Catunda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Catunda
"Princesa da Serra Branca"
Catunda - Ceará

Catunda - Ceará
Bandeira de Catunda
Brasão de Catunda
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 27 de dezembro
Fundação 27 de dezembro de 1990
Gentílico catundense
Prefeito(a) Antonio Pereira Leitão (PSC)
(2013–2016)
Localização
Localização de Catunda
Localização de Catunda no Ceará
Catunda está localizado em: Brasil
Catunda
Localização de Catunda no Brasil
04° 38' 52" S 40° 12' 03" O04° 38' 52" S 40° 12' 03" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Noroeste Cearense IBGE/2008 [1]
Microrregião Santa Quitéria IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Norte e Leste: Santa Quitéria Sul: Tamboril, Monsenhor Tabosa, Oeste: Hidrolândia, Nova Russas
Distância até a capital 256 km
Características geográficas
Área 790,483 km² [2]
População 10 508 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 13,29 hab./km²
Altitude 290 m
Clima semi-árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,609 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 44 461,853 mil IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 4 467,63 IBGE/2010[5]
Página oficial

Catunda é um município brasileiro do estado do Ceará. Localizado na Microrregião de Santa Quitéria, na Mesorregião do Noroeste Cearense. Teve seu desenvolvimento a partir do século XIX as margens do Rio Macacos na Bacia do Acaraú, possui uma população estimada em 10,5 mil habitantes, sendo que aproximadamente 6 mil habitantes (57%) residem na zona urbana, os principais centros urbanos são: Catunda (Sede), Paraíso e Vidéo. Os demais habitantes vivem em áreas rurais.

O município possui uma extensão territorial superior a 790 quilômetros quadrados, se dividirmos sua população por sua área territorial, teremos uma densidade demográfica de pouco mais de 12,6 habitantes por quilômetro quadrado.

Criado em 1990, Catunda está entre os municípios mais jovens do Ceará, possui um colégio eleitoral de mais de 8,4 mil eleitores. A cidade é conhecida como a “Princesa da Serra Branca” por ser o local onde está localizado o ponto Culminante (ponto mais alto do Estado), o Pico da Serra Branca com mais de 1.154 metros de altitude. O Município destaca-se ainda pelo razoável padrão de vida de seus habitantes e pelo baixo índice de criminalidade (considerada uma das cidades mais seguras e melhores de se viver em toda a Zona Norte e Inhamuns Cearense), o IDH de Catunda está entre os melhores da região Noroeste Cearense e entre os melhores de sua região. Seu PIB é estimado em quase 50 milhões de reais.

Algo importante a ser destacado é a diversidade cultural do município, exemplo disso é o “Catunda Cidade Junina, Santo Antônio da Alegria”, evento junino que atrai todos os anos milhares de pessoas de todo o Brasil, eleito em 2011 e 2012 pela FEQUAJUCE (Federação de Quadrilhas Juninas do Ceará) e pelo Governo do Estado do Ceará o “Melhor Festival Junino do Ceará”. A cidade hoje se destaca ainda pela variável diversidade multicultural de seu povo, a mesma está na Rota Turística da Serra da Ibiapaba, cortada pela CE 176 (umas das mais importantes do Estado).

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Catunda tem como seu primeiro nome Madalena, que em 1933 se tornara distrito de Santa Quitéria. Em 1938, Madalena mudou o nome para Catunda, e adquiriu parte do território do extinto distrito quiteriense Vídeo. Em 1990 Catunda se emancipa de Santa Quitéria, e em 1993, veio o primeiro distrito: Video. Em 1993, mais um distrito: Paraíso.[6]

Atualmente Catunda tem 3 distritos:

  1. Catunda (distrito-sede)
  2. Paraíso
  3. Vídeo

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Catunda é uma alusão ao professor, escritor, historiador, senador Joaquim Catunda. Sua denominação original era Vila Náu , depois Madalena e, desde 1938, Catunda.[7]

História[editar | editar código-fonte]

As terras situadas entre as serras: das Matas e das Matinhas; e às margens do rio dos Macacos eram habitadas por diversas etnias, entres elas os Tupinambá, Kanindé, Jenipapo,[8] [9] antes da chegadas dos portugueses com a expansão da pecuária e as semarias no século XVII, no ciclo da carne do charque. Das fazendas de gado implantadas na região e das habitações ao redor da capela de Santa Madalena surge o povoado da Vila de Náu (uma alusão a um fazendeiro local, Francisco Pereira Nau).

Século XIX[editar | editar código-fonte]

A povoação que deu origem a cidade de Catunda originou-se por volta de 1850, de uma fazenda denominada Madalena, de posse do Senhor Raimundo Pereira de Matos. Seu povoado teve seu desenvolvimento atrelado à construção da Capela do Sagrado Coração de Jesus, fato comum à maioria das cidades que figuram nesta região, que também se desenvolveram a partir de igrejas.

Século XX[editar | editar código-fonte]

A sede da fazenda Madalena ficava onde hoje é o Bairro do Açude, porém com a morte de Raimundo Pereira de Matos em 1911 é feito o inventário de seus bens, como era um homem de muitas posses, as terras da fazenda Madalena.

Política[editar | editar código-fonte]

Lista de Prefeitos:

  • Regina Elena Magalhães (1992 a 1996)
  • Francisco Antônio Lima (1996 a 2000)
  • Francisco Antônio Lima (2000 a jul/2004)
  • Antônio Pereira Leitão (jul a dez/2004)
  • Francisco Ernane Peres Lima (2005 a 2008)
  • Francisco Ernane Peres Lima (2008 a 2012)
  • Antônio Pereira Leitão (2013 a 2016)

A administração municipal localiza-se na sede: Catunda.[10]

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

O município é dividido em três distritos: Catunda(sede), Paraíso e Vidéo [10]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente semi-árido, com pluviometria média de 733,5 e chuvas concentradas de janeiro a abril. Com temperaturas entre 26º a 28 °C. Suas estações, como em todo Nordeste, são inverno e verão.

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água fazem parte da bacia do rio Acaraú, sendo elas os riachos: dos Macacos, do Abreu e do Porão e outros tantos. Existem ainda diversos açudes, dentre eles: Carmina e Japiaçu.[11]

Relevo[editar | editar código-fonte]

O principal acidente geográfico de Catunda é a Serra das Matas, com uma área de aproximadamente 195,4 km², que faz limite com o município de Monsenhor Tabosa.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Floresta caducifólia espinhosa (caatinga arbórea) na maior parte do município, especialmente nas porções centro e sul do território, e floresta subcaducifólia tropical pluvial (mata seca) na porção norte do território, tanto na área da sede do município, quanto na serra das Matas.

Economia[editar | editar código-fonte]

A base da economia local é agricultura: algodão arbóreo e herbáceo, banana, mamona, milho e feijão, e pecuária: bovino, suíno e avícola.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Os principais eventos culturais são:

  • Festa Catunda Cidade Junina: Santo Antonio da Alegria (10 a 13 de junho).
  • As festas dos padroeiros: Sagrado Coração de Jesus e Santa Maria Madalena (13 a 22 de julho).
  • Festa de Emancipação Municipal (07 de setembro).
  • Festa da Oitava (dezembro)

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 27 de agosto de 2011.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=230365&search=ceara%7Ccatunda
  7. Histórico de Catunda
  8. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  9. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimios Índigenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  10. a b http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/catunda.pdf
  11. http://www.cprm.gov.br/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.