fevereiro de 2011. 
  69. Volta, Rae (19 de dezembro de 2011). «Darren Criss Plays Secret Show in NYC». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 9 de fevereiro de 2012. 
  70. «Rolling Stone & MTV: '100 Greatest Pop Songs': 1–50». MTV. Rock on the Net. Consultado em 11 de novembro de 2009. 
  71. «VH1: Greatest Songs of the 90's». VH1. Rock on the Net. 2007. Consultado em 11 de novembro de 2009. 
  72. «VH1 100 Best Songs of the Past 25 Years». VH1. Rock on the Net. Consultado em 11 de novembro de 2009. 
  73. Lamb, Bill. «Top 40 Pop Songs of All Time». About.com. Arquivado desde o original em 20 de julho de 2009. Consultado em 13 de julho de 2009. 
  74. «'Thriller' tops best video poll». Jam!. Sun Media. 3 de maio de 2010. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  75. «How Disney's TV gang has grown up». BBC News. BBC. 20 de fevereiro de 2007. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  76. «Santana Grabs 10 Grammy Nominations». Billboard. Prometheus Global Media. 4 de janeiro de 2000. Consultado em 30 de julho de 2008. 
  77. a b c «Hit Me, Baby, One More Time (Uk TV Show)». Internet Movie Database. 2005. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  78. «Hit Me, Baby, One More Time (US TV Show)». Internet Movie Database. 2005. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  79. Lane, Dan (16 de julho de 2012). «Queen’s Bohemian Rhapsody voted the Nation’s Favourite Number 1 Single». The Official Charts Company. Arquivado desde o original em 16 de julho de 2012. 
  80. «Britney Spears: Biography: Rolling Stone». Rolling Stone. Jann Wenner. 2008. Consultado em 9 de agosto de 2008. 
  81. Ellen, Barbara (10 de dezembro de 2000). «Comment: Britney Spears: Growing up is hard to do: America's apple- pie cheerleader is feeling the pressure as she tries to break free from her clean teen image. So is it all proving too much for Britney Inc, as she pulls out of tonight's Smash Hits Poll Winners' party and takes to her bed: The Observer Profile: Britney Spears». The Observer [S.l.: s.n.] p. 27. ISSN 0029-7712. 
  82. Plagenhoef, Scott (23 de agosto de 2010). «Pitchfork: Staff Lists: The Top 50 Music Videos of the 1990s». Pitchfork. Ryan Schreiber. Consultado em 11 de setembro de 2010. 
  83. Sawdey, Evan (4 de dezembro de 2009). «Britney Spears: The Singles Collection». PopMatters. Sarah Zupko. Consultado em 11 de setembro de 2010. 
  84. «U.K. Data». ukbritney.tv. 1999. Consultado em 30 de julho de 2008. 
  85. a b «Britney Spears – Billboard Chart History». Rovi Corporation. Consultado em 2 de maio de 2011. 
  86. «Hot 100 Airplay». Billboard (magazine). Prometheus Global Media. 29 de março de 1999. Arquivado desde o original em August 2, 2009. Consultado em 13 de julho de 2009. 
  87. a b Trust, Gary (5 de junho de 2012). «Ask Billboard: What Are Britney Spears' Best-Selling Singles?». Billboard Nielsen Company [S.l.] Consultado em 6 de junho de 2012. 
  88. a b c «Australian-charts.com – Britney Spears – ...Baby One More Time». =ARIA Top 50 Singles. Hung Medien. 28 de fevereiro de 1999. Consultado em 23 de outubro de 2010.  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "ARIA" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  89. a b «Charts.org.nz – Britney Spears – ...Baby One More Time». Top 40 Singles. Hung Medien. February 21, 1999. Arquivado desde o original em 29 de junho de 2009. Consultado em 14 de julho de 2009.  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "RIANZ_charts" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  90. «Lescharts.com – Britney Spears – ...Baby One More Time» (em francês). Les classement single. Hung Medien. 24 de abril de 1999. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  91. Rosen, Craig (19 de fevereiro de 1999). «Scary Spice's Baby, Hole, Britney Spears, And ODB In News Bites». Yahoo! Music. Yahoo!. Arquivado desde o original em July 25, 2009. Consultado em 23 de julho de 2009. 
  92. «Record Breakers and Trivia : Singles : Individual Hits : Sales». The Official Charts Company. Every Hit. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  93. a b c d «The Best Selling Singles Of All Time». The Official Charts Company. Every Hit. Consultado em 13 de julho de 2009.  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "UK_sales" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  94. a b «The Million Sellers – the UK's biggest ever selling singles revealed!». The Official Charts Company. 4 de novembro de 2012. Consultado em 5 de novembro de 2012. 
  95. Place, Clarissa (19 de abril de 2012). «Ten Things About... Britney Spears». Digital Spy. Hearst Magazines UK. Consultado em 25 de janeiro de 2013. 
  96. a b c d e «Chart Data: Britney Spears». Mariah Charts. 1999. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  97. a b c d Billboard magazine (Janeiro de 1999). «Billboard charts». All Music Guide. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  98. Australian Recording Industry Association (28 de fevereiro de 1999). «Australian Singles Chart». Australian Charts. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  99. Steffen Hung (32 de março de 1999). «Austrian Singles Chart». Austrian Charts. Arquivado desde o original em 24 de setembro de 2009. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  100. «Finnish Singles Chart». Finnish Charts. 16ª Semana de 1999. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  101. Syndicat National de l'Édition Phonographique (24 de abril de 1999). «French Singles Chart». Les Charts. Consultado em 14 de julho de 1999. 
  102. Irish Recording Music Association (18 de fevereiro de 1999). «Irish Singles Chart». Irish Charts. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  103. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome European_charts
  104. VG-lista (8ª Semana de 1999). «Norwegian Singles Chart». Norwegian Charts. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  105. MegaCharts (6 de março de 1999). «Dutch Singles Chart». Dutch Charts. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  106. Sverigetopplistan (18 de março de 2009). «Swedish Singles Chart». Swedish Charts. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  107. «Swiss Singles Chart». Swiss Charts. 14 de março de 1999. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  108. The Official Charts Company (Fevereiro de 1999). «UK Albums Chart». Every Hit. Consultado em 14 de julho de 1999. 
  109. «Best of All the Times in Neerlands». Dutch Singles Chart. Consultado em 13 de julho de 1999. 
  110. Universität Würzburg (1999). «German Annual Chart». ki.informatik.uni-wuerzburg.de. Consultado em 13 de julho de 2009. 
  111. Australian Recording Industry Association (1999). «ARIA Annual Chart». Consultado em 13 de julho de 2009. 
  112. «Austrian Annual Chart». austriancharts.at. 1999. Consultado em 13 de julho de 2009. 
  113. Ultra Top (1999). «Belgian Annual Chart». ultratop.be. Consultado em 13 de julho de 2009. 
  114. Billboard magazine (30 de dezembro de 1999). «Women Rule 1999 European Charts». Consultado em 13 de julho de 1999. 
  115. Rock On The Net. «THE ARC WEEKLY TOP 40 ARCHIVES: TOP POP SONGS OF 1999: 1-50». Consultado em 2 de junho de 2012. 
  116. a b Billboard magazine (31 de dezembro de 1999). «Billboard Hot 100 Annual Chart». Consultado em 13 de julho de 1999. 
  117. Hit Parade (1999). «Swiss Annual Chart». Swiss Charts. Consultado em 13 de julho de 2009. 
  118. The Official Charts Company (1999). «U.K. Annual Chart». The Official Charts. Consultado em 13 de julho de 2009. 
  119. International Federation of the Phonographic Industry - Germany (1999). «German Certification». Consultado em 14 de julho de 1999. 
  120. International Federation of the Phonographic Industry - Germany (1999). «German Certification Levels» (PDF). Consultado em 14 de julho de 1999. 
  121. a b c d e f g h Various (2005). «Standard for Certifying Awards of Countries» (PDF). Recording Industry Association of Japan. Consultado em 14 de julho de 2009. 
  122. International Federation of the Phonographic Industry - Austria (13 de abril de 1999). «Austrian Certification». Consultado em 14 de julho de 2009. 
  123. Recording Industry Association of America (13 de janeiro de 1999). «U.S. Certification». Consultado em 14 de julho de 2009. 
  124. Syndicat National de l'Édition Phonographique (20 de dezembro de 1999). «French Certification». Consultado em 14 de julho de 2009. 
  125. Recording Industry Association of New Zealand (12 de setembro de 1999). «New Zealand Certification». Consultado em 14 de julho de 2009. 
  126. International Federation of the Phonographic Industry - Norway (1999). «Norwegian Certification». Consultado em 14 de julho de 2009. 
  127. Nederlandse Vereniging van Producenten en Importeurs van beeld- en geluidsdragers (1999). «Dutch certification». Consultado em 14 de julho de 1999. 
  128. International Federation of the Phonographic Industry - Sweden (1999). «Swedish Certification» (PDF). Consultado em 14 de julho de 2009. 
  129. a b International Federation of the Phonographic Industry - Switzerland (1999). «Swiss Certification». Consultado em 14 de julho de 2009. 
  130. British Phonographic Industry (26 de março de 1999). «U.K. Certification». Consultado em 14 de julho de 2009. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]