Chispita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chispita
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Conhecida como  Itália Marcelllina
Criador(es) História original
Abel Santa Cruz
Adaptação
Lucía Carmen
País de origem  México
Idioma original Castelhano
Produção
Diretor(es) Pedro Damián
Produtor(es) Valentín Pimstein
Elenco Lucero
Enrique Lizalde
Angélica Aragón
Usi Velasco
ver mais
Tema de abertura «Chispita» (por Timbiriche)
«Anjo Bom» no Brasil (por Sarah Regina e a Turminha Levada da Breca)
Tema de
encerramento
«Chispita» (por Timbiriche)
«Anjo Bom» no Brasil (por Sarah Regina e a Turminha Levada da Breca)
Exibição
Emissora de
televisão original
 México Canal de las Estrellas
Formato de exibição (SDTV)
Transmissão original  México 1982
Brasil 12 de março de 1984 México 1983
Brasil 3 de novembro de 1984
N.º de episódios 200
Cronologia
Programas relacionados Andrea Celeste (1979)
Luz Clarita (1996)

Chispita é uma telenovela mexicana. Foi a terceira estória infantil produzida por Valentín Pimstein, e foi transmitida pela primeira vez em 1982, pelo Canal de las Estrellas. Protagonizada por Lucero, contou com a atuação de Angélica Aragón e Enrique Lizalde. Adaptação da telenovela argentina Andrea Celeste, obra original de Abel Santa Cruz.

Esta telenovela foi um êxito no México, na América Latina, inclusive no Brasil onde foi exibida pelo SBT pela primeira vez entre 12 de março a 3 de novembro de 1984, tendo diversas reprises (5 ao total). A também rede brasileira CNT exibiu Chispita em 1997. Bateu recorde de audiência e colocou a sua protagonista Lucero como uma grande estrela.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

María Luisa (Angélica Aragón) e seu marido sofrem um terrível acidente, no qual o marido morre e ela perde a memória. Após o acidente, María Luisa não lembra que tem uma filha, Isabel (Lucerito), que se torna órfã e é levada para o orfanato do Pe. Eugenio (Gastón Tuset). Quando Isabel faz 10 anos, é adotada por Alexandre (Enrique Lizalde), homem respeitável, generoso, viúvo e com dois filhos: João Carlos e Lili (Usi Velasco). Quando Isabel é levada à casa, imediatamente se identifica com Glória (Alma Delfina), a empregada, que se torna sua grande amiga, assim como João Carlos, o que não acontece com Lili e Irene (Renata Flores), sua tutora, e as duas tornam a vida impossível para Isabel.

Como um milagre, Bertha (Hilda Aguirre) aparece, ela é irmã de caridade que leva Maria Luisa para trabalhar no orfanato em que Isabel viveu por anos e ainda freqüenta. Bertha quer convencer Isabel a procurar sua mãe dela, devido a seu estranho desaparecimento. Entanto, María Luisa tem outro nome, todos a chamam como Lucía, devido à sua falta de memória.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • A Folha fez uma comparação política entre o programa do Maluf e a novela, dizendo que primavam baixo nível técnico.[1]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • No Brasil, teve diversas reprises (7 ao total), as últimas reprises pelo SBT foram em 1992 e em 1996. A novela também foi reprisada no ano de 1997, pela CNT em vários horários. Durante a reprise de 1992, o SBT relançou a trilha sonora de 84 com capa nova. Lucero protagonizou a trama na época em que seu nome artístico era Lucerito. Enrique Lizalde e Angélica Aragón participaram da trama.
  • Quando a novela foi exibida pela primeira vez, o sucesso foi tão grande que a emissora passava os capítulos a conta-gotas. Tanto que Chispita, mesmo sendo uma novela curta, ficou no ar de março a novembro de 1984, sendo exibida em dois horários. O desempenho da trama surpreendeu a própria Lucero, que confessou numa entrevista a Augusto Liberato, no Viva a Noite, em 1986 não imaginar que Chispita no Brasil teria a mesma repercussão no México. Já em 1992, a novela ficou no ar durante quatro meses, do início de agosto ao final de novembro, mas com exibição de uma hora.
  • A abertura original da novela é um plágio da abertura de Pai Herói, novela de Janete Clair, exibida pela Rede Globo em 1979. Nas duas aberturas, era feita a montagem de um quebra-cabeça, cuja gravura era uma criança em um bosque. Ao final, sempre faltava a peça que representa o pai ou a mãe. Havia ainda, nos dois casos, créditos em ângulos.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. (18 de setembro de 1989) "Comparação". Folha: Política, A-4. Visitado em 24 de maio de 2015.
  2. Renata Mendonça (08 de fevereiro de 2014). Descubra por onde anda Lucero Hogaza, a protagonista da novela 'Chispita' Pure People. Visitado em 24 de maio de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]