Chorozinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Chorozinho
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 13 de março de 1987 (27 anos)
Fundação 1987
Gentílico chorozinhense
Prefeito(a) Argentina Sampaio Padilha (PSL)
(2013–2016)
Localização
Localização de Chorozinho
Localização de Chorozinho no Ceará
Chorozinho está localizado em: Brasil
Chorozinho
Localização de Chorozinho no Brasil
04° 18' 00" S 38° 29' 49" O04° 18' 00" S 38° 29' 49" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Norte Cearense IBGE/2008[1]
Microrregião Chorozinho IBGE/2008[1]
Região metropolitana Fortaleza
Municípios limítrofes Norte: Pacajus, Leste: Cascavel, Sul: Ocara, Oeste: Barreira
Distância até a capital 40 km
Características geográficas
Área 278,400 km² [2]
População 18 920 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 67,96 hab./km²
Clima Tropical semiárido brando
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,633 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 71 220,206 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 794,36 IBGE/2008[5]
Página oficial

Chorozinho é um município brasileiro do estado do Ceará. Localiza-se na Mesorregião do Norte Cearense, Microrregião de Chorozinho.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Chorozinho faz referência ao dinuitivo de Choró, que vem do Tupi Guarani choron que significa: ave ou pequena lente que surge no sopé ou encosta de uma chapada residual. Sua denominação original era Currais, depois Currais Novos, Currais Velhos e desde 1938, Chorozinho.[6]

A região às margens do Rio Choró era habitada por índios de etnias como os: Jenipapo, Kanyndé,[7] Choró e Quesito.

No Século XVIII,[8] nestas terras foi instalada a Missão dos Paiacu. É um núcleo urbano que surgiu devido aos projetos de combate a seca entre 1932 e 1934. No lugar denomindado Curais Velhos foi construído a ponte do BR 116 sobre o Rio Choró. Do acampamento dos engenheiros do DNOCS e dos operários empregados desta construção surge o povoamento, que cresceu ao redor desta base de apoio e da capela de Santa Terezinha, que depois transformaria-se em município.[6]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente semi-árido com pluviometria média de 810 mm[9] com chuvas concentradas de janeiro à abril.[10]

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água do município de Chorozinho e da bacia hidrográfica Metropolitana, tem como principal o rio Choró e riachos como: Cavacas, das Cabras e Areré; diversas lagoas tais como: do Cedro, dos Marinheiros, dos Martins, dos Patos e outras. Além do açude Pacajus,.[11] [12]

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

Terras de várzea não possui elevações. Os solos são as areias quartzosas distróficas e planossolos, onde encontram-se granitos do Pré-Cambriano e sedimentos areno-argilosos. Encontram-se ainda coberturas aluvionares, quaternárias, formadas por areias, siltes, argilas e cascalhos.[12]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação predominante é a caatinga comum e arbustiva densa, além da mata serrana.[13]

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

O município tem 6 distritos: Chorozinho(sede), Campestre, Cedro, Patos dos Liberatos, Timbaúba dos Marinheiros e Triângulo.[6]

História[editar | editar código-fonte]

A região às margens do Rio Choró era habitada por índios de etnias como os: Jenipapo,Kanyndé,[7] Choró e Quesito.

No Século XVIII,[8] nestas terras foi instalada a Missão dos Paiacu. É um núcleo urbano que surgiu devido aos projetos de combate a seca entre 1932 3 1934. No lugar denomindao Curais Velhos foi construído a ponte do BR 116 sobre o Rio Choró. Do acampamento do engenheiros do DNOCS e dos operários empregados desta construção surge o povoamento, que cresceu ao redor desta base de apoio e da capela de Santa Terezinha, que depois transformaria-se em município.[6]

Economia[editar | editar código-fonte]

A agroindústria e a pecuária são as principais atividades econômicas do município, apresentando uma larga produção agrícola de castanha de caju, mandioca, feijão e milho.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Vista do Centro de Chorozinho com ênfase ao Menino Jesus de Praga

O turismo é uma fonte de renda do município devido aos atrativos naturais como:

Já o turismo religioso outra fonte de renda do município acontece devido a devoção ao Menino Jesus de Praga.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Os principais eventos culturais são:

Política[editar | editar código-fonte]

A administração municipal localiza-se na sede: Chorozinho.[6]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. a b c d e http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/chorozinho.pdf
  7. a b Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  8. a b http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/pacajus.pdf
  9. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME.
  10. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.
  11. [1]
  12. a b http://www.cprm.gov.br/
  13. [2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.