Cómplices al rescate

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cómplices al rescate
Cúmplices de um Resgate (BR)
Informação geral
Formato Telenovela
Duração ,🍀🍀🍀🍀
País de origem  México
Idioma original Espanhol
Produção
Produtor(es) Rosy Ocampo
Elenco Belinda
Daniela Luján
Fabián Chávez
Martín Ricca
Laura Flores
Francisco Gattorno
Cecilia Gabriela
Raúl Magaña
Martha Sabrina
Vadhir Derbez
ver todos
Tema de abertura «Cómplices al Rescate» por (Belinda e Fabián Chávez / Daniela Luján e Martín Ricca)
Tema de
encerramento
«Sacame a Bailar» por (Belinda)
Exibição
Emissora de
televisão original
Canal de las Estrellas
Transmissão original 7 de janeiro de 2002 - 12 de julho de 2002
N.º de episódios 132
Cronologia
Último
Último
Navidad sin fin
¡Vivan los niños!
Próximo
Próximo

Cómplices al rescate (no Brasil: Cúmplices de um Resgate) é uma telenovela mexicana que foi produzida por Rosy Ocampo para a Televisa e exibida originalmente no Canal de las Estrellas entre 7 de janeiro e 12 de julho de 2002, em 132 capítulos, substituindo Navidad sin fin e sendo substituída por ¡Vivan los niños!.

A trama apresenta Laura Flores e Francisco Gattorno como protagonistas adultos, Belinda (substituída por Daniela Luján a partir do capítulo 92), Fabián Chávez e Martín Ricca como protagonistas infantis e Grisel Margarita, Miguel Santana, Raúl Magaña e Cecilia Gabriela como antagonistas principais em uma história que trata de duas irmãs gêmeas que foram separadas ao nascer.

No Brasil, a trama foi exibida pelo SBT, entre 25 de junho de 2002 a 31 de janeiro de 2003 em 140 capítulos, no horário das 19h30min que antigamente eram exibidas tramas para o público infantil, substituindo Maria Belém e sendo substituída por Viva às Crianças! - Carrossel 2.

Foi reexibida pelo SBT entre 10 de julho e 29 de dezembro de 2006 em 125 capítulos, substituindo Laços de Amor e antecedendo O Diário de Daniela.[1]

Em 2015, estreia o remake da telenovela no SBT, titulado Cúmplices de um Resgate, que terá Larissa Manoela como as protagonistas irmãs gêmeas "Isabela e Manuela", na versão original o nome das irmãs gêmeas era "Silvana e Mariana" interpretadas pela atriz e cantora mexicana Belinda e Daniela Luján na segunda fase.[2] Nesta versão, a novela tem novos personagens não vistos na versão original e grande parte do elenco infantil e adulto teve seus nomes alterados.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Silvana del Valle é uma menina de 11 anos que sonha em ser cantora. Vive numa luxuosa mansão com seu pai, Orlando, e sua mãe, Regina, uma mulher fria a ambiciosa que não tem tempo para ela. A outra pessoa importante em sua vida é Marina, a fiel babá que cuidou de Silvana desde seu nascimento. Ao saber que teria que frequentar aulas de canto para poder ser cantora de um grupo musical, a garota descobre que não é tão afinada para cantar. Triste Silvana vai acompanhada de sua babá Marina participar uma festa organizada pelo povoado. Ao chegar, Silvana ouve uma menina cantando, essa menina é Mariana, e percebe que são idênticas fisicamente. Nasce então uma grande amizade entre elas, que decidem guardar em segredo, e começam a se encontrar frequentemente. Mariana é uma menina de 11 anos, doce, alegre e sensível que vive num povoado com sua mãe, uma modesta costureira chamada Rosa, sua tia Helena e sua avó Dona Pura, vivendo aventuras com os amigos e o seu cachorro Manteiguinha. Como Mariana canta muito bem, Silvana começa a achar que Mariana poderia tomar seu lugar em um teste que seu tio Geraldo propôs para formar um novo grupo infantil. Mariana não gosta da ideia, mas acaba aceitando a troca depois que Silvana se compromete a tomar seu lugar num exame de matemática do colégio. E a troca dá certo: Silvana é escolhida para ser cantora do grupo musical e Mariana passa no exame, sem que ninguém desconfie. Porém, os obstáculos começam a surgir. Orlando morre repentinamente e Silvana é tomada por uma profunda depressão. Regina fica furiosa ao tomar conhecimento que seu marido a deixou à beira da ruína. Geraldo lembra à irmã que ela tem um valioso recurso: o talento de Silvana. Dominados pela ambição, Regina e Geraldo tentam livrar Silvana da depressão para explorar a menina. Mas nem os médicos conseguem reanimá-la. Ao ver Mariana, Geraldo e Regina se dão conta de que foi ela que eles ouviram cantar. Para assegurar a mina de ouro, eles sequestram Mariana e a obrigam a integrar o novo grupo musical. Enquanto isso, Silvana, ainda muito enferma, é deixada numa pequena cabana no fundo do jardim da mansão, aos cuidados de sua babá. Ajudada por seus novos amigos do grupo, a quem confia sua verdadeira identidade, Silvana faz todo o possível para resgatar Mariana, enquanto Rosa, desesperada, se dedica de corpo e alma a buscar sua filha desaparecida.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Dublagem no Brasil[editar | editar código-fonte]

  • Estúdios Herbert Richers e tradução de Manolo Rey. Um dos maiores erros é quando, no terceiro capítulo, o tio de Silvana a chama de Mariana mesmo sem saber que as duas trocaram de lugar, mas talvez isso tenha sido apenas um erro de dublagem.
  • Carol Kapfer como Mariana e Silvana (atriz Belinda)
  • Flávia Fontenelle como Mariana e Silvana (atriz Daniela Luján)
  • Juraciára Diácovo como Rosa Cantú
  • Sérgio Muniz como Alberto del Río
  • Jorge Destez como Sebastião Solasi
  • Júlio Chaves como Orlando del Valle
  • Teresa Cristina como Regina del Valle e Tânia Vermont
  • Carla Pompilio como Marina Batista
  • Ronaldo Júlio como Geraldo Oliveira
  • Clécio Souto como Vicente Rosales
  • Mônica Magnani como Helena Cantú
  • Felipe Drummond como Romão (Romãozinho)
  • Alex Zava como Felipe Olmos
  • Luisa Palomanes como Priscila Rico
  • Erika Menezes como Júlia Olmos
  • Carlos Eduardo como André Rosales
  • José Luiz Martins como Joaquim Olmos
  • Pedro Eugênio como Doutor Raul Olivo
  • Guilene Conte como Dora Rico
  • Ednaldo Lucena como Giusseppe Solasi
  • Márcia Morelli como Dona Biba Solasi
  • Newton da Matta como Luis Torres
  • Waldir Fiori como Senhor Fortunato Rico
  • Marco Moreira como Damião
  • Jorge Rosa como Santos
  • Mariângela Cantú como Alice Rosales
  • Maurício Berger como Navarro
  • Juliano Rosa como Artur Vargas
  • Andréa Murucci como Laurinha
  • Izabel Lira - Clarinha #1
  • Aline Ghezzi - Clarinha #2
  • Angélica Borges como Lourdes (Lulu) Mendonça
  • Maíra Góes como Professora Yolanda
  • Romeu D´Ângelo como Ofélio Negrete
  • Paulo Vignolo como Pedro
  • Ricardo Juarez como Joel Contreras
  • Christiane Louise como Sônia
  • José Santa Cruz como Detetive Fausto
  • Jorge Lucas como Voz do Manteiguinha
  • Isabela Quadros como Joselyn
  • Rodrigo Antas como Martín Ricca
  • Duda Espinoza como Herminio
  • Rita Lopes como Marcela
  • Geisa Vidal como Professora de Música

Produção[editar | editar código-fonte]

Cómplices al rescate nasceu de uma ideia da atriz Daniela Luján, de se fazer uma telenovela infantil que falasse de um tema muito comum nas novelas adultas como em La usurpadora, mas praticamente inexplorada no universo das novelas infantis: as gêmeas. A protudora Rosy Ocampo se interessou pela ideia, e Maria Del Socorro Gonzalez começou a desenvolveu a sinopse, enquanto Rosy se preparava para produzir a mais nova trama infantil da Televisa com o título de Rescate T3, que foi mudado logo mais para Cómplices al rescate. Daniela Luján, que teve a ideia inicial, ficou de fora do projeto e não foi chamada para nenhum papel. A escolhida para ser a protagonista foi Belinda, com quem Rosy Ocampo já havia trabalhado nos sucessos Amigos x siempre e Aventuras en el tiempo. Após isso, muitos rumores entre uma suposta rixa entre Belinda e Daniela começaram a rondar. A estreia da novela aconteceu em 7 de janeiro de 2002, com previsão de término para 24 de maio daquele mesmo ano, finalizando-se com 100 capítulos, mas devido a ótimos índices de audiência que a novela trouxe pra Televisa, a emissora em conjunto com Rosy Ocampo, decidiram prolongar a novela por mais dois meses, e mais 32 capítulos foram confirmados. Por causa disso, a substituta, ¡Vivan los niños!, teve sua estreia adiada, e como já planejado antes, não começou no mesmo período da Copa do Mundo FIFA de 2002.

No entanto Belinda, que interpretava as gêmeas Mariana e Silvana, não podia continuar na novela por já ter compromissos agendados e muitos novos projetos, tanto em sua carreira musical, como de atriz. Em meio a isso, a produtora Rosy Ocampo e os pais de Belinda brigaram, alegando a menina ter uma carga horária de trabalho muito pesada e não ter tempo pra estudar como uma criança normal de oito anos de idade. Isso fez com que ela saísse antes do esperado, gravando até o capítulo 91, e nas chamadas de intervalo daquele mesmo capítulo, anunciava Daniela Luján como a “nova cúmplice” da novela. Daniela, que inicialmente tinha sido descartada, agora fazia parte do elenco interpretando as personagens principais: Mariana e Silvana, a partir do capítulo 92. Muitas mudanças foram feitas nos núcleos da novela, e Martín Ricca foi colocado no elenco como o novo protagonista, fazendo Fabián Chávez, que foi lançado como grande revelação, passar a ser um mero coadjuvante. No último capítulo da novela, é revelado o rosto da dublê das gêmeas, Ariadna Arguello, e pode-se perceber que em ocasiões onde uma das gêmeas é mostrada de frente e a outra de costas, a de costas é menor, pois o tamanho da dublê que interpretava ambas as gêmeas de costas, não tinha o mesmo tamanho nem de Belinda, nem de Daniela.

Recepção[editar | editar código-fonte]

México[editar | editar código-fonte]

A telenovela teve êxito em audiência e venda de discos, mas após a substituição de Belinda por Daniela Luján, a qualidade da novela caiu drasticamente. Antes de sua saída, Belinda era muito elogiada pela crítica mexicana pela interpretação da doce Mariana e duramente criticada por sua interpretação da nervosa Silvana. Para quem não sabe, Silvana nunca foi uma vilã, mas sim uma garota triste com uma forte depressão por a mulher que a criou não lhe dar atenção nem permissão para ter amigos. Após a troca das atrizes, o público mexicano, que percebeu a brusca mudança, fez inúmeras comparações entre as duas, e na maioria dessas comparações, Belinda ganhava, e a alta audiência que novela tinha, já não era tão alta, mas satisfatória para Televisa.

A novela também teve problemas em seu enredo, quando Rosy Ocampo resolveu esticá-la. Laura Flores e muitos outros atores saíram da trama, junto com seus personagens. Rosa e Alberto, por exemplo, partiram para uma interminável lua de mel, depois do esclarecimento da origem das meninas. Atores talentosos tinham papéis inexpressivos, como o caso de Olivia Bucio, que era apenas a mãe de Martinho. Por outro lado, Cecilia Gabriela virou de fato a verdadeira protagonista da novela quando começou a interpretar Tania Vermont, personagem criada por Regina, fazendo-se passar por morta, para se vingar dos cúmplices. Enquanto saíram vários atores adultos, entraram várias crianças, como a presença de Martín Ricca, como ele mesmo, o que fez com que Fabián Chávez, que a princípio lançado como uma revelação, se tornasse um mero coadjuvante. E foi nessa parte que a novela virou muita música e pouca história. Com o tempo, a trama foi se perdendo, o sequestro de Mariana, que dava o título da história, não tinha fim e as situações iam se esvaziando. A aventura prometida no início estava ficando monótona a cada capítulo, e o casal protagonista adulto vivido por Laura Flores e Francisco Gattorno, não foi de todo o agrado, apesar das boas atuações dos dois.

Brasil[editar | editar código-fonte]

Na primeira exibição pelo SBT, apesar dos ótimos índices de audiência para o horário, sempre conseguindo a vice-liderança durante toda sua exibição, a trama não foi bem recebida pela crítica brasileira, na eleição de Melhores & Piores de TV Press e divulgado pelo portal Terra, Cúmplices de um Resgate foi escolhida como a pior telenovela estrangeira, o site definiu "Escolher a pior novela estrangeira não é tarefa das mais fáceis. Cúmplices de um Resgate obteve a maioria dos votos numa eleição que lembrou ainda Maria Belém, Salomé, Amigas e Rivais e Manancial, todas mexicanas exibidas pelo SBT.[3]

Foi reprisada pelo SBT de 10 de julho a 29 de dezembro de 2006, em 125 capítulos, primeiramente às 14h15min e depois às 14h45min. O horário foi mudado para que a novela competisse com a última semana da reprise da telenovela A Viagem, e levantou o ibope que a Fraca antecessora Laços de Amor havia deixado.

As gêmeas "Silvana" e "Mariana"[editar | editar código-fonte]

Silvana[editar | editar código-fonte]

Silvana é arrogante, grosseira, rebelde, muito esnobe e cantava muito mal, mas com o passar do tempo na novela, ela aprende a cantar. É muito mandona, principalmente com sua irmã gêmea Mariana. Quando era interpretada por Belinda, usava seu cabelo prezo a dois coques lisos, com mexas amarelas e vermelhas, é muito estilosa e só usa roupas na moda. Quando foi interpretada por Daniela Luján, adotou um visual mais velho, sua personalidade era ainda mais forte, agora seu cabelo era prezo a um único coque, extremamente lizo e longo, bem em cima da cabeça. É vocalista da banda Cómplices Al Rescate, onde divide o palco com sua irmã. Apesar de parecer muito com Silvana na aparência, tem um jeito completamente diferente da irmã, tanto na maneira de se vestir, quanto na de agir. Se tornou namorada de Martinho no último capítulo da novela, quando ele a pediu em namoro no show Cómplices Al Rescate: El Gran Final, frente a todos que assistiam.

Mariana[editar | editar código-fonte]

Mariana é doce, gentil, meiga, carinhosa e canta muito bem. Gosta de brincar com os amigos, ama animais e é muito submissa a sua irmã gêmea Silvana. Tem uma maneira muito simples de se vestir, e quando era interpretada por Belinda, usava seu cabelo solto e bem cacheado com franja, costuma usar vestidos simples. Quando foi interpretada por Daniela Luján, adotou um visual mais velho passando a usar mais calças, agora seu cabelo era prezo a dois coques não tão cacheados quanto antes, e deixou de usar franja, mas sim duas pontas cacheadas, uma de cada lado da cabeça. É vocalista da banda Cómplices Al Rescate, onde divide o palco com sua irmã. Apesar de parecer muito com Silvana na aparência, tem um jeito completamente diferente da irmã, tanto na maneira de se vestir, quanto na de agir. Se tornou namorada de Joaquím no último capítulo da novela.

Prêmios da telenovela[editar | editar código-fonte]

A telenovela ganhou um disco de platino por seu forte desempenho na área de vendas com o disco intitulado Silvana com mais de um milhão de cópias vendidas só na cidade do México, o disco Mariana por sua vez ganhou o Grammy Latino de melhor álbum grupera infantil. A telenovela também deu para a cantora e compositora Belinda muitos prêmios internacionais.

  • Premios Oye - Melhor Solista Grupero (Mariana/Complices Al Rescate) - Nomeada
  • Latin Grammy - Best Children's Album (Cómplices al Rescate) - Nomeada
  • Premios Eres Niños - La Megaactriz (Belinda) - Ganhadora
  • Premios Eres Niños - La Más Entonada (Belinda) - Ganhadora
  • Latin Grammy - Best Children's Album (Cómplices al Rescate: El Gran Final) - Nomeado

Abertura[editar | editar código-fonte]

Durante toda sua trajetória, a novela contou com um total de três aberturas. Na primeira, a canção de abertura era cantada por Belinda e Fabián Chávez, junto com o coro Cómplices al rescate. A primeira vinheta era tradicional das telenovelas da Televisa, mostrando sempre trechos dos capítulos iniciais e também alguns dos personagens principais.Na segunda vinheta, o tema de abertura passou a ser cantado por Daniela Luján e Fabián Chávez, já que Luján era a nova protagonista do folhetim. Agora os capítulos da trama eram abertos com um show dos cúmplices, e com presença da mais nova personagem da história Tania Velmont, além de Martín Ricca, que começou a aparecer nos créditos como uma ilustre presença, e no final, o próprio aparece junto com os novos personagens crianças da novela.Na terceira e última vinheta, Daniela Luján, junto com Martin Ricca, cantam a nova versão do tema de abertura, com o ritmo de salsa. Com uma nova coreografia, bem diferente da antiga, a última vinheta não lembrou nada a primeira. Os créditos eram expostos com a fonte Comic Sans MS.

CDs lançados da telenovela[editar | editar código-fonte]

Canta con cómplices al rescate.jpg

Cómplices al rescate foi uma telenovela que vendeu e lançou mais discos do que as outras infantis anteriores, e fazendo de Cómplices al rescate a telenovela mexicana com mais discos lançados pela gravadora Fonovisa, com distribuição da BMG. Confira a lista das sequências de discos lançados:

  • Disco Complices Al Rescate 2002
  • Disco Silvana Complices Al Rescate 2002
  • Disco Mariana Complices Al Rescate 2002
  • Disco/Karaokê Canta Con Complices Al Rescate 2002
  • Disco Especial Complices Al Rescate 2002
  • Disco Complices Al Rescate - El Gran Final 2002

Exibição internacional[editar | editar código-fonte]

Venezuela Venevision
Brasil SBT
BrasilAngolaMoçambique TLN Network
Colômbia Canal RCN
República DominicanaTelemicro Canal 5
Peru América Televisión
Estados Unidos Telefutura (2002) / Univision (2004)
Porto Rico Univisión
Paraguai Telefuturo
Argentina Telefe
Equador Gama TV / Ecuavisa
Costa Rica Teletica
Costa Rica Repretel
Chile Telecanal (2013)
México TLNovelas
México Tiin
Espanha Localia
Paraguai Latele
Bolívia A.T.B.

Versões[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Cúmplices de um Resgate Telenoveleiros (23 de abril de 2010). Visitado em 9 de novembro de 2014.
  2. a b Caras (16 de março de 2015). Íris Abravanel reúne elenco de 'Cúmplices de um Resgate'. Visitado em 17 de junho de 2015.
  3. Melhores e piores: O Clone foi o fenômeno do ano TV Press Terra Networks (22 de dezembro de 2002). Visitado em 9 de novembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Cómplices al rescate (em inglês) no Internet Movie Database